Barão e Aldo colocam cinturões do Brasil no UFC em jogo neste sábado

Por Direto de Newark, EU

166 comentários

Desde que o Ultimate montou seu “circo” em Newark no início da semana para a realização doUFC 169, torcedores e jornalistas americanos não perdem a oportunidade de provocar os fãs brasileiros de MMA sempre que se encontram. “Estão preparados para voltar para o Brasil sem nenhum cinturão do UFC?”, eles dizem. É este cenário que Renan Barão e José Aldo enfrentam no Prudential Center neste sábado. Os dois companheiros de equipe na Nova União são os últimos representantes da pátria que ainda detêm cinturões da organização, e derrotas para os americanosUrijah Faber e Ricardo Lamas, respectivamente, deixariam o Brasil sem um campeão do Ultimate pela primeira vez desde 14 de outubro de 2006, data em que Anderson Silva conquistou o título dos pesos-médios.

MMA - UFC encaradas Media Day - José Aldo e Renan Barão camisas Futebol Americano (Foto: Evelyn Rodrigues)
José Aldo e Renan Barão: companheiros de equipe são esperanças do Brasil no UFC (Foto: Evelyn Rodrigues)

Os americanos, porém, terão uma missão monumental para deixar os brasileiros de mãos abanando. Entre José Aldo e Renan Barão, são apenas duas derrotas em 57 lutas, e ambos pretendem manter suas impressionantes sequências invictas intactas neste sábado.

O UFC 169 terá transmissão ao vivo com exclusividade do canal Combate, a partir de 21h30m (horário de Brasília). O Combate.com acompanha o evento inteiro em Tempo Real com imagens, vídeos e informações exclusivas direto de Newark, e exibe em vídeo ao vivo a primeira luta do card preliminar, entre os pesos-meio-médios Neil Magny x Gasan Umalatov.

Dono do pedaço

Após a queda do “Spider” diante de Chris Weidman e do hiato de Georges St-Pierre nos pesos-meio-médios, José Aldo se tornou o campeão com o reinado mais longo do UFC na atualidade: ele tem o cinturão dos pesos-penas desde 20 de novembro de 2010. A rigor, o manauara é campeão desde 18 de novembro de 2009, quando conquistou o título do WEC, evento que foi extinto e absorvido pelo UFC no ano seguinte. Somando suas lutas em ambas as organizações, “Scarface” defendeu seu título sete vezes, e ganhou uma aura de invencibilidade que lembra a que Anderson Silva tinha quando campeão dos pesos-médios.

José Aldo encarada UFC (Foto: Evelyn Rodrigues)
José Aldo é campeão do UFC há mais de três anos e não perde desde 2005 (Foto: Evelyn Rodrigues)

Do outro lado do cage, todavia, estará um homem com a mesma seriedade e força mental de Weidman: Ricardo Lamas, filho de um cubano que enfrentou o regime de Fidel Castro. Ele diz que deve a vida ao Brasil, já que seu pai escapou da ilha caribenha através da embaixada brasileira, e terá no córner os treinadores brasileiros César Carneiro e Daniel Valverde. Nada disso, porém, o fará aliviar para José Aldo. Lamas vem de quatro vitórias seguidas, três delas por nocaute ou finalização, e todas sobre lutadores de alto nível da categoria. Ele fez campanha por uma oportunidade de disputar o cinturão por meses, e não vai deixá-la escapar.

– Vou lutar como eu mesmo. Não vou deixá-lo implementar seu jogo, vou manter a pressão sobre ele, encurtar a distância e lutar no meu estilo – afirmou Lamas.

Sem conhecer uma derrota desde 2005, José Aldo está preparado para mais um desafio.

– Acho que o brasileiro pode confiar tanto em mim quanto no Renan pelo fato de a gente treinar todo dia duro na academia, procuramos sempre estar melhorando para chegar lá dentro e vencer a luta. Nisso que eles têm que acreditar, têm que estar na torcida, pois vai dar tudo certo – prometeu o campeão dos pesos-penas.

Validando o cinturão

Se Aldo é o campeão mais antigo do UFC, Barão é o mais novo. A luta deste sábado deveria ser para unificar os cinturões do peso-galo, mas uma lesão tirou de ação o ex-campeão linear, Dominick Cruz, e o brasileiro acabou promovido de campeão interino a campeão absoluto em 6 de janeiro deste ano. Ele já havia defendido o título “suplente” duas vezes, mas agora faz sua primeira defesa de cinturão oficial. Do outro lado, estará justamente o homem que Barão derrotou para conquistar a posição de campeão interino: Urijah Faber, que substituiu Cruz no evento.

Será um Faber diferente que Barão vai encontrar em Newark. O “Garoto da Califórnia” venceu quatro lutas consecutivas em 2013 e pareceu melhor do que nunca. Um dos lutadores mais populares dos EUA, o atleta da equipe Alpha Male também luta contra o estigma de vice-campeão: desde que perdeu o cinturão dos pesos-penas do WEC, em 2008, amargou quatro derrotas em combates valendo títulos.

– Apesar de eu considerar que ainda tenho as mesmas habilidades, acho que sou um lutador melhor. Tive um 2013 muito ativo, treinei continuamente e consegui desenvolver ainda mais o meu jogo em todas as áreas. A vinda do Duane Ludwig para o Alpha Male também ajudou muito no meu camp, consegui ampliar o meu desempenho e criar essa sinergia que me trouxe de volta à briga pelo título. Também estou mais empolgado com essa luta. Agora o momento é outro. Chegou a minha vez de ser campeão do UFC – declarou Faber nesta semana.

Renan Barão e Faber encarada UFC 169 (Foto: Evelyn Rodrigues)
Renan Barão quer dar a Urijah Faber seu quinto vice-campeonato consecutivo (Foto: Evelyn Rodrigues)

Se o americano vem de quatro vitórias seguidas, o brasileiro vem de 31, de acordo com o site especializado “Sherdog” (o UFC contabiliza 33 triunfos na carreira do potiguar). Renan Barão não sabe o que é uma derrota desde sua primeira luta profissional, em 2005. Sua simplicidade o ajuda a ignorar a pressão por uma vitória no dia seguinte ao seu aniversário de 27 anos de idade. Ele só pensa em calar a boca de Faber mais uma vez.

– Acho que quem tem boca fala o que quer. Ele está com muita força de vontade, mas lá em cima o cinturão é meu. Não tem outro pensamento. O cinturão é meu e ninguém vai tirar de mim – exclamou Barão.

Esperanças brasileiras nas preliminares

O UFC 169 tem ainda mais dois brasileiros em ação. Na última luta do card preliminar, o peso-leve manauara Alan Nuguette defende uma invencibilidade de 11 lutas como profissional e pode dar um grande salto na carreira contra o canadense John Makdessi, nocauteador que vem de três vitórias seguidas pelo Ultimate. O card principal tem o paranaense John Lineker em ação contra o russo Ali Bagautinov, numa luta que pode valer uma disputa de cinturão nos pesos-moscas. Outro destaque do evento é o duelo entre os pesos-pesados Frank Mir, ex-campeão do UFC, e Alistair Overeem, ex-campeão do K-1, Strikeforce e Dream. Ambos vêm de sequências negativas e precisam da vitória para garantirem seus empregos. Confira o card completo:

UFC 169
1º de fevereiro de 2014, em Newark (EUA)
CARD PRINCIPAL
Peso-galo: Renan Barão x Urijah Faber
Peso-pena: José Aldo x Ricardo Lamas
Peso-pesado: Frank Mir x Alistair Overeem
Peso-mosca: John Lineker x Ali Bagautinov
Peso-leve: Jamie Varner x  Abel Trujillo
CARD PRELIMINAR
Peso-leve: John Makdessi x Alan Nuguette
Peso-mosca: Chris Cariaso x Danny Martinez
Peso-médio: Nick Catone x Tom Watson
Peso-leve: Al Iaquinta x Kevin Lee
Peso-médio: Clint Hester x Andy Enz
Peso-leve: Tony Martin x Rashid Magomedov
Peso-meio-médio: Neil Magny x Gasan Umalatov

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *