Brasil enfrenta Holanda na disputa do 3º lugar em busca de dignidade

Em 15 de junho de 2013, Neymar precisou de três minutos para marcar um gol no Japão em Brasília e iniciar a campanha do título na Copa das Confederações que fez Luiz Felipe Scolari considerar o hexacampeonato mundial uma obrigação neste ano. Às 17 horas (de Brasília) deste sábado, no mesmo Mané Garrincha, a seleção brasileira encara sua dura realidade: enfrenta a Holanda na disputa do terceiro lugar na Copa do Mundo.

Mais do que um prêmio de consolação, encerrar com vitória a participação como anfitrião do Mundial é uma necessidade para quem busca dignidade. Será o primeiro jogo da equipe que já era marcada por chorar demais e, na terça-feira, derramou lágrimas de desespero ao cair na semifinal perdendo por 7 x 1 da Alemanha no Mineirão.

Desde então, a mais vexatória derrota da história do futebol pentacampeão mundial é tratada apenas como resultado de uma “pane geral” de seis minutos, como definiu Felipão ao lembrar os quatro gols alemães entre os 23 e os 29 minutos do primeiro tempo. A verdade, porém, é que o time terá que enfrentar a própria frustração além da Holanda no reencontro com Brasília.

No ano passado, o ainda contestado time de Scolari contou com rápido gol de Neymar para vencer o Japão por 3 x 0, na estreia na Copa das Confederações. No Mundial, fez no Mané Garrincha uma rara atuação com momentos empolgantes ao bater o já eliminado Camarões por 4 x 1 na fase de grupos. Agora, ciente de que o hexa em casa não passou de um sonho, tenta mostrar rápido poder de recuperação.

“Na medida em que não jogarmos bem, não ganharmos o jogo e tivermos outra decepção, é claro que vai piorar tudo o que aconteceu. Sabemos que uma vitória neste sábado poderá mudar muito pouco a decepção, que não adianta, mas temos que trabalhar com objetivos”, declarou Felipão.

Como a meta que restou não é nada além de um frustrante terceiro lugar, o treinador pretende mexer no time. Da equipe que passou vergonha na semifinal, devem sair o trio mais contestado, composto por Fernandinho, Hulk e Fred, e Bernard e Dante, que retornam para o banco.

O capitão Thiago Silva, embora não tenha treinado nessa sexta-feira para fazer fortalecimento muscular, provavelmente volta à equipe após cumprir suspensão. Paulinho e Ramires também entrariam para formar com Luiz Gustavo o setor de marcação no meio-campo que faltou contra a Alemanha. Willian e Jô completariam a lista de novidades.

Ainda sem condições de jogo por ter fraturado a terceira vértebra da região lombar, Neymar, ao menos, deve acompanhar o jogo do banco. Em um triste fim de Copa para ele e para a seleção. “Não conseguimos a final e jogaremos pelo terceiro lugar, um sonho bem menor. Mas, sempre a partir de uma queda, vamos dar o passo seguinte para melhorarmos, nos motivarmos e buscarmos forças para ganhar no sábado”, tentou animar Scolari.

Do outro lado, a busca por motivação fez Louis Van Gaal mudar seu discurso. Minutos após ser eliminado pela Argentina nos pênaltis, o técnico chamou a disputa do terceiro lugar de jogo desnecessário. Porém, na véspera de sua última partida na Copa, avisou que sua intenção é sair do Brasil invicto.

“O sonho acabou e não vai voltar. Meus jogadores queriam ser campeões. Tudo é decepcionante, mas ainda há coisas a fazer aqui. Podemos voltar para casa sem ter perdido uma partida nesta Copa, e quero sair da Copa sem perder nenhum jogo. Espero ganhar do Brasil e ficar em terceiro lugar porque, desta forma, estaríamos escrevendo a história do futebol holandês”, discursou o treinador.

Diferentemente de Scolari, o holandês não deu nenhuma pista do time que colocará em campo. Assim, o torcedor brasileiro que sonhou com o hexa não tem certeza nem se terá a chance de ver, pela última vez, o time laranja que estreou goleando a ainda atual campeã Espanha por 5 x 1.

FICHA TÉCNICA

BRASIL X HOLANDA

Local: Mané Garrincha, em Brasília (DF)

Data: 12 de julho de 2014, sábado

Horário: 17 horas (de Brasília)

Árbitro: Djamel Haimoudi (Argélia)

Assistentes: Redouane Achik (Marrocos) e Abdelhak Etchiali (Argélia)

BRASIL: Júlio César; Maicon, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho e Ramires; Oscar e Willian; Jô (Fred). T: Luiz Felipe Scolari

HOLANDA: Cillessen; Vlaar, De Vrij e Martins Indi; Janmaat, De Guzmán, Wijnaldum, Sneijder e Blind; Robben e Van Persie. T: Louis Van Gaal

Fonte: Gazeta Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *