Brasil leva 'surra' dos EUA e perde na semi do Mundial de vôlei feminino

Por ESPN

A partida entre Brasil e Estados Unidos pela semifinal do Mundial de vôlei feminino foi uma grande decepção diante da campanha que o time de Zé Roberto vinha fazendo. Com uma arbitragem bastante contestada pelos dois treinadores, as brasileiras sucumbiram diante do nervosismo e não tiveram condições de reagir contra uma sólida seleção norte-americana, que levou o jogo com certa facilidade por 3 sets a 0.

Os EUA se vingaram do Brasil após terem sido derrotados duas vezes no Grand Prix, em agosto deste ano, por 3 a 0 e 3 a 2. Foi a primeira derrota brasileira na competição, justamente quando a competição entrou em fase de play-offs.

O confronto em Milão teve dois sets completamente dominados pelos EUA e um set bem equilibrado e decidido pela arbitragem. A segunda parcial desestabilizou o Brasil, que era melhor mas sofreu com seguidos erros dos juízes, e o time entrou derrotado depois disso. Os placares foram de 25/18, 29/27 e 25/20. O grande destaque da partida foi a ponta estadunidense Kimberly Hill, que apareceu muito bem no ataque nos momentos decisivos.

No primeiro set a seleção brasileira foi mal. As norte-americanas chegaram a abrir sete pontos de vantagem, fazendo 18 a 11. Eram muitos erros infantis do time canarinho que não se encontrava. Uma das jogadoras mais importantes, Fernanda Garay era o retrato da má apresentação: tentou uma “deixadinha” que nem chegou a cruzar a rede. A equipe, porém, melhorou um pouco no final, antes dos EUA fecharem em 25 a 18.

O Brasil usou essa confiança no começo do segundo set e disparou na frente, chegando a abrir 11 a 4. No entanto, uma série de decisões polêmicas da arbitragem favorecendo as norte-americanas desconcentrou totalmente o time de Zé Roberto. Ele chegou mandar voltar um ponto por não saber o que marcar e anotou “quatro toques” da seleção brasileira erroneamente.

Enquanto os dois treinadores se descabelavam com os juízes, o jogo seguia equilibrado. Garay entrou mais no jogo e passou a ser importante para o Brasil, mas a norte-americana Kimberly Hill estava impossível e liderava o marcador de maiores pontuadores. Com ralis incríveis a parcial foi decidida nos detalhes e foi assim que os Estados Unidos fecharam em 29 a 27, após erros seguidos das brasileiras.

O terceiro set foi um verdadeiro passeio. O Brasil não mostrou nenhum poder de reação e não foi páreo para o time adversário. As estadunidenses se mantiveram concentradas e não diminuiram o ritmo em nenhum momento, fechando em 25 a 20.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *