Atletismo

Com nota do ouro olímpico, Zanetti fecha ano com vitória

O brasileiro Artur Zanetti fechou o ano mais especial da sua carreira como ginasta, em que conquistou a medalha de ouro na disputa das argolas nos Jogos de Londres, com mais uma vitória. Neste sábado (15), o campeão olímpico conquistou a medalha de ouro nas argolas na Copa Toyota de Ginástica, realizada em Tóquio.

Zanetti venceu a competição com facilidade ao obter a nota 15 900, a mesma que lhe rendeu em Londres o título olímpico. O pódio foi completado por dois atletas japoneses. Yusuke Tanaka faturou a prata e Yusuke Saito conquistou o bronze. Na disputa do solo na Copa Toyota, o brasileiro ficou em quarto lugar.

“Fui quarto colocado no solo com 14,275, mas nas argolas tirei 15,900 e levei o título. Foi uma competição demorada, mas muito legal, diferente das outras, uma boa experiência. A abertura, com todos os ginastas no solo, foi bacana. Gostei muito da minha participação e o legal é que fechei o ano com chave de ouro. Isso foi o mais importante”, afirmou Zanetti.

Além do título olímpico, o brasileiro conquistou cinco medalhas em etapas da Copa do Mundo de Ginástica Artística neste ano. Em Cottbus, na Alemanha, ficou com a prata (15,600), em março. Depois, foi ouro em Oseijek, na Croácia (15,875), em abril, em Maribor, na Eslovênia (15,575) e em Ghent, na Bélgica (15,925), em junho. Em novembro, faturou a medalha de prata em Ostrava, na República Checa (15,825).

A competição em Tóquio foi a última de Zanetti em 2012. No próximo ano, os seus principais objetivos são a Universíada de Kazan, na Rússia, entre 6 a 17 de julho, e o Mundial de Ginástica Artística, em Antuérpia, na Bélgica, de 30 de setembro a 6 de outubro.

O técnico Marcos Goto garantiu que Zanetti saberá lidar com a pressão de conquistar resultados relevantes após o ouro olímpico. “Vamos continuar com o nosso trabalho. Não vou fazer pressão nem me sentir pressionado. Vamos fixar objetivos e trabalhar para isso e o caminho pode ter vitórias e derrotas. O Arthur não precisa ganhar tudo o que disputar, mas sim ter metas”, afirmou.

Fonte: Agência Estado

Ex-atleta olímpica dos EUA vira garota de programa em Las Vegas

No currículo, três participações olímpicas. Mas, ao abandonar as pistas, Suzy Favor Hamilton seguiu um caminho incomum. Musa quando atleta, a americana resolveu virar garota de programa depois da aposentadoria. Nesta quinta-feira, Suzy confessou que cobra cerca de R$ 1.250 por encontros de uma hora em cassinos de Las Vegas, nos Estados Unidos.

A ex-atleta confirmou a nova carreira depois que um site americano divulgou a notícia. Através de seu Twitter, Suzy assumiu a responsabilidade pelas escolhas.

– Eu sei que fiz algumas escolhas altamente irracionais e tomo total responsabilidade por elas. Eu não sou uma vítima e sabia exatamente o que estava fazendo – disse.

Suzy, de 44 anos, disputou as Olimpíadas de Barcelona 1992, Atlanta 1996 e Sydney 2000 nas provas de 1.500m. A ex-atleta começou a atuar como garota de programa em dezembro do ano passado sob o nome de Kelly Lundy. Agora, se diz arrependida e disposta a voltar a se dedicar à vida familiar.

– Eu não espero que as pessoas me entendam, mas as razões que me levaram a isso naquele tempo me pareciam sensatas e foram frutos da depressão que eu sofria. Por mais louco que pareça, eu nunca pensei que isso viesse à tona, nem que eu fosse machucar alguém.

De acordo com o site “The Smoking Gun”, Suzy chegou a revelar seu passado como atleta para alguns clientes. Em seu perfil exposto em uma página de garotas de programa, afirmava: “Discrição é extremamente importante para mim. Eu sei que isso não é o ideal, mas espero que você entenda”.

Em setembro, Suzy correu a meia-maratona da Disney ao lado do marido. Agora, tenta salvar o casamento depois de ver sua vida-dulpla ser divulgada.

– Eu comecei a me prostituir porque era algo que me dava uma saída em um período muito complicado no meu casamento e na minha vida. Isso me ofereceu uma forma de escapar de uma vida na qual estava sufocada. Foi uma vida-dupla – afirmou.

Suzy Favor Hamilton atleta prostituta (Foto: Getty Images)
Suzy Favor Hamilton durante competição em 2001: três participações olímpicas (Foto: Getty Images)
Globo.com

Pela quarta vez, Usain Bolt ganha o prêmio de melhor do ano no atletismo

Nas pistas, ou mesmo nas disputas fora delas, parece não existir nenhum páreo para o homem mais rápido do mundo. Depois de dar mais um show nos Jogos Olímpicos de Londres, Usain Bolt foi eleito o melhor atleta do ano, em premiação oferecida pela Federação Internacional de Atletismo (Iaaf), em cerimônia realizada neste sábado, em Barcelona. Esta é a quarta vez que o jamaicano de 26 anos vence esta disputa. Ele já havia conquistado o troféu em 2008, 2009 e 2011. No feminino, a americana Allyson Felix levou a melhor.

– Quarta vez é uma nova sensação. “IAAF Atleta do Ano 2012”. Obrigado Deus, meus pais, meu treinador e todos os fãs – comemorou Bolt, em sua página no Twitter.

Foram 20 atletas listados, sendo dez de cada sexo. Eles foram votados por técnicos, atletas e membros dos conselhos das confederações internacionais. Os três candidatos mais votados desse grupo se classificaram para a final.

Bolt e Allyson Felix prêmio IAAF (Foto: AFP)
Usain Bolt e Allyson Felix recebem o prêmio de melhor atleta do ano de 2012 (Foto: AFP)

Na decisão do masculino, o jamaicano ouro nos 100m, 200m e no revezamento 4x100m livre em Londres derrotou o atual campeão olímpico dos 110 com barreiras, Aries Merritt, e o campeão olímpico dos 800m rasos, David Rudisha.

A vencedora no feminino também subiu ao pódio de Londres três vezes (200m rasos, 4x100m e 4x400m). Allyson Felix, que ganhou o prêmio pela primeira vez, superou as também campeãs olímpicas Valerie Adams (arremesso de peso) e Jessica Ennis (heptatlo) na fase final da votação.

Por GLOBOESPORTE.COM