Campeonato Brasileiro Série A

Após confusão, árbitro encerra jogo, e São Paulo conquista Sul-Americana

A final da Copa Sul-Americana entre São Paulo e Tigre entra para a história como um jogo que não teve fim, mas com um campeão: o Tricolor. Acusando a Polícia Militar de tê-los ameaçados com armas de fogo no vestiário, os jogadores do time argentino se recusaram a voltar para o segundo tempo, e o árbitro chileno Enrique Osses se viu obrigado a suspender a partida. O placar marcava 2 a 0 para o Tricolor. Depois de mais de 30 minutos esperando pela volta do Tigre, a arbitragem decretou o jogo como encerrado, dando o título ao São Paulo. Enquanto os jogadores brasileiros comemoravam, dirigentes argentinos invadiram o gramado para protestar contra a arbitragem. A Conmebol ainda não se pronunciou, mas, em tese, prevalece a decisão do árbitro, de ter encerrado a partida no intervalo.

Confusão no jogo, são Paulo e Tigres (Foto: Agência Reuters)
Policiais tentam apartar confusão no jogo entre São Paulo e Tigre (Foto: Agência Reuters)

A confusão começou no campo, logo após o fim do primeiro tempo, quando o atacante Lucas passou pelo lateral-esquerdo Orban oferecendo a ele, de forma irônica, o chumaço de algodão que estancava o sangramento em sua narina direita. Lucas havia sido atingido pelo argentino pouco antes.

Não demorou para que jogadores do Tigre cercassem o camisa 7 do São Paulo. A confusão foi generalizada. Revoltados com a provocação – e, claro, com a derrota na bola -, os argentinos partiram para cima dos são-paulinos e por pouco não invadiram o vestiário do time da casa. Policiais precisaram intervir e, segundo jornalistas argentinos, houve confronto da PM com os jogadores. O técnico Nestor Gorosito, em entrevista à ESPN Argentina, acusou os policiais de terem ameaçado seus jogadores com armas de fogo.

Lucas, São paulo e Tigres (Foto: Agência Reuters)
Lucas provoca Orban (com a bola) e depois é repreendido por Ferreira (Foto: Agência Reuters)

Lucas, em entrevista à TV Globo, disse não ter provocado ninguém. Ele lamentou, na verdade, que os argentinos estivessem abusando da violência em campo.

– Se a equipe deles quer bater, temos de responder na bola – disse Lucas, ainda sem saber da suspensão do jogo.

A primeira partida da decisão entre São Paulo e Tigre, na Bombonera, na quarta-feira passada, já havia tido confusão. O atacante Luis Fabiano, do Tricolor, e o zagueiro Donatti, do Tigre, foram expulsos após se agredirem em campo.

Na terça-feira, mais polêmica: o Tricolor impediu o Tigre de treinar no Morumbi, sob alegação de que o gramado, castigado após a realização de um show da cantora Madonna, precisava ser preservado. Os argentinos tiveram de treinar no Canindé.

Horas antes do jogo no Morumbi, mais confusão. Os jogadores do Tigre tentaram fazer o aquecimento no gramado, mas foram novamente impedidos, desta vez com truculência, por seguranças do São Paulo.

Lucas gol São Paulo x Tigre (Foto: Gustavo Tilio / Globoesporte.com)
O atacante Lucas comemora seu gol contra o Tigre
(Foto: Gustavo Tilio / Globoesporte.com)

Como foram os 45 minutos de jogo

Em campo, o São Paulo se mostrou superior ao Tigre durante toda a primeira etapa. O time tomava a iniciativa, mas encontrava uma forte marcação pela frente. As pontas, principais válvulas de escape no esquema de Ney Franco, foram muito bem bloqueadas por Nestor Gorosito, técnico do Tigre. Lucas e Osvaldo tinham vigilância severa.

Com isso, a chave do jogo estava no meio. E Jadson, no primeiro lance em que teve espaço para jogar, criou a jogada do gol do São Paulo. Aos 22, quando o São Paulo tinha 65% de posse de bola, contra 35% do rival, ele achou Willian José na entrada da área. O atacante recuou para o camisa 10, que foi travado no chute. Na sobra, Lucas fintou o marcador e bateu cruzado, de pé esquerdo, no canto esquerdo de Albil: 1 a 0, festa no Morumbi e choro do camisa 7, que foi abraçado pelos companheiros. O Tigre mal se recuperou do primeiro golpe e levou o segundo. Aos 28, Lucas deu ótima assistência para Osvaldo, que, em posição de impedimento, invadiu a área pelo lado direito e bateu por cima de Albil, com muita categoria: 2 a 0. Imediatamente, começou a ecoar o grito no Morumbi.

– Ô o campeão voltou, o campeão voltou, o campeão voltoouuuu….

Com o título praticamente perdido, os argentinos perderam a compostura. Aos 39, Orban acertou uma cotovelada em Lucas, que caiu com o nariz sangrando. Enrique Osses nem falta marcou e ainda advertiu o são-paulino, que precisou ser atendido fora de campo. Quando voltou, foi acertado novamente, desta vez por Godoy, que levou cartão amarelo.

homenagem a Lucas feitas pela torcida (Foto: Agência Reuters)
Torcida presta homenagem a Lucas, que se despede do São Paulo (Foto: Agência Reuters)
Globo.com

Mais moderno, o Timbu do Náutico ganha novo design e é apresentado nos Aflitos

O Náutico apresentou, na tarde desta quarta-feira, o redesign do seu mascote, o Timbu. Mais moderno e inspirado na nova geração de mascotes (como o Fuleco, mascote da Copa 2014, por exemplo), o Timbu reapareceu mais fiel às características do marsupial. A tentativa, de acordo com o Marketing alvirrubro, foi distanciar a mascote do clube da comparação com um rato ou raposa.

“Já vínhamos há algum tempo pensando nessa mudança. Chegamos a fazer contatos com alguns ilustradores, até surgir a ideia do concurso e não poderia ter dado tão certo. Foi um sucesso de inscrição, com 56 inscritos e mais de 60 desenhos”, pontuou o vice-presidente de Marketing, Roberto Varela. O Timbu não era repaginado desde 2006.

Saiba mais sobre a história do Timbu alvirrubro

Para chegar ao formato desejado, o vencedor do concurso, o ilustrador e design Ítalo Cavalcanti, realizou um detalhado estudo sobre os mascotes das últimas Copas do Mundo. De acordo com Ítalo, alguns traços, como os olhos típicos de desenhos como o Mangá, e a própria cabeça desproporcional ao corpo, foram inspiradas nos desenhos japoneses.

“A ideia foi ir atrás imagens de timbus e sempre encontrava o animal atacando outros bicos, subindo em árvore e para chegar nesse estilo vi a tendência dos mascotes pelo mundo, mais modernas. Escolhi um olho vermelho, com raiva. Quem olhar para ele, não vai confundir com outro animal”, ressaltou Ítalo, que recebeu um prêmio de R$ 1 mil em dinheiro e R$ 1 mil em produtos da loja oficial Timbushop.

SuperEsportes

Ney Franco relaciona 25 jogadores para a final da Copa Sul-Americana

Para unir ainda mais o grupo na véspera da decisão da Copa Sul-Americana, o técnico Ney Franco, do São Paulo, relacionou todos os 25 jogadores inscritos no torneio continental para a decisão contra o Tigre, nesta quarta-feira, às 21h50m (horário de Brasília), no Morumbi. O duelo será acompanhado em Tempo Real pelo GLOBOESPORTE.COM e terá transmissão da TV Globo para todo o Brasil.

Até mesmo o atacante Luis Fabiano, que foi expulso no empate por 0 a 0, na semana passada, na Bombonera, está na relação. Ele será substituído por Willian José, vice-artilheiro da equipe na temporada, com 15 gols, 16 atrás do camisa 9 titular.

Vale lembrar que sete atletas serão cortados do banco de reservas após a chegada ao Morumbi. Veja abaixo a lista dos relacionados

Goleiros: Rogério Ceni, Denis e Léo

Laterais: Douglas e Cortez

Zagueiros: Paulo Miranda, Rhodolfo, Rafael Toloi, Edson Silva e João Filipe

Meio-campistas: Wellington, Denilson, Jadson, Cícero, Casemiro, Maicon, PH Ganso, Rodrigo Caio, João Schimidt e Paulo Assunção

GloboEsportes

Arena Pernambuco x Arena Grêmio


Projeção de como ficará a Arena Pernambuco. Foto: Divulgação

Quero começar esse texto dizendo o quanto já estou ansioso em ver a inauguração da Arena Pernambuco. E sabem por que digo isso? Porque estive na inauguração da Arena Grêmio, nesse final de semana em Porto Alegre, e vi no semblante de cada torcedor o quanto é maravilhoso poder entrar em um estádio completamente novo, com padrão europeu, e sentir muita mais do que a sensação de ver um simples jogo, mas sim, um espetáculo.

A festa que o Grêmio preparou para a inaguração da sua arena foi digna de abertura de Olimpíada. Na realidade, foi. O clube gastou R$ 20 milhões na festa. Tudo para ser digno do tamanho da arena. E para a festa, valorizou as tradições gaúchas, deu vida ao hino rio-grandense (cantado por mais de 60 mil pessoas), homenageou ex-jogadores e também o já aposentado Estádio Olímpico, relembrando um história de títulos e gols.

A partida de fundo entre Grêmio e Hamburgo/ALE foi para os mais velhos relembrarem aquele distante ano de 1983, quando o tricolor conquistou o mundo pela primeira vez, mas também foi para os mais novos, para que pudessem projetar o futuro, com partidas memoráveis contra grandes equipes.


Arena Grêmio na noite da sua inauguração. Foto: Divulgação.

Quando coloquei no título dessa matéria uma possível comparação entre a Arena Grêmio e a Arena Pernambuco, instiguei desde já para que os responsáveis pelo futuro estádio da Copa das Confederações e da Copa do Mundo em Pernambuco, para que façam não uma festa igual ao dos gaúchos. Mas sim, uma melhor. Valorizem a cultura local, deem vida ao passado e façam uma linda festa.

A Arena Pernambuco merece ser inaugurada de uma maneira que fique marcada para a história do estado e do Brasil. Está certo que o estádio é oriundo de uma parceria público-privado e que provavelmente não gastará os R$ 20 milhões para ter uma festa. Mas independente do valor, ela (a festa) tem que ser perfeita.

Com certeza a Arena Pernambuco será uma das mais bonitas do Brasil. Nela, os torcedores passarão a torcer de uma nova maneira. Será preciso se adaptar aos novos padrões, sem grades para separar a torcida do gramado. E eles não irão apenas para ver o jogo. Irão para se divertir, já que será um complexo multiuso.

E para finalizar, mas não menos importante, no dia da inauguração, espero que a Arena Pernambuco convide a imprensa do país e do mundo para que relatem e noticiem em todos os meios de comunicação. Assim, um blog lá do sul do país (assim como foi o Blog do Torcedor, que foi convidado para ir na Arena Grêmio), também poderá divulgar o acontecimento.

POSTADO POR Anderson Malagutti ÀS 17:20 EM 10 DE Dezembro DE 2012

Arena: Grêmio condena confusão da Geral, que pede desculpas em nota

Uma briga no setor da Geral manchou de certa forma a bela festa de inauguração da Arena, no sábado. Tanto que foi alvo de críticas da direção do clube. O presidente da Grêmio Empreendimentos, Eduardo Antonini, condenou o episódio.

De acordo com o dirigente, mentor do projeto da Arena, ainda em 2006, a confusão foi o “único ponto negativo” do evento. Embora elogie o apoio incondicional, os cânticos e avalanche executada nos gols pela Geral, Antonini também não descarta repensar o espaço, recolocando as cadeiras no anel inferior do Setor Norte.

– Foi o único ponto negativo, não fazia sentido ter aquela briga. A gente tem que valorizar, o espetáculo deles é bonito, e nos esforçamos muito para isso (em referência à proibição da polícia, que não queria avalanche no espaço). Se continuar tendo briga, vai deixar de existir esse espaço. Não está na nossa mão, nem da Brigada Militar, depende das pessoas que estão ali – avisa Antonini, em entrevista à Rádio Gaúcha.

A Geral do Grêmio, por meio de seu perfil oficial no Facebook, publicou neste domingo um comunicado, se desculpando pelo episódio:

– Somos humanos, erramos, e devemos a toda nação Tricolor, e a nossa nova casa, um pedido de perdão.

A liberação parcial da avalanche pela polícia (há gradis impedindo a descida em certos pontos do espaço) diz respeito aos dois primeiro jogos da Arena – do último sábado, contra o Hamburgo, e o amistoso do dia 19, o Jogo Contra a Pobreza, de Ronaldo e Zidane. Depois disso, uma comissão de avaliação ditará o futuro da torcida organizada.

– Muito por essas avaliações, é que pedimos que haja um bom comportamento – pondera Antonini.

A briga se deu em duas partes. O tumulto começou em meio ao primeiro tempo, sem intervenção policial. A confusão se avolumou e tomou contornos mais críticos no intervalo. A ação da polícia, desta vez, foi contundente, com detenções e apreensões de faixas e instrumentos musicais. A torcida vaiou e xingou os baderneiros. Cerca de 10 torcedores foram detidos. Um deles responderá a processo criminal

Confira na íntegra a nota da Geral do Grêmio:

Nada dói mais que ver todo estadio vaiando quem mais apoia; Nada dói mais que ver colegas do Grêmio se degladiando frente ao dia histórico para o Clube. Somos humanos, ERRAMOS, e devemos a toda nação Tricolor, e a nossa nova casa, um pedido de perdão.

Dirigentes erram, jogadores erram, a torcida também. E erramos, assumimos o erro e pedimos perdão a toda torcida do Grêmio, a quem assistia ao espetáculo e a nossa nova casa.

Surge frente aos nosso olhos, uma nova era. Uma era de conquistas e glórias, porém, é com o velho sentimento que vamos seguir apoiando o Grêmio. Independe de qualquer coisa, independente de qualquer situação, seguiremos junto a este que é a maior das nossas razoes de viver.

Seguiremos junto ao Grêmio, SEMPRE. 

GloboEsporte

Grêmio inaugura sua Arena com festa, emoção e vitória

Direto de Porto Alegre

O dia 8 de dezembro ficará marcado na memória de todo torcedor do Grêmio. Após dois anos de obras, a Arena Grêmio foi inaugurada na noite deste sábado em Porto Alegre. E foi mais que uma inaguração. Foi um espetáculo em si.

A festa teve apresentações de danças gaúchas, homenagens a ex-jogadores, dois shows com o grupo americano Blue Man e show de fogos de artifício. Por fim, com a presença do presidente do Grêmio, responsáveis pela Arena e pela construtora, foi cortado a fita inaugural no centro do gramado da Arena.

Mais de 60 mil gremistas estiveram na festa. A movimentação foi grande desde as primeiras horas do sábado. Cinco horas antes da festa começar, milhares de gremistas já lotavam as intermediações do estádio.

Dentro, eles deram um show a parte. A Geral, torcida que fica atrás de uma das balizas, deu o tom das canções. E nem precisou da bola rolar para a primeira avalanche acontecer. No meio da festa, um vídeo foi mostrado no super telão do estádio com os gols mais importantes da história gremista. E em praticamente todos eles, a avalanche desceu os degraus da Arena, dando um lindo show na festa.


Arena recebeu 60 mil pessoas na sua inauguração. Foto: Anderson Malagutti

O primeiro gol. A primeira provocação. A primeira vitória

A festa terminou do mesmo jeito naquela tarde de 1983, quando Grêmio e Hamburgo decidiram o Mundial de Clubes no Japão. O placar de 2×1 finalizou um sábado de emoções para o tricolor gaúcho. O centroavante André Lima, de cabeça, foi o autor do primeiro gol Arena do Grêmio. E o outro centroavante do time, Marcelo Moreno, decretou a vitória azul sobre os alemães.

A vitória teve início logo aos nove minutos. Após escanteio cobrado por Elano, André Lima se antecipou à zaga do Hamburgo e mandou para as redes. Era o primeiro gol da Arena.


André Lima marcou o primeiro gol da Arena e provocou o Inter. Foto: Divulgação

Mas André Lima queria não apenas deixar seu nome na história com o primeiro gol. Na comemoração, o camisa 99 imitou Kidiaba, do Mazembe, e provocou o rival Internacional.

Com o placar na frente, o tricolor gaúcho administrou o placar no primeiro tempo. Leandro foi o protagonista de uma série de seis impedimentos consecutivos.

A poucos minutos do final da primeira etapa, feio a parte negativa da festa. Torcedores que estavam na Geral iniciaram uma briga generalizada que só terminou quando com a chegada da polícia. Vários torcedores foram presos e a banda da Geral acabou expulsa da arquibancada.

Na volta do segundo tempo os times vieram bastante modificados. E o Hamburgo foi pra cima até o gol sair, com o zagueiro Westermann.

Mas a festa era pra ser gremista. E foi. Aos 42 minutos, Marcelo Moreno chutou de primeira e colocou os gaúchos na frente. Era o passado voltando à tona 29 anos depois, num Grêmio e Hamburgo, com 0 2×1 no placar.


Time gaúcho pousa para foto do jogo. Foto: Anderson Malagutti

Ficha técnica:

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Pará, Werley (Saimon, 18’/2ºT), Naldo e Anderson Pico (Tony, Intervalo); Fernando (Marco Antonio, Intervalo), Souza, Elano (Marquinhos, Intervalo) e Zé Roberto (Léo Gago, Intervalo); Leandro (Rondinelly, 18’/2ºT) e André Lima (Marcelo Moreno, Intervalo) – Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

HAMBURGO: Drobny, Bruma, Paul Scharner, Rajkovic (Diekmeier, 19’/2ºT), Aogo (Westermann, Intervalo), Sala, Rincon, Tesche (Arslan, 19’/2ºT) Ilicevic (Skjelbred, 36’/2ºT), Marcus Berg, Rudnevs (Son, Intervalo) – Técnico: Thorsten Fink.

Grêmio Arena – Vídeo da Abertura

 

POSTADO POR Anderson Malagutti ÀS 01:30 EM 09 DE Dezembro DE 2012

Grêmio tira sonho de 6 anos do papel e inaugura Arena por uma 'nova era'

“Sonho que se sonha só é só um sonho que se sonha só. Mas sonho que se sonha junto é realidade”. São versos retirados de Prelúdio, canção de Raul Seixas, que dimensionam com exatidão o que cada gremista está prestes a viver neste 8 de dezembro de 2012. Um sábado diferente. Um dia como poucos. Uma data para sempre. A partir das 20h, o Grêmio inaugura a Arena, seu novo estádio, no bairro Humaitá, em Porto Alegre. Um projeto que começou dentro da cabeça e da mochila de um jovem dirigente e, aos poucos, passou a ser abraçado por mais pessoas, por praticamente todos que vestem azul, preto e branco. Sonhado junto. Portanto, realidade.

Ainda no embalo de Raulzito, o título da música tem tudo a ver com o espírito tricolor neste sábado mágico para os torcedores. Afinal, o objetivo do Grêmio é, ao descortinar para o mundo a sua nova casa, abrir também uma avalanche de conquistas em campo, ausentes desde 2001. Ou seja, a festa colossal que vem por aí está mais para um começo, uma prévia, do que para um fim. Não por acaso, o clube mobiliza os fãs pela internet desde a tarde de sexta-feira, pedindo que espalhem a mensagem “Nova Era Tricolor”.

grêmio; arena; arena do grêmio (Foto: Wesley Santos/PressDigital)
Chegou a hora: Arena será inaugurada neste sábado (Foto: Wesley Santos/PressDigital)

O espetáculo da noite se divide em duas partes. Primeiro, a partir das 20h, num show previsto para durar uma hora e cinco minutos e que promete emocionar. O parâmetro é nada menos que a cerimônia de encerramento de uma Olimpíada. Às 22h30m, a bola rola para o amistoso inaugural, em que tudo será pela primeira vez. Do pontapé inicial ao gol, a novidade será a palavra de ordem em Grêmio x Hamburgo, um “revival” do Mundial de 1983.

O torcedor poderá ver tudo no GLOBOESPORTE.COM, que transmite a festa e o amistoso ao vivo. Antes, desde a manhã, poderá acompanhar a movimentação dos fãs na Arena e também no Olímpico, outro grande ponto de concentração de gremistas – em Tempo Real, com fotos e relatos sobre o que de mais importante acontece em Porto Alegre. O internauta ainda pode participar, enviando a sua foto desse momento inesquecível da história tricolor.

Com a intenção de facilitar o deslocamento da torcida, algumas medidas foram tomadas. Duas linhas de ônibus especiais serão oferecidas especificamente para quem irá à festa de inauguração. Outras sete opções de trajetos realizados por coletivos estarão à disposição dos torcedores. Mais de 60 mil pessoas são esperadas.

Há também a opção de ir de trensurb, de carro ou até a pé, como sugere o hino, já que as ruas do entorno da Arena não receberão bloqueios por parte da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) durante todo o dia. O GLOBOESPORTE.COM listou todas as formas de locomoção até o espetáculo. Clique aqui e confira.

A mochila de Antonini

Arena do grêmio reunião amsterdam arena (Foto: Arquivo Pessoal)
Antonini (segundo da esquerda para a direita) em
reunião com a Amsterdam Arena, em 2006
(Foto: Arquivo Pessoal)

Parece impossível, mas a Arena do Grêmio, um gigante de 56 metros, já coube numa mochila. Ou ao menos o sonho de erguê-la. Na verdade, a ideia inicial era reformar o Olímpico. Mas Eduardo Antonini, hoje presidente da Grêmio Empreendimentos, porém na época só mais um jovem conselheiro, ficou convencido, após viagem rumo à Copa de 2006, na Alemanha, que o Grêmio precisava de uma revolução.

Como se fosse um “maluco beleza”, sonhava esse sonho sozinho. Tanto que viajou para o Mundial por conta própria, numa aventura de mochileiro, dormindo em albergues. Na volta a Porto Alegre, ganhou, primeiramente, a confiança do presidente Paulo Odone, que aceitou a contratação da empresa holandesa Amsterdam Arena para a criação de um estudo de viabilidade. Eis a semente da Arena tricolor.

A busca pelo novo, hoje tão exaltada, no entanto, teve seus obstáculos nos idos de 2007 e 2008. Esbarrou um pouco no próprio Conselho Deliberativo, com seus mais de 300 gremistas, muitos testemunhas do crescimento do Olímpico. Depois, na desistência do grupo português TBZ. A construtora baiana OAS, que já estava no negócio com os portugueses, “abraçou” a causa e resolveu tocar a obra com os seus próprios braços, numa parceria de 20 anos.

– É importante sublinhar o caráter pioneiro do projeto. Em tempos de Copa do Mundo, todos falam em arenas. Em 2006, no entanto, ninguém pensava em se desfazer de seus estádios – destaca Antonini, sobre a primeira Arena da América Latina.

Com investimentos beirando os R$ 540 milhões, a previsão é de que a Arena fature entre R$ 110 milhões e R$ 120 milhões em seu primeiro ano de vida (a construtora OAS fica com 35% do total, e o Grêmio, 65%) .

Obras voam em 2012

O contrato foi firmado em dezembro de 2008. Menos de dois anos depois, em 20 de setembro de 2010, num evento do tamanho do que hoje é a Arena, era lançada a pedra fundamental do estádio. Com direito a voo de helicpótero de Hugo de León com um pedaço da grama do Olímpico e extensa carreata pelas ruas de Porto Alegre. A partir daí, tudo virou poeira, cimento, barulho. Numa palavra: obras. Naquela época, eram 200 operários. Agora, na fase de finalização dos trabalhos, passam de 3,2 mil homens carregando vigas, aplicando pinturas e instalando os mais variados tipos de equipamentos.

A obra ganhou um generoso empurrão em 2012. Em janeiro, por exemplo, estava a 50% de sua conclusão, sem sequer o esqueleto da cobertura – processo iniciado em 30 de abril e com a novidade de deixar todos os torcedores protegidos. Em menos de um ano, está praticamente a 100%, com seu teto completamente instalado. O gramado começou a nascer em 23 de outubro e hoje impressiona pela rapidez com que deixou de ser ralos tufos para se tornar um tapete verde. Sustenta como carro-chefe a drenagem à vácuo, inédita no Brasil e que garante um jogo tranquilo, mesmo sob um dilúvio sem fim.

A tecnologia é o sobrenome da Arena. Os dois telões foram fabricados pela mesma empresa do maior telão do mundo, o de Dallas, nos Estados Unidos. Cada um tem 96,4 m², maior que um apartamento de luxo, com três dormitórios. Os refletores prometem um campo “sem sombras” tamanha a eficiência das 408 lâmpadas de 2.000 watts cada. Os quatro vestiários levam o padrão Fifa, algo ainda não visto no país. Outro destaque são os camarotes. Antes mesmo de serem inaugurados, cerca de 60% dos 135 disponíveis já foram comercializados, alguns por dez anos.

É bom ressaltar, no entanto, que a obra não está completamente finalizada. O torcedor não terá à sua disposição o futuro memorial, que promete alta interação e aparelhos de ponta, nem a loja do Grêmio, a ser erguida em dois pisos. No entanto, poderá consumir produtos do clube em quiosques espalhados pelo complexo. Estará à venda, por exemplo, a camiseta exclusiva para o amistoso com o Hamburgo. As lojas projetadas para o estádio também serão ausências, uma vez que os interessados ainda precisam definir as compras dos locais para posterior instalação de sua marca. O restaurante panorâmico, projetado sobre a Geral, será construído depois. Na inauguração, servirá como espaço vip a personalidades.

“O espetáculo é o Grêmio”

Como o próprio Grêmio define, a Arena é mulituso. Viverá não só de gols, mas também das vozes de artistas e de rifes de guitarras. Uma prova de sua capacidade para receber shows se verá neste sábado mesmo, no espetáculo de inauguração. Serão ao todo cinco blocos temáticos intercalados com apresentações e queimas de fogos.

– O espetáculo é o Grêmio – explica o diretor artístico Aloyzyo Filho.

Muito por isso, 12 ídolos históricos, entre eles o ex-goleiro Danrlei e o ex-meia Milton Kuelle – que atuou na Baixada e no Olímpico – desfilarão no gramado em determinado momento da apresentação.

arena inauguração ensaio grêmio (Foto: Bruna Melgarejo/ Arquivo Pessoal)Ensaio geral na última quinta-feira (Foto: Bruna Melgarejo/ Arquivo Pessoal)

Centenas de balões com o símbolo gremista serão dispostos no gramado. Cerca de 180 deles, em tamanho menor, serão empurrados para fora do campo pelos figurantes. Mas outros 56 ficarão no campo, medindo 5 metros de altura, com alguns se elevando até perto do teto. Um deles é maior, de oito metros e não sustenta o escudo tricolor. Nele, serão projetadas imagens com aspecto tridimensional. O conteúdo das imagens é mantido em segredo, mas o certo é que remeterá aos momentos vitoriosos do clube.

A fita que simboliza a abertura do estádio, por exemplo, será carregada por bailarinos “voadores”, suspensos por cordas de aço e que descerão com o tecido até ele se desamarrar. Será o desfecho, a senha para o futebol entrar em campo.

Em campo: Grêmio x Hamburgo

zé roberto grêmio arena (Foto: Lucas Rizzatti/Globoesporte.com)
Zé Roberto já defendeu o alemão Hamburgo
(Foto: Lucas Rizzatti/Globoesporte.com)

O clima de festa contagiou a comissão técnica e os jogadores do Grêmio. De quarta a sexta, a descontração marcou os treinos. Foram atividades leves. Apenas para manter a o ritmo dos atletas. A partida é encarada pelo lado histórico. Ganhar é importante, claro, para marcar o começo de uma era. Atacantes sonham com o primeiro gol. Zagueiros em evitá-lo. Vanderlei Luxemburgo resumiu como os 90 minuto serão encarados em uma frase. Não está preocupado se os alemães tentarão dar o troco da perda do título mundial:

– O jogo é uma festa. Temos de falar da grandeza dela, a importância da Arena ao clube. Se ficarmos nas picuinhas do futebol, se vem titulares ou não, se o Hamburgo encará como vingança, vamos estragar o momento. Não é o caso.

Luxa não revelou quem irá jogar. Os desfalques são Gilberto Silva (transferiu-se ao Atlético-MG), Kleber (operado no tornozelo esquerdo) e Gabriel (liberado pela direção para buscar novo clube). É certo que Zé Roberto irá reencontrar o clube que defendeu entre 2009 e 2011 e a escola de futebol que se consagrou por 12 temporadas – defendeu ainda LeverKusen e Bayern de Munique.

– É um amistoso, mas queremos ganhar. É importante começar uma era nova ganhando. A torcida espera isso – disse o meia.

O Hamburgo vive uma espécie de conflito de opiniões com a chance de reencontrar o Grêmio. Há quem exulte a vigem ao Brasil, há quem reclame e encare apenas como compromisso comercial. A verdade é que, pela diferença de calendário, o jogo irá atrapalhar os alemães.

hamburgo grêmio (Foto: Reprodução)
Jogadores do Hamburgo embarcam para o Brasil (Foto: Reprodução)

Basta ver a engenharia feita para a viagem. Na sexta-feira à tarde, o Hamburgo venceu o Hoffenheim pelo campeonato nacional e rumou para uma maratona. Em 40 minutos, a delegação estava no aeroporto da cidade. Pegou voo fretado a Porto Alegre – há escala em São Paulo. Os 22 mil quilômetros devem ser percorridos em 32 horas de voo. A volta na será na segunda-feira, e sábado há jogo contra o Leverkusen.

Tal situação fez o goleiro Adelr resumir a viagem como um ‘horror’. O técnico Thorsten Fink disse que é preciso pensar no clube – receberá R$ 2 milhões de cota. O lateral-esquerdo Aogo foi mais simpático:

– Nunca fui ao Brasil. Isso certamente será muito interessante. Estou convencido de que a viagem será boa e teremos uma grande festa.

Grêmio: Marcelo Grohe; Pará, Werley, Naldo e Pico; Fernando, Souza, Elano e Zé Roberto; Leandro (André Lima) e Marcelo Moreno

Hamburgo: Diekmeier, Mancienne, Westermann e Lam; Badelj, Skjelbred, Aogo e Arslan; Son e Rudnevs (desfalcado por Van der Vaart e Milan Badelj, lesionados).

O paraguaio Carlos Amarilla, árbitro Fifa, apita o amistoso da nova era tricolor.

Campeão, Fluminense começará 2013 como líder do ranking da CBF; veja a lista

Campeão brasileiro, o Fluminense será o novo líder do ranking da CBF. A lista deve ser publicada pela entidade no início de 2013, levando em conta apenas os resultados dos últimos cinco anos. Antes, eram contabilizadas as classificações de todos os campeonatos nacionais.

A mudança favoreceu a equipe carioca, que conquistou duas vezes o Campeonato Brasileiro no período e manteve-se em boas colocações no torneio. A segunda colocação ficará com o Corinthians, que aparecerá na lista seguido por Vasco e São Paulo. O Grêmio será o quinto, apenas 100 pontos à frente do Inter, o sexto.

Com as mudanças de critérios, Palmeiras e Santos, líder e vice-líder da versão antiga, despencam para oitavo e nono lugares, respectivamente.
Copa do Brasil – O novo ranking deve ser usado pela CBF para organizar a tabela da Copa do Brasil de 2013, que terá 80 equipes, incluindo as que disputam a Copa Libertadores da América.
Sendo assim, os 16 cabeças de chave seriam, pela ordem: Fluminense, Corinthians, Vasco, São Paulo, Grêmio, Internacional, Flamengo, Palmeiras, Santos, Cruzeiro, Coritiba, Atlético-PR, Atlético-MG, Botafogo, Vitória e Goiás.
Caso o São Paulo seja campeão da Copa Sul-Americana – disputa a final contra o Tigre, a partir de quarta-feria –, o clube do Morumbi não disputará a competição nacional. Assim, o 17º cabeça de chave seria o Bahia.

VEJA COMO FICARÁ O RANKING DA CBF

ESPN.com.br

Ranking da CBF no fim deste ano
Ranking da CBF no fim deste ano


VEJA OS CRITÉRIOS ADOTADOS NO NOVO RANKING

CBF

Critérios utilizados pela CBF para o ranking nacional de clubes
Critérios utilizados pela CBF para o ranking nacional de clubes

Lágrimas e decepção tomam os jogadores do Sport após queda para série B

O Sport lutou até o fim, melhorando bastante o seu desempenho na reta final da competição, mas não conseguiu escapar do rebaixamento para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro de 2013.

O time leonino perdeu para o Náutico por 1 a 0 neste domingo no Estádio dos Aflitos e ainda viu seus adversários diretos não perderem seus jogos (Bahia venceu o Atlético-Go e a Portuguesa empatou com a Ponte Preta).

Visivelmente abalado, o treinador Sérgio Guedes agradeceu aos jogadores do Sport e afirmou que levará um tempo para entender os motivos que levaram o clube a não conseguir permanecer na Série A.

“Eu não me preparei para esta situação. Entendo que a derrota foi fruto das circunstâncias por termos saído atrás do placar. Isso foi determinante. Quero apenas agradecer aos torcedores, que confiaram no nosso trabalho e nos apoiaram até o último instante”, destacou.

O volante Moacir lembrou a longa série sem vitórias que o Leão encarou durante o Brasileirão. “Não dá para ficar onze rodadas sem vencer em um campeonato tão equilibrado e forte como é o Brasileiro. Acho que a gente demorou demais para reagir”, destaca o volante.

O mesmo discurso foi utilizado pelo presidente Gustavo Dubeux. Ele citou o fraco desempenho no primeiro turno, mas eximiu a diretoria de culpa. ” Não conseguimos ter, no primeiro turno, o mesmo desempenho que tivemos no segundo e isso fez a diferença. Nós fizemos tudo o que foi possível. Demos todas as condições necessárias que um clube grande como o Sport precisa ter”, indicou.

Apesar da tristeza, o treinador tentou reanimar a torcida rubro-negra. Mesmo reconhecendo que o ambiente não está favorável, Sérgio Guedes acredita que o clube tem totais condições de voltar à Série A na próxima temporada.

“O fato consumado é que estamos rebaixados. Sabemos da tristeza da torcida, mas a alegria será reconstruída com novas alegrias. Existem profissionais que gostam muito desse clube, e isso será determinante para a reconstrução. Quem sente é o cara que vai ao alambrado, a pessoa que gosta. São para esses torcedores que nós precisamos pedir desculpa. Hoje existe um sentimento ruim, mas será reconstruído com novas vitórias”, indica.

Agora o elenco do Sport vai entrar de férias e so voltará no dia 3 de janeiro para a próxima temporada.

Fonte:Renilton Lopes