Campeonato Brasileiro Série C

Pela reabilitação no Estadual, Santa Cruz enfrenta o Ypiranga

A responsabilidade do Santa Cruz é conquistar o tricampeonato do Pernambucano e, consequentemente, ganhar confiança para no futuro garantir o acesso à Série B do Brasileirão. No entanto, o Tricolor do Arrunda ainda não se encontrou em campo em 2013. Com vitórias apertas e resultados não convincentes, o grupo coral procura a reabilitação diante do Ypiranga nesta quarta-feira, às 20h, no Otávio Limeira.

O técnico Marcelo Martelotte promoveu duas alterações nas peças da escalação. Marquinho e Éverton Heleno são sacados para as entradas de Éverton Sena e Jefferson Maranhão, respectivamente. A segunda mudança aconteceu em detrimento de maior dinamicidade no meio-campo do Santa. Já Sena entrar como titular porque o lateral-direito Marquinho reclamou de dores, depois falou que estava bem, mas o departamento médico preferiu poupá-lo nesta parida.

A novidade da vez, o meia Maranhão, garantiu muita vontade para superar o adversário e assegurar a vaga na titularidade. “Tivemos uma longa conversa e ficou acertado que devemos prestar mais atenção na zaga. Tudo está em seu devido lugar. Eu, por exemplo, conheço o campo que vamos jogar, conheço boa parte do elenco e até sei quem vai me marcar. Então ficará mais fácil para jogar”, falou referindo-se ao colega Danilo, do Ypiranga.

Com as alterações, o Santa Cruz deve entrar em campo com Tiago Cardoso; Everton Sena, César, Vágner e Tiago Costa; Anderson Pedra, Luciano Sorriso, Jefferson Maranhão e Natan; Flávio Caça-rato e Dênis Marques.

Artilharia na mira

O atacante Dênis Marques não fez gols na última rodada e, como ele mesmo falou no início do Estadual, a pretensão de se tornar o artilheiro do Pernambucano continua e está cada vez mais difícil. O jogador precisa correr atrá do prejuízo e balançar as redes adversárias. E não bastasse o Santa Cruz ficar de fora do primeiro turno e o jogador perder oportunidades de abrir vantagem, os adversários ao posto estão dando show nos gramados.

Dênis soma apenas dois tentos contra oito de Elton e seis de Rogério, ambos do Náutico.

YPIRANGA – O técnico Edson Miolo pretende manter a equipe titular que venceu o Pretolina por 3×2 na rodada passada para dar continuidade ao trabalho no seu grupo. Por isso, a equipe do Ypiranga deve vir com a mesma escalação para conseguir superar o Santa cruz, fragilizado pela derrota no Arruda diante do Salgueiro. A dupla de ataque formada por Assis e Paulo Krause será responsável por ameaçar a meta adversária, enquanto Bizerro e Egon controlarão as investidas do rival.

FICHA DO JOGO

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Everton Sena, César, Vágner e Tiago Costa; Anderson Pedra, Luciano Sorriso, Jefferson Maranhão e Natan; Flávio Caça-rato e Dênis Marques.
Técnico: Marcelo Martelotte

Ypiranga
: Jailson; Diogo, Bizerro, Egon (Lincoln) e Danilo (Hugo); Jefferson, Dácio, Ivan e Jonatas; Assis e Paulo Krauses.
Técnico: Edson Miolo

Campeonato Pernambucano. Local: estádio Otávio Limeira. Árbitro: Ricardo Jorge. Assistentes: Aldir Pereira e Bruno Vieira.

Fonte: Gabriela Máxima

Salgueiro cresce no Arruda e cai a última invencibilidade do Estadual

A equipe do  Santa Cruz voltou a decepcionar no Arruda, agora pelo Pernambucano deixou escapar a liderança no estadual. Contra o Salgueiro, o Tricolor perdeu por 1×0, gol marcado pelo ex-atacante Coral Fabrício Ceará. Ao invés de ratificar a liderança, dentro de casa, o time voltou a falhar diante do torcedor.

Com este resultado, o Mais Querido despencou para a quarta colocação, entretanto, com a mesma pontuação de Náutico, Serra Talhada e Sport e Recife.

O TIME – Visando manter o entrosamento da equipe, o técnico Marcelo Martelotte manteve a escalação da vitória sobre o Belo Jardim. O time foi assim escalado: Tiago Cardoso, Marquinho, Cesar, Vágner e Tiago Costa; Anderson Pedra, Luciano Sorriso, Éverton Heleno e Natan; Caça-Rato e Dênis Marques.

O JOGO – Embalado pela duas vitórias no começo da competição, a equipe Tricolor foi a campo com o objetivo de fazer o dever de casa e conquistar mais três pontos. Pela frente, o sempre complicado Salgueiro era o adversário. Como costumam ser os confrontos com o Carcará, o jogo começou bastante truncado.

Com a equipe sertaneja sabendo se defender muito bem, anulando o atacante Dênis Marques, a equipe tricolor não conseguiu criar oportunidades claras de gol. Por vez ou outra, Caça-Rato, sobretudo com o auxílio de Natan,  criava alguma oportunidade. Mas não foi o suficiente para o zero sair do placar.

SEGUNDO TEMPO – Necessitando produzir mais para se sobressair à retranca adversária, mas a passividade ficou evidente. De forma displicente, a equipe Tricolor não saiu do marasmo e permitiu que o Salgueiro tomasse gosto pela partida.

Sem nada ter a ver com a apatia da equipe Tricolor, os ex-Santa Cruz Elvis e Fabrício Ceará terminaram por fazer estrago dentro do Arruda. Após uma das boas jogadas de Elvis, Fabrício Ceará, na base do oportunismo, na pequena área, superou a zaga coral e mandou a bola para o fundo do gol.

O gol, logicamente, revoltou o torcedor e o time sentiu o baque. Mesmo colocando em campo Jefferson Maranhão, Everton Sena e Philco, o técnico Marcelo Martelotte não viu o time esboçar reação alguma e terminou o jogo como principal vilão da torcida.

Fonte: Agência CoralNET de Notícias

Santa Cruz com a base mantida para encarar o Salgueiro

Por Gabriela Máxima

Até então o Santa Cruz é o único time com 100% de aproveitamento no Campeonato Pernambucano Coca-Cola. Foram duas vitórias (a primeira contra o Pesqueira e a segunda diante do Belo Jardim, ambas por 2×1) em que o elenco tricolor não mostrou um futebol convincente, embora tenha garantido eficiência técnica para conseguir os resultados. A luta pelo tricampeonato – e pela permanência na liderança – continua neste domingo (3), diante do Salgueiro no Arruda, às 16h, em partida válida pela terceira rodada do Estadual.

Sem muitas opções para testar, o técnico Marcelo Martelotte vai promover a manutenção de Flávio Caça-rato ao lado de Dênis Marques no ataque. Além da dupla ainda não ter oportunidade de mostrar entrosamento, Paulo César continua em tratamento no departamento médico. E embora o colega de equipe esteja ausente, seu futebol não estava em alta no Arruda. Resta à nova dupla ofensiva garantir harmonia em campo para prosseguir os trabalhos junto ao técnico Martelotte.

Além de Caça-rato, a base do grupo tricolor vai continuar a mesma:Tiago Cardoso; Marquinho, César, Vágner e Tiago Cardoso; Luciano Sorriso, Anderson Pedra, Jefferson Maranhão e Natan; Flávio Caça-rato e Dênis Marques.

Éverton Heleno X Jefferson Maranhão

O técnico Marcelo Martelotte tem apenas uma dúvida para a escalação do jogo. Disputam a vaga de meia ao lado de Natan os jogadores Éverton Heleno e Jefferson Maranhão. O primeiro caiu no gosto do  técnico quando substituiu Luciano Sorriso contra o Pesqueira e fez o gol da vitória. No entanto, contra o Belo Jardim, o atleta não apresentou eficiência física para aguentar os 90 minutos de partida. No lugar dele deve entrar Jefferson Maranhão, que na opinião de Martelotte, e um jogador veloz e imprime dinamicidade no meio-campo tricolor.

Embora saiba o que pretende fazer diante do Salgueiro, o treinador coral preferiu não revelar suas intenções. “Entrei com Heleno no último jogo por uma questão tática. O gramado em Belo Jardim não é tão bom e precisávamos de um jogador que controlasse o jogo atrás. No meio da partida ele se sentiu cansado e eu o substitui por Jefferson Maranhão”, explicou o comandante tricolor. “Por outro lado, Maranhão é um jogador veloz e talvez vamos precisar dele no Arruda, onde as condições de jogo são totalmente diferentes. Jogamos em casa, com a  torcida e precisamos avançar”, completou.

A disputa pela vaga iniciou porque o meia Renatinho está há 15 dias lesionado na coxa esquerda, impossibiltado de treinar ou jogar. Até que ele retorne, a dupla fará o possível para se firmar na posição.


Éverton Heleno deve seder vaga de titular para Jefferson Maranhão Foto: Guga Matos/JC Imagem

SALGUEIRO

Espera-se que o Salgueiro fosse a quarta força do futebol estadual (atrás de Náutico, Santa Cruz e Sport). E embora o Carcará tenha derrotado o Sport na primeira rodada do segundo turno or 2×1, o time foi à Caruaru e perde, também por 2×1, diante do Porto. Para este jogo, no entanto, o Salgueiro precisa vencer para se estabilizar na competição. Com apenas três pontos somados no turno, o time comandado por Marcelo Chamusca figura apenas na sétima colocação.

Para a escalação, o treinador terá de driblar alguns problemas. O meia Clebson não vai atuar e abre a vaga para Yerien. O volante Pio também poderá ficar de fora do elenco. Para fechar com as alterações, Tamandaré treinou entre os titulares e pode começar jogando.

FICHA DO JOGO

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Marquinho, César, Vágner e Tiago Cardoso; Luciano Sorriso, Anderson Pedra, Jefferson Maranhão e Natan; Flávio Caça-rato e Dênis Marques.
Técnico: Marcelo Martelotte

Salgueiro
: Luciano; Marcos Tamandaré, Cleber Carioca, Ricardo Braz e Peri; Helder (Pio), Mateus, Victor Caicó e Yerien; Fabrício Ceará e Elvis.
Técnico: Marcelo Chamusca

Campeonato Pernambucano. Local: estádio Arruda. Árbitro: Gleydson Leite.Assistentes: Wilton Lins e Marlom Rafael. Ingressos: arquibancada inferior (setor C frontal), cadeira/proprietário e camarote R$ 30, arquibancada inferior (setor B atrás dos gols), estudante e sócio R$ 15, arquibancada superior R$ 15.

ATENÇÃO! Fumagalli troca Guarani pelo Santa Cruz…

Campinas, SP, 28 (AFI) – O meia Fumagalli não vestirá mais a camisa do Guarani. Não, neste Campeonato Paulista. Com a promessa de voltar para a disputa do Brasileiro da Série C, o jogador de 35 anos anunciou, na tarde desta quinta-feira, sua transferência para o desconhecido Santa Cruz de Cuiarana, que disputa o Paraense. A chegada ao novo clube está prevista para a madrugada desta sexta-feira.

Bastante emocionado, o meia revelou que a proposta vantajosa era irrecusável. “Foi muito duro tomar esta decisão, mas tenho um filho de nove meses e preciso pensar nele. O Guarani é um time que estará no meu coração e continuarei torcendo”, afirmou, em meio às lágrimas.

O presidente do Bugre, Álvaro Negrão, também lamentou a saída do ídolo alviverde, mas entendeu a situação do jogador. O cartola ainda confirmou que o acordo de três meses com o clube paraense proporcionará uma compensação financeira ao clube.

“Era uma proposta vantajosa para todos os lados. O Fumagalli é um jogador que faz parte da família Guarani. Se tudo der certo, ele voltará para a Série C”, exaltou, lembrando que o jogador assinou um pré-contrato.

Também nesta quinta-feira, o atacante Tardelli também anunciou a rescisão de seu contrato com o time campineiro. O jogador não vinha sendo aproveitado pelo técnico Branco e foi liberado para buscar outro clube.

Sem poder contar com os dois jogos, Branco segue preparando o time para o jogo contra o Mogi Mirim, em Campinas, pela décima rodada. O Guarani ocupa a 15.ª posição, com oito pontos.

Com dois gols de falta, Santa Cruz suporta pressão e vence o Belo Jardim por 2 a 1

BELO JARDIM – Foi mais uma sem convencer. O Santa Cruz foi pressionado durante todo o jogo com o Belo Jardim, nesta quarta-feira, no estádio Sesc/Mendonção, mas foi salvo por duas bolas paradas. Venceu por 2 x 1, com gols marcados em faltas cobradas com perfeição por Dênis Marques e Luciano Sorriso. Foi o suficiente para conquistar mais três pontos, agora, longe de casa. O Tricolor é o único dos grandes da capital a não perder pontos neste turno.

O Belo Jardim se sobressaiu no primeiro tempo, aproveitando do conhecimento que tem do campo do Mendonção. O time da casa soube tirar vantagem das dimensões reduzidas e o gramado um tanto fofo, jogando em velocidade e fazendo a bola correr. O Santa Cruz demorou a se encontrar e acertar jogar nessas condições.

O resultado foi um domínio do Belo Jardim, porém, sem uma grande efetividade. O Calango até chegava ao gol, mas na realidade só deu trabalho a Tiago Cardoso apenas uma vez. Enquanto isso, o Santa Cruz se defendia e tentava chegar nos contra-ataques. Éverton Heleno e Luciano Sorriso tinham a responsabilidade de fazer a transição, mas não conseguiram aparecer na partida.

Paulo Paiva/DP/D. A. Press
Caça Rato pouco produziu

Foi então que a bola parada começou a decidir a partida. A falta próxima à área era prenúncio de perigo. Dênis Marques e Luciano Sorriso na bola. Quem cobrou foi o atacante. Com perfição. A bola passou por cima da barreira, tocou no travessão e entrou, sem chance para Romero. Um gol importante para o Santa Cruz, que foi pressionado durante todo o primeiro tempo pelo Belo Jardim.

Sufoco que até aumentou no segundo tempo. O Belo Jardim chegou a ser mais efetivo nas chegadas. Tiago Cardoso teve que trabalhar. Numa finalização de Fernandinho, operou um milagre. Salvou o Santa Cruz do gol de empate. O time da casa tinha mais a bola, chegava mais ao ataque, mas não conseguia marcar o gol.

Aos 17, veio o castigo. Parecia replay, só que do outro lado do campo. Falta muito próxima à área. Dênis Marques e Luciano Sorriso na bola. Desta vez, uma diferença. Somente no batedor. Quem cobrou foi o volante. A perfeição foi a mesma. As chances de Romero, também: zero. E assim o Santa Cruz, que se limitava até então aos contra-ataques, ampliar o marcador.

Era justo. Sim. Porque o Santa Cruz foi competente nas finalizações. Se não dominou o adversário, por outro lado soube se defender dele. Às vezes, mais na raça do que na técnica. Só que a insistência deu resultado. Aos 27, Muller, que entrou no segudo tempo, aproveitou espertamente o cruzamento da esquerda e mandou para o gol. Era justiça também pelo lado do Belo Jardim.

A pressão só aumentou. A torcida empurrava e o Belo Jardim ia para cima desesperadamente em busca do empate. Mais uma vez, porém, não conseguiu superar Tiago Cardoso. O último suspiro foi… uma bola parada. Mas do time da casa. Júnior Maranhão cobrou ao seu estilo, com força, mas a bola foi para fora.
Ficha do jogo

Belo Jardim
Romero; Felipe Almeida (Muller), Anderson, Eduardo Eré e Fernandinho (Luciano Silva); Xinho, Júnior Maranhão, Yannick e Douglas; Candinho e André Recife. Técnico: Levinha

Santa Cruz
Tiago Cardoso; Marquinho, Vágner, César e Tiago Costa; Anderson Pedra, Luciano Sorriso (Éverton Sena), Éveron Heleno (Jefferson Heleno) e Natan (Danilo Santos); Flávio Caça-Rato e Dênis Marques. Técnico: Marcelo Martelotte

Estádio: Sesc/Mendonção. Árbitro: Cláudio Mercante. Assistentes: Clóvis Amaral e Bruno Vieira. Gols: Dênis Marques, Luciano Sorriso, Muller. Cartões amarelos: César, Tiago Costa, Jefferson Maranhão, Flávio Caça-Rato (SC), Muller, Xinho (BJ) Público: 6.300. Renda: R$ 35.970
.

Alexandre Barbosa – Diario de Pernambuco

Santa Cruz enfrenta o Belo Jardim para se firmar no Pernambucano

Por Gabriela Máxima

O Santa Cruz ainda não convenceu em 2013. E é com o pensamento de se firmar na temporada e reconquistar a cofiança da torcida que o Tricolor do Arruda enfrenta o Belo Jardim quarta-feira (27), às 22h, no estádio do Mendonção. Embora não demonstre, o elenco coral pretende imprimir ofensividade para garantir a segunda vitória no Campeonato Pernambucano Coca-Cola.

Portanto, para o jogo, o técnico Marcelo Martelotte promoveu a primeira mudança tática desde que chegou ao Santa. Ele vai colocar três jogadores (Luciano Sorriso, Anderson Pedra e Éverton Heleno) fazendo a função de volante: um fixo e dois intercalando a posição. A alteração vai servir para ajudar Pedra e Sorriso, que estavam muito expostos e praticamente sem cobertura.

O volante Luciano Sorriso aprovou a mudança. “É, acho melhor dessa forma. Éverton vai avançar mais, enquanto eu vou ficar atrás ajudando (Anderson) Pedra com a marcação”, explicou o jogador.

Além da entrada de Éverton Heleno, Martelotte vai promover o retorno de Flávio Caça-rato à titularidade. O atacante substitui Paulo César na vaga, que, por sua vez, sentiu um desconforto muscular e fica de fora da partida. Caça-rato já teve algumas oportunidades no elenco principal do Santa Cruz, mas o jogador sempre que acionado se mostrou irregular e não foi aproveitado por Martelotte na titularidade. Agora, no entanto, o jogador ganha uma nova chance para assegurar seu nome no elenco.


Caça-rata tem chance de se firmar na titularidade Foto: Guga Matos/JC Imagem

“Tenho mais essa chance. Vou tentar ir para cima e buscar a vitória. Ainda bem que recebi esse voto de confiança do professor (Marcelo Martelotte). Vou fazer de tudo para aproveitar e fazer o meu melhor”, garantiu o jogador.

Jogo para se firmar na temporada

Desde a última partida contra o Fortaleza ainda pela Copa do Nordeste, o Santa Cruz não apresenta um bom futebol. A insegurança após a eliminação foi perceptível em campo diante do Pesqueira, mesmo assim Tricolor deixou o Arruda com a vitória por 2×1. Não convenceu. A torcida vaiava o time pelo futebol pífio. Mesmo assim, grupo tricolor quer reconquistar a confiança da torcida para seguir firme na competição.

Belo Jardim

Embora tenho fechado o primeiro turno com um bom aproveitamento e a terceira colocação na tabela, o Belo Jardim foi derrotado por 1×0 pelo Central na primeira rodada do segundo turno. Agora o técnico Leivinha pretende aproveitar o mando de campo para surpreender o Santa Cruz no Mendonção e voltar a vencer no Pernambucano. Tanto que a escalação, segundo o comandante, permanece a mesma, inclusive, com o volante Júnior Maranhão, o goleiro Romero e o zagueiro Eduardo Eré.

FICHA DO JOGO

Belo Jardim: Romero; Felipe Almeida, Alenilson, Eduardo Heré e Fernandinho; Xinho, Júnior Maranhão, Yannick e Douglas; Candinho e André Recife.
Técnico: Leivinha

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Marquinho, César, Vágner e Tiago Costa; Luciano Sorriso, Anderson Pedra, Éverton Heleno e Natan; Flávio Recife e Dênis Marques.
Técnico: Marcelo Martelotte

Local: Estádio Mendonção, em Belo Jardim. Horário: 22h. Árbitro: Cláudio Mercante. Assistentes: Clóvis Amaral e Bruno Vieira.

Santa Cruz é eliminado da Copa do Nordeste aos 46 do segundo tempo

O Santa Cruz esteve classificado até os 46 minutos do segundo tempo. Saiu na frente do placar quando até o empate interessava. A duras penas, segurou o 1 a 1 até os últimos minutos depois de ser pressionado durante toda a segunda etapa. Aos 45, o Fortaleza desperdiçou uma grande chance.

Parecia ter sido a última. Não foi. No lance seguinte, aconteceu o que parecia impossível. Assisinho recebeu a bola exatamente no mesmo lugar e, desta vez, não perdoou. O segundo gol do Fortaleza eliminou não só o Santa.

Pernambuco está fora das semifinais da Copa do Nordeste. Resultado merecido pelo que o Santa não fez em toda a segunda etapa. Na próxima fase, o Tricolor Cearense encara o Campinense, algoz do Sport. Infelizmente, o Clássico das Multidões ficou para o Campeonato Pernambucano.

Campeonato:  Copa do Nordeste / 1º Turno / 2ª Fase
Data: 17/02/2013
Hora: 16:00
Local: Recife/PE
Estádio: Arruda
Árbitro: Arilson Bispo da Anunciação (BA)
Auxiliares: Luiz Carlos Silva Teixeira (BA) e Adson Marcio Lopes Leal (BA)
Público: 30.087
Renda: R$ 441.520

SANTA CRUZ/PE
Escalação: Tiago Cardoso; Marquinho, César, Vágner e Éverton Sena; Anderson Pedra, Luciano Sorriso (Léo), Sandro Manoel e Natan (William Alves); Paulo César e Dênis Marques (Danilo Santos)
Técnico: Marcelo Martelotte
Gols: Dênis Marques
Cartões Amarelos: Marquinho, Léo e Anderson Pedra

FORTALEZA/CE
Escalação: João Carlos; Rafael Lomas, Ronaldo Angelim, Gabriel e Marinho Donizete; Esley, Éverton (João Henrique), Jackson (Júlio Madureira) e Jackson Caucaia; Jailson e Assisinho
Técnico: Vica
Gols: Júlio Madureira e Assisinho
Cartões Amarelos: Rafael Lomas, Gabriel, Assisinho e Esley

Fonte: Agência CoralNET de Notícias

Santa Cruz enfrenta o Fortaleza para garantir a classificação à semifinal

Santa Cruz precisa de uma vitória simples para avançar à próxima fase Foto: Agência Estado

Por Gabriela Máxima

Mesmo que o elenco tricolor negue qualquer favoritismo, o Santa Cruz entra em campo diante do Fortaleza com a vantagem de conseguir uma simples vitória para garantir a classificação (ou até empates por 0x0, 1×1 ou 2×2 também garante o time coral) nas semifinais da Copa do Nordeste. O jogo deste domingo (17), às 16h, no Arruda é mais um grande clássico entre os tricolores cearense e pernambucano e promete esquentar o estádio no Recife.

Para o duelo, o técnico Marcelo Martelotte deve manter a coerência das últimas partidas e, dessa forma, seguir com a base da equipe colocando Tiago Cardoso, Luciano Sorriso, Anderson Pedra, César, entre outros atletas fundamentais ao sistema tático. A dúvida, porém, fica por conta da entrada de Everton Sena ou Sandro Manoel na lateral esquerda, uma vez que Tiago Costa cumpre suspensão. Ou até a estreia do jovem Patrick é cogitada para a função. Além dessas dúvidas, o técnico tricolor trabalha com a opção de Renatinho não jogar. O atleta não sofreu lesão, mas sente dores na coxa direita e depende da liberação médica para atuar na partida.


Dênis está cotado para jogo diante do Fortaleza    Foto: JC Imagem

Dênis Marques, por sua vez, pode fazer sua reestreia com a camisa tricolor, embora não tenha disposição física para permanecer em campo os 90 minutos. Martelotte confirmou que todas essas opções existem, mas não revelou quais irá escolher para a escalação. “Tenho tudo esquematizado na cabeça, mas não vou divulgar para não ajudar o adversário. Ainda temos que analisar a situação de cada jogador e o que cada um pode oferecer de acordo com os sistemas”,explicou o técnico.

Ele, inclusive, fez questão de minimizar a vantagem que o Santinha tem de jogar pela vitória simples (e pelos empates por 0x0, 1×1 ou 2×2). “Não existe vantagem em relação ao placar. O adversário é uma equipe forte e temos que respeitá-los. A única vantagem que vejo, e esta é muito pouca, é o fato de jogarmos na nossa casa ao lado da torcida”, ponderou.

Apoio da torcida fortalece time

Se a questão do placar é minimizada pelos tricolores, a presença da torcida é super valorizada em terrirório coral. O zagueiro Vágner contou que a torcida faz toda a diferença quando o jogo é no Arruda. “A torcida vai vir em peso, porque ela é fiel. Eles não precisam de convite, são muito bem vindos ao clube e fazem a festa. Já estamos acostumados a jogar com eles nos impulsionando”, revelou o atleta.

FORTALEZA – O tricolor cearense vem ao Recife precisando vencer o Mais Querido de qualquer forma para avançar na competição. O grupo comandado pelo técnico Vica até conseguiu superar, temporariamente, o clube pernambucano na partida no Presidente Vargas. No entanto, a deficiência técnica deixou a desejar e o adversário coral arrancou um empate por 3×3 nos domínios do Fortaleza. A vatagem de conseguir uma vitória simples deixa o clima no Santa Cruz mais amisto, enquanto que para o Fortaleza a tensão dita as regras.
Procurando não arriscar para conseguir o triunfo, o treinador Vica pretende seguir a escalação que utilizou nos outros jogos. Porém, o comandante terá alguns desfalques em vista: Lucas, expulso no jogo passado, o volante Esley e o lateral-esquerdo Marinho Donizete, que sofreram lesões e serão reavaliados minutos antes da partida iniciar.

FICHA DO JOGO

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Marquinho, César, Vágner e Everton Sena; Anderson Pedra, Luciano Sorriso, Renatinho (Sandro Manoel) e Natan; Danilo Santos e Paulo César (Dênis Marques).

Fortaleza:
 João Carlos; Rafinha, Ronaldo Angelim, Gabriel e Guto; Esley (Éverton), Jefferson, Jackson e Jackson Caucaia; Assisinho e Júlio Madureira.

Copa do Nordeste. Local: estádio do Arruda. Árbitro: Arilson Bispo da Anunciação (BA). Assistentes: Luiz Carlos Silva Teixeira e Adson Márcio Lopes Leal (ambos da BA). Ingressos: R$ 40 (adulto); R$ 20 (meia); Arquibancada Geral: R$ 10

Sport e Santa Cruz irão testar o grau de dependência do Todos com a Nota

A logística financeira do programa Todos com a Nota não pôde garantir o bilhete promocional nos jogos do mata-mata da Copa do Nordeste, uma vez que, obviamente, não havia a certeza de classificação dos clubes pernambucanos. O mesmo costuma ocorrer na Copa do Brasil, vale lembrar.

Eis então uma situação que tornou-se rara no futebol da capital. Partidas sem ingressos subsidiados. Neste fim de semana, dose dupla à tarde com Sport x Campinense, no sábado, e Santa Cruz x Fortaleza, no domingo.

Seriam 8 mil e 15 mil entradas do TCN, respectivamente. Na Ilha, a geral da da sede. No Arruda, o anel superior. Desta vez, só pagando, R$ 10 tanto para os rubro-negros quanto para os tricolores. Depois de tanto tempo com boa parte dos ingressos bancada pelo governo do estado, desde 1998 para ser mais exato, até que ponto o torcedor local se tornou dependente do programa?

Nos clubes, parece vital. Para se ter ideia, considerando os últimos 16 Estaduais, 15 deles com o subsídio, o investimento público, entre Todos com a Nota e Futebol Solidário, chegou R$ 51.238.000. Porém, isso vem sendo reduzido na medida em que cresce a receita de TV.

Voltando ao público, fica a expectativa sobre a manutenção da assistência. No Nordestão a Cobra Coral tem a maior média, com 20.557 pessoas. Em segundo lugar, o Sport, com 17.233. Contudo, os bilhetes promocionais têm um peso considerável nessas médias, com 52% e 45% do público total.

Além do destino dos rivais das multidões no regional, os dois jogos no Recife pelas quartas de final do Nordestão dirão bastante sobre o comportamento do público. Em 2011, o Náutico disputou as primeiras rodadas da Série B sem assinar com o TCN. Na ocasião, o público nos Aflitos não chegou a cinco mil pessoas. Ao retornar para o programa, o índice timbu quase triplicou.

Veremos se há vida sem subsídio estatal no futebol pernambucano. Até mesmo porque não há contrato algum que indique a eternidade deste modelo…

Fonte: Cassio Zirpoli

Diretoria do Santa Cruz estabelece R$ 10 para os ingressos da arquibancada superior-geral

Por Gabriela Máxima
Como os jogos da etapa mata mata da Copa do Nordeste não terão a promoção do Todos Com a Nota, a diretoria do Santa Cruz se reuniu na tarde desta quinta-feira (14) para estabelecer novos preços para o jogo contra o Fortaleza, no domingo (17), às 16h. Arquibancada Superior-Geral passa a ser vendida por R$ 10 (antes estava por R$ 20).

“Quando ficamos sabendo que não haveria a promoção, resolvemos prestar uma homenagem à torcida e colocar preços mais baratos”, confirmou o presidente do Santa Cruz, Antônio Luiz Neto. A promoção vale até o domingo na hora do jogo, caso ainda existam ingressos à venda nas bilheterias do clube.

Os outros preços permanecem os mesmos.
Confira os valores:

Arquibancada Inferior (Setor C): R$ 40,00

Arquibancada Inferior Visitante: R$ 40,00

Arquibancada Inferior (Setor A): R$ 20,00

Arquibancada Inferior (Setor B): R$ 20,00

Arquibancada Superior-Geral: R$ 10,00

Estudante: R$ 20,00

Sócio: R$ 20,00 (*)

Conselho: R$ 20,00

Cadeira Sócio: R$ 60,00

Cadeira Aluguel: R$ 70,00

Cadeira Proprietário: R$ 40,00

Cadeira Proprietário Sócio: R$20,00

Camarote: R$ 40,00

Camarote sócio: R$20,00