Campeonato Espanhol

FOTOS: imagens do clássico entre Barcelona 2X1 Real Madrid

Lençol, dribles, empurrões, dor, assistência e um belo gol. Neymar iniciou a sua trajetória em duelos contra o Real Madrid com o pé direito. Fez o que Romário, Rivaldo, Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho não conseguiram: balançar a rede do rival logo na primeira vez em que enfrentou os merengues no “El Clássico”.

Neymar ofusca Messi e CR7, faz gol, dá assistência, e Barça vence Real

Por Globo Esportes

Lençol, dribles, empurrões, dor, assistência e um belo gol. Neymar iniciou a sua trajetória em duelos contra o Real Madrid com o pé direito. Fez o que Romário, Rivaldo, Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho não conseguiram: balançar a rede do rival logo na primeira vez em que enfrentou os merengues no “El Clássico”. Neste sábado, com um gol do camisa 11 e outro deAlexis Sánchez (um golaço), o Barcelona derrotou o time da capital por 2 a 1, no Camp Nou, chegou aos 28 pontos e abriu seis de diferença para a equipe branca, que seguiu na terceira colocação do Campeonato Espanhol. O Atlético de Madrid permaneceu na segunda posição na tabela de classificação, com 24. Jesé descontou para os visitantes nos acréscimos após passe de CR7.

No gol do chileno, Neymar deu uma bela assistência para o companheiro marcar um golaço. Uma bela cavadinha para vencer Diego López e deixar Iker Casillas perturbado no banco de reservas do time merengue. Na próxima rodada do Espanhol, o Barcelona vai visitar o Celta de Vigo, em Balaídos. O Real Madrid receberá o Sevilla, no Santiago Bernabéu. Os dois confrontos são válidos pela 11ª rodada da competição nacional.

Neymar comemoração gol do Barcelona jogo Real Madrid (Foto: Reuters)
Neymar comemora o gol da vitória do Barcelona sobre o Real Madrid, no Camp Nou (Foto: Reuters)

NEYMAR ABRE O PLACAR PARA O BARÇA

Neymar e Messi comemoração Barcelona jogo Real Madrid (Foto: Reuters)
Neymar e Messi comemoram o primeiro gol do
Barcelona na partida deste sábado (Foto: Reuters)

Antes mesmo do apito inicial, o prenúncio era de festa para o Barcelona. Desde a homenagem a Tito Vilanova, estampada com a mensagem “Força, Tito” no belo mosaico que coloriu o Camp Nou (o ex-treinador do time catalão está em tratamento de um câncer), ao hino do clube cantado a plenos pulmões nas arquibancadas. Tudo conspirava a favor de uma boa atuação dos donos da casa. E ela não demorou a aparecer em campo.

O Barça realmente foi melhor do que o rival na etapa inicial. Neymar chamava a responsabilidade, pedia a bola, queria jogo. Às vezes, não tinha o pedido atendido, como num lance de Adriano, que resultou em uma roubada de bola do Real Madrid. Mas sempre que foi acionado, deu trabalho. Primeiro para Carvajal. Depois para Varane e Khedira. E ainda irritou Sergio Ramos, que apelou diante do camisa 11 com uma cotovelada e levou amarelo.

Até que a boa atuação do brasileiro foi premiada. Aos 18, Neymar recebeu passe de Iniesta já dentro da área. O brasileiro deu um corte para dentro e bateu colocado. A bola desviou em Varane, passou por baixo das pernas de Pepe e entrou no cantinho de Diego López: 1 a 0. Com um largo sorriso no rosto, o camisa 11 vibrou com os companheiros como se tivesse marcado o primeiro gol de sua carreira.

O gol desestruturou o Real e o Barça quase marcou o segundo. Lionel Messi foi lançado, invadiu a área e finalizou para fora na saída de Diego López. A bola saiu por muito pouco.

Mas se Neymar estava bem, o outro camisa 11 em campo, o do Real, apareceu pouco. Gareth Bale, o “homem de € 100 milhões” (cerca de R$ 300 milhões), parecia perdido pelo lado esquerdo do ataque merengue. Pegou pouco na bola, mas pelo menos tentou duas finalizações. Ambas por cima do gol de Valdes.

E como não poderia ser diferente, Neymar encerrou a primeira etapa aplaudido pelo torcedor no Camp Nou. Nem pelo gol, mas pelo esforço para recuperar uma bola na lateral do campo antes do apito final e da ida para o vestário.

mosaico torcida Barcelona x Real Madrid (Foto: AFP)
Mosaico da torcida do Barcelona faz homenagem ao ex-treinador da equipe Tito Vilanova (Foto: AFP)

REAL MELHORA, MAS SÁNCHEZ MATA O JOGO PARA O BARÇA

Cristiano Ronaldo jogo Barcelona x Real Madrid (Foto: Reuters)
Cristiano Ronaldo reclama pênalti não marcado pelo árbitro no Camp Nou (Foto: Reuters)

O Barça até voltou para o segundo tempo com o mesmo ímpeto, mas não com o mesmo domínio sobre o rival. Neymar quase marcou o segundo aos oito. Foi lançado em profundidade dentro da área, ganhou do adversário na corrida e finalizou em cima de Diego López.

A partir daí, Carlo Ancelotti começou a mexer no time. Tirou Sergio Ramos para a entrada de Illarramendi. Em seguida, sacou Gareth Bale para a entrada de Benzema. As alterações surtiram efeito e o Real subiu de produção. Foram três chances claras de deixar tudo igual no Camp Nou.

Duas com Benzema e uma com Cristiano Ronaldo. No lance do português, aos 12, Valdes defendeu o chute rasteiro. Na primeira do francês, cabeçada para fora. Na outra oportunidade, aos 26, uma bomba do camisa 9 no travessão. O goleiro catalão já estava batido. Em lance polêmico, CR7 ainda reclamou de um pênalti não marcado pelo árbitro.

Disposto a acabar com o jogo, o Barça buscava os contra-ataques. E foi assim que matou a partida. Neymar lançou para Alexis Sánchez, que percebeu o goleiro Diego López adiantado e deu uma bela cavadinha para superar o arqueiro do Real: 2 a 0.

Com mais tranquilidade, o Barça seguiu atuando com rapidez nas retomadas de bola. Daniel Alves deu uma caneta em Cristiano Ronaldo, que estava na lateral esquerda, invadiu a área e finalizou mal diante do goleiro rival. Aos 39, o Camp Nou ficou de pé para a saída de Neymar. O atacante foi substituído por Pedro e saiu aplaudido.

Já nos acréscimos, Cristiano Ronaldo lançou para Jesé, que invadiu a área e finalizou com força. A bola passou por baixo de Valdes e estufou a rede. No fim, festa catalã.

Alexis Sanchez comemoração Barcelona x Real Madrid (Foto: AP)
Alexis Sánchez comemora o golaço marcado no clássico contra o Real Madrid, neste sábado (Foto: AP)

Imprensa espanhola e Tata exaltam atuação de Neymar: 'Não tem preço'

Destaque na goleada do Barcelona por 4 a 1 sobre o Valladolid, Neymar foi bastante elogiado pela imprensa espanhola e pelo técnico Tata Martino após a partida. Enquanto os jornais ressaltaram o protagonismo do craque brasileiro no duelo, o treinador comparou o camisa 11 a Messi e exaltou a versatilidade do ex-santista.

– É muito difícil ficar toda partida destacando suas virtudes. Dá no mesmo que ele jogue pela esquerda ou no meio. Ele é como Messi, quando o colocavam na direita. Não há um segredo do técnico que explique as virtudes de Neymar. Obviamente há algo a melhorar, mas ele já fez gol, tem dado assistências, é generoso na marcação… Domina todas as facetas do jogo, tem uma qualidade difícil de encontrar – elogiou Martino.

Neymar gol Barcelona (Foto: Reuters)
Neymar sorri durante a partida: brasileiro foi elogiado após atuação contra o Valladolid (Foto: Reuters)

Entre os jornais, o “Mundo Deportivo” foi o mais empolgado, dizendo que “Neymar não tem preço”, em referência à polêmica em relação ao valor gasto pelo Barcelona para contratar o jogador. Definindo a atuação do brasileiro como “um grande show”, o diário catalão exaltou também o repertório do camisa 11.

– Exibição do brasileiro na posição de falso nove com um repertório interminável: fez gol, deu assistência, driblou, se movimentou, deu de calcanhar. O craque até forçou dois pênaltis que o árbitro não quis marcar. Sua magia, sua qualidade, sua atitude e sua liderança voltam a demonstrar o acerto de sua contratação, seja por quantos milhões foi. Há jogadores que não tem preço – escreveu o jornal.

Em Madri, a imprensa também aprovou Neymar. O “As” citou o brasileiro como “diretor da orquestra do Barça”. O “Marca” publicou que o camisa 11 e Alexis, autor de dois gols, fizeram a torcida esquecer Messi, desfalque por lesão. Neymar, para o diário, foi o grande protagonista do jogo.

– O Barcelona buscou nele um jogador cúmplice da magia habital de Messi e que fosse capaz de suprir suas ausências. Neymar corresponde ao perfil. Esteve presente em quase todas as jogadas de sua equipe. Foi generoso no esforço, brilhante no drible e inalcançável na corrida.

Neymar Barcelona x Valladolid (Foto: EFE)
Neymar tenta a finalização no duelo com o Valladolid (Foto: EFE)

Técnico rival critica Neymar

O único que não gostou da atuação de Neymar foi o técnico do Valladolid, Juan Ignácio Martínez, que ficou na bronca por conta das duas jogadas em que o brasileiro caiu na área pedindo pênalti.

– Neymar só tem um defeito, e vocês (jornalistas) sabem qual é – disse, em referência às quedas do camisa 11.

Por 

Barcelona, Espanha

Com Neymar titular, Barcelona empata com Atlético de Madrid e é campeão

Por Agência Estado

O Barcelona teve bastante dificuldade, mas conquistou nesta quarta-feira seu primeiro título na temporada 2013/2014. Diante de um Atlético de Madrid que foi melhor em diversos momentos da partida, o time catalão se beneficiou do resultado de 1 a 1 na primeira partida, em Madri, e graças ao gol marcado fora de casa faturou a Supercopa da Espanha, ao ficar no empate por 0 a 0 no Camp Nou.

Este é o primeiro título do que parece ser uma nova geração no Barcelona, sob o comando do argentino Gerardo Martino e com Neymar, que ficou em campo nos 90 minutos, no ataque. O brasileiro, aliás, teve papel fundamental na conquista, já que foi dele o gol de empate do time catalão na ida.

Nesta quarta-feira, os torcedores puderam ver Neymar como titular de uma partida oficial do Barcelona pela primeira vez. E o brasileiro teve como companheiro Lionel Messi, que era dúvida para a partida por conta de um problema muscular na perna esquerda, mas foi confirmado por Martino momentos antes da partida. O argentino teve a melhor chance da partida, mas cobrou pênalti no travessão no fim.Messi & Neymar Jr

No primeiro tempo, Neymar pouco apareceu. Escondido pelo lado esquerdo do campo, o brasileiro não foi muito acionado, e quando foi acabou abusando da individualidade em alguns lances. Na etapa final, o atacante buscou o jogo, arriscou mais e teve grande oportunidade, em lance no qual preferiu o toque para Fàbregas ao invés da finalização, mas deu mostras claras de que ainda encontra-se em processo de adaptação.

O Barcelona começou dominando a posse de bola e encurralando o Atlético de Madrid. Logo aos sete minutos, Busquets deu linda enfiada para Messi, que dominou e só não marcou porque foi travado pelo brasileiro Filipe Luís. Na sequência, Jordi Alba recebeu pela esquerda e cruzou bem. Sánchez quase aproveitou na segunda trave.

 

Aos poucos, o Atlético de Madrid acertou a marcação e, se seguia encurralado na defesa, não deixava que o Barcelona criasse. A primeira chegada da equipe madrilenha aconteceu apenas aos 34 minutos, quando Koke aproveitou rápido contra-ataque e só parou em Valdés.

Apesar da superioridade do Barcelona no primeiro tempo, a melhor chance foi do Atlético, e em jogada ao estilo catalão. Após rápida troca de passes pelo lado esquerdo, Turán recebeu na entrada da área e bateu forte. Valdés se esticou todo e fez linda defesa para impedir a abertura do placar.

Precisando marcar para ser campeão, o Atlético voltou superior para o segundo tempo e David Villa obrigou Valdés a fazer outra ótima defesa em novo chute de fora da área, aos 11 minutos. Dez minutos depois, o Barcelona respondeu. Daniel Alves cruzou da direita e Neymar, sozinho, preferiu tentar o toque para Fàbregas ao invés da finalização, mas acabou errando.

Tudo ficou mais fácil para o Barcelona aos 35 minutos, quando Filipe Luís foi expulso após desentendimento com outro brasileiro: Daniel Alves. Sete minutos depois, após rápida troca de passe pela direita, Miranda atropelou Pedro na área e o árbitro deu pênalti. Messi partiu para a bola e bateu no travessão a última chance da partida.

Neymar sai do banco, faz gol e salva Barcelona da derrota na Supercopa

Neymar precisou de apenas oito minutos em campo para mostrar que o banco de reservas não é o seu lugar. Preterido por Alexis Sánchez e Pedro, o brasileiro entrou no segundo tempo do jogo de ida da Supercopa da Espanha, entre Atlético de Madri e Barcelona, e foi decisivo: marcou pela primeira vez em jogos oficiais pelo time catalão – antes, já havia balançado as redes duas vezes em amistosos – e garantiu o empate por 1 a 1 da equipe, que havia perdido Messi no intervalo por causa de uma lesão na coxa esquerda.

Com o empate conquistado, o Barcelona joga por uma vitória simples e até um 0 a 0 no duelo de volta, marcado para a próxima quarta-feira, no Camp Nou. Já o Atlético de Madri leva o título caso empate por pelo menos dois gols.


Resta saber se, com a boa atuação contra os colchoneros, Neymar será, enfim, promovido para o time titular. Antes disso, o Barça tem o duelo com o Málaga, no próximo domingo, fora de casa, pela segunda rodada do Campeonato Espanhol. No mesmo dia, o Atlético recebe o Rayo Vallecano.

Neymar gol Barcelona (Foto: AFP)
Neymar sai para comemorar seu primeiro gol oficial pelo Barcelona (Foto: AFP)

Intenso, Atlético sai na frente com Villa

Se o Barcelona é a base da seleção espanhola e empresta a La Roja sua filosofia de jogo, então o técnico do Atlético de Madri, Diego Simeone, aprendeu bastante com a vitória do Brasil na Copa das Confederações. A exemplo dos comandados de Felipão, os jogadores colchoneros entraram em campo com uma vontade descomunal: cada bola era disputada como se fosse a última, fazendo com que os atletas blaugranas não tivessem espaço para trocar passes.

Como era de se esperar, um dos mais motivados era David Villa. Vendido pelo Barcelona nesta temporada, após amargar a reserva em diversos jogos em seus meses finais na Catalunha, o atacante mostrou serviço logo no início do jogo, e em grande estilo: aos 11 minutos, após tabela com Arda Turan, ele acertou um lindo voleio, da entrada da área, para abrir o placar.

David Villa comemora gol do Atlético de Madri contra o Barcelona (Foto: Agência AP)
Ex-Barça, Villa festeja seu gol contra o antigo time (Foto: Agência AP)

Mesmo com a vantagem, o Atlético não diminuiu a intensidade e seguiu pressionando no campo de ataque, sem dar espaço para o Barcelona. Às vezes, a raça dos colchoneros se transformava em truculência. Não à toa, os donos da casa fizeram 12 faltas na etapa inicial, contra cinco dos catalães. Messi pouco tocava na bola, e Iniesta e Xavi não achavam espaço em campo.

O clima quente, aliás, fez com que dois companheiros de seleção brasileira se desentendessem. Aos 38 minutos, Filipe Luís recebeu cartão amarelo após fazer falta em Daniel Alves, que não gostou e começou a discutir com o compatriota.

Messi sai, entra…Fàbregas

No fim, o primeiro tempo brigado fez uma vítima. Com uma lesão na coxa esquerda, Messi não voltou para a etapa final – a princípio, ele foi apenas poupado para evitar um problema maior. Mas ainda não era a hora de Neymar: Fàbregas foi o escolhido para substituir o craque argentino no intervalo.

O Barça até começou melhor e teve uma boa chance logo aos três minutos, quando Fàbregas recebeu ótimo passe de Sánchez dentro da área, mas foi travado.

Neymar aquecimento Barcelona (Foto: AFP)
Ainda no banco, Neymar acompanha a partida
entre Barcelona e Atlético de Madri (Foto: AFP)

Enfim, Neymar

Ainda assim, o técnico Tata Martino não quis esperar muito.  Aos 13, ele se rendeu e colocou Neymar em campo, no lugar de Pedro. E o craque brasileiro, muito vaiado pela torcida do Atlético de Madri na entrada, respondeu rapidamente: aos 21, ele aproveitou belo cruzamento de Daniel Alves e, livre no segundo pau, cabeceou firme para empatar a partida.

O gol mudou o panorama do jogo. O Atlético, já sem o mesmo vigor físico, não corria tanto quanto no início da partida, e o Barcelona, de certa forma aliviado com o empate, alcançado num momento em que ainda não jogava bem, se animou. O controle da partida pendeu para o lado catalão.

Ainda assim, o Barça não estava inspirado e, mesmo com a bola, pouco ameaçava. A entrada de Neymar, apesar do gol, não foi suficiente para melhorar a atuação do time. O brasileiro, aliás, alternou boas jogadas pela esquerda com lances perdidos e até um cartão amarelo, após fazer falta em Juanfran.

No fim, as duas equipes pareceram se contentar com o empate, levando a decisão do título para o Camp Nou.

Neymar e Tata Martino Barcelona (Foto: Agência Reuters)
Tata Martino cumprimenta Neymar após o gol do brasileiro (Foto: Agência Reuters)
globo.com

Na estreia de Neymar, Barcelona fica no empate com o Lechia Gdansk

Por Gazeta Press

O sonho de infância de Neymar virou realidade. Contratado pelo Barcelona em junho deste ano, o craque brasileiro finalmente realizou seu desejo e atuou pela primeira vez com a camisa azul-grená. O jovem atacante jogou por 15 minutos e participou do inesperado empate do Barça com o Lechia Gdansk por 2 x 2 em amistoso realizado nesta terça-feira, na Arena Gdansk (Polônia).

A atuação ao lado de Messi, no entanto, ficará para a próxima sexta-feira, quando o time catalão enfrenta o Santos no estádio Camp Nou pelo Troféu Joan Gamper. Nesta terça, o argentino foi substituído aos 31 minutos do segundo tempo, e a Joia entrou em campo somente aos 33, no lugar do chileno Alexis Sánchez.

Antes de o jogo começar, entretanto, ainda no corredor que leva as equipes ao gramado, Neymar deu um abraço carinhoso no melhor jogador do mundo, mostrando que a relação entre os dois é boa. Em seguida, se dirigiu ao banco de reservas e por lá permaneceu, com os olhares atentos, até os 25 minutos do segundo tempo, quando foi chamado por Jodi Roura para aquecer.Neymar Jr & Messi

Assim que entrou em campo, aos 33, já com o placar mostrando 2 x 2, foi ovacionado pelos quase 40 mil torcedores que compareceram à Arena Gdansk. No primeiro toque na bola, pela meia esquerda, sofreu uma falta próxima à linha lateral. Em seguida, arriscou algumas pedaladas, arrancadas da ponta para o centro e até acertou um passe de calcanhar, como nos tempos de Santos.

Muito marcado, sofreu entradas mais duras dos jogadores poloneses, que, apesar do caráter festivo da partida, mostraram não estar interessados em ver um show do brasileiro. Que realmente não aconteceu. E nem haveria tempo para isso. Estes foram somente os 15 primeiros minutos de Neymar com a camisa do Barcelona.

Ainda sem contar com os jogadores que participaram da última Copa das Confederações – com exceção do jovem brasileiro, que jogou o amistoso como forma de compensação à torcida polonesa por um adiamento da partida -, a equipe catalã tomou um susto ainda no primeiro tempo.

Aos 14 minutos, Bieniuk aproveitou cobrança de escanteio pela direita e subiu de cabeça para abrir o placar para o Lechia Gdansk. Mesmo jogando com um time praticamente reserva, o Barça voltava a sofrer com as jogas aéreas.

Apostando nas jogadas individuais de Lionel Messi, o time catalão ensaiou uma pressão e foi recompensado aos 25. Após cruzamento rasteiro de Montoya pela direita, Sergi Roberto surgiu entre a defesa e, de dentro da pequena área, se esticou para empatar a partida: 1 x 1.

O jogo seguiu equilibrado, com ambas as equipes criando boas chances de gol. A principal delas, entretanto, surgiu apenas aos 45 minutos. Messi cobrou falta com perigo na entrada da área e obrigou o goleiro Bak a fazer boa defesa. O primeiro tempo acabou com o placar de 1 x 1, em Gdansk, na Polônia.

Na segunda etapa, talvez pela inesperada dificuldade imposta pelo time polonês, o Barça voltou com a mesma equipe. No entanto, voltou a ser surpreendida. Logo aos quatro minutos, Grzelczak aproveitou desatenção de Montoya, invadiu a área e chutou forte, vencendo o goleiro Pinto: 2 x 1 Lechia Gdansk.

O Barcelona passou a ser muito pressionado e só saiu do sufoco graças ao melhor jogador do mundo. Aos 11 minutos, Messi recebeu bom passe de Alexis Sánchez dentro da área e, com extrema categoria, arrematou com a já conhecida cavadinha por cima do arqueiro polonês: 2 x 2.

Messi

Com o jogo empatado, Jordi Roura promoveu algumas substituições, incluindo a entrada de Neymar e saída de Messi. O ritmo de jogo caiu, e o amistoso terminou com a igualdade no placar.

O próximo compromisso do Barcelona, que pode representar a estreia de Neymar como titular da equipe, será nesta sexta-feira, às 16h30 (de Brasília), diante do Santos, pelo Troféu Joan Gamper, no estádio Camp Nou.

Camisas de Neymar viram febre entre catalães, gringos e brasileiros

Por Alexandre Lopes e Lincoln Chaves  – Barcelona, Espanha

O bate-volta de Neymar em Barcelona há quase dois meses, quando foi apresentado para 56 mil pessoas no Camp Nou, foi só um aperitivo. Neste sábado à tarde, o atacante deixa o Brasil, onde aproveitou o resto das férias após a conquista da Copa das Confederações, e chega domingo pela manhã à cidade do novo clube. Na segunda-feira, o astro faz o primeiro treino no Barça e, quatro dias depois, estreia diante do ex-time, o Santos, pelo Troféu Joan Gamper. O detalhe é que, antes mesmo de iniciar as atividades na Cidade Esportiva, o brasileiro já faz parte do cotidiano da Catalunha.

Neymar já ocupa alguns dos espaços mais nobres da FCBotiga, loja oficial do Barcelona, instalada no Camp Nou e em diversos pontos da cidade – inclusive no aeroporto. O ex-santista ainda não tem o mesmo destaque de Lionel Messi ou Andrés Iniesta, mas as camisas com seu nome e o número 11 nas costas são encontradas tanto na entrada da loja e ao lado da de Messi, próximas a um grande escudo do time catalão.

Os números das vendas de produtos relacionados ao atacante são mantidos em sigilo por “questões estratégicas”. Basta observar o furor de clientes atrás de camisas com o nome de Neymar, porém, para não ter dúvidas do potencial do atacante. Só que essa clientela não se limita a turistas brasileiros. O músico Oscar Aponte, de 33 anos, é colombiano e torcedor do América de Cali. De férias em Barcelona, não só comprou o uniforme a ser usado pelo ex-alvinegro como fez questão de tirar fotos. Uma admiração, aliás, que não vem só pelo jogador, agora, estar no futebol europeu.

– Já o conhecia um pouco dos jogos pela Libertadores. É um grande jogador. Gosto muito dele. Vamos ver como vai se comportar aqui – destaca.

E Neymar não atrai só os fãs veteranos. O pequeno sueco Benjamin, de 12 anos, torce para o Malmö. A camisa que vestia quando entrou na loja do Barça? A de Neymar.

–  Gosto da habilidade dele, como ele chuta – conta, tímido.

Oscar loja Barcelona camisa Neymar (Foto: Lincoln Chaves)O
scar conhece Neymar por causa da Libertadores (Foto: Lincoln Chaves)

Mas, como é de se esperar, são os brasileiros que fazem a festa quando o assunto é Neymar. Um grupo de amigos do Rio de Janeiro aproveitou a passagem por Barcelona, durante uma excursão pela Europa, para garantir a camisa com o nome do craque. Nenhum deles é santista: três são flamenguistas e um é vascaíno. Todos, no entanto, não escondem a admiração pelo atacante.

– Assim que entramos em um táxi, o motorista começou a falar de Neymar (risos). Dizia ter dúvidas se ele vai desempenhar um bom papel, lembrou da passagem do Romário… Mas, volta e meia, ele caía no assunto Neymar – descreve o contador Farid Júnior, torcedor do Vasco.

– O pessoal reconhecia minha camisa do Flamengo, via que eu era brasileiro, e alguns perguntavam do Neymar. Vejo que não tem só brasileiro, mas muito gringo também comprando a camisa dele. Acho que está fazendo sucesso – emenda o publicitário Felipe Vilaça.

A tendência é que, à medida que a popularidade de Neymar cresça – o que deve se intensificar nos próximos dias, com a chegada do atacante a Espanha e a realização do primeiro treino -, seja impulsionado também o apelo do reencontro entre Santos e Barcelona. Até o momento, o Camp Nou é o local onde há maior divulgação da partida, com cartazes espalhados pelas imediações do estádio. Nas ruas, o confronto tem ganhado destaque em veículos turísticos de dois andares (double decker), nos quais a imagem de cinco jogadores do Barça (dentre eles, Neymar) convoca a torcida para o duelo

Brasileiros compram camisas de Neymar na Espanha (Foto: Lincoln Chaves)
Flamenguistas e vascaíno compram camisas de Neymar em Barcelona (Foto: Lincoln Chaves)

Neymar: ata mostra valor pago pelo Barça e pressões de pai e Guardiola

O Barcelona pagou € 17,1 milhões ao Santos pela compra do atacante Neymar, segundo a ata da última reunião do Conselho Deliberativo do clube paulista, obtida pela reportagem da Rádio Globo (veja reprodução abaixo). O valor, pago no mês passado, equivale a cerca de R$ 49,6 milhões. Desse montante, o Santos ficou apenas com € 9,35 milhões (pouco mais de R$ 27 milhões), pois teve de repassar 40% à DIS e 5% para a Teisa (grupo de empresários ligado ao clube).

É importante ressaltar que o valor total da transferência é outro, e bem maior. A própria ata diz que o Santos “receberá cerca de R$ 40 milhões”, contando “bônus e convênios”, como os amistosos na Espanha (dia 2 de agosto) e no Brasil (sem data marcada). O Barcelona diz que o valor da transferência do craque é de € 57 milhões (cerca de R$ 158 milhões). A quantia incluiria o pagamento de luvas de Neymar, além de comissões de empresários.

Pai de Neymar não queria saber de renovação, e dirigentes ‘engolem sapo’

A prestação de contas da diretoria ao Conselho Deliberativo foi fechada aos jornalistas. A ata mostra o desconforto do pai de Neymar com a tentativa do Santos de prorrogar o contrato com o atacante até 2016 – o vínculo terminaria após a Copa de 2014. De acordo com o relato, o Santos tentou quatro vezes ampliar contrato com Neymar. Sem sucesso.

Pai de Neymar queria ver filho longe do futebol brasileiro, para que ele não fosse ‘herói ou vilão’ antes da Copa de 2014

O vice-presidente do Peixe, Odílio Rodrigues, relatou aos conselheiros que percebeu irritação do pai de Neymar, que chegou a ameaçar abandonar os encontros, dizendo que o craque não ficaria um minuto após 2014. Além disso, teria intenção de deixar o Santos ao fim da atual temporada. Segundo o relato de Odílio, o pai do jogador queria ver Neymar longe do futebol brasileiro para não ser escolhido como herói ou vilão da Copa do Mundo de 2014 de forma antecipada.

Ainda de acordo com a ata, Odílio revelou que os membros do Comitê de Gestão “engoliram muito sapo”, e que o pai de Neymar, diante da insistência alvinegra, perguntou se o clube dispunha de € 100 milhões (cerca de R$ 290,4 milhões) para permanência do filho. Ouviu, obviamente, que não.

Guardiola fez lobby pelo Bayern, contra o Barça

Por intermédio do Santos, o pai de Neymar se reuniu com Pep Guardiola. Odílio revelou ao Conselho que o técnico espanhol sugeriu a Neymar jogar no Bayern de Munique, seu novo clube, onde teria “oportunidades reais de estar entre os melhores do mundo”.

Guardiola teria dito que o atual treinador do Barça (Tito Vilanova) não saberia utilizar Messi e Neymar juntos

Guardiola teria dito que o atual treinador do Barça (Tito Vilanova) não saberia utilizar Messi e Neymar juntos. A conversa balançou o jogador, mas não o pai do atleta. Representantes do Milan também chegaram a negociar com o estafe. Mas Neymar queria o Barcelona.

O documento mostra que Odílio e o Comitê não tinham outra alternativa que não fosse negociar com o Barça. A ata confirma a presença do vice-presidente santista em reunião feita na Espanha com Sandro Rosell, presidente do clube catalão. A proposta inicial era de € 16,5 milhões, pagos em parcelas até 2016 e assistência jurídica para o Santos não ter que dividir o montante com a TEISA e o Grupo DIS. Mas o valor foi prontamente recusado.

O valor final de € 17,1 milhões acabou sendo pago à vista, sendo que € 171 mil foram utilizados para cobrir encargos pela transação – tudo arcado pelo Barcelona. Na divisão em reais, o clube ficou com R$ 27 milhões, sendo R$ 22,9 milhões “limpos”, já que 5% do arrecadado foi destinado para pagamento de dívidas com Marcelo Teixeira, e 10% para pagamento de dívida com uma instituição financeira. O Grupo TEISA ficou com R$ 2,5 milhões, e o DIS, com R$ 19,883 milhões.

Santos levará bônus se Neymar ficar entre melhores do mundo

A ata revela ainda que o Santos tem prioridade em qualquer oferta por Neymar. Se, durante o contrato de cinco anos com o Barça, Neymar ficar entre os melhores do mundo, o Peixe vai faturar € 2 milhões (R$ 5,7 milhões), pagos à vista em parcela única.

Além do amistoso de 2 de agosto, na Espanha, foi acertada a realização de outro amistoso, no Brasil, ainda sem data marcada. Na viagem para a Europa, as despesas serão todas pagas pelo Barcelona para 40 membros da delegação santista. O outro será realizado no Brasil entre julho e setembro deste ano ou no mesmo período em 2014.

Documento da transferência de Neymar (Foto: Reprodução / Rádio Globo)
Documento apresentado aos membros do Conselho (Foto: Reprodução / Fabiano Farah / Rádio Globo)

Real Madrid ganha Superclássico pela 2º vez em 5 dias

Após a derrota por 3 a 1 para o Real Madrid pela semifinal da Copa do Rei, o Barcelona tenta ‘se vingar’ do rival neste sábado, no Superclássico que acontece no Santiago Bernabéu pela 26ª rodada de La Liga.

O time merengue, por sua vez, não vence os rivais catalães em Madri pelo Espanhol desde 2008 e utilizará seus reservas neste sábado para tentar acabar com esse tabu. Do lado do Barcelona, a equipe entrará em campo bem diferente daquela que começou o duelo pela Copa do Rei, na última terça.

48′ – Valdés reclama muito com o árbitro e recebe o segundo amarelo, sendo expulso de campo mesmo depois do apito final.

48′ – FIM DE JOGO NO BERNABÉU! Real Madrid vence novamente o Superclássico.

47′ – Iniesta leva cartão amarelo por reclamação.

46′ – Adriano cai dentro da área e pede pênalti. Juiz manda seguir.

45′ –  Cristiano Ronaldo cobra forte direto para o gol, Valdés rebate e defesa do Barça afasta.

44′ – Falta de Daniel Alves em Cristiano Ronaldo! Brasileiro leva cartão amarelo e o camisa 7 vai para a cobrança.

41′ – QUAAAASEEE!!! Cristiano Ronaldo faz belíssima cobrança de falta e coloca a bola na trave! Ela volta e Pepe tenta empurrar para o gol, mas sem sucesso.

40′ – Pepe de novo consegue bom lance partindo para o ataque e lança Morata, que sofre a falta próximo à área.

OPINIÃO LEONARDO BERTOZZI: Que golpe no Barcelona! Perder dois clássicos seguidos, um deles contra o time reserva é complicado. Já não é tão exagerado assim falar em ‘crise’.

37′ – O capitão do Real não vinha bem na partida, mas subiu mais do que todo mundo e, na falha da marcação de Piqué, balançou as redes do Barcelona.

36′ – GOOOOOOOOLLLL! Do Real Madrid! Modric cobra escanteio, e Sergio Ramos cabeceia para o fundo das redes! 2 a 1 para o Real no Bernabéu.

OPINIÃO LEONARDO BERTOZZI: Barcelona mexe mal no time. Cesc Fábregas já poderia ter entrado no lugar de Thiago Alcântara, que não faz uma boa partida.

34′ – Dani Alves tenta lançamento de três dedos para Lionel Messi, mas a defesa do Real faz o corte.

33′ – Falta para o Real Madrid. Modric cobra de fora da área, Cristiano Ronaldo tenta cabecear, mas a bola vai para fora.

32′ – Thiago Alcântara cobra falta pelo lado esquerdo, mas Diego López faz a defesa.

31′ – Sai Pedro para a entrada de Adriano no Barcelona.

30′ – Pepe faz belíssimo lançamento de três dedos para o jovem Morata, que ficou cara a cara com Valdés, mas desperdiçou e chutou para fora.

27′ – Pedro tenta avançar no meio-campo, mas sofre o corte de Pepe.

26′ – Posse de bola fica mais equilibrada no Santiago Bernabéu. Real Madrid 42% x 58% Barcelona

OPINIÃO LEONARDO BERTOZZI: Thiago Alcântara não faz um jogo bom, Pedro continua sumido, e o Barça tem boas opções no banco, precisa mudar. Pelos times que entraram hoje, era um jogo para o Barcelona ganhar.

23′ – Passe errado de Dani Alves. Cristiano Ronaldo aproveita para arrancar em velocidade pelo lado esquerdo e chutar para o gol, mas a bola vai para a rede pelo lado de fora.

22′ – Última alteração feita por José Mourinho. Sai Coentrão, entra Arbeloa na equipe merengue.

21′ – Vem Alexis Sanchez no Barcelona. Roura faz a primeira mudança no time, tira David Villa e coloca o chileno.

19′ – QUASEEE! Ronaldo cobra de longe da área, mas Valdes quase aceita a pancada do português. Escanteio para o Real.

18′ – Amarelo para Thiago Alcântara. Brasileiro fez falta em Pepe, e Cristiano Ronaldo foi para a cobrança;

17′ – Jogo fica mais pegado com a entrada de Cristiano Ronaldo. Real Madrid cresce e equilibra posse de bola, tentando chegar mais ao ataque.
16′ – Mais uma cobrança de falta para o Barcelona do lado direito do campo. Messi levanta a bola na área, e Diego Lopez sai para fazer a defesa;

14′ – Ronaldo cobra direto para o gol, mas a zaga afasta.

13′ – No primeiro toque na bola, Cristiano Ronaldo já sofre falta, que rende cartão amarelo a Piqué.
Getty

Cristiano Ronaldo entra e já toma falta de Piqué
Cristiano Ronaldo entra e já toma falta de Piqué

12′ – Sai Kaká! Acaba a participação do brasileiro no clássico com a entrada de Khedira.

12′ – Cristiano Ronaldo entra em campo! Muito aplaudido no Bernabéu, o português entra no lugar de Benzema.
11′ – Messi avança pelo meio e consegue belo passe para Villa do lado esquerdo. O jogador avança, mas Varane chega para fazer o corte.

9′ – Barça volta a tocar a bola no campo de ataque, na tentativa de furar a defesa do Real Madrid.
8′ – Kaká tenta armar contra-ataque pelo meio, mas sofre o desarme.

6′ – Thiago Alcântara avança, toca para Messi, que tabela com Daniel Alves. O lateral tenta devolver no cruzamento para o argentino, mas a bola passa por ele e sai. Primeira boa chance do Barça neste segundo tempo.

5′ – Sergio Ramos é o primeiro a tomar cartão no clássico! O capitão colocou a mão na bola e levou primeiro amarelo deste Superclássico.

4′ – Falta para o Barcelona pelo lado direito do campo. Messi vai para a cobrança e levanta a bola na área, mas o árbitro marca falta de ataque do time catalão.

3′ – Mascherano agora vai para o ataque e arrisca chute, que passa muito longe do gol de Diego Lopez.

1′ – Falta perto da grande área para o Real Madrid. Modric vai para a cobrança, e Mascherano afasta o perigo.

1′ – Cristiano Ronaldo vai para o aquecimento e levanta a torcida no Santiago Bernabéu.
0′ – Recomeça o jogo no Bernabéu.

INTERVALO – Alguns recordes do Superclássico deste sábado: Messi está jogando o 25° clássico de sua carreira, superando o brasileiro Roberto Carlos (que teve 24) e se tornando o estrangeiro que mais jogou Superclássicos. O gol do argentino também representou uma importante marca: ele igualou Di Stéfano como maior goleador de Superclássicos – ambos têm 18 gols.

INTERVALO – Como já é de praxe, o Barcelona tem mais posse de bola, mas está parando na defesa do Real Madrid. O time merengue, mesmo com os reservas, consegue ‘parar’ as cabeças pensantes da equipe azulgrená, Messi e Iniesta, e se fecha bem no Bernabéu. Assim, o jogo ficou muito truncado no meio-campo, com apenas 3 chutes a gol do Real e 2 do Barcelona. Enquanto isso, Cristiano Ronaldo segue no banco, apenas como opção para o técnico José Mourinho.

45′ – Apita o juiz! Sem nenhum acréscimo, o árbitro encerra o primeiro tempo do Superclássico no Santiago Bernabéu.
Getty

Kaká ainda não conseguiu se destacar no Superclássico
Kaká ainda não conseguiu se destacar no Superclássico

OPINIÃO LEONARDO BERTOZZI: Kaká não vai bem no jogo, está apagado. É uma grande oportunidade para ele jogar um clássico como esse, mas o brasileiro ainda está um pouco lento e não conseguiu se destacar por enquanto.

43′ – Barcelona tenta chegar ao ataque de novo e troca passes no meio-campo. Dani Alves avança pela direita, mas Morata rouba a bola e retoma a posse para o Real.

40′ – Thiago Alcântara tabela com Pedro na entrada da área, mas o brasileiro acaba perdendo a bola.

37′ – Real Madrid retoma a posse de bola e vai para o ataque. Modric avança pela direita, cruza na cabeça de Morata, que quase faz o segundo dos merengues. A bola foi na rede, mas pelo lado de fora.

36′ – Jordi Alba chega pela esquerda com liberdade, mas cruza muito forte e a bola sai.

OPINIÃO LEONARDO BERTOZZI: Nenhum dos dois times joga bem. Quem está gostando do jogo é o Atlético de Madri, porque para ele, um segundo lugar no espanhol é muita coisa.

35′ –  Mascherano lança a bola para Messi, mas o argentino não consegue alcançá-la.

34′ – Barcelona troca passes no campo de defesa. Messi e Iniesta tabelam, mas sofrem com a marcação e têm dificuldade para armar as jogadas.

32′ – Posse de Bola: Real Madrid – 41%, Barcelona – 59%
Getty

Jogo truncado no Superclássico
Jogo truncado no Superclássico

30′ – Falhou de novo! Sergio Ramos perde a bola, Messi domina e chuta para o gol, mas Diego Lopez faz a defesa.

OPINIÃO LEONARDO BERTOZZI: O Barcelona sempre vai ter mais posse de bola, mas o Real Madrid está conseguindo fazer um jogo de igual para igual, mesmo com o time misto.

28′ – Sergio Ramos vacila na defesa e perde a bola para Dani Alves, mas o brasileiro não consegue se livrar da marcação e o Real recupera a bola.

27′ – Kaká aparece pelo meio e arrisca chute de fora da área, mas Valdes faz a defesa tranquilamente.

25′ – Thiago Alcântara chega duro em Pepe, que fica caído no gramado. Jogadores do Real reclamam e pedem cartão amarelo.

24′ – Real Madrid tenta de novo pela esquerda, Morata cruza a bola na área, mas ela fica com o goleiro Victor Valdes.

22′ – Iniesta tenta enfiadapara Messi, mas a bola vai muito forte e fica com a defesa do Real.

18′ – Com gol marcado neste sábado, Messi iguala marca de Di Stéfano, soma 18 gols contra o Real Madrid e se torna maior artilheiro do Superclássico ao lado do ídolo do Real.
Gol de Messi na voz de Cledi Oliveira
Getty

Messi comemora gol contra o Real
Messi comemora gol contra o Real


17′ – Daniel Alves enfia bola perfeita para Messi, que teve a paciência de dominar, cortar o zagueiro e chutar sem chances para a defesa do goleiro Diego Lopez.

17′ – GOOOOOOOOOL! Do Barcelona! Lionel Messi faz o 18° gol dele no Superclássico.

14′ –  Barça tenta agora pelo lado direito, com Pedro. Alvaro Morata aparece para ajudar Coentrão na marcação e os dois travam o espanhol.

13′ – Agora foi a vez de Villa tentar jogada também pela esquerda. Ele tentou o toque para o meio, mas Modric afastou.

OPINIÃO LEONARDO BERTOZZI: Real Madrid começa com defesa bem postada e anula ataques do Barcelona. Pepe virou volante para ficar grudado no Messi.

12′ – Jordi Alba avança pela esquerda, tenta o cruzamento, mas a defesa merengue faz o corte.

11′ –  Barcelona tenta sair jogando, mas tem dificuldades de se livrar da marcação do Real no meio-campo.

10′ – Thiago Alcântara tenta dominar bola na área, mas faz falta em Sergio Ramos. Bola para o Real Madrid novamente.

OPINIÃO LEONARDO BERTOZZI: Falha coletiva da defesa do Barcelona. Daniel Alves deixou Morata passar, Jordi Alba também não foi nele e depois Mascherano não cortou. ‘Mistão’ do Real Madrid começou melhor e saiu na frente no Bernabéu.
Ouça a narração do gol de Benzema na voz de Cledi Oliveira
Benzema dez Real 1 x 0 Barcelona
Getty

Benzema abre o placar para o Real Madrid
Benzema abre o placar para o Real Madrid
5′ –  Barça perde a bola no meio-campo, a bola acaba nos pés de Alvaro Morata pelo lado esquerdo. O Jogador acerta cruzamento para a área, Mascherano falha no corte, e Benzema não perdoa: 1 a 0 para o Real
5′ – GOOOOOOOL! Real Madrid abre o placar no Bernabéu com Benzema.

3′ – Primeira chegada do Real Madrid, com Kaká pelo lado direito. O brasileiro tocou bem para Benzema dentro da área, mas o francês se atrapalhou com a bola e perdeu.

2′ – Daniel Alves tenta cruzamento, mas Coentrão afasta qualquer perigo.

1′ – Começa o jogo com o Barcelona tocando a bola no campo de defesa.
Getty

Cristiano Ronaldo será reserva no Superclássico
Cristiano Ronaldo será reserva no Superclássico
PRÉ-JOGO – O Real Madrid, por sua vez, é apenas o terceiro colocado, com 52 pontos e já não tem mais esperanças de título.

PRÉ-JOGO – Os times sobem para o campo e se preparam para o início da partida. O Barcelona tem 68 pontos somados até aqui e é líder isolado do Espanhol, 12 pontos à frente do segundo colocado, Atlético de Madri.
Veja as escalações: 

Real Madrid

Diego López; Varane, Pepe, Sergio Ramos e Fabio Coentrão; Essien, Modric e Kaká; Callejón, Morata e Benzema

Barcelona
Victor Valdés; Daniel Alves, Piqué, Mascherano e Jordi Alba; Busquets, Thiago Alcântara, Iniesta; Villa, Messi e Pedro

Fonte: ESPN

CR7 faz dois, Real humilha Barça no Camp Nou e vai à final da Copa do Rei

A expectativa antes do clássico era quanto à iminência de Messi quebrar o recorde de Alfredo Di Stéfano e se tornar o maior artilheiro dos duelos entre Barcelona e Real Madrid. A outra estrela do duelo, Cristiano Ronaldo, ficou longe dos holofotes. Entretanto, na hora da verdade, quem brilhou foi o craque português. Com dois gols, CR7 comandou o triunfo merengue por 3 a 1 sobre o rival, em pleno Camp Nou, garantindo a presença de sua equipe na final da Copa do Rei. Varane, outro destaque do jogo ao anular Messi, completou o placar, enquanto Jordi Alba diminuiu.

Em uma partida extremamente tensa, repleta de faltas e discussões, o sempre polêmico Cristiano Ronaldo esteve quieto. Não se envolveu nas confusões protagonizadas por Arbeloa e Jordi Alba. Apareceu pouco, mas sempre de forma decisiva. Voltou a pedir calma para os torcedores catalães e saiu de campo com um histórico respeitável: oito gols nos últimos seis jogos em território inimigo. Alex Ferguson, técnico do Manchester United, que esteve no Camp Nou para acompanhar a partida, deve ter saído do estádio bem mais preocupado para o duelo pela Liga dos Campeões na próxima semana.

Para completar, o triunfo serviu para lavar a alma do Real Madrid. Acostumado a ver o grande rival brilhar nos últimos anos, o time merengue conseguiu a maior vitória sobre o adversário desde 2008, quando venceu os catalães por 4 a 1. As marcas quebradas não param por aí: a equipe da capital não fazia três gols no Camp Nou desde março de 2007, num empate em 3 a 3, enquanto os blaugranas não sofriam três gols em casa desde dezembro de 2008, numa derrota por 3 a 2 para o Shakhtar.
Galeria Mosaico Real Madrid vence Barcelona na semifinal da Copa do Rei (Foto: Editoria de Arte / Globoesporte.com)
Real Madrid vence Barcelona com show de CR7 (Foto: Editoria de Arte / Globoesporte.com)

CR7 brilha, e Messi se apaga

O placar de 0 a 0 garantia a classificação do Barcelona, mas jogar em casa contra o maior rival é uma tentação grande demais para os catalães ficarem na defesa. Assim, com o habitual toque de bola e linhas adiantadas de marcação, os blaugranas não demoraram para assumir o domínio territorial da partida. No primeiro minuto, a blitz quase deu resultado. Pedro fez boa jogada pela direita e cruzou para Messi, que girou e bateu cruzado, mas a bola foi para fora.

Cristiano Ronaldo comemora gol do Real Madrid contra o Barcelona (Foto: AP)
CR7 sai para comemorar o primeiro gol do Real na partida (Foto: AP)

A favor do Real, é necessário dizer que os merengues não se importaram em dar espaço ao adversário. O objetivo era ter liberdade onde mais importa: no ataque. Quanto mais o Barça avançava, mais à vontade ficava Cristiano Ronaldo para puxar contra-ataques. Em um deles, aos 11 minutos, saiu o primeiro gol. O craque português recebeu pela direita e, completamente livre, pedalou para cima de Piqué, que o derrubou dentro da área. Na cobrança de pênalti, bola para um lado, e goleiro para outro: 1 a 0 Real no ritmo de CR7.

A vantagem só fez intensificar a postura mais defensiva dos visitantes. O Barça seguia tocando a bola, mas, a exemplo da partida contra o Milan, não tinha criatividade e raramente finalizava. Messi, enjaulado numa marcação implacável e anulado por um Varane impecável, pouco aparecia, enquanto Fàbregas errava tudo o que tentava. Solitário, Iniesta buscava as jogadas, mas era pouco para superar a marcação merengue. Não à toa, a melhor chance catalã foi em bola parada, aos 38 minutos, quando Messi, em cobrança de falta, chutou rasteiro e viu a bola passar rente à trave direita de Diego López.

Messi na partida do Barcelona contra o Real Madrid (Foto: Reuters)
Messi pouco fez e foi anulado pelo francês Varane (Foto: Reuters)

Conforme os minutos passavam, a tensão aumentava. Arbeloa e Jordi Alba eram os mais exaltados e protagonizavam os lances mais violentos do jogo, enquanto cada decisão do árbitro Undiano Mallenco era contestada.

Alex Ferguson na torcida do jogo entre Barcelona e Real Madrid (Foto: AFP)
Alex Ferguson esteve no Camp Nou para
acompanhar o clássico espanhol (Foto: AFP)

Contragolpe ‘mata’ o Barça

Precisando reagir, o Barcelona voltou melhor no segundo tempo. No início, os catalães conseguiram traduzir o domínio da posse de bola em chances de gol. Aos seis minutos, Daniel Alves rolou para Busquets, que chutou de fora da área e obrigou Diego López a fazer boa defesa. Parecia que o ímpeto dos anfitriões daria resultado, mas, a exemplo da etapa inicial, o Real soube aproveitar o espaço que recebeu de presente no ataque.

Aos 11 minutos, no ápice da pressão blaugrana, veio o alívio merengue. Khedira, pressionado, deu um chutão ainda na entrada da área. A bola caiu nos pés de Di María, que arrancou desde a intermediária ofensiva, entortou Puyol e chutou cruzado. Pinto conseguiu defender, mas a bola sobrou nos pés de Cristiano Ronaldo, que, com muita calma, mandou para o fundo das redes.

A partir do segundo gol merengue, qualquer tentativa do Barcelona de reagir foi por água abaixo. O time da casa simplesmente não conseguia passar pela marcação do Real. Messi, pouco inspirado, abusava dos toques para o lado e não conseguia arrancar com a bola dominada. Nem mesmo a entrada de David Villa no lugar de Fàbregas deu a força ofensiva necessária aos blaugranas.

Varane volta a marcar

E, como uma recompensa à ótima atuação na defesa, coube a Varane fechar de vez o caixão catalão. Aos 22 minutos, o zagueiro, que já havia marcado no jogo de ida, garantindo o empate no Santiago Bernabéu, subiu livre após cobrança de escanteio e cabeceou para o gol, sem chance para Pinto: 3 a 0 Real Madrid.

Raphael Varane marca o terceiro gol do Real Madrid contra o Barcelona (Foto: Reuters)
Varane sobe mais que todo mundo para sacramentar o triunfo merengue (Foto: Reuters)

Apesar da enorme desvantagem, o Barcelona continuou no ataque, mas seguia improdutivo. O Real Madrid, por sua vez, se banqueteava nos contra-ataques. Pela esquerda, Cristiano Ronaldo levava vantagem sobre a marcação com frequência, mas o foco merengue parecia não ser mais os gols. A vingança tinha outra motivação, e isso ficou claro com a entrada de Pepe aos 33 minutos. O zagueiro luso-brasileiro não perdeu tempo para iniciar uma pequena confusão com Jordi Alba e Puyol, para depois sair rindo. Logo depois, Sergio Ramos deu uma entrada forte em Messi no meio de campo.

Apesar da má atuação, o Barcelona ainda conseguiu o gol de honra. Aos 44 minutos, Jordi Alba recebeu ótimo passe de Iniesta e tocou na saída de Diego López, mas não comemorou. A festa era dos merengues.

Cristiano Ronaldo comemora gol do Real Madrid contra o Barcelona (Foto: AFP)
Cristiano Ronaldo comemora gol do Real Madrid contra o Barcelona (Foto: AFP)
globo.com