Copa 2014

Desde que existe a fase oitavas de final, Alemanha sempre se classificou

A fase oitavas de final, como conhecemos hoje, existe desde a Copa de 1986. Desde então, a Alemanha sempre esteve nessa fase e sempre se classificou, sendo a única a alcançar esse feito.

Quem chegou mais perto dos alemães foram os brasileiros, que chegou a todas as oitavas de final, mas não se classificou às quartas em 1990.

A Alemanha começou esse bom desempenho em 1986, quando venceu o Marrocos por 1 x 0. O jogo, no entanto, foi sofrido, e a classificação só veio com um gol de Matthäus aos 42 da segunda etapa.

Em 1990, um clássico europeu esteve no caminho da Alemanha, mas o jogo foi relativamente mais fácil, com vitória por 2 x 1, mas com o gol holandês saindo apenas no fim do jogo, com um pênalti. Na Copa seguinte, os germânicos enfrentaram a Bélgica e também não tiveram muita dificuldade. O time abriu 3 x 0, mas acabou sofrendo dois gols no fim, que não mudaram o resultado.

Em 1998, a Alemanha voltou a decidir no fim do jogo. Contra o México, o jogo estava empatado até os 41 minutos da segunda etapa, quando Oliver Bierhoff decidiu o jogo para a Alemanha.

Já em 2002, novamente contra um adversário não-europeu, os alemães voltaram a sofrer e decidir apenas no fim da partida. Neuville, aos 43 minutos da segunda etapa, definiu a classificação alemã para as quartas de final. Em 2006, jogando em casa, o time da Alemanha passou pela Suécia com certa facilidade, vencendo os rivais europeus por 2 x 0.

Na última Copa, em 2010, os alemães tiveram seu melhor desempenho nas oitavas. Após enfrentar novo rival europeu, a Alemanha classificou-se com goleada: 4 x 1 sobre a Inglaterra.

Alemanha nas oitavas de final
Data Jogo Local Copa
17/06/1986 Marrocos 0 x 1 Alemanha Ocidental Universitário (Monterrey-MEX) 1986
24/06/1990 Alemanha 2 x 1 Holanda Giuseppe Meazza (Milão-ITA) 1990
02/07/1994 Alemanha 3 x 2 Bélgica Soldier Field (Chicago-EUA) 1994
29/06/1998 Alemanha 2 x 1 México Stade de la Mosson (Montpellier-FRA) 1998
15/06/2002 Alemanha 1 x 0 Paraguai Jeju World Cup Stadium (Seogwipo-COR) 2002
24/06/2006 Alemanha 2 x 0 Suécia Allianz Arena (Munique-ALE) 2006
27/06/2010 Alemanha 4 x 1 Inglaterra Free Stade (Bloemfontein-AFS) 2010
 

 

Fonte: PLACAR

França tenta voltar às quartas do Mundial contra a Nigéria

Após uma decepcionante Copa em 2010, quando caiu na primeira fase, a França quer voltar a disputar as quartas de final do Mundial, repetindo o feito das Copas de 1986, 1998 e 2006. Nas duas últimas citadas, a equipe conseguiu atingir a final, enquanto em 1986, caiu nas semifinais, para a Alemanha. A Nigéria, por sua vez, tenta chegar às quartas de final pela primeira vez na história, e ser a zebra da chave.

Primeiro time africanos a chegar nas segunda fase da Copa por três edições seguidas, a Nigéria tem números inferiores aos franceses nessa Copa de 2014. Os franceses têm uma média de chutes e passes superiores aos nigerianos. Enquanto os europeus são uma das equipes que mais chutaram na primeira fase, com média de 20,7 chutes por jogo, tendo o terceiro melhor ataque da fase (nove gols), os nigerianos chutaram apenas 14 vezes a gol por jogo, e marcaram apenas quatro vezes.

Nos passes, os franceses também têm ampla vantagem. Foram 1467 passes, contra 1071 dos nigerianos. Para aumentar a diferença, os europeus acertaram 80% deles, enquanto os africanos só acertaram 70%.

A esperança da Nigéria está em Musa, que marcou dois gols contra a Argetina, e Obi Mikel, cérebro da equipe. Já a França tem uma equipe mais equilibrada, mas deposita suas confianças no artilheiro Benzema.

Vantagem africana no confronto histórico

Nigéria e França enfrentaram-se apenas uma vez na história. Em um amistoso, em Saint-Etienne, no ano de 2009, os franceses perderam em casa da Nigéria por 1 x 0.

PROVÁVEIS ESCALAÇÕES

FRANÇA: Lloris, Debuchy, Varane, Sakho (Koscielny) e Evra; Cabaye, Matuidi e Sissoko (Pogba); Valbuena, Benzema e Giroud. Técnico. Didier Deschamps

NIGÉRIA: Enyeama, Ambrose, Oshaniwa, Yobo e Omeruo; Obi Mikel, Onazi e Odemwingie; Moses, Musa e Emenike. Técnico: Stephen Keshi.

Fonte: PLACAR

Costa Rica bate Grécia nos pênaltis e vai às quartas da Copa pela 1ª vez

Costa Rica despachou Grécia nos pênaltis depois de 55 minutos de jogo com um a menos | Crédito: Yves Herman/REUTERS

Costa Rica e Grécia fizeram, neste domingo, uma partida de muita movimentação na Arena Pernambuco, pelas oitavas de final da Copa do Mundo de 2014. Os Ticos saíram na frente no começo do segundo tempo, mas tiveram um jogador expulso aos 20, se encolheram e sofreram o empate já nos acréscimos. Depois de uma prorrogação sem mudança no placar, a Costa Rica venceu nos pênaltis e se classificou para as quartas de final de um Mundial pela primeira vez em sua história.

O primeiro tempo começou com domínio costarriquenho, mas o bom poscionamento da defesa grega impediu que os Ticos levassem muito perigo ao gol de Karnezis. Nos minutos finais da primeira etapa, a Grécia se soltou e foi ao ataque. E quase abriu o placar com Salpingidis, aos 37, mas Navas salvou a Costa Rica com o joelho direito.

A melhor atuação da Grécia nos primeiros 45 minutos ficou evidente com os números. Foram 7 finalizações dos europeus contra apenas 2 dos costarriquenhos. Os TIcos ficaram mais tempo com a bola, com 53% de posse, mas a Grécia soube se defender e aguardar o momento de atacar.

Mas foi a Costa Rica, de Bryan Ruiz, quem abriu o placar. Já no segundo tempo, aos 7 minutos, o camisa 10 recebeu bola da esquerda do ataque dos Ticos e, da meia-lua, chutou rasteiro no canto direito de Karnezis.

Aos 20 minutos, Duarte fez falta em ataque da Grécia, levou o segundo cartão amarelo e foi expulso. A Costa Rica tinha a vantagem no placar, mas teria que segurar os gregos por, ao menos, 25 minutos com um homem a menos. E a Grécia foi para cima, apesar da pouca qualidade técnica de seus jogadores.

E, de tanto tentar, aos 46, Sokratis pegou rebote do goleiro Navas em chute de Gekas na entrada da pequena área e fuzilou para o gol de empate. Mais uma vez, a seleção helênica alcançava a sobrevida na Copa do Mundo com gol nos acréscimos do segundo tempo. A partida iria para a prorrogação em justiça ao time que finalizou 4 vezes mais que o adversário (16 da Grécia contra 4 da Costa Rica).

A prorrogação só esquentou de verdade no segundo tempo. Cubero conseguiu boa jogada pela direita do ataque dos Ticos e cruzou para Campbell, que tentou de letra, mas furou. Depois de cobrança de escanteio da Costa Rica, a Grécia puxou um contra-ataque com cinco jogadores contra apenas dois costarriquenhos, mas Navas defendeu finalização de Lazaros. E novamente salvou em chute de Mitroglou, já nos acréscimos. A decisão ficou para os pênaltis.

Navas defendeu a cobrança de Gekas e, com um 5 x 3, a Costa Rica tornou-se a segunda seleção da América Central a ficar entre as oito melhores equipes de uma Copa do Mundo. A primeira foi Cuba, em 1938.

Fonte: PLACAR

Holanda vira em cinco minutos e México novamente cai nas oitavas

Jogadores da Holanda comemoram gol do Sneijder contra o México | Crédito: Marcelo Del Pozo / REUTERS

Debaixo de um sol escaldante Holanda e México se enfrentaram na Arena Castelão, em Fortaleza, em duelo válido pelas oitavas de final da Copa do Mundo. La Tri saiu na frente, mas parou no final e em cinco minutos sofreu a virada por 2 x 1. Com isso, a ‘maldição’ das oitavas persiste, pois desde 1994 os mexicanos sempe caem nesta fase do torneio.

Por conta do forte calor, a Holanda adotou a estratégia de cadenciar o jogo, e pouco ameaçou no início. Aos, cinco minutos, o volante De Jong sentiu uma fisgada e saiu para a entrada de Indi. O México chegou com perigo, aos 17, Peralta rolou para o meio e Herrera bateu rasteiro próximo ao pé da trave. La Tri novamente assustou com Peralta, em dividia com De Vrij.

Confira o minuto a minuto da partida

A seleção holandesa tinha mais posse de bola, porém o México seguia assustando. O volante Salcido arriscou de fora da área e o goleiro Cilessen espalmou para escanteio.

Apagado na partida, o atacante Van Persie teve um boa chance aos 27, porém mandou por cima do gol de Ochoa. Os laranjas apenas tocavam e claramente davam mostras de que estavam se preservando para a segunda etapa. Por isso, a chance mais clara novamente foi mexicana, em rápido contra-ataque Giovani dos Santos bateu cruzado e Cilessen defendeu com o pé.

Na volta do intervalo, logo aos três minutos, Giovani dos Santos dominou na entrada da área e bateu no canto, sem chances para Cilessen. Com o 1 x 0, os comandados recuaram e passaram a oferecer a intermediária para a Holanda. O empate quase veio com o zagueiro De Vrij, que escorou o escanteio da direita, a bola bateu em Ochoa e depois na trave.

O técnico Miguel Herrera sacou o ‘desagastado’ Giovani dos Santos e colocou Aquino para controlar mais o meio. Nas poucas vezes em conseguiu pegar na bola, Robben levou Rafa Márquez e bateu cruzado em cima do goleiro mexicano. Na sequência, Chicharito Hernández entrou no lugar de Peralta, enquanto do outro lado, Van Gaal sacou Van Persie para a entrada de Huntelaar.

Aos 42, o atacante teve participação decisiva ao ajeitar de cabeça para o meio de área, e Sneijder pegou de frente para decretar o empate. Visivelmente abatido, o México parou em campo e Robben fez fila na área até ser derrubado por Rafa Márquez. Huntelaar bateu e se consagrou como o grande herói.

Agora, nas quartas de final, a Holanda encara o vencedor de Costa Rica ou Grécia.

Fonte: PLACAR

Zebras, Costa Rica e Grécia fazem o duelo mais surpreendente da Copa

Por Recife

COSTA RICA X GRÉCIA - Apresentação do Jogo (Foto: Infoesporte)

Melhor se ater às diferenças do confronto mais surpreendente da Copa do Mundo. O rótulo de zebra é o lugar comum. Costa Rica e Grécia chegam às oitavas de final com trajetórias distintas. Tanto quanto o estilo de jogo de cada uma. Se os Ticos empolgaram com um futebol rápido, alegre e ofensivo, os gregos resistiram à sua maneira. Ao fim do jogo deste domingo na Arena Pernambuco, a partir das 17h, uma das seleções seguirá fazendo história.

Thia Motta Campbell costa rica x italia   (Foto: Reuters)
Atacante Campbell tem sido o destaque
da Costa Rica no Mundial (Foto: Reuters)

A Costa Rica tenta superar a campanha de 1990 e alcançar as quartas de final pela primeira vez. As vitórias sobre Uruguai e Itália asseguraram uma das classificações mais inesperadas da história das copas, em primeiro lugar no grupo da morte. A Inglaterra foi a terceira campeã mundial na chave que viu os Ticos avançarem, quem diria, com uma rodada de antecedência.

Os gregos esperaram até o último minuto – literalmente – para reafirmar a lição de uma década atrás: nunca duvide deles, os campeões da Eurocopa de 2004. O enredo no Grupo C teve cara de Grécia. Com direito a gol salvador aos 47 minutos do segundo tempo, de pênalti, contra a Costa do Marfim. Nas duas primeiras rodadas, derrota para a Colômbia por 3 a 0 e empate com o Japão em 0 a 0. Um ponto, nenhum gol.

– Será um jogo difícil. São duas seleções que, mesmo em esquemas diferentes, possuem algumas semelhanças. Ambas gostam de contra-ataques e acredito que será um jogo duro. Tanto para nós, quanto para eles  – afirmou o técnico da Grécia, o português Fernando Santos.

 Giorgos Samaras jogo Japão x Grécia (Foto: Getty Images)
Giorgos Samaras é o homem de referência no
ataque grego (Foto: Getty Images)

O discurso de Jorge Luis Pinto carrega a mesma carga de respeito ao adversário. Para o treinador da Costa Rica, os gregos merecem tanto ou mais respeito que Uruguai, Itália e Inglaterra. Uma forma de rebater o clima de favoritismo criado em torno dos Ticos para o duelo.

– Essa pressão não foi criada por nós. Isso não muda o nosso posicionamento. Não nos vejo como favoritos. Queremos estar estáveis emocionalmente em campo e precisamos ser realistas. Não há seleção fácil nesta Copa do mundo. É desta forma que interpretamos a Grécia. Um time que sabe se defender muito bem, que conta com jogadores experientes e perigosos. É preciso ter cuidado, sobretudo nos contra-ataques.

Na Costa Rica, a dupla de ataque Joel Campbell e Bryan Ruiz alia juventude e experiência, velocidade e presença de área. Se completa. Na Grécia, sistema defensivo à parte, o centroavante Georgios Samaras requer cuidados. Quanto a desfalques, a única baixa é o volante grego Kone. O confronto ainda marca o encontro de Campbell com os ex-companheiros de Olympiacos: Samaris, Holebas, Maniatis, Manolas e Avraam.

Holanda x México: melhor ataque desafia o goleiro que parou o Brasil

Por Fortaleza

HOLANDA X MÉXICO - Apresentação do Jogo (Foto: Infoesporte)

 

Destaques ofensivos da primeira fase, Van Persie e Robben carregaram a Holanda e contribuíram para que a seleção terminasse a primeira fase da Copa do Mundo como o melhor ataque da competição, com 10 gols – a Colômbia já tem 11, mas dois foram marcados na fase de oitavas. Os desafios aumentam com a sequência da competição e, neste domingo, às 13h (de Brasília), em Fortaleza, eles terão pela frente o paredão Ochoa e a defesa do México, que pararam o Brasil e levaram apenas um gol, empatando com Bélgica e Costa Rica como os times menos vazados. A partida vale vaga nas quartas de final da Copa.

Desde o primeiro jogo da Copa do Mundo, Van Persie e Robben vêm mostrando o poderia ofensivo da Holanda. Logo na estreia, golearam a atual campeã Espanha por 5 a 1. Cada um fez dois gols nesse jogos e abriram caminho para a campanha vitoriosa na fase de grupos.

Robben recebe de Robin van Persie a braçadeira de capitão contra a Austrália (Foto: Agência Getty Images)Robben e Van Persie formam dupla poderosa no ataque da seleção holandesa (Foto: Agência Getty Images)

A dupla já marcou seis vezes na competição, sendo três de cada. Van Persie não atuou contra o Chile, na vitória por 2 a 0, por estar suspenso. Coincidentemente, Robben não fez gol, mas deu passe para o segundo, de Depay na reta final do confronto.

Van Persie e Robben estão com 30 anos de idade e se entendem como poucos. Mesmo sem nunca terem atuado juntos em clubes, dividem na seleção da Holanda um momento especial, lutando por marcas históricas com a camisa do país na expectativa de conseguir mais uma chance de disputar o título.

– Robben é um grande jogador. Adoro jogar com ele. É sempre inesperado. O importante é entender o seu jogo, pois pode fazer muitas coisas especiais. Ele é rápido, dá muitos passes decisivos. Juntos, jogamos mais centralizados, mas já conseguimos como dupla seis gols na Copa. Espero que continue assim – afirmou Van Persie.

Do outro lado, no entanto, enfrentarão um dos destaques da competição. Em sua primeira Copa do Mundo como titular, Ochoa brilhou intensamente no empate em 0 a 0 com o Brasil, pela segunda rodada, quando fez uma série de defesas no único jogo em que a seleção brasileira não balançou a rede na Copa do Mundo.

Guillermo Ochoa Brasil x Mexico (Foto: Reuters)
Ochoa parou Neymar e companhia e levou apenas um gol em toda a primeira fase da Copa (Foto: Reuters)

O goleiro mexicano ainda conta com uma defesa experiente, comandada por Rafa Márquez, de 35 anos. Ele tem como companhia Rodríguez, de 32, e Moreno, de 26. Assim, o México levou apenas um gol na competição, no fim do jogo com a Croácia, quando venceram por 3 a 1.

– Defensivamente o time foi muito bem nas outras partidas. Contra a Croácia, quando faltavam quatro minutos, a equipe relaxou e acabamos levando um gol. Não podemos relaxar assim. Mas no restante do tempo, a equipe se comportou muito bem tanto na defesa quanto no ataque – afirmou o técnico Miguel Herrera.

Neste domingo, a missão é voltar a disputar as quartas de final da Copa. O México não alcança essa fase desde 1986, quando foi a sede da competição. Nas últimas cinco edições, caiu justamente nas oitavas de final. Em meio à disputa entre ataque e defesa, a busca mexicana é por continuar fazendo história.

* Colaboraram para a matéria Cassius Leitão, Juscelino Filho, Thaís Jorge e Thales Soares

Veja fotos de Brasil x Chile, na Arena Mineirão-BH

Brasil e Chile fizeram um jogo nervoso neste sábado, no Mineirão, pelas oitavas de final da Copa do Mundo de 2014. Com o 1 x 1 no tempo normal, o jogo foi para a prorrogação e, sem alteração do placar, pênaltis, vencida por 3 x 2 pela seleção graças a duas defesas de Julio Cesar.

Brasil vence o Chile nos pênaltis em oitavas de final nervosa no Mineirão

 

Brasil e Chile fizeram um jogo nervoso neste sábado, no Mineirão, pelas oitavas de final da Copa do Mundo de 2014. Com o 1 x 1 no tempo normal, o jogo foi para a prorrogação e, sem alteração do placar, pênaltis, vencida por 3 x 2 pela seleção graças a duas defesas de Julio Cesar.

Brasil 1x1 Chile

Jogadores comemoram o gol do Brasil contra o Chile | Crédito: Alexandre Battibugli

Antes dos 15 minutos de jogo, cada lado já havia reclamado de um pênalti a seu favor, nenhum deles assinalado pelo árbitro inglês Howard Webb. E o primeiro gol saiu aos 18 minutos, em cobrança de escanteio de Neymar que David Luiz e Jara dividiram na área e a bola acabou no fundo das redes de Bravo.

A seleção teve algumas boas chances nos minutos seguintes e fazia boa atução defensiva. No entanto, uma lateral cobrada de forma displicente levou ao gol de Alexis Sánchez. Erro de toda a defesa canarinho, que se desligou por um instante e permitiu que Vargas tomasse a bola em devolução curta de Hulk para Marcelo e cruzasse para o companheiro, na cara do gol, fuzilar.

O Brasil continuou pressionando e teve boas chances com Neymar, de cabeça, Fred e Daniel Alves, mas a defesa chilena e o goleiro Bravo salvaram. Em outra saída errada da defesa brasileira, o Chile quase virou, mas David Luiz e Fernandinho conseguiram se recuperar a tempo.

Aos 10 minutos do segundo tempo, Hulk marcou, mas teve o gol anulado. O atacante canarinho dominou a bola com o braço e recebeu o cartão amarelo. Aos 19 minutos, saiu Fred e entrou Jô. Aos 27, saiu Fernandinho, mancando, e entrou Ramires.

O Brasil perdia o controle do jogo, e o Chile tocava a bola sem problemas em seu campo de ataque. Mas de nada adiantou: a equipe brasileira continuou perdida em campo e, não fosse Julio Cesar salvar em chute de Aránguiz, o jogo terminaria aos 90 minutos. Mas foi para a prorrogação.

E a seleção canarinho voltou melhor para o tempo extra. Adiantou a marcação, tocou a bola e conseguiu manter os chilenos mais longe do gol de Julio Cesar. E teve boas chances com Jô, Hulk e Oscar, mas os brasileiros sempre pararam nas boas defesas de Bravo. Pinilla ainda carimbou o travessão nos minutos finais. O Brasil respondeu com arrancada de Neymar e toque para Hulk, que a defesa roja desviou para escanteio. Ramires ainda arriscou de fora da área após a cobrança, mas a bola foi para fora. E a decisão ficou para os pênaltis.

David Luiz abriu a cobrança de penalidades com gol, e Julio Cesar defendeu o chute de Pinilla. Willian desperdiçou, e novamente o goleiro brasileiro salvou na cobrança de Sánchez. Marcelo fez 2 x 0 e Aránguiz descontou. Bravo defendeu o pênalti de Hulk e Diaz empatou. Neymar não decepcionou e deixou a seleção à frente. Jara acertou a trave e classificou o Brasil para as quartas de final da Copa do Mundo em sua casa.

28/6 – MINEIRÃO (BELO HORIZONTE-MG)

BRASIL 1 (3) X 1 (2) CHILE

J: Howard Webb (Inglaterra); P: 57 714; G: David Luiz 18 e Sánchez 31 do 1°; CA: Mena, Silva, Pinilla, Hulk, Luiz Gustavo, Daniel Alves

PÊNALTIS

Brasil: David Luiz, Marcelo e Neymar converteram; Willian, Hulk desperdiçaram

Chile: Aránguiz e Díaz converteram; Pinilla, Sánchez e Jara desperdiçaram

BRASIL: Julio Cesar (8), Daniel Alves (5,5), Thiago Silva (6), David Luiz (6) e Marcelo (5,5); Luiz Gustavo (5,5), Fernandinho (5,5) (Ramires 26 do 2° (5,5)), Hulk (6,5) e Oscar (5,5) (Willian – intervalo da prorrogação (5,5)); Neymar (6) e Fred (4,5) (Jô 18 do 2° (4,5)). T: Luiz Felipe Scolari

CHILE: Bravo (7,5), Silva (5,5), Medel (6) (Rojas 2 do 2° da prorrogação (5,5)) e Jara (6); Isla (5,5); Díaz (6), Aránguiz (5,5), Vidal (6) (Pinilla 41 do 2° (6)) e Mena (5,5); Vargas (6) (Gutiérrez 10 do 2° (5,5)) e Sánchez (6,5) . T: Jorge Sampaoli

Fonte: PLACAR

Com números parecidos, Colômbia e Uruguai se enfrentam sem suas estrelas

Colômbia e Uruguai fecham o sábado de confrontos entre sul-americanos no Maracanã, às 17 horas (de Brasília), para ver quem enfrenta o vencedor de Brasil x Chile nas quartas de final. E tantos os Cafeteros como a Celeste chegam às oitavas sem suas principais estrelas, Falcao Garcia e Luis Suárez.Quem olhar os números das duas equipes pelas outras estatísticas, arriscaria que as duas equipes jogam da mesma forma. O Uruguai acertou 895 passes, dez a mais que a Colômbia. A taxa das duas seleções, no entanto, é de 70% de passes concluídos. Os dois times correram praticamente a mesma distância, de 104 quilômetros. Os Cafeteros, na verdade, se moveram 200 metros a mais, totalizando 104,8 km. O número de finalizações também é parecido (12 dos colombianos contra 11 dos uruguaios).A grande diferença está no ataque mais mortal dos colombianos e na violência mais acentuada nos uruguaios. Enquanto a Colômbia se ocupou em marcar 9 gols nas primeiras três partidas, o Uruguai teve um jogador expulso, cometeu 57 faltas (contra 49 dos adversários destas oitavas), recebeu 6 amarelos (contra apenas 2 dos colombianos) e só conseguiu balançar as redes 3 vezes. A equipe de Jose Pekerman, portanto, é mais fatal quando ataca.

A Fifa registra 38 duelos competitivos entre as duas seleções. E vantagem uruguaia, com 18 vitórias, contra 11 triunfos da Colômbia e 9 empates. O Uruguai também marcou mais gols, com 54. Os colombianos anotaram 43 vezes.

O duelo será marcado principalmente pela ausência de Luis Suárez. O atacante foi banido do futebol por quatro meses, e sequer pode acompanhar a delegação uruguaia no restante do Mundial. Oscar Tabárez e seus comandados terão que deixar de lado os problemas com o principal jogador celeste para, mais uma vez, superar as adversidades e chegar às quartas de final.

Já a Colômbia, aparentemente, chega com o trauma de perder sua principal estrela, Falcao Garcia, superado.

Veja as prováveis escalações de Colômbia x Uruguai:

Colômbia: Ospina, Zúñiga, Zapata, Yepes, Armero; Aguilar, Sánchez, James Rodríguez; Cuadrado, Ibarbo; Jackson Martínez. Técnico: José Pekerman

Uruguai: Muslera, Cáceres, Giménez, Godín, Alvaro Pereira; Álvaro González, Arévalo, Lodeiro, Cristian Rodríguez; Stuani (Rodríguez) e Cavani. Técnico: Oscar Tabárez

Fonte: PLACAR

Brasil encara o velho conhecido Chile nas oitavas de final em casa

Brasil e Chile voltam a se encontrar em uma Copa do Mundo quatro anos depois das oitavas de final do Mundial da África do Sul. Neste sábado, às 13 horas (de Brasília), as seleções sul-americanas abrem a fase de mata-mata da edição 2014 do torneio no Mineirão.

Esta é a terceira vez que Brasil e Chile se encontram nesta mesma fase de Copa do Mundo. E quem venceu nas duas outras oportunidades foi o lado amarelo. Em 1998, o time que tinha Rivaldo e Ronaldo como principais estrelas (e foi base da seleção campeã em 2002) passou por 4 x 1 pela Roja de Marcelo Salas, que anotou o “gol de honra” chileno. Na África do Sul, Juan, Luis Fabiano e Robinho puseram fim à campanha do Chile com uma vitória por 3 x 0.

O histórico de duelos competitivos entre as duas seleções mostra ampla vantagem brasileira. Foram 68 partidas até hoje, com 48 vitórias do Brasil, 13 empates e apenas 7 triunfos chilenos, segundo dados da Fifa. A seleção canarinho marcou 159 gols, enquanto a Roja anotou 58.

Neste Mundial, as duas equipes têm estatísticas parecidas. Ambas as seleções acertatam 80% dos passes que trocaram. Mas o Brasil finalizou mais, e também marcou mais gols (7 a 5). O número de faltas também está próximo (37 dos brasileiros contra 38 dos chilenos), assim como os cartões amarelos (4 para cada lado).

A Roja leva vantagem no total de passes certos (1426 contra 1158 da equipe amarela) e na distância percorrida por seus atletas, que se movimentaram 11,5 quilômetros a mais que os brasileiros. Ou seja, o Brasil toca menos a bola, mas leva mais perigo ao gol adversário, enquanto o Chile valoriza mais a posse de bola e tem maior movimentação.

O técnico Luiz Felipe Scolari deve fazer ao menos uma alteração para a partida em relação ao time que goleou Camarões. Fernandinho entra no lugar de Paulinho. O treinador ainda deixa no ar uma dúvida se trocará o lateral-direito Daniel Alves por Maicon ou até Hulk por Ramires. David Luiz sentiu dores no treino desta sexta e não se confirma para o jogo, mas não deve ser problema para o sábado.

Já Jorge Sampaoli poupou alguns de seus atletas do treino desta sexta e também não entregou que time deve ir a campo. A grande dúvida é se ele optará por um time mais defensivo, com Francisco Silva como terceiro zagueiro, ou se irá para cima da seleção, com Valdívia no meio-campo.

Veja as prováveis escalações de Brasil x Chile:

Brasil: Julio Cesar, Daniel Alves (Maicon), Thiago Silva, David Luiz (Dante), Marcelo; Luiz Gustavo, Fernandinho, Oscar; Hulk, Neymar; Fred.Técnico: Luiz Felipe Scolari

Chile: Bravo, Medel, Francisco Silva (Valdívia), Jara; Isla, Aránguiz, Díaz, Vidal, Mena; Alexis Sánchez e Vargas. Técnico: Jorge Sampaoli

Fonte: PLACAR