Fórmula 1

O que Rosberg e Hamilton precisam para ser campeões na Fórmula-1

AS CONTAS PARA O TÍTULO NA FÓRMULA-1

CLASSIFICAÇÃO DO MUNDIAL DE PILOTOS

1º) Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – 367 pontos
2º) Lewis Hamilton (ING/Mercedes) – 355 pontos

O QUE ROSBERG PRECISA PARA SER CAMPEÃO:

• Chegar em terceiro lugar: mesmo se Hamilton vencer, Rosberg fica com o título indo ao pódio.
1º) ROS – 382 pontos
2º) HAM – 380 pontos

• Sexto lugar, se Hamilton for segundo:
1º) ROS – 375 pontos
2º) HAM – 373 pontos

• Oitavo lugar, se Hamilton for terceiro:
1º) ROS – 371 pontos
2º) HAM – 370 pontos

Caso Hamilton chegue em quarto, Rosberg é campeão mesmo se não marcar pontos

O QUE HAMILTON PRECISA PARA SER CAMPEÃO

• Vencer, com Rosberg em quarto:
1º) HAM – 380 pontos
2º) ROS – 379 pontos

• Segundo lugar, com Rosberg em sétimo:
1º) HAM – 373 pontos
2º) ROS – 373 pontos
Neste caso, Hamilton seria campeão por ter mais terceiros lugares, com 4 a 2 (os dois empatariam no número de segundos lugares, com 4 cada)

• Terceiro lugar, com Rosberg em nono:
1º) HAM – 370 pontos
2º) ROS – 369 pontos

Fonte: ZH Esportes

Em corrida emocionante, Hamilton vence GP do Brasil e leva disputa do título para Abu Dhabi

POSTED BY: MARIO VICTOR

São Paulo – Lewis Hamilton fez o dever de casa e venceu o GP do Brasil de ponta a ponta para ainda ter chances de ser campeão da Fórmula 1 em 2016 – primeira vitória do inglês aqui. Nico Rosberg, líder do campeonato, passou por momentos de tensão – quando perdeu a segunda posição para Verstappen e quando aquaplanou e quase bateu, o que praticamente daria o título mundial ao companheiro, mesmo ainda faltando uma corrida, em Abu Dhabi, daqui a uma semana.

Mas os carros da Mercedes foram os que menos tiveram destaque durante a prova. Max Verstappen largou em quarto, assumiu a terceira posição na primeira curva na relargada, chegou a ficar fora da zona de pontuação, mas recuperou todas as posições e chegou ao pódio. O melhor piloto do dia, sem dúvidas.

Hamilton comemorou muito sua primeira vitória no Brasil

Hamilton comemorou muito sua primeira vitória no Brasil

Felipe Massa não teve a despedida que desejou. Assim como um dos outros cinco pilotos a abandonar corrida, ele aquaplanou, bateu e promoveu o momento mais emocionante do final de semana. No caminho de volta para os boxes da Williams, o brasileiro foi aplaudido por todos no circuito de Interlagos, inclusive fazendo todos os mecânicos da Mercedes, Ferrari e Williams irem para a frente dos boxes aplaudí-lo em sua passagem.

Felipe Nasr se beneficiou muito da chuva e dos abandonos dos outros carros para conseguir os primeiros pontos da Sauber no ano e garantindo que a equipe fique à frente, pelo menos por enquanto, da Manor no Mundial de Construtores. O feito pode garantir ao brasiliense uma vaga no grid de 2017.

Abandono de Massa emocionou a todos

Abandono de Massa emocionou a todos

Abaixo, todos os detalhes do GP do Brasil 2016.

Com muita chuva em Interlagos às 13h50, dez minutos antes de a corrida começar, a direção de prova decidiu atrasar em dez minutos a corrida e fazer a largada com o Safety Car à frente do carros. Assim seguiu até a volta 7, quando ele entrou nos boxes e, na volta 8, os pilotos puderam acelerar um pouco mais. Logo na primeira curva Verstappen aproveitou o vacilo de Raikkonen e fez a ultrapassagem na curva 1.

Não demorou muito para várias equipes decidirem trazer seus carros aos boxes para colocar os pneus intermediários. Na subida da da reta principal, Vettel rodou e quase causou um acidente com Perez, que vinha logo atrás. Pouco depois foi a vez de Marcus Ericsson rodar praticamente no mesmo lugar. Mas, ao contrário de Sebastian, que conseguiu voltar para a pista, o sueco bateu no muro de proteção e parou na entrada dos boxes, bloqueando a passagem. O Safety Car foi acionado novamente e a entrada nos boxes fechada.

Hamilton liderando GP do Brasil 2016

Hamilton liderando GP do Brasil 2016

Nesse ponto, Felipe Massa e Daniel Ricciardo já estavam sendo investigados. O brasileiro por ter ultrapassado Gutierrez antes da linha da primeira saída do Safety Car, e o australiano por ter entrado nos boxes quando carro de Ericsson estava bloqueando o caminho e a entrada estava proibida.Depois de retirada a Sauber da pista, a prova voltou, mas não por muito tempo. Na volta de número 20, Kimi Raikkonen aquaplanou na reta de largada, rodou, bateu no muro de proteção e seu carro ficou atravessado. Perez, Sainz e Ocon quase colidiram com a Ferrari. A corrida foi paralisada. Bandeira vermelha e todos os carros ficaram enfileirados na saída dos boxes. Os pilotos aproveitaram para sair e conversar com os engenheiros.

Enquanto a prova não voltava, os comissários confirmaram as duas punições. Cinco segundos para Massa e para Riciardo. Felipe Nasr foi um dos que mais aproveitou toda essa confusão. Depois de largar em penúltimo, o brasileiro chegou à sétima posição no momento da paralisação da prova. Caso o GP não voltasse, ele garantiria preciosos pontos para a Sauber, que ainda não marcou nenhum esse ano. Apesar de a Manor estar com os dois pilotos na zona de pontuação no momento da bandeira vermelha – nono e décimo -, como Nasr estava na sétima colocação, ganharia seis pontos para o time, fazendo com que eles passassem os adversários no Mundial de Construtores.

Corrida teve duas bandeiras vermelhas

Corrida teve duas bandeiras vermelhas

Mas a corrida voltou quase 40 minutos depois. A chuva não havia diminuído, mas os carros voltaram para a pista. Às 15h21 – horário de Brasília – os carros saíram, novamente com o Safety Car à frente. No retorno, Palmer não viu o carro de Kvyat e acabou batendo na lateral. Por sorte, apenas a Renault ficou danificada e precisou abandonar. O grid estava assim: Hamilton, Rosberg, Verstappen, Perez, Sainz, Nasr, Ricciardo, Ocon, Wehrlein, Alonso, Bottas, Magnussen, Button, Vettel, Hulkenberg, Massa, Gutierrez e Kvyat.

Pelo rádio, os pilotos seguiam dizendo que a visibilidade não estava boa. A corrida seguiu com Safety Car por mais 8 voltas até ser dada bandeira vermelha novamente, às 15h35. Após 15 minutos de paralisação, a direção de prova decidiu reiniciar a corrida às 16h02.

No retorno, Max Verstappen fez uma linda ultrapassagem em Nico Rosberg e assumiu a segunda colocação. Na saída da curva 3, o holandês botou por fora e passou a Mercedes. Aqui, destaque para algo impensável: Vettel disputando a décima posição com Wehrlein que, depois disso, começou a descer no grid, sendo ultrapassado por Hulkenberg, Magnussen e Bottas.

Max Verstappen ainda protagonizou uma cena de tirar o fôlego. Tentando se aproximar de Hamilton, ele aquaplanou na reta principal e quase bateu no muro, conseguindo recuperar o controle do carro a poucos centímetros do muro. Ainda voltou para a pista à frente de Rosberg.

Na volta de número 42, Ricciardo foi para o boxe e pagou a punição de 5s, ficando parado sem os mecânicos tocaram no carro. Ele botou os pneus intermediários e, na primeira volta depois que saiu, fez a volta mais rápida da corrida: 1m25s532. Dos onze primeiros, apenas os da Red Bull estavam com pneus intermediários nesse momento.

Nico Rosberg também deu um susto na equipe e quase entregou o título a Hamilton na volta 44. Ele aquaplanou, perdeu o controle do carro, mas conseguiu recuperar a tempo de se manter na pista.

Mecânicos da Mercedes foram aplaudir o brasileiro

Mecânicos da Mercedes foram aplaudir o brasileiro

E foi nesse momento que o final de semana de despedida de Felipe Massa acabou. O brasileiro aquaplanou na reta principal, bateu no muro de proteção e seu carro ficou parado quase no mesmo lugar do de Ericsson. Visivelmente triste e chateado, como não poderia ser diferente, ele, no caminho de volta para os boxes, parou e acenou para os fãs com uma bandeira do Brasil em mãos. Safety Car novamente na pista e entrada para o boxe proibida.

Parecia que a corrida tinha parado. Todos os mecânicos da Mercedes, Ferrari e Williams foram para a frente dos boxes aplaudir o brasileiro, deixando muitos emocionados até na sala de imprensa, de onde também recebeu aplausos.

Verstappen foi o grande destaque da corrida com excelentes ultrapassagens

Verstappen foi o grande destaque da corrida com excelentes ultrapassagens

Mas o GP continuou e quase dez voltas depois do acidente de Felipe, o Safety Car saiu da pista. A corrida recomeçou com essa ordem no grid: Hamilton, Rosberg, Perez, Sainz, Vettel, Nasr, Hulkenberg, Ocon, Kvyat, Bottas, Ricciardo, Wehrlein, Verstappen – porque parou nos boxes -, Gutierrez, Magnussen, Button e Alonso – que rodou sozinho pouco antes de o Safety Car sair.

Faltando dez voltas para o fim, Verstappen conseguiu ultrapassar Ocon e chegou em Nasr para brigar, então, pela sétima posição. No mesmo momento que Gutierrez, com problema no carro, abandonou. O piloto da Red Bull não demorou para passar o brasiliense, que, logo em seguida, foi superado por Ricciardo também, caindo para a nona colocação.

Mesmo com a pista ainda muito molhada, Verstappen protagonizou excelentes ultrapassagens. Nasr, Hulkenberg, Vettel, Sainz e Perez foram vítimas do holandês voador. Sem dúvidas, o melhor piloto da corrida. Faltando uma volta para o fim e ele alcançou o pódio de forma espetacular.

Com 11s segundos de vantagem, Lewis Hamilton venceu e levou a disputa pelo título para a última etapa, em Abu Dhabi.

AS CONTAS PARA O TÍTULO NA FÓRMULA-1

CLASSIFICAÇÃO DO MUNDIAL DE PILOTOS

1º) Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – 367 pontos
2º) Lewis Hamilton (ING/Mercedes) – 355 pontos

O QUE ROSBERG PRECISA PARA SER CAMPEÃO:

• Chegar em terceiro lugar: mesmo se Hamilton vencer, Rosberg fica com o título indo ao pódio.
1º) ROS – 382 pontos
2º) HAM – 380 pontos

• Sexto lugar, se Hamilton for segundo:
1º) ROS – 375 pontos
2º) HAM – 373 pontos

• Oitavo lugar, se Hamilton for terceiro:
1º) ROS – 371 pontos
2º) HAM – 370 pontos

Caso Hamilton chegue em quarto, Rosberg é campeão mesmo se não marcar pontos

O QUE HAMILTON PRECISA PARA SER CAMPEÃO

• Vencer, com Rosberg em quarto:
1º) HAM – 380 pontos
2º) ROS – 379 pontos

• Segundo lugar, com Rosberg em sétimo:
1º) HAM – 373 pontos
2º) ROS – 373 pontos
Neste caso, Hamilton seria campeão por ter mais terceiros lugares, com 4 a 2 (os dois empatariam no número de segundos lugares, com 4 cada)

• Terceiro lugar, com Rosberg em nono:
1º) HAM – 370 pontos
2º) ROS – 369 pontos

Nico ameaça, mas Hamilton é pole por 1 décimo em Interlagos; Massa é o 13º

A classificação não foi boa para os pilotos brasileiros. A Williams não mostrou a mesma força dos treinos livres e, em seu último GP em casa na Fórmula 1, Felipe Massa foi eliminado no Q2, e terá que largar apenas em 13º, duas posições atrás do companheiro Valtteri Bottas, que também não avançou à superpole. Já a Sauber se mostrou o pior carro da sessão, e Felipe Nasr terminou em último, enquanto seu parceiro Marcus Ericsson foi o penúltimo. Os dois, no entanto, ganharam uma colocação cada, já que Esteban Ocon (Manor) foi penalizado com três posições no grid por ter atrapalhado Jolyon Palmer (Renault) durante a atividade.

GRID DE LARGADA – GP DO BRASIL

1º – Lewis Hamilton (Mercedes) – 1m10s736
2º – Nico Rosberg (Mercedes) – 1m10s838
3º – Kimi Raikkonen (Ferrari) – 1m11s404
4º – Max Verstappen (RBR) – 1m11s485
5º – Sebastian Vettel (Ferrari) – 1m11s495
6º – Daniel Ricciardo (RBR) – 1m11s540
7º – Romain Grosjean (Hass) – 1m11s937
8º – Nico Hulkenberg (Force India) – 1m12s104
9º – Sergio Perez (Force India) – 1m12s165
10º – Fernando Alonso (McLaren) – 1m12s266
11º – Valtteri Bottas (Williams) – 1m12s420
12º – Esteban Gutiérrez (Haas) – 1m12s431
13º – Felipe Massa (Williams) – 1m12s521
14º – Daniil Kvyat (STR) – 1m12s726
15º – Carlos Sainz (STR) – 1m12s920
16º – Jolyon Palmer (Renault) – 1m13s258
17º – Jenson Button (McLaren) – 1m13s276
18º – Kevin Magnussen (Haas) – 1m13s410
19º – Pascal Wehrlein (Manor) – 1m13s427
20º – Marcus Ericsson (Sauber) – 1m13s623
21º – Felipe Nasr (Sauber) – 1m13s681
22º – Esteban Ocon (Manor) – 1m13s432*

*Esteban Ocon (Manor) fez o 20º tempo, mas foi penalizado com três posições no grid de largada por atrapalhar Jolyon Palmer (Renault) durante o treino classificatório

Soberano, Hamilton vence GP dos EUA de ponta-a-ponta

Não teve para ninguém. Lewis Hamilton vence o GP dos EUA deste domingo (23) e consolida a sua 50º vitória na Fórmula 1. O piloto britânico conseguiu ganhar pela quarta vez em Austin em uma prova que dominou de ponta a ponta. Já Nico Rosberg foi o segundo. O condutor alemão perdeu a sua única chance para ultrapassar o seu companheiro de equipe na Mercedes na primeira curva do circuito das Américas (COTA) – onde também foi atrapalhado pela Red Bull Racing (RBR) de Daniel Ricciardo, que finalizou a etapa em terceiro completando o pódio.

A Ferrari ficou de fora do pódio por mais uma vez. Sebastian Vettel foi o quarto e com direito a marca a volta mais rápido do GP dos EUA, com 1min39s877. Para a surpresa de todos, Fernando Alonso assegurou a quinta colocação para a McLaren-Honda. O espanhol desempenhou grandes ultrapassagens nos carros de Carlos Sainz Jr (Toro Rosso) e Felipe Massa (Williams) – que também pontuaram, mas com a sexta e sétima colocações respectivamente.

Hamilton vence

Hamilton vence GP dos EUA e diminui a diferença para 26 pontos contra Rosberg

Sergio Pérez também pontuou para a Force India com a oitava colocação. Jenson Button ganhou dez posições e finalizou em nono, assegurando pontos junto com Alonso para a McLaren-Honda. E fechando o top-10, a Haas F1 Team volta a pontuar com Romain Grosjean que ficou em décimo.

Felipe Nasr – cogitado na Force India para a temporada de 2017 – desempenhou uma corrida mediana com a sua Sauber e finalizou o GP dos EUA na 15º colocação. Kimi Raikkonen abandonou após erro técnico ocorrido no pit-stop. Max Verstappen teve sua prova arruinada por conta de problemas de câmbio no RB12. E Esteban Gutiérrez (Haas) e Nico Hulkenberg (Force India) fecham a lista dos condutores que abandonaram a etapa de Austin. O mexicano por conta de problemas nos freios. Já o alemão teve danos ocorridos no VJM09 após contato com a Williams de Bottas na pista.

Com o resultado, Rosberg ainda continua liderando o Mundial de Pilotos com 331 pontos, 26 atrás de Hamilton que agora tem 305. Daniel Ricciardo é o terceiro colocado 227. A próxima etapa é o GP do México, agendada para o domingo (30) no circuito Hermanos Rodríguez.

HAMILTON, O SOBERANO DE AUSTIN

Clima quente em Austin. A largada do GP dos EUA não poderia ter sido diferente. Lewis Hamilton largou na ponta. Ele conseguiu conservar a sua colocação à frente e o melhor, sem sofrer com problemas de embreagem. Neste mesmo momento, a Mercedes de Nico Rosberg tentou atacar o W07 Hybrid de Hamilton. Esperto, o britânico fechou os espaços e continuou no traçado do circuito das Américas (COTA), impossibilitando a ultrapassagem do seu companheiro de equipe na primeira curva.

Quem se aproveitou desta situação foi a Red Bull Racing (RBR) de Daniel Ricciardo. Que após erro cometido por Rosberg, o australiano não pensou duas vezes e tomou a segunda colocação. E assim continuou pelas oito voltas seguinte. Até que numa distração, o condutor da Mercedes retomou a sua colocação. Mas era tarde demais. Hamilton já havia de isolado na ponta e colocava a diferença de pelo menos seis segundos.

Em largada

Em largada eletrizante, Rosberg tentar ultrapassar Hamilton na curva 1, mas é atrapalhado por Ricciardo

Outro que largou bem foi Felipe Massa. O piloto da Williams ganhou duas posições antes mesmo da primeira curva. E mesmo com compostos macios (PZERO Amarelo), soube se manter na zona de pontuação em grande parte da corrida. Quem teve azar foi Valtteri Bottas. O finlandês recebeu um toque da Force India de Nico Hulkenberg – o que gerou danos na traseira do FW38. Com isso, os dois pilotos precisaram antecipar a parada no pit-stop. Bottas voltou para a pista. Já Hulk abandonou logo depois.

Ainda na primeira volta, a Scuderia Toro Rosso (STR) de Daniil Kvyat se envolveu em incidente com a Force India de Sergio Pérez. O espanhol tocou na traseira do VJM09 do mexicano. Para evitar um acidente pior, Jenson Button saiu por fora da pista após a curva 11. Devido a essa confusão, Kvyat foi punido com o GO&Stop de cinco segundos.

A primeira briga por posições aconteceu ainda na primeira volta. Max Verstappen fez uma belíssima manobra e tomou a quinta colocação que estava nas mãos da Ferrari de Sebastian Vettel.

Na volta 7, as duas Haas F1 Team quase se envolveram em um acidente. Mais lento, Esteban Gutiérrez tentou se proteger dos ataques de Romain Grosjean. Mas, a experiência fez a diferença e ajudou ao francês tomar 11º colocação do condutor mexicano.

Gutiérrez e Grosjean

Gutiérrez e Grosjean brigaram sem companheirismo pela 11º colocação

O primeiro a abrir a sessão de troca de pneus foi Kimi Raikkonen. O piloto da Ferrari, que tinha largado com os pneus supermacios (PZERO Vermelho) preferiu mudar para os compostos macios (PZERO Amarelo). Logo após, a Red Bull de Ricciardo também fez a sua primeira parada, seguindo a mesma estratégia do seu rival vermelho.

Na volta 11, Rosberg foi o primeiro condutor da Mercedes a desempenhar a troca de pneus no GP dos EUA. O alemão preferiu utilizar o pneu médio (PZERO Branco) para tentar diminuir a chances de pit-stop. Uma volta depois, Hamilton realizada a sua parada. Só que ao invés de utilizar o PZERO Branco, o britânico usa uma estratégia mais agressiva e volta para a pista com o pneumático macio.

Verstappen é o mais rápido na volta 13. O holandês cravou 1min43s055 e começou a perseguir freneticamente a Ferrari de Raikkonen. O jovem e polêmico condutor ultrapassa o ‘Homem de Gelo’ na segunda reta de ativação da Asa Móvel (DRS) em manobra limpa.

Vettel realiza a sua primeira parada na volta 15. O piloto da Ferrari seguiu a mesma estratégia do seu companheiro de equipe. E trocou os pneumáticos supermacios pelos macios. Enquanto isso, a McLaren-Honda de Fernando Alonso derruba o melhor tempo de volta na prova do GP dos EUA. O espanhol superou Verstappen e colocou 1min43s035.

Alonso

Em certo momento, Alonso conseguiu ser o mais rápido em Austin com 1min43s035

Com problemas nos freios, Gutiérrez abandonou o GP dos EUA. O mexicano recolheu o seu VF-16 após ter muita dificuldade para levar a sua máquina até os boxes.

A partir da volta 20, Verstappen conseguiu diminuir o espaço existente contra a Mercedes de Rosberg. O holandês tenta se aproximar para executar um possível ataque. Mas, a diferença de potência da unidade de força alemã o impede de tentar qualquer tentativa furtiva. Enquanto isso, Hamilton se consolida na liderança do GP dos EUA com a diferença de 15 segundos para os demais.

A McLaren-Honda de Jenson Button fez uma belíssima ultrapassagem na Toro Rosso de Kvyat na volta 21 e entra para a zona de pontuação, na décima colocação. Após ter perdido a sua posição para Button, Kvyat ainda teve que aguentar o assédio de Sergio Pérez, que o ultrapassou na zona de ativação do DRS.

Ainda sem fazer paradas, Felipe Nasr perdeu a 13º colocação para a Renault de Kevin Magnussen. O condutor da Sauber estava mais lento, com os pneus médios, enquanto que o dinamarquês utilizava compostos macios.

Os pilotos da Sauber tiveram dia intensa de disputa no circuito de Austin

Os pilotos da Sauber tiveram dia intensa de disputa no circuito de Austin

Na volta 27, Marcus Ericsson e Nasr começam uma intensa briga pelo 15º lugar. Enquanto isso, Verstappen entra nos boxes sem o pedido da Red Bull e pega o conjunto de pilotos de surpresa. Em pit-stop atrapalhado, o condutor holandês muda seus pneus macios pelos médios e volta para a pista em sétimo – logo atrás da Williams de Massa.

Neste mesmo momento, Kimi Raikkonen melhora seu ritmo e faz a melhor volta da corrida com 1min41s841. Duas voltas depois, Vettel vai para os boxes. O alemão troca os compostos macios pelos médios, seguindo a mesma estratégia da Red Bull. Massa também vai para o pit lane executar a sua segunda parada na prova.

Na volta 31, Verstappen abandonou o GP dos EUA. O piloto holandês aparentemente teve problemas com o câmbio do RB12 e teve que ir arrastando o seu carro da quarta para a oitava curva do circuito de COTA. Após estacionar a máquina taurina, os comissários de prova anunciam o ‘Safety Car Virtual’.

Essa situação fez com que as Mercedes chamassem seus pilotos para os boxes. O primeiro a entrar foi Hamilton que trocou os pneus macios pelos médios. Rosberg também entrou e fez a estratégia contrária do seu companheiro de equipe.

Com Safety-Car Virtual

Com Safety-Car Virtual, Mercedes não perdeu tempo e mudou de estratégia de pneus

Magnussen e Jolyon Palmer começam a protagonizar uma briga intensa pela 14º colocação. Apesar das tentativas de ultrapassagens, Palmer não conseguiu ultrapassar seu companheiro de equipe na Renault. Reclamando no rádio sobre possíveis manobras evasivas do dinamarquês.

De olho no pódio, Raikkonen começa se aproximar da Red Bull de Ricciardo na volta 37. Apesar da diferença de cerca de apenas 1 segundo, os compostos desgastados da Ferrari do ‘Homem de Gelo’ o impediram de tentar qualquer ultrapassagem.

Na volta 39, Raikkonen se torna o terceiro piloto a deixar o GP dos EUA. Parte da pistola de encaixe de brocas das rodas ficou preso no pneu traseiro direito do SF16-H no momento de liberação do carro na troca dos compostos. O erro foi notado pela equipe técnica da Ferrari, que pediu para o ‘Homem de Gelo’ abandonar imediatamente a corrida.

E para completar, o finlandês ainda entrou no pit lane de ré para manter o seu carro em local seguro. Já nos boxes no time de Maranello, a confusão estava instalada, onde se apurava o verdadeiro culpado pelo fim da corrida do ‘Homem de Gelo’.

kimi-raikkonen-ferrari-sf16-h

Erro no pit-stop arruinou corrida de Raikkonen no GP dos EUA

Cinco voltas depois, Sainz Jr começa a ser atacado pela Williams de Massa. O piloto da Toro Rosso tenta defender a sua quinta colocação a todo custo. A demora do brasileiro para ultrapassar o espanhol da STR foi algo que beneficou a McLaren-Honda de Alonso – que encostou no FW38. As três máquinas continuaram brigando entre si por dez voltas.

Enquanto isso, brigando pelos pontos, a Toro Rosso de Kvyat ultrapassa a Sauber de Ericsson e fica com 11º colocação. Já Palmer que tinha passado Magnussen pouco antes, terminou perdendo a 13º colocação para o seu companheiro de equipe da Renault.

Faltando apenas três voltas para o final do GP dos EUA, e voltando à disputa entre Sainz Jr-Massa-Alonso, o piloto da STR erra o ponto de freada, Massa falha seguidamente, e mais esperto, Alonso passou o brasileiro numa incrível manobra roda-com-roda. A questão ficou sob investigação pelos comissários de prova.

Na volta 54, Nasr começa a atacar a Williams de Bottas. O brasileiro realiza um belo X no finlandês e toma a colocação do condutor do time de Grove na curva 8 da pista de COTA. Neste mesmo momento, Vettel vai para os boxes e troca seus compostos médios pelos supermacios, para assim tentar se aproximar do pódio.

Nasr

Nasr consegue ultrapassar Williams de Bottas em belíssima manobra na curva 8 de Austin

Faltando poucos metros para o fim do GP dos EUA, Alonso começa a pressionar a Toro Rosso de Sainz Jr. A batalha pela quinta colocação rouba os holofotes, quando o piloto da McLaren-Honda ultrapassar o seu compatriota na curva 13.

Depois disso, fim de corrida. Vitória de Hamilton. Rosberg é o segundo. E Ricciardo fica em terceiro. Massa pontuou com a sétima colocação. E Nasr ficou em 15º.

gp-dos-eua-circuito-das-americas-cota

 

Rosberg consegue sua primeira vitória em Abu Dhabi

Por F1Team

Abu Dhabi, uma das etapas mais bonitas do calendário, deu números finais a temporada 2015 da Fórmula 1. A corrida deste domingo (29), não trouxe nenhuma competitividade entre os pilotos, nada que levantasse os fãs que estavam nas arquibancadas, tudo muito burocrático. O que houve mesmo de destaque foi a atrapalhada da Williams na passagem de Bottas pelos boxes. Fora isso, foi uma monotonia total nas 55 voltas da corrida.

Rosberg vence em Abu Dhabi

Rosberg vence em Abu Dhabi

Largando na pole, sexta consecutiva, Nico Rosberg foi imbatível no asfalto de Yas Marina. Diferentemente do seu companheiro de equipe, que correu equipado com o novo propulsor da Mercedes, o germânico soube controlar a versão anterior do seu motor e fez uma corrida tranquila. Essa foi a primeira vitória de Nico Rosberg em Abu Dhabi. O melhor resultado do piloto, até então, teria sido um terceiro lugar na temporada de 2013.

Apesar de toda tentativa, até mesmo evitar uma segunda parada nos boxes, em vão, Hamilton em nenhum momento conseguiu ameaçar a liderança de Nico. Ao que tudo indica, sua segunda passagem pelo pit comprometeu essa briga pela ponta. Hamilton acabou mesmo recebendo a bandeirada na segunda posição. E nem de longe repetiu o desempenho da temporada passada quando venceu em Yas Marina. Muito por culpa da Mercedes, que limitou a performance do tricampeão faltando algumas voltas para o fim da última etapa do ano.

O terceiro degrau no pódio foi ocupado pela Ferrari de Kimi Raikkonen. O finlandês, que tinha largado na terceira posição, acabou a prova no mesmo posto. Entre os carros italianos, o destaque ficou por conta de Sebastian Vettel. O piloto ferrarrista tinha alinhado seu carro em 15º, culpa rejeitada pela equipe italiana, e conseguiu terminar o GP de Abu Dhabi na quarta posição.

Quem cruzou alinha de chegada na quinta colocação foi o mexicano Sergio Pérez. Com esse resultado, a equipe da Force India cravou sua melhor temporada na história da F1. A sexta e a sétima posição foi ocupada por Daniel Ricciardo e Hulkenberg, respectivamente. O oitavo lugar ficou com o brasileiro Felipe Massa. Na nona colocação, apareceu o carro guiado por Romain Grosjean. Fechando o top-10, Daniil Kvyat. Felipe Nasr foi apenas o 15º colocado.

CU_HxdnWEAARm0P

Rosberg dá bote no final, supera Hamilton e crava 5ª pole seguida

Por F1Team

O treino de qualificação do GP do Brasil, neste sábado (14), não foi tão bom para Felipe Massa. Abaixo do esperado, sempre ficando atrás do seu companheiro de equipe, Valtteri Bottas, o brasileiro conseguiu alcançar o Q3 no limite da 10ª colocação, fechando sua participação em oitavo. A Mercedes, que não tem nada a ver com isso, cravou os melhores tempos com seus dois pilotos, Nico Rosberg e Lewis Hamilton.

Rosberg garantiu a pole em Interlagos

Rosberg garantiu a pole em Interlagos

Destaque para Rosberg, que não tomou conhecimento dos adversários e marcou o melhor tempo (1m11s282). Recuperado da febre e do acidente de carro sofrido em Mônaco, no início da semana, Lewis Hamilton ficou em segundo.

No Q1, os pilotos entraram com um ritmo um pouco cauteloso, procurando controlar o desgaste dos pneus, já que o dia foi de sol quente no circuito de Interlagos. Contudo, a partir do Q2 a disputa começou a esquentar de vez.

No Q3, a intensidade foi grande. Com as Mercedes alternando de posição, o briga maior foi pelas posições fora do “pódio”. Destaque para Nico Hulkenberg, que surpreendeu os adversários mais uma vez. Contando com uma atualização em seu propulsores, planejada pela Renault, a RBR foi bem, mas ainda não é párea para Williams, Mercedes e Ferrari.

Além de Rosberg e Hamilton, Sebastian Vettel mostrou velocidade, ficando apenas alguns milésimos longe dos rivais. O alemão irá largar em terceiro. O “infiltrado” Valtteri Bottas foi bem. Entrou na festa sem estar convidado, chegou a ameaçar Vettel, mas acabou sobrando para o compatriota Kimi Raikkonen, também da Ferrari. O finlandês da Williams concluiu o treino em quarto, mas vai largar em sétimo por penalização ao desrespeitar uma bandeira vermelha no TL da última sexta-feira (13). Já Kimi vai iniciar na quarta posição.

Em boa forma na modesta Force India, Nico Hulkenberg aprontou para cima da RBR. O alemão deixou sua marca de 1m12s144 e fechou em quinto, ultrapassando Daniil Kvyat (sexto) e seus novos motores Renault.

Correndo em casa, com o apoio do público que compareceu ao treino de qualificação, Felipe Massa tentou sair perto da ponta. Mas não deu. Terá de se conformar com o oitavo posto. O outro brasileiro do grid, Felipe Nasr, esbarrou no Q2. O competidor da Sauber ficou em 11º.

Por fim, Daniel Ricciardo, da RBR, e o prodígio Max Verstappen, da STR, encerram em nono e décimo, respectivamente.

Confira a classificação do treino de qualificação do GP do Brasil:

CTyaJQQWwAAYnjx.jpg-large

Vettel desbanca os carros da Mercedes em Cingapura

Por 

Em uma corrida extremamente difícil para os pilotos e na qual exige bastante dos carros que formam o grid, os fãs da categoria, que compareceram em um bom número no circuito de Cingapura, observaram o carro vermelho da Ferrari passear no traçado de Marian Bay como uma verdadeira Mercedes nos tempos de hoje. Mesmo em uma prova monótona, conseguiu impor todo o ritmo da corrida, além de não ser ameaçado por nenhum outro piloto durante os 61 giros. Mesmo com o carro de segurança passando por duas vezes durante a etapa.

Vettel vence em Marina Bay com extrema facilidade

Vettel vence em Marina Bay com extrema facilidade

Com todos os números a favor do piloto da escuderia italiana não poderia ser diferente e além de sair na pole, Sebastian Vettel somou a 42ª vitória na carreira em Cingapura. Superando o mítico Ayrton Senna em número de vitórias. Com isso, Seb encosta de vez na briga pelo vice-campeonato. Fora, que já pode voltar a sonhar com título da temporada.

Na segunda colocação cruzou o carro da Red Bull guiado por Daniel Ricciardo. O último pódio do piloto foi um terceiro lugar no GP da Bélgica deste ano. Fechando o terceiro degrau no pódio veio Kimi Raikkonen com o outro carro da Ferrari. Que por sinal, fez uma ótima corrida andando sempre muito próximo dos ponteiros.

Nico Rosberg foi o único que salvou a Mercedes de um vexame maior em Cingapura. Em um final de semana que nada funcionou na esquadra alemã, Rosberg terminou em Marina Bay na quarta posição. Hamilton anotou seu primeiro abandou na temporada.

Valtteri Bottas finalizou a etapa na quinta posição. Em sexto, cruzou Daniil Kvyat. O mexicano, Sergio Pérez, terminou a etapa na sétima colocação. O oitavo carro a cruzar a linha de chegada foi de Max Verstappen. Sainz Jr terminou a prova em nono.

O brasileiro Felipe Nasr conseguiu desenvolver uma boa corrida com o bólido da Sauber. Com um carro equilibrado em mãos, o brasiliense, que finalizou a corrida em décimo, voltou a pontuar na temporada. Já Felipe Massa, com problemas no câmbio da sua Williams, foi obrigado a abandonar prematuramente a prova.

Cingapura

Vettel quebra sequência de Hamilton e garante a pole em Cingapura

por 

Até o momento, estamos vendo um fim de semana bastante atípico na Fórmula 1, pelo menos se levarmos em consideração os resultados deste ano e do ano passado. Hoje, no treino de classificação para o GP de Cingapura, o público pareceu estar no campeonato de 2013, com Ferrari e Red Bull disputando a pole e a Mercedes aparecendo apenas como a terceira força.

Vettel ficou com a pole em Cingapura

Vettel ficou com a pole em Cingapura

Quem aproveitou bem o momento “nostálgico” da categoria foi Sebastian Vettel. Que assim como acontecia no campeonato de 2013 garantiu a pole position. A única diferença é que agora a posição foi conquistada pilotando o carro vermelho italiano.

Seb garantiu a primeira colocação do grid de largada em Marina Bay com o tempo de 1min43s885, mais de meio segundo mais rápido do que o segundo colocado, Daniel Ricciardo. O australiano, por sua vez, cravou 1min44s428 e garantiu o carro da Red Bull na segunda fila.

Em terceiro também teremos uma Ferrari, a de Kimi Raikkonen. Com o tempo de 1min44s667, o Homem de Gelo abrirá a segunda fila do grid de largada. Daniil Kvyat, que surpreendeu ao liderar o segundo treino livre, partirá na quarta colocação, a melhor posição de largada de um russo na Fórmula 1.

Enquanto Ferrari e Red Bull dominaram as primeiras filas do grid, a Mercedes teve que se contentar apenas com a terceira fileira. Lewis Hamilton terminou apenas em quinto, enquanto o seu companheiro de equipe, Nico Rosberg, fechou em sexto.

Os brasileiros não tiveram um desempenho tão empolgante durante o treino. Felipe Massa terminou em nono, enquanto Felipe Nasr foi o décimo sexto.

O treino

A classificação deste sábado prometia ser bem diferente do que estávamos acostumados a ver até o momento no campeonato. Todos viviam a expectativa de como estariam os carros da Mercedes durante o treino, já que não haviam ido bem nos treinos livres.

E pelo que vimos, os carros alemães realmente não estavam escondendo o jogo. O desempenho não foi nem de longe o mesmo de provas anteriores. Melhor para Ferrari e Red Bull, que puderam brigar pelas primeiras posições.

Q1

A disputa pelas posições no grid de largada começou bastante acirrada. Com o crescimento da McLaren, a briga para saber quem passaria para o Q2 ficou ainda mais apertada. Acabou sobrando para os carros daSauber, que costumavam passar com pelo menos um dos seus pilotos para a segunda fase do treino.

Nasr terminou em décimo sexto

Nasr terminou em décimo sexto

Apesar das atualizações no carro, Felipe Nasr não evitou a eliminação logo na fase inicial da classificação e terminou na décima sexta colocação. O seu companheiro de equipe, Marcus Ericsson, ficou logo atrás, em décimo sétimo. Mas a grande surpresa ficou por parte da Lotus de Pastor Maldonado, que também ficou no Q3, concluindo apenas na décima oitava posição.

Como acontece em todas as corridas, os carros mais lentos da classificação foram os da Manor Marussia. Na disputa interna, quem se deu melhor foi Will Stevens, que superou o estreante Alexander Rossi. Eles concluíram a sessão em décimo nono e vigésimo, respectivamente.

Q2

Se na primeira fase do treino a disputa foi apertada, no Q2 não foi diferente. Com os tempos de volta despencando, ficou difícil para os carros do pelotão intermediário encostarem nos líderes. Assim, vimos os dois carros da Force India deixando o treino. Nico Hulkenberg foi quem mais se aproximou do top 10 e concluiu em décimo primeiro. Já o seu companheiro de equipe, Sergio Pérez, foi o décimo terceiro.

Hulk concluiu em décimo primeiro

Hulk concluiu em décimo primeiro

Comprovando a evolução do desempenho do carro da McLaren, Fernando Alonso garantiu o décimo segundo tempo da sessão. O mesmo não fez o seu companheiro de equipe, Jenson Button, que terminou apenas na décima quinta colocação.

Carlos Sainz Jr também acabou eliminado no Q2, mas o espanhol viveu uma situação diferente dos rivais. Na sua última tentativa, o piloto da Toro Rosso acabou batendo no muro e quebrou a sua suspensão, mas conseguiu voltar aos boxes, mesmo com o carro quebrado. No fim, ele terminou em décimo quarto.

Q3

Chegou a “hora da verdade.” Na última fase do treino de classificação saberíamos se o mau desempenho dos carros da Mercedes era apenas uma forma de esconder o jogo ou se eles realmente não estavam tão fortes. E parece que a segunda opção foi a mais correta. Os bólidos prateados não tiveram um ritmo bom e ficaram apenas com a terceira fila. Hamilton terminou em quinto e Rosberg em sexto.

Vettel ficou com a pole

Vettel ficou com a pole

Na frente, a disputa ficou entre Sebastian Vettel e os carros da Red Bull. Mas o tetracampeão mundial não deu qualquer chance para os rivais. Como Hamilton tem costumado fazer nos treinos classificatórios, cravou o melhor tempo logo na sua primeira tentativa e melhorou ainda mais a sua marca, alcançando 1min43s885, e garantindo a pole.

Na sequência, a Red Bull de Daniel Ricciardo foi quem ficou com o segundo melhor tempo. A segunda fila ficou formada por Kimi Raikkonen, em terceiro e Daniil Kvyat, em quarto.

As Williams voltaram a mostrar que ainda estão longe do melhor desempenho nas corridas de rua. Valtteri Bottas terminou apenas em sétimo. Enquanto Felipe Massa foi o nono. Max Verstappen, da Toro Rosso, foi o nono. Enquanto Romain Grosjean foi o décimo.

Confira o resultado do treino

Classificação - Cingapura

Sem dificuldades, Hamilton vence novamente na Itália

Lewis Hamilton, Felipe Massa e Sebastian Vettel fazem a festa no pódio – Luca Bruno / AP
Por F1 Team

O que já era bom ficou ainda melhor e Lewis Hamilton confirmou todo o favoritismo equipado com o novo motor da Mercedes no W06 e passeou na manhã deste domingo no parque de Monza, reduto da Ferrari. O piloto inglês em nenhum momento foi ameaçado pelos adversários, correu livremente e venceu pelo segundo ano consecutivo o Grande Prêmio da Itália.

Hamilton vence na Itália e soma 40ª vitória na F1

Hamilton vence na Itália e soma 40ª vitória na F1

A expectativa ficou por conta da largada. Na pole, Hamilton se viu cercado pelos dois carros da Ferrari. Kimi e Vettel respectivamente. Seu “fiel escudeiro” alinhava no quarto colchete.  Quando a luz verde foi acionada, o homem de gelo ficou pregado por alguns instantes e viu as chances de brigar pelo pódio despencar para a última posição.

Foi a deixa para o líder do campeonato seguir até o fim dos 53 giros do traçado italiano na ponta e cruzar a linha de chegada na primeira colocação.

Em segundo lugar e fazendo a festa da torcida italiana cruzou Sebastian Vettel. Pelo desempenho na pista, o pódio já estava garantido para o piloto alemão. Certo mesmo o terceiro degrau. Mas como todo campeão carrega consigo um pouco de sorte, nas últimas voltas o carro guiado por Nico Rosberg estourou o motor. Fim de prova para o Piloto da Mercedes.

Quem fechou o pódio foi o brasileiro Felipe Massa. Largando na quinta posição, o piloto da Williams seguiu fazendo um prova equilibrado até seu final. Com a saída de Nico, Massa herdou a terceira posição e se viu ameaçado pelo companheiro de equipe na última volta. Porém, com toda a experiência que adquiriu, Felipe segurou Bottas em dois pontos de asa aberta e cravou o 41º pódio na carreira.

Bottas terminou a prova em quarto lugar. Destaque da etapa italiana, Kimi Raikkonen, que tinha alinhado sua Ferrari no P2, sofreu um problema na embreagem do carro e foi parar na última posição. Então os 53 giros passou a ser de recuperação e o finlandês fez muito bem isso. Cruzou a linha de chegada em quinto.

Em sexto cruzou Sergio Pérez. Hulkenberg e Daniel Ricciardo, que levaram um volta do líder, terminaram a prova em sétimo e oitavo respectivamente. Fechando o top-10, Ericsson e Kvyat. O brasileiro Felipe Nasr deixou Monza na 13ª posição.

Itália

Pelo segundo ano consecutivo, Hamilton é pole em Monza

Por F1Team

Lewis Hamilton garantiu a pole position para o GP da Itália pelo segundo ano consecutivo. O inglês da Mercedes confirmou todo o seu favoritismo para a classificação e não teve qualquer dificuldade para superar os rivais e garantir a melhor marca (1min23s397).

Hamilton garantiu a pole em Monza

Hamilton garantiu a pole em Monza

Mas se a Mercedes mais uma vez garantiu a primeira colocação no grid, a Ferrari, dona da casa, não deixou seus fãs frustrados. Os italianos que encheram as arquibancadas viram o time vermelho colocar seus dois carros entre os bólidos prateados.

Kimi Raikkonen foi o terceiro mais rápido do treino classificatório, com sua melhor volta cravada em 1min23s631. Logo atrás dele ficou o seu companheiro de equipe, Sebastian Vettel, com o tempo de 1min23s685. O resultado levou os fãs ao delírio, principalmente pelo fato de Nico Rosberg ter ficado na quarta colocação.

Por falar no companheiro de Hamilton, o vice-líder do campeonato teve um problema com seu motor durante o terceiro treino livre e precisou recorrer a versão antiga da Mercedes, com um pouco menos de potência. Como era de se esperar, o desempenho acabou deixando a desejar, se comparado com Lewis. Nico cravou 1min23s703 e largará em quarto.

O brasileiro Felipe Massa foi bem durante o treino classificatório. O piloto da Williams superou o seu companheiro de equipe e garantiu a quinta colocação no grid de largada, com o tempo de 1min23s940. Já Valtteri Bottas parte em sexto, depois de cravar apenas 1min24s127.

Felipe Nasr, da Sauber, encontrou dificuldades durante o treino e acabou sendo eliminado na segunda fase. Agora, largará na décima segunda colocação.

O treino

A classificação deste sábado começou com amplo favoritismo para Hamilton. Além de ter feito o melhor tempo em todos os treinos livres, o britânico ainda viu o seu único rival a altura, Nico Rosberg, ter problemas no motor. Entretanto, os pilotos da Ferrari sonhavam em dar alegrias para os fãs italianos presentes nas arquibancadas.

Q1

A primeira parte do treino foi marcada por uma situação estranha vivida por Max Verstappen, da Toro Rosso. Quando foi tentar marcar o seu tempo, o jovem piloto viu parte da carenagem que cobre o motor se soltar, causando uma bandeira amarela. Sem conseguir completar a volta, ele terminou o treino sem tempo.

McLaren voltou a decepcionar

McLaren voltou a decepcionar

Quem também não tem muito o que comemorar é a McLaren. Mais uma vez o time inglês esteve mal durante a classificação. Jenson Button e Fernando Alonso até tentaram tirar “leite de pedra”, mas não foi desta vez que eles passaram para a segunda fase do treino. O britânico marcou apenas o décimo sexto tempo, enquanto o espanhol foi o décimo sétimo.

Os outros dois pilotos eliminados, como acontece em todas as corridas, foram Will Stevens e Roberto Merhi, da Manor Marussia.

Q2

A fase 2 do treino de classificação foi um pouco mais agitada do que a primeira. Com Mercedes, Ferrari, Williams e Force India com desempenho suficiente para garantir vaga na fase final, restou a Lotus e Sauber brigar pelas últimas posições no top 10.

Nasr não passou do Q2

Nasr não passou do Q2

Quem se deu bem foi Romain Grosjean e Marcus Ericsson, que passaram para última fase do treino. Assim, Pastor Maldonado ficou apenas com o décimo primeiro tempo. Felipe Nasr, da Sauber, largará logo atrás, em décimo segundo.

A decepção ficou por parte da Toro Rosso de Carlos Sainz Jr e dos carros da Red Bull. O primeiro terminou em décimo terceiro. Enquanto Daniil Kvyat e Daniel Ricciardo terminaram em décimo quarto e décimo quinto, respectivamente, sendo que o australiano nem chegou a marcar tempo.

Q3

Como era de se esperar, a pole position ficou mesmo com Hamilton. O piloto da Mercedes garantiu o melhor tempo da sessão logo na sua primeira tentativa e não foi mais superado por ninguém. Na sequência, os carros da Ferrari roubaram a cena. Kimi Raikkonen garantiu o segundo tempo e Sebastian Vettel o terceiro, jogando Rosberg para a quarta colocação.

Massa fez o quinto tempo

Massa fez o quinto tempo

Os pilotos da Williams também tiveram um bom desempenho na fase final do treino. Felipe Massa foi quem andou melhor e garantiu a quinta colocação. Logo em seguida ficou Valtteri Bottas, em sexto. A Force India de Sergio Pérez terminou em sétimo, seguido por Romain Grosjean, em oitavo.

As duas últimas colocações terminaram nas mãos de Nico Hulkenberg e Marcus Ericsson. O alemão cravou 1min25s317, já o sueco, companheiro de Nasr, marcou 1min26s214.

Confira o resultado do treino:

Classificaçao - monza