Fórmula 1

Pódio de "papai" Grosjean e imbróglio na justiça: sabores distintos para Lotus

Por Spa, Bélgica

Lotus teve, neste domingo no Circuito Spa-Francorchamps, um momento de “Croce e Delizia”, como dizem os italianos para traduzir uma situação em que alegria e tristeza se manifestam no mesmo episódio. A conquista do primeiro pódio da temporada, com o excelente terceiro lugar de Romain Grosjean, no GP da Bélgica, foi um prêmio aos esforços do grupo para reerguer a equipe depois da pior temporada da sua história, no ano passado, quando marcou 10 pontos no campeonato, diante de 701 da Mercedes.

Mas, enquanto o piloto francês e parte dos integrantes da escuderia celebravam o ótimo resultado, o diretor geral, Federico Gastaldi, procurava negociar com os representantes da justiça belga um acordo para evitar o sequestro dos carros e dos equipamentos do time. O piloto francês Charles Pic assinou contrato com a Lotus, no ano passado, e deveria ter guiado o modelo E22-Renault determinado número de sextas-feiras, no treino livre da manhã. Como a Lotus não cumpriu, Pic foi à justiça que, agora, pode impedir de a Lotus sair do Circuito Spa-Francorchamps.

“Desculpe, podemos falar daqui a dez minutos, estou sendo chamado você sabe para o quê”, disse à reportagem do GloboEsporte.com, depois da corrida, o diretor técnico da Lotus, Nick Chesters. Galtadi havia já dito, antes da largada, que se dedicava junto dos advogados da escuderia a resolver a questão. Pic exige uma indenização. Fez um investimento na Lotus, para ter a oportunidade de pilotar, e não recebeu o produto.

No pódio, Grosjean emocionou o grupo e depois, na entrevista dos três primeiros colocados, junto do vencedor, Lewis Hamilton, e o segundo colocado, Nico Rosberg, ambos da Mercedes, se manifestou de forma tão espontânea, bem pouco comum na F-1, que ganhou a simpatia de todos. Grosjean lembrou o ocorrido na largada do GP da Bélgica de 2012, quando por conta de sua conhecida precipitação, por vezes irresponsável, causou um grave acidente. Por muito pouco não feriu Fernando Alonso, da Ferrari, com gravidade. O francês foi suspenso e não disputou o GP da Itália.

Controlar as emoções
“Não é segredo que desde aquele dia eu passei a trabalhar com um psicólogo especializado em esportes de alta performance. Toda vez que largar aqui em Spa vou me lembrar de 2012. O que passei me fez mais forte, me permitiu chegar no pódio, depois, dez vezes. Estar aqui hoje no pódio representa algo especial, sinto como se tivesse vencido a corrida”, disse o francês.

O diretor técnico da Lotus regressou à área dos boxes para atender a reportagem do GloboEsporte.com. “Estamos mais confiantes em poder tirar nossos caminhões daqui”, falou. O assunto passou a ser o GP da Bélgica. “O que mais me deixa feliz e pelo que estamos vendo ao grupo todo é que lutamos contra dificuldades graves no ano passado e agora também. Nosso carro é basicamente o mesmo que estreou na Austrália, por falta de recursos para o desenvolvermos”, contou.

Grosjean falou, depois, em separado, sobre o mesmo tema: “Nosso pessoal trabalhou realmente muito para me permitir chegar hoje ao pódio. Em 2014, nós fizemos um carro que tinha um problema aerodinâmico crônico. Identificamos o que era, mas para resolver seria necessário reprojetar quase tudo e não tínhamos recursos”.

Romain Grosjean comemora terceiro lugar no GP da Bélgica (Foto: Getty Images)Romain Grosjean conquistou o primeiro pódio da Lotus neste ano (Foto: Getty Images)

O piloto se entusiasma ao abordar a superação da Lotus: “Este ano, também com o pouco que temos construímos um carro potencialmente vencedor, mas que também em função das limitações do orçamento não é muito diferente do que usamos nas primeiras etapas. É por isso que esse pódio tem significado especial para nós”.

O chefe dos engenheiros da Lotus, o japonês Ayao Komatsu, engenheiro de Grosjean até o ano passado, elogiou bastante o francês. “Fez um trabalho perfeito, suas ultrapassagens foram espetaculares.” Na oitava volta, Grosjean ultrapassou Valtteri Bottas, da Williams, para ser sexto. Na 18.ª, deixou para trás Daniel Ricciardo, da RBR, para ocupar o quarto lugar. Na 20.ª, Sérgio Perez, da Force India, e assumiu a terceira colocação.

Como Grosjean fez o segundo pit stop na 21.ª volta, caiu para quarto. Lutava na 42.ª volta com Sebastian Vettel, da Ferrari, a uma volta do fim, para ser terceiro quando explodiu o pneu traseiro direito do alemão. Tinha chances de ganhar a posição, pois Vettel tinha os mesmos pneus desde a 14.ª volta.

Komatsu deu mais detalhes do trabalho de Grosjean: “Na verdade, já sábado nos surpreendeu com o quarto tempo. Pena sermos obrigados a substituir o câmbio, fazendo-o largar em nono. De qualquer forma, não haveria mesmo como chegar nos pilotos da Mercedes.” O piloto da Lotus recebeu a bandeirada em terceiro, 35 segundos e 930 milésimos depois de Rosberg.

De coração aberto
Quando os assuntos são pessoais, quase por lei os pilotos são breves na F-1, evitam ao máximo falar. Mas Grosjean, aos 29 anos, não se omitiu ao ser perguntado, na coletiva, que conselho daria a Rosberg, sentado do seu lado, a dias de se tornar pai. O francês se tornou pai pela segunda vez dia 16 de maio, Simon. O outro filho, Sacha, homem também, tem dois anos. “Durma o máximo que você pode enquanto seu bebê não está aqui”, aconselhou Grosjean ao alemão.

“Um filho ajuda sua vida de modo geral. Você não faz mais as coisas para você, mas as faz para eles, por serem tudo para você. É o seu sangue que flui no corpo deles. Quando você tem um fim de semana difícil, ou um dia ruim, você os chama à noite através do Skype, vê sua face, ou suas faces, e simplesmente sorri. Isso o ajuda a relaxar e acordar novo no dia seguinte.” A F-1 não está acostumada com essas manifestações sinceras, emanadas de dentro, depois de uma corrida.

O piloto que a maioria via como antipático, desinteressado no que os outros tinham a dizer e em algumas ocasiões expunha os colegas a elevados riscos mostra-se, hoje, um sentimental. “Somos pilotos, amamos o que fazemos, sabemos ser perigoso, tivemos um bom exemplo recentemente (outro francês, Jules Bianchi, morreu dia 15 de julho, em decorrência do acidente sofrido dia 5 de outubro no GP do Japão).”

Romain Grosjean em ação no GP da Bélgica (Foto: AP)
Romain Grosjean em ação no GP da Bélgica (Foto: AP)

Grosjean parecia desejar falar: “Eu nunca venci um GP, nunca fui campeão do mundo, mas a emoção que senti quando meus dois filhos nasceram foram muito maiores que as que conheci até então no mundo. Desejo a Nico o mesmo. Ele provavelmente em Monza (próxima etapa, dia 6) já nos dirá como é essa sensação”.

A respeito do GP da Itália, o chefe dos engenheiros da Lotus disse esperar um bom desempenho do modelo E23-Mercedes. “Nosso carro aqui em Spa, pista de baixa para média carga aerodinâmica se mostrou muito rápido e equilibrado. Monza é de baixa carga. Vimos como o motor Mercedes faz a diferença nesses traçados. Estou animado, mas não sei se seremos tão competitivos como aqui.”

O outro piloto da Lotus, Pastor Maldonado, começou a corrida em sétimo, mas abandonou ainda depois da segunda volta com um problema na bateria dos sistemas de recuperação de energia.

Até as 22 horas em Spa, 17 horas de Brasília, os integrantes da Lotus trabalham normalmente na preparação dos equipamentos para embarcar, via caminhão da escuderia, para Enstone, Inglaterra.

Após largada avassaladora, Vettel desbanca Mercedes e conquista vitória

Por F1Team

Em uma corrida cheia de duelos, Sebastian Vettel foi o dono da festa em corrida com direito a homenagem ao francês Jules Bianchi, piloto falecido na última semana. Com um largada perfeita, o alemão deixou as Mercedes e as Williams a ver navios e conquistou sua segunda vitória na temporada 2015 e 41º na história da Fórmula 1, durante o GP da Hungria, neste domingo (26).

Vettel

Vettel foi soberano no circuo de Hungaroring, neste domingo (26).

Aproveitando as falhas das rivais, a Red Bull Racing surpreendeu e completou o pódio. Daniil Kvyat e Daniel Ricciardo mostraram que o RB11 já dá sinais de evolução, assegurando a segunda e terceira posição, respectivamente. Com Kvyat, vale lembrar o registro histórico do segundo pódio de um russo na F-1.

Em quarto, o prodígio Max Verstappen não travou duelo e aproveitou-se da falhas das Mercedes, conquistando seus pontos. Em má fase desde sua volta à Mclaren, Fernando Alonso, enfim, apresentou uma boa performance, sendo  capaz figurar na parte de cima da classificação. O espanhol terminou na quinta colocação, seguido por Hamilton, que, apesar de ter largado no topo, não esteve em um bom dia.

Fechando o top 10, Romain Grosjean, da Lotus, Nico Rosberg, da Mercedes, Jenson Button, da Mclaren e Marcus Ericci, da Sauber. Destaque para a frustração de Rosberg, que teve seu pneu furado em duelo travado com o australiano Ricciardo. O acidente custou o pódio e as chances de diminuir a diferença de pontos para seu companheiro Lewis Hamilton na ponto do Mundial.

A decepção da prova foi da Williams. Longe dos desempenhos anteriores, os carros de Felipe Massa e Valtteri Bottas alcançaram as pífias 12ª e 13ª posições, respectivamente. Outro brasileiro no grid, Felipe Nasr, da Sauber superou as Williams, terminando em 11º.

Confira a classificação do GP húngaro:  

gp da hungria    

Soberano, líder Hamilton garante a pole na Hungria

Por F1Team

Depois de dominar todos os treinos livres, Lewis Hamilton confirmou o favoritismo na Hungria e garantiu a pole position em Hungaroring, neste sábado. O britânico não deu nem chances para os rivais e quando ninguém já podia o alcançar mais, ele ainda melhorou o seu tempo e cravou 1min22s020, mais de meio segundo para o seu companheiro de equipe, Nico Rosberg.

Hamilton largará na pole em Hungaroring

Hamilton largará na pole em Hungaroring

O alemão, por sinal, largará apenas na segunda colocação. Ele, que havia ficado com a pole do GP da Hungria de 2014, até se esforçou para bater o companheiro no fim da classificação, mas um erro nas últimas curvas acabou custando caro. Nico fechou o treino com a marca de 1min22s595.

Sebastian Vettel, da Ferrari, manteve o ritmo logo atrás dos carros da Mercedes, como tem costumado fazer no campeonato. O tetracampeão garantiu o terceiro tempo mais rápido e abrirá a segunda fila do grid. Ao seu lado estará Daniel Ricciardo, da Red Bull.

Os brasileiros não tiveram um dia tão bom em Hungaroring. Ambos largarão atrás dos seus companheiros de equipe, um fato difícil de acontecer nesta temporada. Felipe Massa partirá apenas na oitava colocação. Já Felipe Nasr será o décimo oitavo no grid.

O treino

Com boas condições climáticas, a classificação deste sábado na Hungria foi disputada com pista seca, o que facilitou a vida dos pilotos. Na pista, a expectativa estava depositava toda em cima de Lewis Hamilton, que dominou todos os treinos livres e era o favorito para ficar com a pole, mas seu companheiro Nico Rosberg ainda estava na briga para tomar a primeira colocação no grid.

Q1

A primeira parte do treino foi concluída sem grandes novidades. Os pilotos que já demonstravam estar mais lentos do que o pelotão acabaram por ser eliminados e não foram para o Q2.

Nasr não conseguiu passar para o Q2

Nasr não conseguiu passar para o Q2

Quem mais se aproximou de passar para a segunda fase da classificação foi o inglês Jenson Button, daMcLaren. O britânico bem que tentou, mas marcou apenas o décimo sexto tempo (1min24s739). Logo atrás dele ficou a Sauber de Marcus Ericsson, que partirá em décimo sétimo.

O brasileiro Felipe Nasr também não teve um tempo suficiente para garantir uma vaga no Q2. Ele largará atrás do seu companheiro de equipe, na décima oitava colocação. A última fila será formada pelos carros da Manor. Roberto Merhi parte em décimo nono e Will Stevens será o vigésimo.

Q2

A disputa para ver quem conseguiria vaga na fase final do treino classificatória foi bastante acirrada. Com o bom desempenho da Mercedes, Ferrari e Red Bull, equipes como Williams, Toro Rosso, Force India e Lotusdisputavam as últimas vagas do Q3. Quem se deu melhor foi o time de Grove, que colocou os seus dois pilotos na “super classificação.”

Nico Hulkenberg, que vinha bem no terceiro treino livre, acabou eliminado no Q2. O alemão partirá na décima primeira colocação. Logo atrás dele ficou Carlos Sainz Jr, da Toro Rosso, e Sergio Pérez, também da Force India, e Pastor Maldonado.

Alonso tentou voltar ao treino, mas já era tarde (Foto: Reprodução / TV)

Alonso tentou voltar ao treino, mas já era tarde (Foto: Reprodução / TV)

Fernando Alonso parecia estar bem durante os treinos livres. Sem grandes problemas em seu carro, o espanhol vivia a expectativa de um fim de semana limpo. Mas a sua alegria acabou faltando sete minutos para o fim do Q2. Sua McLaren parou na entrada dos boxes com uma pane elétrica. Ele até tentou voltar ao treino, mas não havia tempo suficiente, agora ele parte em décimo quinto.

Q3

A terceira parte do treino classificatório, ou a “super classificação” como é chamada, acabou sendo marcada pela disputa interna entre os pilotos da Mercedes mais uma vez. Entretanto, apesar do esforço de Nico Rosberg, foi Hamilton quem garantiu a pole. O alemão errou a sua última volta e não teve chances de ameaçar o seu companheiro, enquanto Lewis ainda melhorou a sua marca no final.

Massa largará em oitavo

Massa largará em oitavo

Sebastian Vettel e Daniel Ricciardo comprovaram o bom desempenho de suas equipes na Hungria. Eles formarão a segunda fila do grid de largada para o GP da Hungria de Fórmula 1. A terceira fila será formada por finlandeses. Kimi Raikkonen partirá em quinto, seguido por Valtteri Bottas, em sexto.

Daniil Kvyat, que vinha tendo boas apresentações nos treinos livres, não manteve o ritmo e ficou apenas em sétimo. Logo atrás partirá o brasileiro Felipe Massa, que até superou as expectativas com sua Williams, mas não bateu o seu companheiro de equipe. Max Verstappen, da Toro Rosso, e Romain Grosjean, da Lotus, fecham o top 10.

Confira os tempos:

Classificação - Hungria

Chuva faz diferença na reta final e Hamilton vence GP da Inglaterra; Massa termina em quarto

Por F1Team

O GP da Inglaterra foi dramático neste domingo (5). Após começar com o tempo limpo, Silverstone viu a chuva ‘empurrar’ a Mercedes para mais uma dobradinha na temporada. Ao largar na ponta, Lewis Hamilton perdeu a posição para Felipe Massa antes da primeira curva e precisou dar o máximo para recuperar o posto mais alto do pódio. Robserg e Vettel aproveitaram o asfalto molhado e as idas aos boxes para ultrapassar as Williams e garantir a segunda e terceira colocações, respectivamente.

Hamilton fecha o dia em Silverstone com o quarto tempo

Hamilton venceu seu oitavo GP na temporada 2015 da F-1.

Williams e água não combinam. Dona de uma prova de encher os olhos, a escuderia não se deu bem na chuva e viu sua apresentação cair ladeira a baixo em Silverstone. Para se ter ideia, há dez voltas para o fim da prova, Felipe Massa e Valtteri Bottas eram o segundo e terceiro, respectivamente. Mas terminaram em quarto e quinto. O brasileiro ainda contou com uma falha de estratégia da escuderia e foi superado por Vettel na briga pela terceira posição.

Sem culpa em relação a baixa performance da Williams em pista molhada, Sebastian Vettel aproveitou a oportunidade no momento de fraqueza da rival e abocanhou  o terceiro lugar no pódio. Seu companheiro deFerrari, Kimi Raikkonen, concluiu em oitavo.

Em sexto, Kvyat foi bem. Mesmo com as limitações visíveis do RB11, o russo conseguiu pontuar, chegando a pressionar Vettel ainda na briga pela quinta posição, pouco antes da última chuva da corrida. Ao contrário de Daniel Ricciardo, que abandonou a prova após enfrentar problemas mecânicos. A dupla da Force India foi bem. Hulkenberg terminou em sétimo, enquanto Sergio Perez ultrapassou a linha de chegada em oitavo.

Fechando o top 10, Fernando Alonso, enfim, pontuou. Enfrentando um longo jejum, o espanhol conseguiu chegar na décima posição e marcou seu primeiro ponto desde a sua volta à Mclaren.

A decepção dos brasileiros ficou por conta de Felipe Nasr. Não por culpa dele. Seu carro apresentou problemas no câmbio ainda na volta de aquecimento e foi levado aos boxes, de onde largaria. Porém, a equipe não conseguiu resolver o defeito a tempo e o brasiliense não largou.

Confira a classificação do GP britânico:

GP da Inglaterra

Em casa, Hamilton garante a oitava pole no ano

Fazer uma pole é bom, mas fazer uma pole em casa é ainda melhor. Esse deve ser o sentimento de Lewis Hamilton neste sábado, após o treino de classificação para o GP da Inglaterra de Fórmula 1. O britânico não deu qualquer chance para o seu companheiro de equipe, Nico Rosberg, e garantiu a primeira colocação no grid de largada em Silverstone.

Hamilton ficou com a pole em Silverstone

Hamilton ficou com a pole em Silverstone

A melhor volta de Hamilton foi registrada ainda na primeira tentativa durante o Q3. Ele cravou a marca de 1min32s248, que acabou sendo inalcançável para os rivais. Quem mais se aproximou foi Rosberg, que marcou o tempo de 1min32s361, mas teve que se contentar apenas com a segunda colocação.

A surpresa do dia ficou por conta da Williams. Felipe Massa e Valtteri Bottas não vinham bem durante os treinos livres, mas melhoraram consideravelmente os seus tempos e garantiram a segunda fila. Melhor para o brasileiro, que na última tentativa bateu o seu companheiro de equipe ao cravar 1min33s085, e agora largará em terceiro. Já o finlandês marcou 1min33s149, o quarto tempo mais rápido.

Os carros da Ferrari, que viviam a expectativa de ficar atrás apenas da Mercedes, partirão na terceira fila. Kimi Raikkonen larga em quinto e Sebastian Vettel em sexto. Daniil Kvyat fez o sétimo tempo, seguido por Carlos Sainz Jr.

Felipe Nasr, da Sauber, teve dificuldades para superar as limitações do seu carro e terminou apenas na décima sexta colocação.

O treino

Com o sol brilhando no céu de Silverstone, a pista britânica esteve nas condições perfeitas para que os pilotos pudessem pisar fundo e brigar pela pole position. Assim, o que não faltou foi disputa pelas posições no grid.

Q1

A primeira parte do treino classificatório foi realizada sem grandes problemas e sem surpresas. Os eliminados logo na primeira parte da classificação foram os que já estavam sofrendo para conseguir se aproximar dos primeiros colocados durante os treinos livres.

Nasr foi eliminado no Q1

Nasr foi eliminado no Q1

Logo após os treinos de ontem, Felipe Nasr chegou a afirmar que a Sauber só era mais rápida do que aMcLaren e a Manor, e foi justamente o que vimos na classificação. O brasileiro foi quem mais chegou perto de passar para o Q2, mas acabou eliminado ao terminar em 16º.

Logo atrás dele ficaram os dois carros da McLaren. Fernando Alonso desta vez se deu melhor do que o seu companheiro de equipe e concluiu o treino em 17º. Já Jenson Button ficou em 18º. Os dois carros da Manor ocuparam as duas últimas posições, com Will Stevens em 19º e Roberto Merhi em 20º.

Q2

Dentre os eliminados na segunda parte da classificação, apenas um era apontado como candidato a uma vaga na fase final. Max Verstappen andou bem em todos os treinos livres, mas acabou não tendo um bom ritmo e terminou com o décimo terceiro tempo.

Verstappen decepcionou e foi eliminado no Q2

Verstappen decepcionou e foi eliminado no Q2

Sergio Pérez foi o piloto mais rápido entre os eliminados. O mexicano da Force India bem que tentou uma vaga na terceira fase, mas ficou apenas com o décimo primeiro tempo, com 1min34s268. Logo atrás dele apareceu a Lotus de Romain Grosjean, com o tempo de 1min34s430.

Pastor Maldonado e Marcus Ericsson completaram a lista dos pilotos que ficaram fora do Q3. O venezuelano marcou 1min34s511 e o sueco cravou 1min34s868.

Q3

A última fase do treino não teve surpresa na disputa pela pole position, mas sim na disputa pela segunda fila do grid. Soberano, Lewis Hamilton não teve dificuldades para ficar com a primeira colocação do grid. Atrás dele ficou Nico Rosberg.

Massa surpreendeu e larga em terceiro

Massa surpreendeu e larga em terceiro

Mas quem chamou mesmo a atenção foi a Williams. A equipe parecia estar atrás da Ferrari, mas surpreendeu o time vermelho e colocou os seus dois carros na segunda fila. Quem sorriu mais alto foi Felipe Massa, que “roubou” a terceira colocação de Bottas no fim do treino. Na terceira fila ficou Kimi Raikkonen, em quarto, e Sebastian Vettel em quinto.

A quarta fila será formada por Daniil Kvyat, da Red Bull, e Carlos Sainz Jr, da Toro Rosso. Por sinal, este último foi o único que atingiu as expectativas pela escuderia italiana, já que o seu companheiro de equipe ficou no Q2. Nico Hulkenberg e Daniel Ricciardo completaram o top 10.

Confira os tempos:

Classificação - Silverstone

Em dia de 1º pódio de Massa no ano, Nico passa Lewis na largada e vence

Por Spielberg, Áustria

Spielberg, cidade sede do GP da Áustria, tem um nome sugestivo. Remete ao universo do cinema, embora não tenha relação direta com o famoso diretor americano Steven Spielberg. E ao contrário dos grandes clássicos da sétima arte, o destino do vencedor neste domingo foi resolvido logo no início. Bastou uma curva para Nico Rosberg deixar o pole position Lewis Hamilton para trás, rumar para uma incontestável vitória e colocar fogo na temporada 2015 da Fórmula 1. Com mais uma dobradinha da Mercedes, dessa vez com o alemão à frente, Nico chegou a 159 pontos e ficou a apenas 10 do companheiro de equipe e líder do campeonato após oito das 19 etapas disputas.

Massa sobe ao pódio pela primeira vez no ano

Já para Felipe Massa, como nos filmes do suspense, a tensão permaneceu até o fim. Largando em quarto, o brasileiro da Williams ganhou o terceiro lugar de Sebastian Vettel na parada dos boxes, e precisou ter sangue frio para segurar a pressão do tetracampeão e conquistar seu primeiro pódio no ano, o 40º na carreira. Com o resultado, o experiente piloto também rompeu a barreira dos mil pontos na Fórmula 1.

Nico Rosberg, Lewis Hamilton e Felipe Massa no pódio do GP da Áustria (Foto: Reuters)
Nico Rosberg, Lewis Hamilton e Felipe Massa no pódio do GP da Áustria (Foto: Reuters)

Com problemas nos freios, Nasr não pontua

O jovem Felipe Nasr também teve uma corrida movimentada. Partindo de oitavo, passou a prova inteira brigando no pelotão intermediário. Mas no fim, sofrendo com problemas no freio, não conseguiu segurar a Sauber na zona de pontuação. Bateu na trave, terminando em 11º.

Com o pódio, Massa diminuiu para 5 pontos a desvantagem para o companheiro Valtteri Bottas (Foto: Reuters)
Felipe Massa beija troféu de terceiro lugar no pódio (Foto: Reuters)

Batida feia entre Alonso e Raikkonen termina com McLaren em cima da Ferrari

A prova foi marcada também por um assustador acidente entre Fernando Alonso e Kimi Raikkonen logo na primeira volta. O finlandês perdeu o controle da Ferrari na saída da curva 2, o espanhol não conseguiu desviar e os dois acabaram no guard rail, com a McLaren parando em cima da Ferrari, a poucos centímetros do capacete do Homem de Gelo. Sem machucados, os dois voltaram aos boxes conversando. Mas o susto não acabou por aí. Três fiscais localizados atrás da mureta quase foram atingidos na batida, o que poderia ter provocado uma tragédia.

RESULTADO

Resultado final do GP da Áustria de Fórmula 1 2015 (Foto: Divulgação)

CLASSIFICAÇÃO 2015

Após oito etapas disputas, Hamilton lidera o campeonato com 169 contra 159 de Rosberg. Com o terceiro lugar na Áustria, Massa chegou aos 62 pontos e se aproximou do companheiro de Williams, Valtteri Bottas, o quarto na temporada com 67. Fora da zona de pontuação em Spielberg, Nasr saiu também do top 10 da classificação. No Mundial de Construtores, a Mercedes segue disparada na frente, enquanto a Williams reduziu a desvantagem para a Ferrari.  Confira a classificação completa. A próxima etapa é dia 5 de julho, na Inglaterra.

Classificação do Mundial de Pilotos da Fórmula 1 após o GP da Áustria (Foto: GloboEsporte.com)
Classificação do Mundial de Constutores da Fórmula 1 após o GP da China (Foto: GloboEsporte.com)

SAIBA MAIS

Hamilton confirma favoritismo e assegura pole position em Spielberg

Por F1Team

Depois da imprevisível chuva durante o TL3, o treino de qualificação para o GP da Áustria foi realizado com tempo seco. E, mais uma vez, as Mercedes de Lewis Hamilton e Nico Rosberg foram as mais rápidas. Destaque para o inglês, que conquistou mais uma pole position na carreira e deve tentar sua quinta vitória na temporada 2015 da F-1, neste domingo (21).

Hamilton dominou os treinos livres no Canadá

Na Áustria, Hamilton conquistou sua 11ª pole na carreira.

Com um excelente retrospecto em poles, Rosberg não conseguiu repetir o feito do GP do Canadá em Spielberg. Agora o alemão vai largar atrás do companheiro e rival pelo título.

Dominador nos últimos treinos livres, Sebastian Vettel viu sua Ferrari perder em ligeira vantagem para as Mercedes. Com a diferença de 0s600 para o líder, o ferrarista vai ter que protagonizar uma grande prova para conquistar o ponto mais alto do pódio.

Na quarta posição, Felipe Massa mostrou mais uma boa performance no assento do seu FW37. Junto ao brasileiro, a surpresa do dia: Nico Hulkenberg, da Force India.

O finlandês da Williams, Valtteri Bottas, cravou o sexta melhor tempo. Depois, o Prodígio Max Verstappen foi o dono da sétima colocação. Fechando o Top 10 da qualificação, Daniil Kvyat, da Red Bull, Felipe Nasr, daSauber, e Romain Grosjean, da Lotus, encerraram na oitava, nona e décima colocação, respectivamente.

Confira a classificação final do treino de qualificação:

pole Áustria

Absoluto, Hamilton conquista GP do Canadá; Massa termina em 6º

Hamilton venceu duelo com Rosberg no GP do Canadá – Por F1Team

Com o clima limpo, o GP canadense começou a todo vapor. Dominando mais uma vez, Lewis Hamilton, que em Mônaco foi atrapalhado por um mal planejamento da Mercedes, dessa vez não vacilou e manteve a posição inicial até o fim da corrida, abocanhando sua quarta vitória no ano.

A outra Mercedes, guiada por Nico Rosberg, terminou em segundo. Sem grandes sustos, o alemão chegou a estar 1s088 atrás do companheiro, mas não foi capaz de ultrapassá-lo. Efetivo na manutenção da sua posição, Nico encerrou sua participação no segundo posto.

Em mais uma boa participação, Valtteri Bottas foi guerreiro. Após iniciar a prova em quarto, o finlandês administrou bem o carro e, com apenas um Pit Stop realizado, foi capaz de ultrapassar o compatriota Kimi Raikkonen na briga pela terceira colocação. Assim, o competidor da Williams completou o pódio ao lado das Mercedes.

Dono de uma prova de recuperação espetacular, Sebastian Vettel ganhou 10 posições para terminar em sexto, somando pontos importantes para continuar brigando pelas posições de cima da classificação geral no Mundial.

A exemplo de Vettel, o brasileiro Felipe Massa também não tomou conhecimento dos rivais. Largando em 17º, Massa foi consistente e terminou na significante 6ª colocação, mostrando um excelente desempenho em solos canadenses.

Depois de conquistar seus primeiros potinhos na temporada, a Mclaren realizou uma corrida vexatória mais uma vez. Com falhas, a escuderia viu seus pilotos Jenson Button e Fernando Alonso abandonarem o GP do Canadá de forma precoce.

Confira a classificação final do GP do Canadá:

GP do Canadá

Hamilton desbanca Nico e é pole no Canadá. Massa cai no Q1, Nasr no Q2

Por Montreal, Canadá

Lewis Hamilton chegou a Montreal disposto a superar o erro que custou a vitória na etapa anterior, em Mônaco. No entanto, os treinos livres foram atribulados para o britânico da Mercedes: rodou em um, bateu no segundo e foi o último em outro. Mas na hora do treino classificatório, o atual campeão mundial e líder do campeonato botou a cabeça no lugar e assegurou a pole position ao cravar 1m14s393. Seu companheiro de equipe, Nico Rosberg, ficou em segundo a 0s309, com 1m14s702. Esta é a 44ª pole de Hamilton na carreira, que fica a uma de igualar Vettel como o terceiro piloto que mais largou na frente na história da Fórmula 1, atrás apenas de Michael Schumacher (68) e Ayrton Senna (65). Relembre como foi o treino minuto a minuto.

 

Lewis Hamilton fez a pole position do GP do Canadá (Foto: AP)
Lewis Hamilton comemora a pole position para o GP do Canadá (Foto: AP)

Para os brasileiros, foi um sábado para esquecer. Com problemas de perda de potência no motor da Williams, Felipe Massa foi eliminado logo no Q1 e largará em 15º, por ter ganhado as posição de Max Verstappen (STR), punido com a perda de 15 colocações, e de Sebastian Vettel (RBR), que perdeu cinco colocações por ultrapassar sob bandeira vermelha no Q3. Felipe Nasr, que havia batido no treino da manhã, também não foi muito longe. Caiu no Q2 e começará na 14ª colocação.  Quem também sofreu com o motor foi Sebastian Vettel. Com uma pane no sistema de recuperação de energia da Ferrari, o alemão também deu adeus mais cedo, e ainda foi penalizado após a sessão. Pior sorte teve Jenson Button. O inglês teve problema semelhante ao de Vettel, mas no último treino livre. Os mecânicos da McLaren não conseguiram resolver a tempo e o piloto sequer participou da atividade.

Lewis Hamilton e Nico Rosberg após o treino classificatório para o GP do Canadá (Foto: Getty images)
Lewis Hamilton e Nico Rosberg após o treino classificatório para o GP do Canadá (Foto: Getty images)

Q1 – MASSA E VETTEL TÊM PROBLEMAS

Foi um Q1 surpreendente. Com problemas de potência no motor da Williams, Felipe Massa fez apenas o 17º o tempo e foi eliminado. Outro nome de peso a cair precocemente foi Vettel. O alemão sofreu com uma falha no sistema de recuperação de energia térmico, MGU-H, e foi apenas o 16º. Junto com eles, caíram também a dupla da Manor, Roberto Merhi e Will Stevens, e Jenson Button, que não participou da classificação. O mais rápido foi Romain Grosjean (1m15s833). O franco-suíço lançou mão dos pneus supermacios para bater as Mercedes de Rosberg e Hamilton, que usaram os compostos macios.

Avançaram para o Q2: GRO, ROS, HAM, MAL, HUL, RAI, VER, RIC, KVY, BOT, SAI, ERI, PER, NAS, ALO

Eliminados no Q1: VET, MAS, MER, STE, BUT

Felipe Massa no treino classificatório para o GP do Canadá de Fórmula 1 2015 (Foto: Getty images)
Felipe Massa no treino classificatório para o GP do Canadá de Fórmula 1 2015 (Foto: Getty images)

Q2 – NASR É ELIMINADO

No Q2, Hamilton e Rosberg colocaram a ordem na casa. Com pneus supermacios, anotaram respectivamente 1m14s661 e 1m14s673 e foram os únicos a baixar da casa de 1m15s. Grosjean, no entanto, voltou a brilhar, comprovando a força da Lotus em Montreal, ao fazer o terceiro tempo, 1m15s187. Raikkonen e Bottas completaram o top 5. Nasr ficou com o pior tempo da segunda parte do treino, e foi eliminado junto com Sainz, Verstappen, Ericsson e Alonso.

Avançaram para o Q3: HAM, ROS, GRO, RAI, BOT, MAL, HUL, KVY, PER, RIC

Eliminados no Q2: SAI, VER, ERI, ALO, NAS

Felipe Nasr em ação no treino classificatório para o GP do Canadá de Fórmula 1 2015 (Foto: AP)
Felipe Nasr em ação no treino classificatório para o GP do Canadá de Fórmula 1 2015 (Foto: AP)

Q3 – HAMILTON NÃO DÁ CHANCES

Na decisão da pole position, Hulkenberg foi o primeiro a marcar tempo, 1m16s110, mas foi logo superado por Raikkonen, que anotou 1m15s126. Foi então que Hamilton entrou em ação,  cravou 1m14s393 e assumiu a ponta. Rosberg veio a seguir, anotou 1m14s702 e ficou a 0s309 do tempo do britânico.

Quando os pilotos foram para os boxes na metade do Q3 para colocar jogos novos de pneus, os seis primeiros eram: Hamilton, Rosberg, Raikkonen, Grosjean, Maldonado e Bottas. Nos minutos finais, nenhum dos três primeiros conseguiu melhorar seus tempos. Com isso, a pole ficou com o britânico da Mercedes. Bottas ainda teve tempo de encaixar uma boa volta e pulou para quarto, à frente das Lotus de Grosjean e Maldonado. Hulk, Kvyat, Ricciardo e Pérez completaram o top 10.

Lewis Hamilton, entre Nico Rosberg e Kimi Raikkonen. Os três primeiros no treino classificatório para o GP do Canadá (Foto: Getty images)
Hamilton, entre Rosberg e Raikkonen. Os três primeiros no treino classificatório para o GP do Canadá (Foto: Getty images)

GRID DE LARGADA

1 – Lewis Hamilton (Mercedes) 1m14s393
2 – Nico Rosberg (Mercedes) 1m14s702 0s309
3 – Kimi Raikkonen (Ferrari) 1m15s014 0s621s
4 – Valtteri Bottas (Williams/Mercedes) 1m15s102
5 – Romain Grosjean (Lotus/Mercedes) 1m15s194
6 – Pastor Maldonado (Lotus/Mercedes) 1m15s329
7 – Nico Hulkenberg (Force India/Mercedes) 1m15s614
8 – Daniil Kvyat (RBR/Renault) 1m16s079
9 – Daniel Ricciardo (RBR/Renault) 1m16s114
10 – Sergio Perez (Force India/Mercedes) 1m16s338
11 – Carlos Sainz (STR/Renault) 1m16s042
12 – Marcus Ericsson (Sauber/Ferrari) 1m16s262
13 – Fernando Alonso (McLaren/Honda) 1m16s276
14 – Felipe Nasr (Sauber/Ferrari) 1m16s620
15 – Felipe Massa (Williams/Mercedes) 1m17s886

6 – Roberto Merhi (Marussia/Ferrari) 1m19s133
17 – Will Stevens (Marussia/Ferrari) 1m19s157
18 – Sebastian Vettel (Ferrari) 1m17s344 *
19 – Max Verstappen (STR/Renault) 1m16s245**
20 – Jenson Button (McLaren/Honda) sem tempo***

** Sebastian Vettel perdeu posições por ultrapassar sob bandeira vermelha no 3º treino livre
* Max Verstappen perdeu 15 posições: 5 por acidente em Mônaco e 10 por trocar motor
*** Jenson Button não participou do treino classificatório e, por isso, terá que largar dos boxes

Com reviravolta, Rosberg vence segunda consecutiva na temporada

Por F1Team – Foto: Boris Horvat / AFP

Nico Rosberg ganhou sua segunda corrida seguida, duas semanas após vitória na Espanha

“Perdi essa corrida”. Esbravejou Lewis Hamilton aos membros da Mercedes via rádio, logo após deixar os boxes, na reta final do GP de Mônaco, neste domingo (24). Mais há uma explicação para tamanha frustração do driver. Após liderar com facilidade a prova, Lewis não obteve grande sorte ao se deparar com o safety-car logo depois de realizar um pit-stop e entregou o ponto mais alto do pódio de mãos beijadas ao seu companheiro de equipe, Nico Rosberg. O alemão não teve culpa de nada e conquistou sua segunda vitória consecutiva na temporada. Vale lembrar esse também foi seu terceiro triunfo consecutivo na França.

Rosberg revela que a confiança voltou

Rosberg vence sua segunda prova na temporada 2015 da F-1.

No estreito circuito de Monte Carlo, Rosberg não foi capaz de agredir Hamilton em qualquer momento da corrida. Pelo contrário, Nico via seu até então segundo lugar sendo ameaçado pelo ferrarista Sebastian Vettel de forma constante. Mas um golpe de sorte mudou a imprevisível prova para o alemão. Após ver o novato Max Verstappen se envolver em acidente com Romain Grosjean, acionando o safety-car e esfriando a empolgação de Hamilton – tentava recuperar as primeiras posições após um pit-stop mal elaborado -, Rosberg assumiu a ponta e não vacilou.

Frustrado, o inglês sequer reagiu. Mesmo com novos pneus, o piloto não conseguiu recuperar o tempo perdido e amargou a terceira posição no pódio, ficando atrás de Sebastian Vettel. Agora a diferença de pontos para Nico Rosberg no Mundial de Pilotos caiu para apenas 10 pontos.

Valente, Sebastian Vettel foi até o fim. Incomodando Nico Rosberg durante toda a prova, o piloto da Ferrariesbarrava na grande dificuldade que é ultrapassar os rivais no circuito de Monte Carlo. Porém, assim como o compatriota, o tetracampeão foi bonificado pelo erro de Hamilton e assegurou a segunda colocação no GP de Mônaco.

Ameaçado por não estar convencendo até o momento, o promissor Daniil Kvyat, enfim, conseguiu chegar perto do pódio. Largando na quinta posição, o russo de 20 anos mostrou maturidade no assento do seu RB11 e garantiu seus 12 preciosos pontos. Logo em seguida, seu companheiro Daniel Ricciardo ultrapassou a linha de chegada e ficou em quinto.

Após uma estréia cativante, Felipe Nasr voltou a pontuar. Iniciando a prova na 14ª colocação, o competidor daSauber recuperou-se e terminou em nono, mostrando boa performance. Outro brasileiro no grid, Felipe Massa não foi bem e encerrou sua participação na pífia 15ª colocação.

O outro destaque do GP foi Jenson Button. O experiente piloto protagonizou os primeiros pontinhos da história da Mclaren-Honda. Seu parceiro de escuderia Fernando Alonso, não foi bem mais uma vez. O espanhol abandonou a prova por problemas no bólido.

Confira a classificação do GP de Mônaco:

GP de Mônaco - classificação