Fórmula 1

Rosberg não dá chances para Hamilton e fica com a pole na Espanha

Por F1Team

Nico Rosberg mostrou que a pausa de quase três semanas sem corridas fez muito bem para ele. No treino classificatório deste sábado, o alemão não deu qualquer chance para o seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton, e garantiu a pole position para o GP da Espanha.

Rosberg ficou com a pole na Espanha

Rosberg ficou com a pole na Espanha

Nos últimos dias, Keke Rosberg, pai de Nico, havia afirmado que o filho aproveitou muito bem a pausa antes do início da fase europeia da Fórmula 1 e que iria mostrar isso neste fim de semana. Se a corrida de amanhã for um reflexo do que aconteceu durante os treinos livres e o classificatório, o germânico tem tudo para conquistar um grande resultado.

Depois de liderar dois dos três treinos livres, Rosberg voou na classificação e marcou o tempo de 1min24s681, dois décimos mais rápido do que o seu companheiro de equipe. O excelente tempo de Nico garantiu a sua primeira pole position no ano.

Hamilton, que vinha ficando com todas as poles das corridas disputadas este ano, terá que se contentar com a segunda colocação no grid. Atual campeão mundial, o britânico até que tentou bater o tempo do seu companheiro de equipe, mas o seu esforço não foi suficiente.

A terceira colocação ficou com o alemão Sebastian Vettel, único piloto a conseguir superar Hamilton em uma corrida do campeonato atual. Seb garantiu a marca de 1min25s458. Logo atrás dele partirá o finlandês Valtteri Bottas, da Williams, que cravou 1min25s694.

A surpresa do treino acabou sendo a Toro Rosso. Os pilotos do time italiano tiveram um grande desempenho na classificação e partirão na quinta e sexta colocações.

Por outro lado, os brasileiros acabaram decepcionando um pouco no treino de hoje. Felipe Massa só deu uma volta na última fase do treino e acabou apenas com o nono tempo. Já Felipe Nasr foi eliminado no Q2 e partirá em décimo quinto.

O treino

Após dois fins de semana sem corrida, enfim os pilotos voltaram a acelerar na pista. Para matar a saudade do público, nada melhor do que um circuito que os pilotos conhecem bem, o de Barcelona – local da realização de dois dos três testes de pré-temporada neste ano.

O clima era o melhor possível. Sol brilhando no céu da Catalunha e um a pista com uma temperatura média de 39°. Bom para os pilotos, que puderam pisar fundo em busca do melhor tempo.

Q1

A primeira parte do treino terminou sem grandes surpresas em seu resultado. O único ponto que acabou chamando a atenção foi o bom desempenho dos carros da McLaren, que garantiram a passagem para o Q2.

Ericsson foi eliminado no Q1

Ericsson foi eliminado no Q1

Entre os eliminados, Quem mais se aproximou de uma vaga na segunda parte do treino classificatório foi aSauber de Marcus Ericsson. O sueco marcou o décimo sexto tempo. Logo atrás dele, largarão os dois carros da Force India. Nico Hulkenberg será o décimo sétimo e Sergio Pérez partirá em décimo oitavo.

Nas duas últimas posições do grid estarão os carros da Manor. Will Stevens marcou o décimo nono tempo mais rápido. Já o seu companheiro de equipe, Roberto Merhi partirá em último.

Q2

Assim como no Q1, a segunda parte do treino classificatório terminou com resultados previsíveis. Os carros daLotus, McLaren e uma Sauber acabaram sem conseguir uma classificação para a fase final.

Alonso acabou fora do Q3

Alonso não passou para o Q3

Romain Grosjean será décimo primeiro colocado no grid de largada. Logo atrás dele partirá o seu companheiro de equipe, Pastor Maldonado. Na sequência aparecerão os dois carros da McLaren. Fernando Alonso partirá em décimo terceiro e Jenson Button em décimo quarto.

A décima quinta colocação ficou com o brasileiro Felipe Nasr. Apesar de sempre estar brigando para garantir vaga no Q3, hoje a situação foi mais difícil para o piloto da Sauber, já que as equipes com melhores condições financeiras evoluíram bastante.

Q3

A fase final do treino classificatório acabou marcada pela disputa entre Rosberg e Hamilton. Melhor para o primeiro, que garantiu a pole position com a primeira volta completada no Q3. Lewis até que tentou superar o seu companheiro até o último minuto, mas o seu tempo não foi rápido o suficiente e ele terá que partir na segunda colocação.

Hamilton largará em segundo

Hamilton largará em segundo

Na segunda fila estarão a Ferrari de Sebastian Vettel e a Williams de Valteri Bottas, Como era de se esperar, nenhum dos dois teve forças para ameaçar os carros da Mercedes, mas garantiram uma boa posição de largada. Carlos Sainz Jr e Max Verstappen, da Toro Rosso, surpreenderam ao manter o nível apresentado nos treinos livres e garantiram a quinta e sexta colocações, respectivamente.

Apesar de ter o segundo melhor carro do grid, Kimi Raikkonen acabou decepcionando na pista e largará na quarta fila, em sétimo, ao lado de Daniil Kvyat, da Red Bull. A quinta e última fila terá Felipe Massa, em nono e Daniel Ricciardo, em décimo.

Confira os tempos:

Classificação - Barcelona

Hamilton vence pela segunda vez no Bahrein

Por F1Team

A promessa era de uma etapa emocionante no Bahrein. Principalmente por ter uma Ferrari entre as duas Mercedes no grid de largada. No entanto, o que se viu foi uma corrida normal, com algumas ultrapassagens, trabalhos interessantes nos boxes e mais nada para ser observado. Ou melhor: até teve os embates entre Vettel e Rosberg, Massa e Felipe Nasr.

Hamilton vence mais uma na temporada

Hamilton vence mais uma na temporadaamilton

Soberano na pista, Hamilton tinha apenas um adversário no traçado barenita. Ele mesmo. Nem mesmo o seu companheiro de equipe, que neste domingo estava com a faca nos dentes, conseguiu incomodar seu parceiro. Com isso, Hamilton venceu sua terceira prova na temporada.

Das Ferraris se esperava muito mais no Bahrein. Vettel até que tentou, mas foi prejudicado ao entrar nos boxes para trocar o bico do carro. Raikkonen tinha até um bom ritmo de corrida e prometia uma briga com Rosberg na reta final. Duelo que valeria o segundo degrau no pódio. Só que com um erro do alemão, Kimi ganhou o P2 de presente. Nico terminou mesmo em terceiro.

Felipe Massa, que sofreu uma pane no carro antes mesmo da volta de apresentação, largou dos boxes e cruzou a linha de chegada na décima posição. Nasr terminou a prova em 13º.

A corrida:

Tudo pronto no palco deste domingo. Os carros completaram o giro de apresentação no traçado Barenita e foram se alinhando um por um nos colchetes de largada. Menos Felipe Massa, que ficou parado e teve que largar dos boxes. Como de costume, Hamilton na ponta. Enfiado entre as duas Mercedes apareceu Vettel e sua Ferrari no P2. Rosberg na terceira fila no P3, logo ao lado de Raikkonen.

Felipe Nasr trouxe sua Sauber na 12ª posição. Quem sofreu com o carro e ficou mesmo de fora da quarta etapa da temporada foi Jenson Button.

Voltando a largada, a expectativa era grande pela luz verde. Com ela acionada, Hamilton conseguiu manter a ponta sem nenhum problema. Vettel nem atacou e preferiu manter sua segunda posição. Quem saiu bem foi Kimi Raikkonen, que tomou a terceira posição de Rosberg. Felipe Nasr perdeu duas posições na largada.

Nas cinco primeiras voltas: HAM, VET, ROS, RAI, BOT, RIC, GRO, HUL, ERI e SAI.

Largando dos boxes, Felipe Massa andava na 14ª posição e partia pra cima da McLaren de Alonso.

No pelotão da frente, Hamilton seguia tranquilo com 2s de vantagem para o segundo colocado. A diferença entre Rosberg e Kimi era de 2s1.

Quem recebeu a primeira punição da corrida foi Pastor Maldonado. Penalty de 5s por ter largado de uma posição incorreta.

Dez voltas e a briga da vez era entre Vettel e Rosberg. O alemão da Mercedes tentou por duas vezes e na última abriu a asa e passou o piloto da Ferrari no mesmo ponto que superou Kimi.

Quem inaugurou os trabalhos nos boxes no Bahrein foi Verstappen para trocar a asa dianteira e os compostos.

A diferença entre as duas Mercedes, que andavam na frente, era de 5s3. Isso na volta 11.

Os dois Felipes foram para os boxes. O Nasr até que voltou na frente, no entanto, na pista, Massa passava o compatriota e assumia a 14º posição.

Dos ponteiros, Vettel foi o primeiro a parar nos boxes. Tempo total do alemão foi de 24s5. Na sequência foi a vez de Rosberg. Tempo total da Mercedes foi de 25s3, e Nico voltava pra pista atrás de Vettel.

Volta 16 e foi a vez da parada do líder da prova. 3s7 e Hamilton voltava pra pista na segunda posição.

Até o momento a briga parecia mesmo ficar entre Vettel e Rosberg. Que pisou fundo na reta dos boxes e passou, novamente, o alemão da Ferrari.

Volta 18 e Kimi entrava nos boxes. Com uma estratégia diferente, o carro da Ferrari voltava pra pista com os pneus médios.

20 voltas completadas: HAM, ROS, VET, RAI, BOT, RIC, GRO, ERI, HUL e MAS.

Na frente, Rosberg resolveu não deixar seu companheiro de equipe tomar distância. A diferença entre os dois era de 1s5. Volta 22.

Na mesma volta uma batalha bem interessante acontecia. Massa x Nasr. A briga era válida pelo décimo lugar.

Na disputa pela liderança Hamilton tinha 2s2 para Rosberg. Que por sua vez, também tinha 2s de vantagem para Vettel. Kimi seguia atrás do pelotão com 8s de atraso.

Na volta 25 Nasr até que fez uma bela ultrapassagem sobre Massa, só que essa briga foi parar nos boxes. Na saída, o carro da Williams levou vantagem.

A briga entre os brasileiros continuava na volta 32. Com Alonso logo na frente, Massa tratou de passar o espanhol e colocar um obstáculo entre o piloto da Sauber. O problema era que todo mundo estava ultrapassando o carro da McLaren. E Felipe Nasr também. A perseguição continuava entre os brasileiros.

Volta 33, Vettel nos boxes e tempo total de 24s4. Parada pra ir até o final da prova com os pneus médios.

No giro seguinte foi a vez de Hamilton entrar nos boxes. Tempo da Mercedes de 24s5.

Com 27 giros, Vettel foi obrigado a voltar nos boxes e trocar o bico de sua Ferrari. Fim de corrida para o alemão.

Sem perder tempo, Rosberg cravava a volta mais rápida da corrida (1min37s3). Volta 38.

Depois de 40 voltas completas, o top-10 formava com: HAM, ROS, RAI, BOT, VET, RIC, MAL, GRO, MAS e PER.

Na briga pela ponta, Rosberg seguia diminuindo a desvantagem para Hamilton. Com o ritmo imposto pelo alemão, provavelmente, uma briga na reta final da corrida poderia acontecer.

Muita fumaça na Lotus de Maldonado. Em sua parada nos boxes, os mecânicos trabalhavam para resfriar o freio do venezuelano.

Falando de Felipe Massa, o piloto brasileiro andava na oitava posição com o carro de Grosjean e Ricciardo em sua frente. Volta 44.

Atrás dos carros da Mercedes, Kimi Raikkonen voava no traçado barenita com os pneus macios. No entanto, a desvantagem era grande para o segundo colocado.

Preocupada, a Mercedes já avisava a Rosberg que Raikkonen era mesmo uma ameaça na pista. O piloto da Ferrari tirava 2s por volta. Agora, a diferença entre os dois era de 8s5. Volta 49.

Na briga pela quarta posição, Vettel seguia na pista 0s2 mais rápido que Valtteri Bottas. Mas não conseguia encostar no piloto da Williams.

Com seis voltas para o fim da corrida, Felipe Massa perdia a oitava posição para Sergio Pérez. Depois, Massa levava uma volta dos ponteiros da prova.

Na luta entre Bottas e Vettel, o finlandês seguia na vantagem e fechando todas as portas para o alemão. Volta 54.

Faltando uma volta para o fim, Raikkonen aproveitou o cochilo de Rosberg na pista e ganhou a segunda posição com facilidade. Festa nos boxes da Ferrari.

Dono absoluto da corrida no Bahrein, Hamilton seguiu tranquilo na pista até receber a quadriculada na primeira posição. Em segundo cruzou a Ferrari de Kimi Raikkonen. Em terceiro lugar, Nico Rosberg. Massa termina a prova na décima posição. Nasr cruza a linha de chegada em 12º.

GP Bahrein

Hamilton vence pela quarta vez na China

Por Gilberto Caetano

O que se observou em Xangai foi um Hamilton sendo um excelente administrador. Sem muitas preocupações no traçado chinês, o piloto britânico acelerou quando precisou e pisou no freio da mesma forma. Resumindo as 56 voltas, a terceira etapa da temporada foi fria, monótona e sem emoção. Como resultado, a corrida acabou em fila indiana e com o carro de segurança na pista.

Hamilton vence mais uma na temporada

Hamilton vence mais uma na temporada

Sem nada a ver com isso, e praticamente de ponta a ponta, Hamilton soma sua quarta vitória no traçado chinês (2008, 2011, 2014 e 2015). Mesmo antes desse triunfo, o inglês já era o maior vencedor do circuito. Agora, ele só fez acrescentar mais um número em sua conta.

Quem cruzou a linha de chegada na segunda posição foi Nico Rosberg. Em terceiro, Sebastian Vettel. Curiosidade, o mesmo pódio da corrida anterior.

Felipe Massa terminou a prova na quinta posição. Já o brasileiro da Sauber, que não tinha um carro brilhante nas mãos, cruzou a linha de chegada na oitava posição.

A corrida:

Mercedes na primeira fila, Ferrari e Williams logo atrás. Enfim, chegou a hora da verdade no GP chinês. Após a volta de apresentação, os carros já foram se alinhando nos colchetes de largada. Com todas as estratégias prontas, as chances de Hamilton seguir na ponta eram grandes. No entanto, o piloto inglês iria precisar, primeiro, se livrar do caracol que sempre se forma no fim da reta dos boxes logo a frente. Por sua vez, Rosberg, Vettel e Massa iriam tentar tomar essa ponta.

Com a luz verde acionada, Hamilton conseguiu defender sua posição jogando seu carro pra cima do companheiro de equipe, que nada pôde fazer em termos de ataque. Ruim para Felipe Massa, que não largou bem e caiu para sexto.

Boa largada mesmo fez o Bottas, que teria ultrapassado Massa, e Kimi por fora da curva 1. Em seguida, foi ultrapassado pelos dois na freada.

Com cinco volta completadas, o top-10 formava com: HAM, ROS, VET, RAI, MAS, BOT, GRO, NAS, MAL e ERI.

Pelo visto, a tônica da corrida seria a disputa entre os companheiros de equipe.

E a McLaren continuava correndo no pelotão de trás com Alonso em 16º e Button em 17º.

Mesmo no início da corrida, Hamilton já seguia de forma dominante. Com sete voltas, o inglês colocava 1s225 de vantagem para o segundo colocado. Os dois andavam na casa de 1min44s.

Na briga pela oitava posição entre Nars e Maldonado, o venezuelano levou a melhor. O brasileiro não conseguiu segurar o carro da Lotus.

Voltando para os ponteiros da prova, a distância entre Hamilton e o terceiro colocado – Sebastian Vettel – era de 4s5.

Com 11 giros completos, o primeiro carro a abandonar o GP de Xangai foi Nico Hulkenberg e sua Force India. Na mesma volta, quem inaugurou os trabalhos nos boxes foi o brasileiro da Sauber. Que trocou os compostos macios pelos médios.

Na briga entre Massa e Bottas, o brasileiro levava a melhor sobre o companheiro. Consolidado na quinta posição, Felipe abria 2s5 de vantagem. Em contrapartida, estava 7s atrás de Kimi.

Vettel nos boxes e uma parada de 2s3. O alemão voltava em quinto.

Massa também foi para os boxes e saiu com os pneus médios.

Hamilton faz sua primeira parada nos boxes. Tempo total de 22s6 e pneus macios na pista. A tentativa da Mercedes é tentar frear a aproximação de Vettel que também anda de macios.

Com muita fumaça no motor, a Red Bull de Kvyat abandonava a prova na 16 volta.

Com 20 giros completos, os dez primeiros eram: HAM, ROS, VET, RAI, MAS, BOT, MAL, GRO, NAS e VES.

Mesmo com uma boa aproximação da Red Bull nas retas, Nars seguiu segurando as investidas de Verstappen. Tentou, mas não conseguiu segurar por muito tempo e foi superado no hairpin.

E Vettel continuava sua perseguição a Rosberg. Mais rápido, o piloto da Ferrari já visava a briga pela segunda posição. Aliás, os dois carros da equipe italiana andavam mais rápidos que as Mercedes.

Enfim, Daniel Ricciardo conseguiu vencer a disputa contra Marcus Ericsson. Apesar dos erros cometidos, o australiano assumiu a 11ª posição.

Vettel nos boxes na 31 volta. Tempo de 2s5 e o alemão voltava para pista calçando os pneus médios.

A diferença entre Hamilton e Nico Rosberg era de 3s7.

Rosberg também foi para os boxes e voltou na terceira posição, atrás de Kimi Raikkonen, que ainda não tinha parado. A diferença entre Nico e Vettel era de 1s7.

Hamilton para nos boxes na volta 34. O piloto inglês voltava pra pista com os pneus médios

Com 37 voltas completadas, o top-10 formava com: HAM, ROS, VET, RAI, MAS, BOT, RIC, GRO, PER e VES.

Falando de Felipe Nars, o brasileiro assumiu a 10ª posição após a entrada de Ricciardo nos boxes. O piloto da Sauber tinha o companheiro de equipe logo atrás. Isso na volta 41.

Por rádio, o time da Williams pedia para Felipe Massa se aproximar de Kimi, que andava com os pneus mais desgastados que os do brasileiro. No entanto, o time inglês esqueceu de avisar que Massa tinha 27s de desvantagem.

Na volta 42, o brasileiro da Sauber ultrapassa Pérez e reassumia sua posição original do grid de largada.

Com 13 voltas para o fim, Ricciardo se vê frente a frente com Ericsson. Essa briga valia a 10{ posição. Restava saber se o australiano passaria sem tantas dificuldades. Na raça, Ricciardo venceu.

Que bonito! Vettel e Raikkonen dando uma volta na McLaren de Fernando Alonso.

Faltando oito voltas para o termino da corrida em Xangai, a dobradinha da Mercedes está mesmo garantida. Hamilton seguia na frente de Rosberg com 4s3 de vantagem.

Na empolgação da disputa entre Maldonado e Button, o venezuelano levou a pior. Quem se deu bem foi Alonso, que com essa brincadeira assumiu a 13ª posição.

Com duas voltas para o fim, o carro da Toro Rosso de Verstappen, que andava na oitava posição, parou na reta dos boxes. Muita fumaça e carro de segurança na pista.

A terceira prova da temporada foi monótona e acabar com o safety car na pista foi o resumo dessa obra. Com isso, em fila indiana, Hamilton recebeu a quadriculada na primeira posição, Rosberg em segundo e Vettel na terceira posição. Massa terminou em quinto e Nars em oitavo.

GP Xangai

Vettel interrompe série da Mercedes e volta a vencer depois de um ano e quatro meses

Vettel beija o troféu após conquistar a vitória na prova disputada em Sepang – Olivia Harris / REUTERS

A primeira vitória apenas na sua segunda prova vestindo o macacão da Ferrari mexeu com Sebastian Vettel. O alemão, que berrava palavras como “fantástico” em italiano após cruzar a linha de chegada em primeiro lugar no GP da Malásia de Fórmula-1, se emocionou enquanto os hinos tocavam no pódio e, em entrevista ao ex-chefe de equipe Eddie Jordan ainda no pódio lembrou do seu ídolo, Michael Schumacher, que tantas vezes venceu e conquistou cinco títulos mundiais pela escuderia italiana.

– Estou sem palavras. O ano passado não foi bom para mim. Tínhamos um bom carro, mas dificuldades para extrair a performance. Eu me lembro quando o portão se abriu para mim em Maranello. Foi um sonho. Lembro de quando era criança e olhava o Michael por cima do muro – disse Vettel, lembrando do heptacampeão mundial que hoje tenta se recuperar de um acidente sofrido enquanto esquiava nos alpes franceses em dezembro de 2013.

Mas logo a emoção deu lugar ao conhecido bom humor de Vettel, piloto conhecido não apenas por suas vitórias e títulos mundiais, mas também por dar apelidos divertidos aos carros quando corria pela RBR.

Questionado por Jordan sobre o que faria na noite deste domingo, em Kuala Lumpur, o alemão revelou que seus planos eram simples.

– Eu vou ficar muito bêbado essa noite – disse Vettel.

CHANCE DE TÍTULO?

Vettel só foi cauteloso sobre as possibilidades de disputar o título mundial com Lewis Hamilton e Nico Rosberg, os dois pilotos da Mercedes, equipe que domina a F-1 desde a temporada passada.


Com o troféu na mão, Vettel faz o número 1 ao lado de Hamilton, segundo colocado na Malásia – Andy Wong / AP

– Eu espero que seja possível. Foi por isso que assinei (contrato). O objetivo é a missão é levar o campeonato de volta para Maranello. Mas hoje temos que curtir. Sabemos que esses caras são muito fortes, mas vamos trabalhar muito.

Fonte: Globo.ocm

Chuva atrapalha, mas Hamilton garante a pole na Malásia

Hamilton garantiu a pole em Sepang

Por F1Team

Nada melhor do que uma forte chuva para embaralhar o grid de largada para o GP da Malásia de Fórmula 1. E foi o que aconteceu neste sábado. O “pé d’água” que caiu durante o treino de classificação para a corrida em Sepang deu boas chances para as rivais alcançarem a Mercedes.

Apesar da pista molhada, Lewis Hamilton não se sentiu intimidado e garantiu a pole position para a prova de amanhã. Mesmo com todas as adversidades, o inglês mostrou que um bom carro é rápido tanto na pista seca, quanto na chuva, e marcou o melhor tempo no Q3, cravando 1min49s834.

Quem tem muito o que comemorar após a chuva é Sebastian Vettel. O tetracampeão mundial esteve sempre na quarta colocação durante os treinos livres, mas aproveitou bem a pista molhada para garantir a segunda colocação no grid, superando uma das Mercedes.

Se Vettel estava sorrindo após o treino, o mesmo não se pode dizer de Nico Rosberg. Líder do último treino livre, o alemão não se deu muito bem na classificação com pista molhada e vai largar na terceira posição, duas atrás do seu companheiro de equipe e principal rival na disputa do campeonato deste ano, Hamilton.

Felipe Massa não teve um resultado tão impressionante, mas conseguiu superar mais uma vez o seu companheiro de equipe, Valtteri Bottas. O brasileiro largará na sétima colocação, enquanto o finlandês parte apenas em nono.

O treino

Treino começou com pista seca, mas a chuva caiu no Q2

Treino começou com pista seca, mas a chuva caiu no Q2

O treino classificatório para o GP da Malásia foi bastante diferente do que estamos acostumados a ver. A movimentação começou com sol, mas antes da metade do Q2 a chuva castigou o circuito de Sepang, dificultando a vida dos pilotos.

Q1

A primeira parte do treino de classificação em Sepang foi a única realizada com pista seca. Os pilotos tiveram a oportunidade de acelerar forte em busca de uma classificação para o Q2. Como era de se esperar, quem acabou não conseguindo um bom desempenho foram os carros da McLaren.

McLaren foi eliminada ainda no Q1

McLaren foi eliminada ainda no Q1

Jenson Button e Fernando Alonso não obtiveram um tempo suficiente para ficar entre os 15 primeiros colocados e ficaram de fora da segunda parte do treino. Além deles, o brasileiro Felipe Nasr, destaque da primeira corrida na Austrália, também não teve um bom ritmo, terminou em décimo sexto e não se classificou para o Q2.

Os outros dois eliminados foram os pilotos da Manor. Roberto Merhi foi o único a ir para a pista, mas não conseguiu nem mesmo chegar ao limite dos 107%. Enquanto o seu companheiro de equipe, Will Stevens, não chegou a marcar tempo. Ambos precisarão de uma autorização especial da FIA para conseguir correr.

Q2

A penúltima fase do treino classificatório durou cerca de cinco minutos, apenas. Isso porque pouco depois dos carros saírem para a pista, a chuva que todos temiam caiu na pista e fez com que os pilotos não conseguissem mais marcar tempo.

Chuva castigou o circuito no Q2

Chuva castigou o circuito no Q2

Logo que a luz verde acendeu no fim do pitlane, todos os carros foram para a pista, já sabendo que não teriam muito tempo antes que a chuva caísse. Praticamente tivemos uma mini corrida. Quem estava na frente, conseguiu um bom tempo.

Pior para Kimi Raikkonen, que era um dos favoritos para largar nas primeiras filas, mas acabou eliminado por não conseguir um bom tempo. O finlandês agora vai largar em décimo primeiro. Os outros eliminados foram Pastor Maldonado, Nico Hulkenberg, Sergio Pérez e Carlos Sainz Jr.

Q3

A última parte do treino classificatório começou com um atraso de cerca de 30 minutos. Isso porque a pista estava muito encharcada, o que não garantia a segurança dos pilotos. E quando a luz verde acendeu, mais uma vez todos os carros foram para a pista de uma única vez.

Hamilton garantiu a pole

Hamilton garantiu a pole

Apesar de termos muitos carros logo no início do Q3, as marcas finais da qualificação só apareceram nas últimas tentativas. Melhor para Lewis Hamilton, que fez um excelente tempo e, apesar a ameaça de Vettel, partirá na pole. Sebastian, por sua vez, aproveitou a sua excelente performance na chuva e ficou com a segunda colocação. Assim, Nico Rosberg parte apenas em terceiro, seguido por Daniel Ricciardo.

A terceira fila será formada por Daniil Kvyat, da Red Bull, e Max Verstappen, da Toro Rosso. O brasileiro Felipe Massa abrirá a quarta fila, em sétimo, enquanto Romain Grosjean parte em oitavo. As últimas posições do top 10 ficarão com Valtteri Bottas e Marcus Ericsson.

Confira os tempos:

Pos Piloto Equipe / Motor Tempo Diferença
1 Lewis Hamilton Mercedes 1m49.834s
2 Sebastian Vettel Ferrari 1m49.908s 0.074s
3 Nico Rosberg Mercedes 1m50.299s 0.465s
4 Daniel Ricciardo Red Bull / Renault 1m51.541s 1.707s
5 Daniil Kvyat Red Bull / Renault 1m51.950s 2.116s
6 Max Verstappen Toro Rosso / Renault 1m51.980s 2.146s
7 Felipe Massa Williams / Mercedes 1m52.473s 2.639s
8 Romain Grosjean Lotus / Mercedes 1m52.980s 3.146s
9 Valtteri Bottas Williams / Mercedes 1m53.179s 3.345s
10 Marcus Ericsson Sauber / Ferrari 1m53.260s 3.426s
11 Kimi Raikkonen Ferrari 1m42.173s
12 Pastor Maldonado Lotus / Mercedes 1m42.197s
13 Nico Hulkenberg Force India / Mercedes 1m43.022s
14 Sergio Perez Force India / Mercedes 1m43.468s
15 Carlos Sainz Toro Rosso / Renault 1m43.700s
16 Felipe Nasr Sauber / Ferrari 1m41.308s
17 Jenson Button McLaren / Honda 1m41.635s
18 Fernando Alonso McLaren / Honda 1m41.745s
19 Roberto Merhi Marussia / Ferrari 1m46.677s
20 Will Stevens Marussia / Ferrari

Felipe Nasr se torna primeiro estreante brasileiro a pontuar na história da F-1

Por Direto de Melbourne, Austrália

Bastou apenas uma corrida para Felipe Nasr escrever seu nome na história do automobilismo brasileiro. Com o 5º lugar com a Sauber no GP da Austrália deste domingo, o brasiliense de 22 anos alcançou o melhor resultado em uma estreia de um piloto do país na Fórmula 1, tornando-se também o primeiro brasileiro a pontuar logo em sua primeira prova na categoria máxima do esporte a motor. Ao ser confrontado com as marcas históricas, o piloto admitiu não esperar um resultado tão bom: “Jamais imaginei. Não tenho nem palavras”.

Felipe Nasr, da Sauber, no treino classificatório para o GP da Austrália (Foto: EFE)
Felipe Nasr, da Sauber, no treino classificatório para o GP da Austrália (Foto: EFE)

 Em uma corrida inusitada em que apenas 11 carros cruzaram a linha de chegada, levar o carro até o fim da prova já seria praticamente suficiente para Nasr garantir pontos na estreia. Mas o brasileiro foi além. Começando do 10º lugar, o piloto da Sauber passou quatro rivais na largada e subiu para sexto. Ainda no começo da prova, deixou Carlos Sainz Jr. (STR) para trás e subiu para quinto. Depois, conseguiu seguar o ídolo local Daniel Ricciardo (RBR) até o fim para manter a quinta colocação, causando uma ótima impressão em todo circo da Fórmula 1.

– Estou muito feliz. Foi um dia bem emocionante para mim, para as pessoas que trabalham comigo, para minha família, para torcida brasileira, para todos que acreditam. Eu não podia ter pedido mais para ter um começo assim. Foi tudo perfeito do começo ao fim.

Ayrton Senna 1984 Toleman Jacarepagua (Foto: Getty Images)A
yrton Senna estreou pela Toleman no GP do Brasil de 1974 no RJ (Foto: Getty Images)

Senna e Piquet abandonaram na estreia

Nasr é o 31º brasileiro a correr na F-1. Dos outros 30 representantes do país, a metade sequer completou a prova. Os motivos foram diversos, desde problemas de motor, câmbio a acidentes. Nem os três grandes campeões brasileiros, Ayrton Senna, Nelson Piquet e Emerson Fittipaldi, conseguiram a façanha de marcar pontos na estreia. Começando na Toleman, Senna teve sua primeira prova frustrada no GP do Brasil de 1984 logo na oitava volta por um problema no turbo de seu motor. Já Nelson Piquet debutou na F-1 pela modesta Ensign e viu o motor do carro deixa-lo na mão no GP da Alemanha de 1978. Emerson Fittipaldi, por sua vez, completou sua prova de estreia, o GP da Inglaterra de 1970 na 8ª posição, mas na época, apenas os seis primeiros pontuavam.

Dos demais brasileiros vencedores de Grandes Prêmios, Rubens Barrichello teve problemas no câmbio de sua Jordan no GP da África do Sul de 1993; Felipe Massa, de Sauber, foi envolvido no acidente na largada no GP da Austrália de 2002; e José Carlos Pace, de March, foi apenas o 17º no GP da África do Sul de 1972.

Melhores resultados na estreia eram de Wilsinho Fittipaldi e Chico Serra

Antes do feito de Nasr, os melhores resultados de brasileiros em estreia foram de Wilsinho Fittipaldi (Brabham) e Chico Serra (Copersucar). Wilsinho conseguiu um expressivo 7º lugar no GP da Espanha de 1972, e Serra, em um GP dos EUA de 1981 onde poucos carros completaram, repetiu a dose com a Copersucar. Outros três pilotos terminaram no top 10 antes da F-1 passar a distribuir pontos para os dez primeiros (2010). A bordo de uma Footwork, Ricardo Rosset debutou com um 9º lugar no GP da Austrália de 1996. Pedro Paulo Diniz, por sua vez, começou com um 10º lugar em um tumultuado GP do Brasil de 1995. Teve também o franco-brasileiro Nano da Silva Ramos, que foi oitavo no GP da Holanda de 1995, quando apenas cinco marcavam pontos.

Resultados de estreia dos brasileiros na Fórmula 1 (Foto: GloboEsporte.com)
Resultados de estreia dos brasileiros na Fórmula 1 (Foto: GloboEsporte.com)

Classificação Mundial de Pilotos F1 2015

Temporada de Fórmula 1 de 2015 será a 66ª temporada Fórmula 1 FIA. A temporada terá 20 etapas.1 Inicia-se em 15 de março de 2015 em Melbourne (Austrália) e terminando em Abu Dhabi (Emirados Árabes) no dia 29 de novembro.

F1 2015

Hamilton vence GP da Austrália de ponta a ponta

Por F1Team

Deixando a saudade de lado, a prova de abertura da temporada 2015 da F1, em Melbourne, não trouxe nada de “novo” e pouca emoção. E os carros da Mercedes foram os principais culpados por isso. Na formação do grid de largada, estavam lá os carros alemães na primeira fila. Detalhe: Tivemos na Austrália o terceiro menor grid em toda a história da categoria. Apenas 15 pilotos alinhados em seus colchetes.

1-2 da Mercedes com Hamilton na frente no primeiro GP do ano

1-2 da Mercedes com Hamilton na frente no primeiro GP do ano

No transcorrer da corrida, o carro de número 44 seguiu de ponta a ponta na frente, sem dificuldades e, muito menos, sustos. Seu companheiro de equipe, Nico Rosberg, até tentou se aproximar do inglês, mas o embate entre os dois se resumiu a quem fazia a volta mais rápida.

E seguiram assim até receber a quadriculada com Hamilton em primeiro e Nico no segundo posto. Sebastian Vettel, em sua estreia pela Ferrari, foi o terceiro a cruzar a linha de chegada.

O brasileiro Felipe Massa fez uma corrida regular. Muitos que acordaram cedo para acompanhar a prova de abertura esperavam mais do segundo carro mais “forte” do grid, o FW37 da Williams, e do piloto, que seguiu na terceira posição até sua entrada nos boxes. No geral não foi uma corrida ruim.

Destaque mesmo foi o outro Felipe, o Nasr. Mesmo com o domínio das Mercedes, o estreante do dia conseguiu se destacar no meio da multidão. Ele levou a Sauber da décima para a quinta posição já no seu GP de estreia.

A corrida:

A formação para o primeiro grid do ano, em partes, começou diferente. Com a ausência de dois destaques, Fernando Alonso e Valtteri Bottas, este último foi vetado pelos médicos por ter sofrido uma lesão nas costas durante o treino classificatório. Além deles, antes mesmo de alinhar na reta de largada, o motor Honda de Kevin Magnussen foi para o espaço. Na contagem geral, apenas 15 pilotos conseguiram iniciar a corrida.

Normal mesmo foi encontrar os dois carros da Mercedes na primeira linha do grid aguardando a luz verde. Hamilton no P1, Rosberg no P2, briga boa. Com a pista liberada, Lewis conseguiu sustentar bem sua primeira posição. Logo atrás permaneceu Nico Rosberg. Felipe Massa se manteve no terceiro posto mesmo sofrendo os ataques da Ferrari de Sebastian Vettel.

Antes de completar a primeira volta, o carro de segurança já foi acionado por causa do incidente de Pastor Maldonado – em um lance normal de corrida, ele tocou pneu traseiro esquerdo com o pneu dianteiro direito de Nasr e rodou, batendo no muro da pista. Na sequência, o segundo carro da Lotus – Grosjean – também deixou o GP prematuramente.Ficaram apenas 13 pilotos na pista.

Com o retorno do Safety Car para os boxes, tivemos a relargada na terceira volta – com destaque para a ultrapassagem de Nasr sobre Daniel Ricciardo na reta principal.

Com cinco voltas completas, o top-10 formava com: Hamilton, Rosberg, Massa, Vettel, Nasr, Ricciardo, Sainz, Raikkonen, Verstappen e Hulkenberg.

Na dianteira da prova, Hamilton seguia sem ser incomodado. O piloto inglês colocou 2s3 no companheiro de equipe na nona volta, e Massa, conseguia descolar um pouco mais de Vettel.

A briga entre Hamilton e Rosberg lá na dianteira parecia que estava perto de acontecer. Pelo menos era o que se desenhava, com a distância entre os dois diminuindo a cada instante.

Surpresa boa mesmo foi observar o estreante  Felipe Nasr andar de forma consistente e seguir na quinta posição, apesar da pressão exercida por Ricciardo.

Com quinze volta completas, os dez primeiros eram: HAM, ROS, MAS, VET, NAS, RIC, RAI, SAI, VES E HUL.

Kimi nos boxes e a primeira lambança da temporada. Com o tempo de 8s7, os mecânicos sofreram para trocar o pneu traseiro esquerdo da Ferrari.

Lá na frente as coisas continuavam da mesma forma: Hamilton na frente, com 2s6 de vantagem para Rosberg e Felipe Massa na terceira posição, 1s8 à frente de Vettel.

Na volta 22, foi a vez de Felipe Massa entrar nos boxes. Com a parada total de 22 segundos, o piloto brasileiro voltou na sétima posição e com os compostos médios.

Duas voltas depois, Vettel fez sua parada. Saindo também com pneus médios, o alemão voltou na frente de Felipe.

Trabalho impecável da Mercedes na parada do líder da prova. 3s3 e carro de volta para pista. Na volta 26 foi a vez de Rosberg entrar nos boxes. 2s9 foi o tempo da parada.

Com 30 voltas completadas, o top-10 formava com: HAM, ROS, VET, MAS, RAI, VES, NAS, RIC, HUL e ERI.

Felipe Massa conseguia ser mais lento que Vettel nos quatro setores do traçado australiano. Com os compostos médios, a Ferrari andava mais rápida que a Williams do brasileiro.

Depois de 35 giros, Verstappen, o piloto mais jovem da Fórmula 1, abandonou prematuramente a corrida australiana.

Rosberg, que tentava a todo custo se aproximar do seu companheiro de equipe, recebeu um aviso da Mercedes via rádio para tomar cuidado com seu consumo de combustível.

Com o erro da equipe Ferrari, Kimi Raikkonen foi mais um a abandonar o GP da Austrália. Massa agora era o quarto colocado e Nasr reassumia a quinta posição.

Com treze voltas para o final, Felipe vinha girando cada vez mais rápido de que Sebastian Vettel. Com um ritmo muito bom, o brasileiro foi pra cima do alemão, mas visualmente apenas. A diferença entre os dois caia para 3s.

Faltando dez voltas para o termino da corrida, Hamilton e Rosberg seguiam trocando voltas rápidas. Nico cravou 1min32s092. A diferença entre os dois era de 2s.

Em seguida, volta mais rápida para Hamilton. Com sete voltas para o fim, o inglês cravou 1min30s945. Já na briga entre Vettel e Massa, a diferença entre os dois caiu para 2s5.

Sem muito trabalho na pista, Hamilton seguiu tranquilamente pelo traçado de Melbourne até receber a bandeira quadriculada na primeira posição. O piloto dominante da Mercedes cruzou a linha de chegada liderando a primeira prova de temporada de ponta a ponta.

Na segunda posição cruzou Nico Rosberg. Em terceiro, Sebastian Vettel. Cruzando a linha de chegada na quarta posição, Felipe Massa. Nasr foi o quinto.

Melbourne

"Fotos" Hamilton festeja o bicampeonato em Abu Dhabi

Chegamos na última etapa da temporada com chances reais do título de 2014, ficar nas mãos de Hamilton ou do seu companheiro de equipe, Nico Rosberg. Se toda trajetória do ano fosse analisada friamente, o merecimento de levantar essa conquista, de fato, seria toda creditada para o inglês campeão em 2008. E foi o que aconteceu. Lewis venceu corrida e contou com uma falha na Mercedes do alemão para se consagrar bicampeão.

Fotos: fia.com

Hamilton festeja o bicampeonato em Abu Dhabi

Por F1 Team

Chegamos na última etapa da temporada com chances reais do título de 2014, ficar nas mãos de Hamilton ou do seu companheiro de equipe, Nico Rosberg. Se toda trajetória do ano fosse analisada friamente, o merecimento de levantar essa conquista, de fato, seria toda creditada para o inglês campeão em 2008. E foi o que aconteceu. Lewis venceu corrida e contou com uma falha na Mercedes do alemão para se consagrar bicampeão.

Em Abu Dhabi, Hamilton levanta o bicampeonato da categoria

Em Abu Dhabi, Hamilton levanta o bicampeonato da categoria

E foi assim desde o início da prova. Nico faz uma péssima largada, um sinal de que seu carro não estaria bem no traçado de Yas Marina, Hamilton não tomou conhecimento e assumiu a dianteira da prova antes mesmo da primeira curva.

A falta de tração no carro de Rosberg afastou, até então, o duelo que todos esperavam em Abu Dhabi. O germânico apenas corria como espectador e observava, de camarote um duelo de estratégia entre Hamilton e Felipe Massa, Mercedes e Williams.

Porém, não deu para o brasileiro, que arriscou até onde pôde, mas viu Lewis Hamilton chegar à sua frente. Como prêmio, Massa subiu no segundo degrau mais alto do pódio. Em terceiro, cruzava Valtteri Bottas.

A corrida:

Em Abu Dhabi os pilotos percorreram 55 voltas em torno de 5.554 metros e 21 curvas. Totalizando 305.355 km. Com Nico Rosberg na pole, os carros foram se alinhando após o giro de apresentação. A expectativa ficou por conta do alemão, ele precisava manter a ponta e segurar seu companheiro de equipe que vinha logo atrás no P2. Na segunda fila veio os dois carros da Williams – Bottas e Massa, na ordem – na terceira fila apareciam Kvyat e Button.

Com a luz verde acionada, nem mesmo Lewis Hamilton esperava pela péssima largada do ponteiro Nico Rosberg. Sem tração no carro, o alemão ficou pra trás e observou o inglês assumir a primeira colocação em Yas Marina. Bom foi para Felipe Massa, que de quarto pulou para terceira posição.

Outro que largou bem foi Jenson Button, que subiu para a quarta posição. No entanto, Raikkonen e Fernando Alonso corriam para assumir o quarto posto do piloto da McLaren.

Com cinco voltas completadas, o top-10 formava com: Hamilton, Rosberg, Massa, Button, Raikkonen, Alonso, Kvyat, Bottas, Hulkenberg e Sergio Pérez.

Quem inaugurou o giro de melhor volta foi Lewis Hamilton ainda na segunda volta. O piloto da Mercedes cravava 1min47s142. E o primeiro a iniciar os trabalhos nos boxes foi Fernando Alonso na sexta volta.

Quem fez um bom começo de prova era Felipe Massa. Com setes voltas, o piloto brasileiro conseguia ser mais rápido que Rosberg. Porém, o alemão tinha 3s8 de vantagem.

Aos nove giros completos, Hamilton tinha 2s4 de vantagem para seu companheiro de equipe. Por esse motivo, o time da Mercedes pedia que o inglês andasse mais rápido antes de fazer sua primeira parada nos boxes.

Preocupada com a aproximação das Williams, a Mercedes resolveu antecipar a entrada de Hamilton nos boxes. Na volta 11, o britânico fez uma parada impecável de 2s7. Na volta seguinte foi a vez de Nico Rosberg (2s6).

Com os dois carros da Mercedes passando pelos boxes, Felipe Massa assumiu a dianteira da prova em Abu Dhabi na volta de número 12.

Na volta de número 13, os dez primeiros eram: Massa, Hamilton, Rosberg, Hulkenberg, Pérez, Vergne, Ricciardo, Magnussen, Vettel e Valtteri Bottas.

Em seguida, foi a vez de Felipe Massa fazer sua primeira parada nos boxes. A Williams fez um bom trabalho e manteve a média (2s9).

Depois da primeira rodada de passagens pelos boxes, a corrida em Yas Marina voltava a normalidade. Hamilton reassumia a dianteira e já colocava 2s5 de vantagem para Nico Rosberg. Massa voltava para a terceira posição, 8s1 de distância para o líder da prova.

Com 16 voltas completadas, o destaque, até então, era pra Sebastian Vettel. Largando dos boxes, ele já andava na sétima posição. Na mesma volta, Kvyat que vai assumir o posto de Vettel na RBR, foi o primeiro a deixar a última etapa da temporada com um defeito no carro.

A briga entre as Mercedes continuava morna. Sem conseguir se aproximar de Hamilton, a distância entre o inglês e Rosberg permanecia na casa de 2s. Isso na volta 19. Em terceiro, Massa carregava uma vantagem de 14s5 para Daniel Ricciardo, quarto colocado.

Depois de 25 giros, o top-10 formava com: Hamilton, Rosberg, Massa, Ricciardo, Bottas, Button, Alonso, Raikkonen, Pérez e Hulkenberg.

Com problemas no sistema de recuperação de energia, Rosberg começou a perder, consideravelmente, potência na corrida. Essa falha no sistema da Mercedes dava chance para Massa se aproximar do Alemão. Consequentemente, Nico também perdia as chances de conquistar o primeiro título na carreira.

Na volta 27 não deu para o alemão sustentar o ataque de Felipe. Sem muito esforço, o piloto brasileiro passou por Rosberg. Bottas também vinha diminuindo sua distância para o alemão.

Pastor Maldonado foi mais uma a deixar a última prova da temporada prematuramente. Na volta 28, o venezuelano explodiu o motor de sua Lotus e foi bem devagar até a área de escape.

Com a corrida monótona na pista, Felipe Massa começou a tirar a diferença para Lewis Hamilton, diminuindo quase 2s por volta. Isso na volta de número 30. De imediato, Hamilton mandava um recado para a equipe: “Estou pegando leve com o carro.”

Duas voltas depois, Hamilton fazia sua segunda parada nos boxes e sedia, momentaneamente, a liderança para Massa. O inglês voltou na terceira posição.

Os dez primeiros, com 35 voltas completadas, eram: Massa, Hamilton, Bottas, Ricciardo, Pérez, Hulkenberg, Rosberg, Vettel, Button e Fernando Alonso.

Quem andava desesperado na pista era Nico Rosberg. Questionava sua equipe via rádio em qual posição precisaria terminar a corrida para levantar o título da temporada, caso Hamilton abandonasse a prova.

Depois de 37 voltas, Felipe Massa era quem chamava a atenção. Com Hamilton precisando andar na casa de 1min47s, a diferença entre eles era de 15s5. Isso faltando 20 voltas do fim da prova.

Sem sinal de uma nova parada nos boxes, a impressão que dava, na volta de número 43, era de que Massa não entraria mais nos boxes em Abu Dhabi. A diferença entre o brasileiro e Hamilton era de 12s5.

Na volta 44 a equipe Williams resolveu chamar o brasileiro para os boxes e colocou pneus supermacios em seu carro. Massa voltou em segundo e precisava de onze voltas em ritmo de classificação para reassumir a ponta.

Com essa nova parada dos líderes, o top-10 formava com: Hamilton, Massa, Ricciardo, Bottas, Vettel, Button, Rosberg, Hulkenberg, Alonso e Sergio Pérez.

Felipe fez a melhor volta da corrida (1min45s352). O brasileiro, agora, tinha que tirar uma diferença de 8s para Lewis Hamilton. Na volta seguinte (47), o piloto da Williams fazia outra volta mais rápida (1min44s953). Mas não deu para o brasileiro, que arriscou até o limite e colocou a Williams, novamente, no centro das atenções.

Correndo como nunca, Lewis Hamilton mostrava na pista que apenas administrava o campeonato no traçado de Yas Marina. E, quando precisou mostrar todo o potencial do carro, o campeão de 2008 fazia voltas muito rápidas.

Com a vitória, Hamilton consagrou uma temporada impecável e se tornou o campeão de 2014 da Fórmula 1.

Abu Dhabi