Judô

Brasil Olímpico aponta os melhores atletas de 2013 "Fotos"

Por Uol Esportes

Os destaques brasileiros nas quadras, piscinas, mares, ginásios e pistas do mundo inteiro em 2013 são as grandes estrelas da 15ª edição do Prêmio Brasil Olímpico 2013, que acontece nesta terça-feira, 17, em São Paulo, às 19h (da Bahia).

Ganharão troféus os melhores atletas da temporada por modalidade. O ‘Oscar do esporte brasileiro’ premia ainda os melhores treinadores do ano (coletivo e individual). O grande evento da noite, porém, fica pelo título de Melhor Atleta de 2013, disputado no feminino por Poliana Okimoto (maratona aquática), Rafaela Silva (judô) e Yane Marques (pentatlo moderno), e no masculino por Arthur Zanetti (ginástica artística), Cesar Cielo (natação) e Jorge Zarif (vela).

A escolha dos melhores atletas em cada modalidade (veja a lista abaixo) e a definição dos indicados a Melhor Atleta do Ano foi realizada por um júri composto por jornalistas, dirigentes, ex-atletas e personalidades do esporte. Esse voto terá peso de 50% na eleição final para os melhores do ano, depois de serem computados os votos do público pela Internet, feita através do site do COB (www.cob.org.br) e que se encerrará durante a cerimônia, que terá transmissão ao vivo pelo SporTV.

Dentre os melhores por modalidades, destaque para dois baianos:Isaquias Queiroz  (canoagem de velocidade) e Robson Conceição (boxe).

Homenagem

Além de premiar os melhores atletas do ano, o COB homenageará o cinquentenário da primeira edição de Jogos Pan-americanos organizada no Brasil (São Paulo, em 1963). Mais de 90 ex-atletas que conquistaram medalhas naquele evento confirmaram presença na festa, entre eles os tenistas Maria Esther Bueno e Thomaz Koch, o jogador de basquete Amaury Passos, além de Carlos Alberto Torres, do futebol.

Maior medalhista olímpico brasileiro da história, ao lado de Robert Scheidt, o velejador Torben Grael receberá o Troféu Adhemar Ferreira da Silva, dedicado a atletas que mantém o legado deixado por Adhemar, o primeiro bicampeão olímpico do Brasil.

Pelo segundo ano consecutivo o COB concederá o troféu de Melhor Treinador do Ano a Marcos Goto (técnico de Arthur Zanetti), na categoria modalidade individual, e a José Roberto Guimarães, do voleibol, nos esportes coletivos. O Prêmio Brasil Olímpico também será concedido a quatro atletas dos Jogos Escolares da Juventude deste ano.

Os melhores de 2013 em cada modalidade:

Atletismo: Mauro Vinicius da Silva
Badminton: Lohaynny Vicente
Basquete: Tiago Splitter
Boxe: Robson Conceição
Canoagem Slalom: Ana Sátila
Canoagem Velocidade: Isaquias Queiroz
Ciclismo BMX:  Renato Rezende
Ciclismo Estrada: Rafael Andriato
Ciclismo Mountain Bike: Henrique Avancini
Ciclismo Pista:  Flavio Cipriano
Desportos na Neve: Isabel Clark
Desportos no Gelo:  Isadora Williams
Esgrima:  Gabriela Cecchini
Futebol:  Neymar Junior
Ginástica Artística:  Arthur Zanetti
Ginástica de Trampolim:  Giovanna Matheus
Ginástica Rítmica:  Angelica Kvieczynski
Golfe:  Adilson da Silva
Handebol:  Alexandra Nascimento
Hipismo Adestramento:  Luíza Almeida
Hipismo CCE:  Marcelo Tosi
Hipismo Saltos:   Alvaro A. de Miranda Neto
Hóquei Sobre Grama: Matheus B. Ferreira
Judô:  Rafaela Silva
Levantamento de Peso:  Fernando Reis
Lutas:  Joice Silva
Maratona Aquática:  Poliana Okimoto
Natação:  Cesar Cielo
Natação Sincronizada:  Lorena Molinos
Pentatlo Moderno:  Yane Marques
Polo Aquático:  Izabella Chiappini
Remo:  Fabiana Beltrame
Rugby:  Julia Sardá
Saltos Ornamentais:  Cesar Castro
Taekwondo:  Guilherme Dias
Tênis:   Bruno Soares
Tênis de Mesa:  Hugo Calderano
Tiro com Arco:  Sarah Nikitin
Tiro Esportivo: Cassio Rippel
Triatlo:  Pâmella Oliveira
Vela:  Jorge Zarif
Vôlei de Praia:  Talita Antunes
Vôlei:  Thaisa Daher

Com Sarah à frente, projeto deve atender 700 crianças em Teresina

Por Globo Esportes

Novos judocas, promessas dos tatames. Nesta sexta-feira (11), foi dado mais um passo para a descoberta desses talentos. A Associação de Judô Expedito Falcão, que tem à frente a judocaSarah Menezes e o técnico Expedito Falcão, assinou convênio com a prefeitura de Teresina para desenvolver o Projeto Superação. A parceira deve beneficiar 700 crianças, com idade entre 7 e 14 anos, da rede municipal de ensino.

Inicialmente, o projeto será implantado em cinco pontos de Teresina: Escolão do Itararé, Escola Municipal Eurípedes de Aguiar, Escolão do Parque Piauí e Escolão do Mocambinho, além de uma escola na Vila Irmã Dulce. A prefeitura será responsável pela parte operacional; enquanto a Associação cuidará da parte técnica, qualificando e supervisionando os professores. Sarah Menezes e Expedito Falcão - Projeto Superação (Foto: Aline Rodrigues)

A parceira, de acordo com Expedito Falcão, é mais um reflexo da conquista do ouro olímpico de Sarah Menezes, em julho do ano passado em Londres. Para ele, o esporte começa a chegar para pessoas mais carentes, cumprindo também seu papel social.

– A conquista da Sarah foi um divisor de água. Com esse projeto, vamos dar oportunidade para aqueles que em outra época não teriam. Queremos facilitar a entrada desses meninos no esporte – afirma o treinador.

Sarah Menezes - Projeto Superação (Foto: Renato Bezerra/ Ascom)
Projeto Superação é parceira entre Associação de Judô Expedito Falcão e a Prefeitura de Teresina. Os melhores atletas serão lapitados  (Foto: Renato Bezerra/ Ascom)

Além de dar oportunidade, o Projeto Superação poderá também revelar novos talentos para o judô piauiense. Os melhores poderão ser lapidados.

– O objetivo é dar oportunidade para os garotos. Os melhores serão lapidados para se tornarem grandes atletas – finaliza Sarah Menezes.

O próximo passo do Projeto é a análise dos locais selecionais para dar fazer as adequações necessárias.

Cuba decide permitir profissionalismo no esporte

Cuba anunciou nesta sexta-feira (27) uma revolução dentro da sua forma de lidar com o esporte. A partir de agora, atletas de todos os esportes podem assinar contratos com clubes estrangeiros, encerrando décadas de uma política que limitava a participação dos atletas do país a competições em que representassem o regime comunista. Por conta dessa política, diversos esportistas desertaram nos últimos anos. O caso mais recente foi Orlando Ortega, barreirista, que não voltou a Cuba depois do Mundial de Atletismo em Moscou e agora pretende competir sob a bandeira do principado de Mônaco.

A novidade foi divulgada na edição desta sexta-feira (27) do Granma jornal oficial do Partido Comunista de Cuba e, por isso, órgão oficial de imprensa. A comunidade internacional entendeu a decisão do presidente Raul Castro como uma medida para acabar com a série de deserções principalmente em modalidades onde Cuba é forte, como o beisebol e o boxe. Segundo o Granma, os atletas cubanos terão que pagar impostos sobre o que ganharem competindo profissionalmente fora do país.

Essa é a primeira vez que a ilha caribenha permite o profissionalismo no esporte em mais de uma década. Em 1961, dois anos depois de Fidel Castro assumir o poder por lá, o profissionalismo passou a ser proibido. Desde então, os atletas são empregados do estado, recebendo salários equivalente ao de outros trabalhadores.

A decisão anunciada nesta sexta entra no pacote de medidas de abertura econômica tomadas pelo irmão e sucessor de Fidel, Raul Castro, que assumiu o poder em 2006, quando o quadro de saúde de Fidel se complicou.

No começo do ano, Cuba já havia criado uma liga profissional de boxe, tentando manter a enormidade de talentos que produz no país. Nela, os boxeadores competem para receber entre mil e 3 mil dólares por mês, quantia irrisória perto do boxe profissional dos EUA.

 

 

 

Fonte: Agência Estado

Após Mundial, Brasil fica com três líderes e quatro vices no ranking

Por ESPN com Agência EFE

 Nesta quarta-feira, a Federação Internacional de Judô divulgou uma atualização do ranking, já contabilizando os pontos obtidos pelos judocas no Mundial do Rio de Janeiro. O Brasil manteve Sarah Menezes (48kg), Mayra Aguiar (78kg) e Maria Suelen Altheman (+78kg) como líderes do ranking.

Sarah Menezes e Mayra Aguiar ganharam medalhas de bronze e Maria Suelen faturou uma prata no Mundial.

Rafaela Silva (57kg), que fez história e conquistou ouro no Mundial, subiu da quarta para a segunda colocação, ficando pouco mais de 300 pontos atrás da líder Automne Pavia, da França. Quem também chegou à vice-liderança do ranking foi Erika Miranda (52kg), medalhista de prata no Mundial, que está empatada com a japonesa Yuki Hashimoto em 1.670 pontos. A líder da categoria é Majlinda Kelmendi, do Kosovo, que faturou a medalha de ouro na Cidade Maravilhosa.

Entre os homens, Victor Penalber (81kg) e Rafael Silva (+100kg) voltam à segunda posição, ficando atrás do georgiano Avtandili Tchrikishvili e do francês Teddy Riner, respectivamente.

Ainda entre os cinco primeiros do ranking, o Brasil conta com dois atletas. Felipe Kitadai (60kg) é o quinto, mesma posição ocupada por Charles Chibana (66kg), que subiu duas colocações, após ficar em quinto no Mundial do Rio de Janeiro.

Cubano diz que foi subornado para perder na final do Mundial de Judô no RJ

Por ESPN com Agência EFE

O judoca cubano Asley González, campeão na categoria médio (até 90kg) do Campeonato Mundial do Rio de Janeiro, disputado na última semana, denunciou uma tentativa de suborno para que fosse derrotado na final do torneio, informou a imprensa da ilha nesta quarta-feira.

González não disse quem tentou suborná-lo, apenas revelou que o ofereceram de US$ 15 mil a US$ 20 mil para perder a luta decisiva contra o georgiano Varlam Liparteliani, primeiro cabeça de chave, de acordo com informações do site esportivo cubano “Jit”.

“Me mostraram esses números em um celular para perder a final, mas meu sonho de ser campeão do mundo e meus princípios fizeram com que eu não vacilasse em nenhum momento”, declarou o judoca de 24 anos, medalha de prata na mesma categoria nos Jogos Olímpicos de Londres, no ano passado.

“Não poderia decepcionar meu treinador, meu povo e a revolução, que sempre nos pregou a honra e a dignidade antes de tudo”, acrescentou.

O primeiro vice-presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, já havia falado sobre a tentativa de suborno a González durante a recepção oficial da delegação do país em Havana, na última segunda-feira.

Díaz-Canel considerou a atitude do judoca uma lição para todos os atletas da ilha e negou que exista um “desastre” no desenvolvimento esportivo do país, que, além da medalha de González, obteve apenas outras duas. Idalys Ortiz ficou com o ouro na categoria pesado (acima de 78kg) ao bater a brasileira Maria Suelen Altheman na final, e a equipe feminina ficou com o bronze.

Prata para o Brasil no Mundial por equipes

Equipe feminina do Brasil conquista a prata no Mundial (Foto: Marcio Rodrigues / MPIX / Fotocom.net)

As meninas da seleção brasileira de judô lutaram até o fim. A medalha de ouro do Mundial por equipes só foi decidida no último combate da decisão contra o Japão. E foi por uma diferença mínima, de um shido, que Maria Suelen Altheman perdeu para Megumi Tachimoto e viu as rivais fecharem a série melhor de cinco em 3 a 2 para ficarem com o título no Rio de Janeiro. As medalhas de bronze ficaram com França e Cuba. As japonesas, campeãs por equipes no Mundial de Salvador, ano passado, agora são tetracampeãs mundiais (2002, 2008, 1012 e 2013).

Estreia: alemãs levam passeio

 A campanha até o pódio teve a Alemanha como primeira rival. Érika Miranda abriu o duelo vencendo Mareen Kraeh por wazari após dominar o combate. Em seguida, a campeã mundial no peso até 57kg Rafaela Silva bateu por um yuko Miryan Roper. A Alemanha venceu com Martyna Trajdos levando a melhor sobre Ketleyn Quadros, que lutou no peso de cima, por imobilização, mas Maria Portela bateu por ippon Laura Vargas Koch e fez 3 a 1. Maria Suelen ainda marcou o 4 a 1 ao vencer por yuko Jasmin  Kuelbs .

Quartas: francesas vendem derrota caro

 Nas quartas de final, o Brasil pegou uma das melhores escolas do judô atual. Teve pela frente a França e só conseguiu avançar para as semifinais na última luta, com Maria Suelen Altheman. No primeiro duelo, Eleudis Valentim venceu por wazari Lucile Duport. Na segunda luta, Rafaela Silva passou por cima de Helene Receveaux com um ippon. Mas a França não se entregou.

Mariana Silva foi derrotada por Clarisse Agbegnenou por ippon, e na quarta luta Gevrise Emane venceu Maria Portela por um shido. Tudo igual: 2 a 2. Maria Suelen Altheman então pegou a poderosa Lucie Louette, e com dois minutos de luta conseguiu o que seria um ippon. Chegou a comemorar, mas a arbitragem voltou atrás e marcou um wazari. A francesa não desistiu, e teve um yuko a seu favor, deixando a luta emocionante até o último segundo.

Semifinal: Mayra decide contra sul coreana

Na semifinal, o Brasil começou perdendo. Na frente por uma punição, Érika Miranda perdeu por yuko diante da coreana Da Sol Park quando faltavam apenas dois segundos para o fim. Mas o time não se abateu. Rafaela Silva empatou a disputa. Contra Jan-Di Kim, a campeã do mundo venceu por um wazari e igualou tudo. A terceira a lutar foi Mariana Silva. Ela pegou Da-Woon Joung, mas apesar de equilibrar o duelo, perdeu por wazari: 2 a 1.

Raçuda, Maria Portela tinha uma grande responsabilidade pela frente. Precisava vencer Seongyeon Kim para o Brasil continuar na briga. E o fez. No “golden score”, aos 36 segundos, a sul coreana levou um shido e o duelo ficou em 2 a 2. Na última luta, Mayra Aguiar, que substituiu Maria Suelen Altheman nesse combate, venceu Jung Eun Lee, mesmo lutando uma categoria acima da sua. Depois de vencer, Mayra bateu no peito e avisou que no Brasil não seria derrotado pelas coreanas

Final: japonesas vencem por 3 a 2 no último duelo

Érika Miranda abriu a final sob forte apoio das arquibancadas. A brasileira, porém, durou apenas um minuto e meio nas mãos da japonesa Yuki Hashimoto, sendo imobilizada e perdendo por ippon. Com 100% de aproveitamento no Mundial de judô e vivendo um momento mágico que lhe rendeu o título de campeã mundial, Rafaela Silva bateu Anzu Yamamoto por wazari e empatou tudo.

No duelo de 63kg, Katherine Campos foi imobilizada por Kana Abe e perdeu por ippon, com o Japão abrindo 2 a 1. Mas Maria Portela entrou no tatame e com muita vontade, venceu Haruka Tachimoto por uma punição e levou a batalha para o último duelo, entre Maria Suelen e Megumi Tachimoto. Faltando pouco menos de dois minutos para o fim do duelo, Suelen levou uma punição e a japonesa ficou na frente. A brasileira ainda tentou reverter, mas não conseguiu .

Por 

Teddy Riner é eleito presidente da Comissão de Atletas da FIJ

O atual campeão olímpico e mundial do peso pesado foi eleito por unanimidade e foi apresentado aos torcedores pouco antes do início do bloco final do Mundial por Equipes, no último dia do campeonato, 1º de setembro.

“Estou muito feliz e honrado por ter sido eleito como Presidente da Comissão de Atletas IJF. Eu farei o meu melhor para representar os atletas a nível internacional e espero fazer um bom trabalho para eles”, disse Riner, o homem mais jovem a se tornar campeão mundial.

Riner assume o lugar que o japonês Hirotaka Okada, bronze nas Olimpíadas de Barcelona e duas vezes campeão mundial, ocupava desde 2009, ano em que a comissão foi criada.

A Comissão de Atletas conta com nove integrantes. Quatro foram indicados por Marius Vizer,  presidente da Federação Internacional de Judô: Kayla Harrison dos Estados Unidos, Alina Dumitru da Romênia e Kim Jae-Bum da Coreia, além de Teddy Riner. Os eleitos pelos 680 atletas que participaram do Campeonato Mundial são: Miklos Ungvari da Hungria, Rishod Sobirov do Uzbequistão, Dieudonne Dolassem de Camarões, Anthony Liu de Samoa Americana e o brasileiro Tiago Camilo.

“A nossa função na Comissão de Atletas é ser a voz dos atletas nesse diálogo com todos os envolvidos com o judô, especialmente a Federação Internacional de Judô. Espero poder ajudar o esporte a continuar evoluindo e se tornando mais atrativo para todos”, disse Tiago, campeão do mundo em 2007 e duas vezes medalhista olímpico.

“Parabenizo todos os novos membros da Comissão de Atletas da FIJ, que representa algo muito importante para a Federação. Desejo-lhes boa sorte e bom trabalho em equipe para ajudar o desenvolvimento do judô “, disse Marius Vizer.

Fonte:http://worldjudorio2013.com

III COPA CAV DE JUDÔ "FOTOS"

Evento promovido pela UFPE em parceria com a Faculdade Osman Lins. Tem como objetivo principal proporcionar aos atletas a oportunidade de participar de eventos de judô estimulando a oportunidade de vivenciar a competitividade e a formação de novos amigos. Caso os professores tenham interesse de trazer alunos de projetos sociais, favor enviar a lista até o dia 25 deste mês. Os alunos de projetos sociais serão isentos de taxa de inscrição.

Por gentileza, os professores que confirmarem presença no evento, estão confirmando sua presença no evento. 31 DE AGOSTO DE 2013, LOCAL: UFPE: VITÓRIA DE SANTO ANTÃO-PE. Todos os relacionados atuarão e receberão pelos trabalhos.

Fotos Organização do Evento