Stock Car

Hoje sim! Rubinho é 3º, assegura título da Stock e quebra jejum de 23 anos

Por Curitiba

Foram 23 anos de espera desde o título da Fórmula 3 inglesa em 2001. Mas neste domingo, na decisão da Stock Car em Curitiba, Rubens Barrichello finalmente soltou da garganta o grito de “É campeão!”. E as quase duas décadas na Fórmula 1, que proporcionaram esse longo jejum, ajudaram Rubinho a ter experiência e calma para assegurar o título da principal categoria do automobilismo nacional.

Rubens Barrichello campeão (Foto: Carsten Horst / Divulgação)
Rubinho dá sua tradicional sambadinha no pódio em Curitiba (Foto: Carsten Horst / Divulgação)

A vitória na corrida ficou com um “intruso” Daniel Serra, que não tinha mais chances no campeonato. Maior ameaça ao título de Barrichello, Átila Abreu terminou a corrida em segundo e acabou com o vice-campeonato. Rubinho cruzou a linha de chegada em terceiro, garantiu um lugar no pódio e, mais do que isso, o título de 2014 da Stock Car, para delírio dos filhos Fernando e Eduardo, da esposa Silvana e da equipe Full Time. No pódio, não poderia faltar a tradicional sambadinha.

Eram oito concorrentes ao título: Barrichello, Átila Abreu, Thiago Camilo, Julio Campos, Antonio Pizzonia, Sergio Jimenez, Cacá Bueno e Allam Khodair – os três primeiros com mais chances. Líder do campeonato e largando da pole, Rubinho precisava de no máximo um quarto lugar para assegurar a taça.

Rubens Barrichello campeão (Foto: Carsten Horst / Divulgação)
Rubinho recebe a bandeirada após chegar em terceiro em Curitiba (Foto: Carsten Horst / Divulgação)

Rubinho escapa e cai para 4º; Camilo bate e sai da briga

O veterano de 42 anos largou bem, manteve a liderança, mas ainda no começo da corrida foi surpreendido por uma mancha de óleo na pista, escapou e caiu para quarto. Na parada dos boxes, ganhou uma posição e subiu para terceiro, posição que administrou até o fim para levar a taça.

Após a largada, Daniel Serra seguiu em segundo, enquanto Átila passou Camilo e Cacá e pulou para terceiro. Em uma largada muito tumultuada e com muitas batidas, dois concorrentes ao título, Sergio Jimenez e Julio Campos, acabaram se envolvendo em acidentes e se complicando.

Ainda nas primeiras voltas, o líder Rubinho escorregou em uma mancha de óleo na pista e acabou escapando. Com isso, Serra, Átila e Khodair pularam para as primeiras colocações. Camilo perdeu o controle do carro no mesmo local e bateu em Ricardo Maurício. Com o carro muito danificado, acabou abandonando a prova e saindo da briga pelo título.

Na relargada, Serrinha manteve a ponta, seguido de perto de Átila, Khodair, Rubinho e Cacá. Os quatro primeiros fugiram rapidamente do restante do grid. “Intruso”, o piloto do carro 29 da RBR Mattheis começou a abrir vantagem na ponta.

Serra e Khodair foram para os boxes. Com isso, Átila assumiu a ponta, seguido de Rubinho – os dois que permaneciam fortes na briga pelo título. Barrichello entrou nos boxes na volta seguinte e retornou em quinto, ganhando a posição do companheiro de equipe Khodair. Enquanto isso, Átila retardava ao máximo o pit stop. O segundo colocado era Serra, seguido de Pizzonia, que também não havia parado nos boxes.

Átila, enfim, fez seu pit stop a 12 minutos do fim e voltou à pista logo atrás de Daniel Serra, que reassumiu a liderança. Com a parada de Pizzonia, Rubinho subiu para terceiro, posição que lhe garantia o título.

Em quarto, Khodair servia de escudeiro de Barrichello, segurando a pressão de Cacá Bueno. O companheiro de Rubinho segurou o pentacampeão enquanto pôde, mas acabou sendo superado a 5 minutos do fim.

Serra seguia na frente com folga. Átila aparecia em segundo, acompanhado de perto por Rubens, que apenas administrava a terceira colocação. Barrichello mostrou calma, segurou o terceiro lugar aé o fim e ficou com a taça.

Rubens Barrichello campeão (Foto: Carsten Horst / Divulgação)
Rubens Barrichello comemora título junto com a sua equipe (Foto: Carsten Horst / Divulgação)

Barrichello não escapa da zoeira nem após vitória e R$ 1 milhão

UOL Esporte

Rubens Barrichello teve atuação extraordinária na vitória da Corrida do Milhão, domingo, em Goiânia, pela Stock Car. Mas nem mesmo o triunfo emocionante e o prêmio de R$ 1 milhão pela vitória fizeram Rubinho escapar de zoeiras nas redes sociais.

“Barrichello venceu a corrida do milhão na Stock Car. Na verdade ele estava completando a corrida do ano passado e ninguém notou”, postou o internauta Junior Soze.

O ex-piloto da Fórmula 1 largou na pole e travou grande pega com Thiago Camilo, cruzando a linha de chegada em primeiro com meio carro à frente sobre o rival. Foi a primeira vitória do piloto de 42 anos na CCC.

Metade do valor ganho pela vitória será repartido para os mecânicos de sua equipe Full Time. Uma outra parte será usado por Barrichello no financiamento dos filhos nas categorias de base do automobilismo.

Na contramão dos que tiraram sarro da vitória, vários internautas rebateram aqueles que gostam de ironizar o piloto.

“Hoje o Rubinho acordou, tomou café e ganhou 1 milhão de reais! E você?”, escreveu Guilherme Caram.

“Enquanto você posta outra piada de Rubinho Barrichello, ele ganha outro milhão de reais. É um loser mesmo, né?”, disse internauta.

No 'estilo Raikkonen', Serra vence em Curitiba; Rubinho pontua pela 1ª vez

Horas depois de Kimi Raikkonen vencer o GP da Austrália de Fórmula 1 com uma tocada segura e discreta, foi a vez do “Homem de Gelo” da Stock Car mostrar que realmente tem muito em comum com o finlandês da Lotus. Com um ritmo forte, mas no melhor estilo “de mansinho”, Daniel Serra venceu a etapa de Curitiba, segunda da temporada, e pulou para a liderança do campeonato, apenas um ponto à frente do companheiro Cacá Bueno, quinto colocado neste domingo. Daniel, que superou o pole Ricardo Maurício com uma bela ultrapassagem após o pit stop, viu Allam Khodair sofrer com problemas de pneus e faturou sua quarta vitória na categoria. Já Rubens Barrichello, que havia largado em décimo, sofreu com os toques dos adversários, mas chegou ao fim da prova, marcando seus primeiros pontos na Stock Car.

Daniel Serra Stock Car vitória Curitiba 2013 (Foto: Duda Bairros / Stock Car)
Daniel Serra vai à liderança do campeonato com a vitória em Curitiba (Foto: Duda Bairros / Stock Car)

– Estamos no caminho certo. Assim a gente chega lá. É, tem que ter sorte também, é oportunidade, hora certa, tem que aproveitar. Uma pena para ele (Khodair, que teve pneu furado), bom para a gente, agora é comemorar. A equipe tem uma receita muito boa, estava sempre batendo na porta, mas foi muito bom – disse o vencedor.

Daniel passou a primeira metade da corrida em terceiro

Assim como na prova de abertura do Mundial de Fórmula 1,a estratégia também teve grande importância na corrida da Stock em solo paranaense. Quando a largada foi autorizada, o pole position Ricardo Maurício conseguiu sair melhor e abriu uma pequena vantagem para o pelotão, enquanto Allam Khodair e Daniel Serra brigavam intensamente pela segunda posição. O “japonês voador” levou a melhor, deixando o piloto da RBR Mattheis à frente de Thiago Camilo, Valdeno Brito, Ricardo Zonta e Max Wilson. Largando em décimo, Rubens Barrichello perdeu posições, foi tocado e acabou dando uma escapada na primeira curva. Já Luciano Burti e Lico Kaesemodel foram punidos por queima de largada.

Stock Car Curitiba largada (Foto: Duda Bairros / Stock Car)
Apesar do esbarrões, todos passaram sem problemas na largada (Foto: Duda Bairros / Stock Car)

Correndo em casa, Zonta – o melhor paranaense no grid – começou sua escalada na terceira volta, superando Átila Abreu, que acabou ultrapassado também por Max Wilson. Na sétima, foi a vez de Zonta tomar a quinta posição de Cacá Bueno, partindo para pressionar Valdeno Brito. O paraibano tinha problemas de comunicação com a equipe A. Mattheis, já que o rádio apagou logo no início da prova. No entanto, um pit stop demorado fez o ex-piloto de Fórmula 1 perder posições, precisando “remar” tudo de novo no top 10 após seu reabastecimento.

Na oitava volta, os primeiros problemas apareceram: O campeão de 2003, David Muffato, sofreu com um rasgo no pneu traseiro direito. Já Vitor Genz deu uma escapada, acertando uma placa de publicidade. Na passagem seguinte, Rubens Barrichello levou um toque de Felipe Lapenna e a carenagem do carro 111 encostou no pneu traseiro direito, exigindo a troca no pit stop. O piloto do carro 27 foi punido com um drive trough (passagem pelos boxes em baixa velocidade) por atitude antidesportiva.

Pressão de Khodair marcou segunda parte da corrida

Na estreia da nova regra de reabastecimento (que voltou a ser obrigatório a partir desta etapa), o líder Ricardo Maurício foi o primeiro a fazer sua parada, levando a reboque o terceiro colocado, Daniel Serra. Com pista livre, Allam Khodair andou rápido e fez seu pit stop na volta seguinte. O suficiente para sair do box lado a lado com Ricardinho, ganhando a posição do carro 90 na freada da primeira curva. Duas voltas depois, Ricardo Maurício foi ultrapassado também por Daniel Serra, que parecia ter guardado forças na primeira parte da prova.

Allam Khodair pit stop reabastecimento Stock Car (Foto: Duda Bairros / Stock Car)
Allam Khodair voltou bem à pista após o reabastecimento obrigatório (Foto: Duda Bairros / Stock Car)

A menos de dez minutos para o fim da corrida, quando as posições pareciam estabelecidas, o pneu traseiro esquerdo de Allam Khodair rasgou, e isso tirou o piloto do carro 18 da equipe Vogel da liderança. Ele precisou se arrastar na pista até os boxes, onde fez sua troca, e este problema possibilitou a Daniel Serra ganhar a primeira posição. Ricardo Maurício, que vinha logo atrás, se livrou da pressão de Thiago Camilo e colou no carro 29 de Daniel, abrindo a briga direta pela vitória.

Ricardo Maurício Stock Car (Foto: Duda Bairros / Stock Car)Ricardo Maurício fez a pole, mas terminou em
segundo lugar (Foto: Duda Bairros / Stock Car)

Apesar da pressão exercida pelo carro 90 da RCM, Daniel resistiu bem aos ataques de Ricardo Maurício. A cartada final do campeão de 2008 foi usar o botão de ultrapassagem na penúltima volta, mas Daniel conseguiu evitar o bote do carro amarelo, usando um retardatário na última curva para “driblar” o concorrente. Foi a quarta vitória do homem de poucas palavras e jeito fechado na Stock Car, que assumiu a liderança do campeonato, com 41 pontos, um ponto à frente do companheiro Cacá Bueno. Segundo colocado em Curitiba, Ricardinho se manteve na terceira posição, agora com 38 pontos.

Já Valdeno Brito, que terminou a prova de Curitiba em quarto lugar, deixou a vice-liderança, e agora soma 37 pontos, com o quarto posto na tabela. Thiago Camilo, que teve problemas na abertura da temporada em Interlagos, se recuperou e foi ao pódio em Curitiba, e figura agora em oitavo lugar no campeonato, com 20, atrás de Max Wilson (29), Tuka Rocha (25) e Átila Abreu (22). Apesar dos muitos problemas, Rubens Barrichello completou sua quinta corrida na categoria na zona de pontuação. O recordista de GPs na Fórmula 1 marcou dois pontos com o 19º lugar, seus primeiros na Stock Car. Veja aqui a classificação completa do campeonato.

Barrichello Stock Car etapa Curitiba (Foto: Miguel Costa Jr. / Divulgação)
Barrichello marcou seus primeiros pontos na Stock Car em Curitiba (Foto: Miguel Costa Jr. / Divulgação)

Confira o resultado da segunda etapa, em Curitiba:

1. Daniel Serra – carro 29 da RBR Mattheis, 31 voltas em 42m15s571
2. Ricardo Maurício – carro 90 da RC, a 1s598
3. Thiago Camilo – carro 21 da RCM, a 2s882
4. Valdeno Brito – carro 77 da A. Mattheis, a 6s042
5. Cacá Bueno – carro 0 da RBR Mattheis, a 6s445
6. Ricardo Zonta – carro 10 da RZ Motorsport, a 7s069
7. Max Wilson – carro 65 da RC, a 11s090
8. Átila Abreu – carro 51 da AMG, a 11s720
9. Sergio Jimenez – carro 73 da VS Racing, a 16s119
10. Rodrigo Sperafico – carro 19 da Mico’s Racing, a 21s543
11. Julio Campos – carro 4 da Mico’s Racing, a 22s962
12. Tuka Rocha – carro 25 da RZ Motorsport, a 26s709
13. Denis Navarro – carro 5 da VS Racing, a 31s167
14. Nonô Figueiredo – carro 11 da AMG, a 31s459
15. Galid Osman – carro 28 da RCM, a 35s233
16. Popó Bueno – carro 74 da A. Mattheis, 43s028
17. Lico Kaesemodel – carro 63 da Boettger, a 57s017
18. Allam Khodair – carro 18 da Vogel, 57s915
19. Rubens Barrichello – carro 111 da Full Time, 1m02s095
20. Fábio Fogaça – carro 18 da Vogel, 1m03s015
21. Marcos Gomes – carro 80 da Carlos Alves, a 1m03s324
22. Rodrigo Pimenta – carro 3 da Gramacho, a 1m05s159
23. Luciano Burti – carro 14 da Boettger, a 1m05s409
24. Vitor Genz – carro 46 da Gramacho, a 1m10s335
25. Felipe Lapenna – carro 27 da Cavaleiro Racing, a 1m11s263
26. Rafa Matos – carro 2 da Hot Car, a 1m13s701
27. Alceu Feldmann – carro 82 da Full Time, a 1 volta
28. Ricardo Sperafico – carro 20 da ProGP, a 1 volta
29. David Muffato – carro 35 da Carlos Alves, a 1 volta
30. Duda Pamplona – carro 23 da ProGP, a 1 volta
31. Beto Cavaleiro – carro 7 da Cavaleiro Racing, a 1 volta
32. Patrick Gonçalves – carro 8 da Bassani Racing, a 3 voltas
33. Wellington Justino – carro 26 da Hot Car, abandonou
34. Diego Nunes – carro 70 da Bassani Racing, abandonou

A próxima etapa da temporada 2013 da Stock Car será no dia 28 de abril no circuito gaúcho de Tarumã, que tem um asfalto extremamente abrasivo. O que pode, mais uma vez, obrigar as equipes a traçar novas estratégias, já que as trocas de pneus devem ser necessárias.

globo.com

Cacá Bueno vence prova de abertura da Stock Car

Cacá Bueno mostrou porque é pentacampeão da Stock Car e conseguiu uma incrível vitória na estreia da temporada 2013 da categoria, disputada neste domingo, no circuito de Interlagos. Após uma intensa disputa com Valdeno Britto e Átila Abreu na penúltima volta, o piloto da Red Bull Racing conseguiu a primeira colocação e começou bem o campeonato.

A segunda colocação ficou com Valdeno Britto e o campeão de 2008 Ricardo Maurício, completou o pódio. A quarta colocação ficou com Daniel Serra, enquanto Tuka Rocha foi o quinto. Átila Abreu, que passou boa parte da prova na liderança, sofreu com falta de combustível e terminou em 12.º.

Depois de largar na pole position, Júlio Gomes optou por uma parada nos boxes logo no início da prova, e perdeu algumas posições. Já no fim da corrida, ele acabou sendo tocado, saiu da pista e caiu para o pelotão de trás. Pouco tempo depois, teve que abandonar por conta de um pneu furado.

Rubens Barrichello não começou a temporada como queria. Depois de largar em 16.º, por conta de uma punição que lhe tirou três posições no grid, o piloto passou boa parte da corrida no pelotão intermediário e até fazia boa prova, mas teve um pneu furado na parte final e terminou em 25.º.

Átila Abreu assumiu a primeira colocação depois que Julio Campos foi para os boxes na segunda volta. Quando foi a vez do próprio Átila parar, sua equipe fez um trabalho quase perfeito e ele conseguiu voltar na ponta, enquanto Cacá Bueno era o segundo e Valdeno Britto vinha na terceira posição.

Foi aí que a briga pela liderança rendeu uma bela disputa. Valdeno chegou a ultrapassar Cacá, mas acabou ficando preso atrás de Átila, que viu seu carro ficar sem combustível. Então, o pentacampeão mostrou toda sua qualidade e, com uma manobra perfeita, assumiu a ponta para não mais perder.

A segunda etapa da temporada 2013 da Stock Car será disputada no dia 17 de março, em Curitiba.

Fonte: Agência Estado

Cacá perde Corrida do Milhão na reta final, mas é penta. Vitória é de Camilo

Cacá Bueno sempre deixou evidente a vontade de vencer a Corrida do Milhão da Stock Car. Desde 2008, ano de estreia da já tradicional prova, ele tentou, mas por diversas razões o triunfo não veio. Neste domingo, em Interlagos, a vitória novamente não chegou. E foi por pouco. Muito pouco. Em uma chegada emocionante, Cacá liderava a prova, mas faltou combustível na última curva ele foi superado por Thiago Camilo, da RCM, que faturou o cobiçado prêmio de R$ 1 milhão pela segunda vez consecutiva.

Mas dessa vez não era na bolada que Cacá estava de olho. Ele almejava outra coisa. Algo de valor imensurável, que nenhuma quantia em dinheiro conseguiria comprar: a consagração. E ele conseguiu. Sem gasolina, o piloto da RBR Mattheis cruzou a linha de chegada no embalo, em terceiro. Posição suficiente para conquistar o pentacampeonato da Stock Car. Com chances de título, Ricardo Maurício, da RC, ainda chegou em segundo. Porém, não foi capaz de tirar o penta do rival.

Stock Car - Caca Bueno (Foto: Bruno Terena / Divulgação)
Cacá Bueno e a equipe RBR Mattheis comemoram seus títulos (Foto: Bruno Terena / Divulgação)

Com o título, o piloto do carro 0 da RBR Mattheis superou Paulo Gomes e se isolou como segundo maior vencedor da história da principal categoria do automobilismo brasileiro, atrás apenas de um gigante chamado Ingo Hoffmann, 12 vezes campeão.

– Só tenho o Ingo Hoffmann à minha frente, e ultrapassar o Paulo Gomes é alcançar o sucesso na minha profissão, e é para isso que eu trabalho. Passei anos difíceis, com perdas familiares, mas este ano tem sido brilhante. Ganhei campeonato, minha mulher está grávida, e agora meu filho vai nascer campeão brasileiro. Estou em um momento iluminado – disse o pentacampeão.

Tensão ao longo da prova milionária

Pole position, Cacá largou mal. Demorou a pegar velocidade e foi superado por Khodair, Serra e Ricardinho. Entretanto, a quarta colocação ainda era suficiente para garantir o título independentemente dos resultados dos concorrentes.

Logo na segunda volta, Lico Kaesomodel ficou atravessado no “S do Senna” e provocou a primeira entrada do Safety Car. Na relargada, os primeiros colocados mantiveram suas posições. Cinco voltas depois, mais um carro de segurança. O motivo: uma batida do convidado Tony Kanaan em Diego Nunes. O baiano da F-Indy abandonou a corrida.

E foi ainda nas primeiras voltas que Camilo deu o pulo do gato. Largando em 20º, aproveitou para fazer o reabastecimento cedo. Com as entradas do Safety Car, conseguiu colar no pelotão, imprimindo um ritmo forte e sem precisar parar mais.

Enquanto isso, Khodair liderava a prova e Cacá Bueno administrava a quarta posição. Ainda haveriam mais duas entradas de safety car. Mas, antes, Ricardinho seguiu para os boxes para fazer o reabastecimento e caiu para 23º. Com isso, Cacá subiu para terceiro, ao passo que Camilo ia ganhando posições.

Restando dez minutos para o encerramento, Daniel Serra foi para os boxes reabastecer e trocar pneus e retornou em nono, deixando Cacá em segundo. A apreensão era se o piloto do carro 0 conseguiria chegar até o fim sem precisar parar nos boxes. A cinco minutos do fim, Cacá foi surpreendido por Galid Osman, melhor estreante do ano, e caiu para terceiro.

As últimas voltas foram de tirar o fôlego. Na penúltima, o combustível não foi suficiente para o líder da prova, e Khodair teve que ir para os boxes, abandonando o sonho do milhão. A ponta passou para Galid, mas o jovem piloto não conseguiu segurar a pressão de Cacá Bueno. Metros depois, o piloto de origem síria abandonou, sem gasolina.

Cacá era líder e tinha o título nas mãos. Mas não tinha a certeza que teria combustível suficiente. Ele chegou a sofrer pressão de Nonô Figueiredo, mas o piloto da AMG acabou perdendo posições. Cacá, então, abriu vantagem. Camilo era segundo, e Ricardinho, o terceiro. O penta estava mais próximo, e ainda viria acompanhado do prêmio milionário.

Thiago Camilo Stock Car corrida do milhão (Foto: Luis Moura / Ag. Estado)
Vencedor em 2011, Thiago Camilo comemora o segundo milhão (Foto: Luis Moura / Ag. Estado)

Mas na subida do café, o carro de Cacá começou a perder velocidade. O combustível havia acabado. O título, tão próximo, pareceu distante. A última esperança era completar “no embalo”. Foram 400 metros de muita apreensão. Cacá contornou a chicane e entrou na reta. Foi engolido por Camilo e Ricardo. Mas cruzou em terceiro. O milhão não veio. Sem problemas. Como o próprio piloto disse:

– Dinheiro é papel. O penta é histórico.

Veja o resultado da Corrida do Milhão, que encerrou a temporada 2012 da Stock Car:

1º) Thiago Camilo, carro 21 RCM – 52m08s475 – 27 voltas.
2º) Ricardo Maurício, carro 90 da RC Competições – a 0s081
3º) Cacá Bueno, carro 0 da RBR Mattheis – a 0s564
4º) Julio Campos, carro 4 da Carlos Alves Competições – a 2s395
5º) Ricardo Zonta, carro 10 da RZ Motorsport – a 2s635
6º) Duda Pamplona, carro 23 da ProGP – a 5s114
7º) Denis Navarro, carro 5 da Vogel – a 7s747
8º) Átila Abreu, carro 51 da AMG Motorsport – a 8s081
9º) Rafa Matos, carro 2 da Bassani Racing – a 12s792
10º) Antônio Pizzonia, carro 1 da Nascar JF Racing – a 14s140
11º) Popó Bueno, carro 74 da RZ Motorsport – a 16s531
12º) Daniel Serra, carro 29 da RBR Mattheis – a 17s156
13º) Rodrigo Sperafico, carro 19 da Mico’s Racing – a 17s563
14º) Helio Castroneves, carro 3 da A. Mattheis – a 18s669
15º) Luciano Burti, carro 14 da Boettger – a 19s589
16º) Pedro Boesel, carro 88 da Nascar JF Racing – a 21s654
17º) Ricardo Sperafico, carro 20 da Mico’s Racing – a 25s781
18º) Tuka Rocha, carro 25 da FTS – a 26s482
19º) Eduardo Leite, carro 37 da Hot Car – a 31s742
20º) Allam Khodair, carro 18 da Vogel – a 32s803
21º) David Muffato, carro 35 da Boettger – a 33s268
22º) Rubens Barrichello, carro 17 da Full Time – a 34s560
23º) Fabio Fogaça, carro 72 da Carlos Alves Competições – a 1m11s701
24º) Xandinho Negrão, carro 99 da Full Time – 1m21s125
25º) Nonô Figueiredo, carro 11 AMG Motorsport – a 1 volta
26º) Galid Osman, carro 28 da FTS – a 1 volta
27º) Valdeno Brito, carro 77 da A. Mattheis – a 1 volta
28º) Vitor Meira, carro 6 da ProGP – a 1 volta
29º) Max Wilson, carro 65 da RC Competições – a 3 voltas

Não completaram
Diego Nunes, carro 16 da Hot Car
Tony Kanaan, carro 100 da Bassani Racing
Lico Kaesemodel, carro 63 da RCM

GloboEsportes

Tri da Indy 500, Helio Castroneves disputará Corrida do Milhão em SP

Com pilotos de alto nível, muitos deles com passagens pelo automobilismo internacional, o grid da Stock Car é considerado um dos mais fortes do mundo. Nas últimas etapas, a “constelação” ganhou mais algumas estrelas, com a chegada de Rubens Barrichello, recordista de participações na Fórmula 1, e de Tony Kanaan, campeão da Indy em 2004. Na Corrida do Milhão, mais um grande nome fará sua estreia na categoria: Helio Castroneves, tricampeão das 500 Milhas de Indianápolis, uma das provas mais tradicionais do planeta.

Helinho correrá pela equipe A. Mattheis, como companheiro de Valdeno Brito. Por coincidência, o paraibano foi o primeiro a faturar a prova que dá R$ 1 milhão ao vencedor. Na ocasião de sua vitória, em 2008, o prêmio era em dólares, moeda à qual o piloto da Indy se acostumou a acumular. Em quinze anos nos Estados Unidos, o competidor conquistou por três vezes as 500 Milhas de Indianápolis, que também dá uma premiação milionária ao vencedor.

Dono de um currículo repleto de vitórias nas categorias de base do automobilismo, Helio Castroneves chegou à Fórmula Indy em 1998, e está na Penske, um dos principais times da categoria, desde 2000. Pelo time, ele venceu 27 provas na categoria. No entanto, o piloto de Ribeirão Preto também desenvolveu uma carreira paralela nos carros de turismo. Vencedor das Mil Milhas de Interlagos em 1996, em parceria com Nelson e Nelsinho Piquet, Helinho também já andou na V8 Supercars, a Stock australiana, e na IROC, a corrida dos campeões dos Estados Unidos.

A Corrida do Milhão será disputada no dia 9 de dezembro, em Interlagos, a partir das 9h35m, com transmissão ao vivo e na íntegra pela TV Globo, dentro do Esporte Espetacular.

Valdeno Brito em Brasília (Foto: Rafael Gagliano/Hyset/RF1)
Helio Castroneves será companheiro de Valdeno Brito em SP (Foto: Rafael Gagliano/ divulgação)
Fonte: Globo Esportes – Alexander Grünwald

Rubinho abandona em Brasília e reclama de “empolgação” de pilotos. Wilson vence

Rubens Barrichello disputou neste domingo (11), em Brasília, sua segunda corrida na Stock Car. E, mais uma vez, o ex-piloto de Fórmula 1 enfrentou dificuldades. Em sua estreia na categoria, em Curitiba, Rubinho teve um pneu furado , o que atrapalhou sua prova. Desta vez, o problema aconteceu na suspensão de seu carro, o que o obrigou a abandonar a disputa.

De acordo com Barrichello, a falha só se deu por conta dos vários toques que recebeu de outros pilotos no início da corrida. Em entrevista à Rede Globo  após o abandono, o piloto disse que os rivais estavam “muito empolgados” e não tomaram cuidado para evitar toques. Antes, quando ainda estava na corrida, Rubinho chegou a alegar “falta de respeito” de alguns competidores pelo rádio da equipe. O piloto, no entanto, ponderou as reclamações depois. “A reclamação serve para aprender, porque, se for assim, dá para mudar o estilo (de pilotagem)”, disse.

Longe de confusões, na frente do grid, Max Wilson se aproveitou de um furo no pneu do pole position Thiago Camilo para vencer pela primeira vez no campeonato. Ricardo Maurício, Nonô Figueiredo, Rodrigo Sperafico e Luciano Burti completaram o top-5 da corrida. Em nono, Cacá Bueno segue líder da temporada. Fazendo sua estreia na categoria, Tony Kanaan ficou na 19ª colocação.

ntece no dia 9 de dezembro, em Interlagos, na Corrida do Milhão. Os sete primeiros colocados do campeonato (Cacá Bueno, Átila Abreu, Daniel Serra, Ricardo Maurício, Max Wilson, Valdeno Brito e Nonô Figueiredo) ainda têm chances de ficar com o título. Além da briga pelo título, outro destaque na prova de São Paulo será a estreia de Helio Castroneves na categoria.
Confira como ficou a classificação da prova em Brasília:

1 – Max Wilson – Eurofarma RC – Chevrolet – 41 voltas
2 – Ricardo Mauricio – Eurofarma RC – Chevrolet – a 3s126
3 – Nonô Figueiredo – Mobil Super Pioneer Racing – Chevrolet – a 4s545
4 – Rodrigo Sperafico – Prati-Donaduzzi Racing – Peugeot – a 6s753
5 – Luciano Burti – Itaipava Racing Team – Peugeot – a 7s708
6 – Átila Abreu – Mobil Super Pioneer Racing – Chevrolet – a 9s385
7 – Daniel Serra – Red Bull Racing – Chevrolet – a 11s744
8 – Ricardo Zonta – Linea Sucralose – Chevrolet – a 13s332
9 – Cacá Bueno – Red Bull Racing – Chevrolet – a 15s125
10 – Valdeno Brito – Shell Racing – Peugeot – a 15s924
11 – Ricardo Sperafico – Prati-Donaduzzi Racing – Peugeot – a 17s174
12 – Diego Nunes – Hot Car Competições – Chevrolet – a 22s167
13 – Lico Kaesemodel – RCM Motorsport – Chevrolet – a 23s113
14 – Giuliano Losacco – Shell Racing – Peugeot – a 27s258
15 – Tuka Rocha – BMC Racing – Chevrolet – a 29s620
16 – Denis Navarro – Vogel Motorsport – Chevrolet – a 30s284
17 – Vitor Meira – Officer ProGP – Chevrolet – a 31s804
18 – Popó Bueno – Linea Sucralose – Chevrolet – a 36s416
19 – Tony Kanaan – Bassani Racing – Peugeot – a 39s722
20 – Julio Campos – Carlos Alves Comp. – Peugeot – a 43s761
21 – Thiago Camilo – RCM Motorsport – Chevrolet – a 43s946
22 – Duda Pamplona – Officer ProGP – Chevrolet – a 43s961
23 – Raphael Matos – Bassani Racing – Peugeot – a 44s148
24 – Allam Khodair – Vogel Motorsport – Chevrolet – a 45s119
25 – Antonio Pizzonia – Comprafacil Nascar JF – Peugeot – a 45s500
26 – David Muffato – Itaipava Racing Team – Peugeot – a 47s132
27 – Patrick Gonçalves – Carlos Alves Comp. – Peugeot – a 50s072
28 – Xandinho Negrão – Medley Full Time – Peugeot – a 3 voltas

Não completaram:

29 – Eduardo Leite – Hot Car Competições – Chevrolet – a 14 voltas
30 – Galid Osman – BMC Racing – Chevrolet – a 22 voltas
31 – Rubens Barrichello – Medley Full Time – Peugeot – a 22 voltas
32 – Pedro Boesel – Comprafacil Nascar JF – Peugeot – a 38 voltas