UFC

Segundo empresário, Zumbi Coreano fraturou o rosto na derrota para Aldo

Ainda no octógono, após a derrota para José Aldo no UFC Rio 4, Jung Chang-Sung confirmou que havia deslocado o ombro pouco antes do fim do combate. Porém, de acordo com seu empresário e intérprete Brian Rhee, o “Zumbi Coreano” também sofreu uma fratura no rosto na luta. A informação foi divulgada pelo site do canal norte-americano “Fox Sports”.

Segundo Rhee, o lutador sul-coreano fraturou o osso orbital esquerdo, na região do olho. Após o evento, Jung Chang-Sung recebeu uma suspensão médica de seis meses – tempo suficiente para que se recupere também da nova lesão.

No último sábado, o “Zumbi Coreano” Jung Chang-Sung foi derrotado pelo brasileiro José Aldo na luta principal do UFC Rio 4, no último sábado (3). Aldo conseguiu um nocaute técnico no quarto round do combate e defendeu o cinturão dos penas pela sétima vez consecutiva – somando o período do extinto WEC.

Fonte: O Povo Online

 

Campeão do povo: José Aldo vence e ensina nova receita contra zumbis

A receita contra zumbis é clara: acerte a cabeça, e fim de papo. Com os da Coreia do Sul, parece não ser bem assim. Foi com golpes no ombro que José Aldo encontrou o caminho para derrubar Chan Sung Jung, o Zumbi Coreano, na luta principal do UFC 163, neste sábado, na Arena da Barra, no Rio de Janeiro. Único brasileiro com o título linear do UFC, Aldo cumpriu a promessa de passar por cima do rival e manteve o orgulho do país. Ao defender o cinturão dos pesos-penas do Ultimate, o atleta da Nova União deu mais um show e se firmou como campeão do povo. O triunfo veio com um nocaute técnico aos dois minutos do quarto round, após três assaltos difíceis, mas com nítida superioridade do lutador de Manaus. Foi a 15ª vitória desta forma em sua carreira. E o caminho foi aberto após uma sequência de chutes altos que deslocaram o ombro direito do sul-coreano. Logo depois, Aldo partiu para liquidar o adversário – aí, sim, atingindo a cabeça sem piedade, como manda a cartilha.

– Eu vi que o ombro dele saiu do lugar depois dos meus chutes em cima, então fui para pegar e finalizar a luta. Tentei sempre ganhar o round com a queda, terminando por cima, para ganhar a luta. O próximo (desafiante) não sei ainda. Isso é trabalho do Ultimate – afirmou Aldo após o combate.

UFC José Aldo x Chan Sung Jung (Foto: André Durão / Globoesporte.com)
Voo de José Aldo: o brasileiro venceu a luta no quarto round (Foto: André Durão / Globoesporte.com)

Com mais uma defesa de cinturão bem-sucedida, a quinta dentro do UFC, Aldo permanece como o único brasileiro no topo de sua categoria na organização. Seu companheiro de academia, Renan Barão, é dono do título interino dos galos, que tem Dominick Cruz como campeão. Porém, enquanto José Aldo for peso-pena, parece que o cinturão não mudará de mãos. Resta saber se ele realmente subirá para os leves ou se seguirá com o domínio da divisão dos penas.

UFC José Aldo x Chan Sung Jung (Foto: André Durão / Globoesporte.com)
Rotina: Aldo mantém o cinturão do UFC (Foto: André Durão / Globoesporte.com)

‘O bicho vai pegar’

O Zumbi Coreano começou parecendo ignorar a pressão dos torcedores, que diziam que “o Aldo vem aí, e o bicho vai pegar”. Um chute baixo e o domínio do centro do octógono. Nada que abalasse o campeão. Com 1m10s de round, José Aldo conectou seu primeiro golpe, com uma direita na cabeça. Pouco depois, uma combinação de jab e direto, com a direita passando no vazio. A esta altura, Chan Sung Jung já dava mais passos para trás, mas não deixava de atacar. Só que do outro lado não estava um lutador qualquer, e Aldo conseguiu uma queda importante, além de uma combinação de chute rodado e joelhada voadora nos segundos finais do assalto.

Chan Sung Jung novamente iniciou o round tomando a iniciativa. Com chutes altos e combinações, ele tentou entrar no raio de ação de Aldo, que contragolpeava a cada investida. O manauara voltou a controlar o centro do cage e colocar mais golpes no corpo do sul-coreano. Os jabs do campeão entravam de forma efetiva e, quando o Zumbi Coreano resolveu ir para cima, José Aldo novamente derrubou o adversário. Ele caiu procurando o katagatame, mas não encaixou. Chan Sung Jung tentou surpreender atacando o braço do brasileiro, mas o round acabou com o atleta da Nova União por cima do oponente.

UFC José Aldo x Chan Sung Jung zumbi coreano (Foto: Agência EFE)
Pé de Aldo no ombro do Zumbi: brasileiro vence mais uma no octógono (Foto: Agência EFE)

Mais Combate.com: confira as últimas notícias do mundo do MMA

José Aldo pareceu ter estudado bem todas as armas do Zumbi Coreano. No começo do terceiro round, o sul-coreano tentou uma joelhada voadora perigosa. Mas não perigosa para o brasileiro, que entrou no tempo certo e colocou novamente o oponente com as costas no chão. Chan Sung Jung se levantou, mas ficou contra a grade, sendo pressionado pelo campeão. Sem muita ação, Herb Dean recolocou os lutadores no centro do octógono. Novamente o manauara encurtou e deixou o Zumbi com as costas na grade, que respondeu tentando um estrangulamento, mas não encaixou bem. Herb Dean separou novamente os atletas e o asiático soltou uma joelhada voadora, que não acertou o brasileiro, mas o desequilibrou nos últimos segundos.

O apelido de Zumbi Coreano é por sempre andar para frente, mesmo levando golpes duros. O quarto round seguiu mostrando que isso não é uma lenda. Mas José Aldo não aceitou a pressão e, após uma sequência de três chutes altos consecutivos, o brasileiro foi para o chão com Chan Sung Jung, que cedeu as costas, levou uma saraivada de socos na cabeça até que Herb Dean encerrou o combate. O título segue no Brasil e nas mãos de um lutador que não tem medo de assombrações, como o Zumbi e o fantasma que aterrorizou os brasileiros nas últimas disputas de cinturão, com Anderson Silva e Junior Cigano.

UFC José Aldo x Chan Sung Jung (Foto: Agência Reuters)
José Aldo pula grade para comemorar, e Zumbi Coreano grita com dores no ombro (Foto: Agência Reuters)

Confira os resultados do UFC 163:

José Aldo venceu Chan Sung Jung por nocaute técnico aos 2m do round 4 Phil Davis venceu Lyoto Machida por decisão unânime (29 a 28, 29 a 28 e 29 a 28) Cezar Mutante venceu Thiago Marreta por finalização (guilhotina) aos 47s do round 1 Thales Leites vence Tom Watson por decisão unânime (30 a 27, 30 a 27 e 30 a 27) John Lineker venceu José Maria ‘No Chance’ por nocaute técnico a 1m03s do round 2 Anthony Perosh venceu Vinny Magalhães por nocaute 14s do round 1 Amanda Nunes venceu Sheila Gaff por nocaute técnico aos 2m08s do round 1 Serginho Moraes venceu Neil Magny por finalização (triângulo) aos 3m13s do round 1 Ian McCall venceu Iliarde Santos por decisão unânime (30 a 27, 30 a 27 e 29 a 28) Rani Yahya venceu Josh Clopton por decisão unânime (29 a 28, 29 a 28 e 29 a 28) Francimar Bodão venceu Ednaldo Lula por decisão unânime (30 a 27, 30 a 27 e 29 a 28) Viscardi Andrade venceu Bristol Marunde por nocaute técnico a 1m36s do round 1

Aldo bate o peso para o UFC Rio 4 e promete: 'Vou passar por cima dele'

Por Rio de Janeiro

José Aldo o peso dentro do limite para disputas de título do peso-pena do UFC, com 65,8 kg, na pesagem desta sexta-feira, na Arena da Barra, assim como seu desafiante, Chan Sung Jung, o Zumbi Coreano. O brasileiro mostrou confiança em conseguir mais uma defesa de cinturão no Ultimate e prometeu que colocará em prática seu já conhecido estilo agressivo, neste sábado, quando acontece o evento.

– Estou sempre confiante, com o apoio da torcida não tem como não ficar e vou para cima o tempo todo. Não estou preocupado com o que ele vai apresentar, estou preocupado comigo, vou fazer meu trabalho. Aqui é meu lugar, aqui é minha casa. Vou passar por cima dele – afirmou Aldo.

O sul-coreano também deu seu recado e disse ter certeza que tomará o título do brasileiro.

– Não me importo, sei que vou ganhar. Tenho certeza disso – disse o Zumbi Coreano.

José Aldo e Zumbi Coreano Pesagem UFC Rio  (Foto: Andre Durão)
José Aldo e Zumbi Coreano se encaram na pesagem do UFC Rio 4 (Foto: Andre Durão)

Lineker não bate o peso

Pela luta principal do UFC Rio 4, o coreano Chan Sung Jung e o brasileiro José Aldo ficaram no limite de 65,8 kg. Na encarada, os dois se cumprimentaram e o Zumbi Coreano recebeu vaias e gritos de “Uh, vai morrer!” dos torcedores.

Na pesagem do coevento principal, o americano Phil Davis, também ao som dos gritos de “Uh, vai morrer!”, atingiu 93 kg. Adversário do “Mr. Wonderful”, o brasileiro Lyoto Machida também pesou 93 kg e foi muito festejado pelo público presente na Arena da Barra.

José Maria “No Chance” foi o primeiro atleta do card principal a subir na balança e ficou no limite da tolerância para o peso-mosca, com 57,2 kg. John Lineker, seu adversário, pediu a toalha antes de se pesar, mas, mesmo sem roupa, atingiu 58,5 kg, ficando 1,3 kg acima do permitido. Ele foi multado em 20% da bolsa pela organização e o combate está confirmado. Pelos médios, Thales Leites e Tom Watson pesaram 83,9 kg e fizeram uma encarada morna. Na terceira luta do card principal, Thiago Marreta pesou mais de 1 kg abaixo do limite, com 83 kg, e vibrou quando foi anunciado o resultado. Cezar Mutante também não teve problemas e bateu 83,9 kg.

John Lineker Ficando acima do Peso UFC RIO 4 (Foto: Andre Durão)
John Lineker ficou acima do peso e foi multado em 20% da bolsa (Foto: Andre Durão)

Bristol Marunde rouba a cena com camisa do Vasco

Bristol Marunde já começou a pesagem roubando a cena ao aparecer com a camisa do Vasco e bater o peso, no limite da tolerância para lutas que não valem cinturão, com 77,6 kg. Apesar da tentativa de conquistar o público, o americano não recebeu apoio na Arena da Barra. Viscardi Andrade também não teve problemas e confirmou o combate. Na sequência, Ednaldo Lula e Francimar Bodão, nos meio-pesados, e Rani Yahya e Josh Clopton, nos penas, também venceram a batalha contra a balança.

Na pesagem da luta seguinte, entre Ian McCall e Iliarde Santos, os dois lutadores bateram 56,7 kg, abaixo do limite de 57,2 kg para lutar que não valem título. A curiosidade ficou para o brasileiro, que colocou um bigode de mentira parecido com o do americano na hora da encarada. Serginho Moraes e Neil Magny também bateram o peso dos meio-médios e confirmaram o combate.

Ian McCall x Iliarde Santos Pesagem UFC RIO 4 (Foto: Andre Durão)
Ian McCall encara Iliarde Santos, que colocou bigode de mentira para brincar com rival (Foto: Andre Durão)

Na primeira pesagem de luta feminina do UFC no Brasil, a alemã Sheila Gaff não teve problemas para marcar 61,2 kg. Logo depois, a brasileira Amanda Nunes pesou 61,7 kg, dentro do limite da categoria. Na sequência, pelo último combate do card preliminar, Anthony Perosh e Vinny Magalhães bateram 93 kg. Na hora da encarada, o brasileiro evitou olhar para o australiano, virando a cara para os lados.

Bristol Pesagem UFC RIO 4 (Foto: Andre Durão)
Bristol Marunde aparece para a pesagem vestindo a camisa do Vasco (Foto: Andre Durão)

Mais Combate.com: confira as últimas notícias do mundo do MMA

O UFC 163, ou UFC Rio 4, será realizado neste sábado, a partir das 19h30m (de Brasília), com transmissão ao vivo do canal Combate. O Combate.com fará a cobertura de todos os detalhes em Tempo Real e transmite ao vivo a primeira luta do card, entre os meio-médios Viscardi Andrade e Bristol Marunde.

Confira os pesos dos atletas para o UFC Rio 4:
CARD PRINCIPAL Peso-pena (até 65,8kg): José Aldo (65,8 kg) x Chan Sung Jung (65,8 kg) Peso-meio-pesado (até 93,4kg*): Lyoto Machida (93 kg) x Phil Davis (93 kg) Peso-médio (até 84,4kg*): Cezar Mutante (83,9 kg) x Thiago Marreta (83 kg) Peso-médio (até 84,4kg*): Thales Leites (83,9 kg) x Tom Watson (83,9 kg) Peso-mosca (até 57,2kg*): John Lineker (58,5 kg) x José Maria ‘No Chance’ (57,2 kg) CARD PRELIMINAR Peso-meio-pesado (até 93,4kg*): Vinny Magalhães (93 kg) x Anthony Perosh (93 kg) Peso-galo (até 61,7kg*): Amanda Nunes (61,7 kg) x Sheila Gaff (61,2 kg) Peso-meio-médio (até 77,6 kg*): Serginho Moraes (77,1 kg) x Neil Magny (77,6 kg) Peso-mosca (até 57,2kg*): Ian McCall (56,7 kg) x Iliarde Santos (56,7 kg) Peso-pena (até 66,2kg*): Rani Yahya (65,8 kg) x Josh Clopton (65,8 kg) Peso-meio-pesado (até 93,4kg*): Ednaldo Lula (93,4 kg) x Francimar Bodão (92,5 kg) Peso-meio-médio (até 77,6kg*): Viscardi Andrade (77,1 kg) x Bristol Marunde (77,6 kg)

*Em lutas que não valem cinturão há a tolerância de uma libra (455g) acima do valor exato da categoria. Nas lutas válidas por cinturão não há tolerância para qualquer excesso de peso dos atletas.

Lenda Wanderlei Silva ministra seminário no Recife

Os atletas de artes marciais de Pernambuco terão a honra de treinar ao lado de um dos maiores nomes de toda a história do UFC: o curitibano Wanderlei Silva. É que o Cachorro Louco estará no Recife no próximo dia 27 para ministrar um seminário sobre MMA na academia MXA Fight Club, em Boa Viagem. Essa será a primeira passagem do lutador de 37 anos, ex-campeão do Pride, pelo Nordeste.

Depois de ter todas as suas vagas esgotadas em apenas quatro horas na última sexta-feira (12), o seminário de Wanderlei Silva no Recife ganhou uma nova turma. A partir desta terça-feira (16), estarão disponíveis aos fãs mais 26 lugares no aulão do Cachorro Louco. As inscrições podem ser feitas pelo telefone 3326-6420 ao preço de R$ 200.

No seminário, Wanderlei Silva abordará vários temas relacionados ao MMA – desde o aquecimento até técnicas de luta em pé e no chão. Dono de um cartel com 35 vitórias e apenas 12 derrotas, o Cachorro Louco também responderá perguntas dos alunos inscritos. “Estou bastante ansioso em dar esse seminário no Recife. Sempre ouvi falar muito bem daí e quero ter esse contato com os fãs, com os atletas e com os técnicos pernambucanos”, disse Wanderlei, que mora em Las Vegas (EUA), onde comanda a academia Wand Fight Team.

O seminário de Wanderlei Silva marca a inauguração oficial da MXA Fight Club, um dos mais modernos centros de treinamento de artes marciais do Nordeste. A academia erguida em Boa Viagem, nas imediações do Shopping Center Recife, conta com salas climatizadas dedicadas a sete modalidades: MMA, jiu-jítsu, boxe, muay-thai, kickboxing, morganti e krav maga. A intenção dos comandantes da MXA Fight Club é realizar com frequência cursos com feras do UFC.

“Ter uma lenda como Wanderlei Silva em Pernambuco é algo sensacional. É a melhor forma que encontramos para difundir e desmistificar o MMA, além de capacitar os nossos técnicos e atletas”, afirmou o proprietário da MXA Fight Club, Avelar Sampaio. “Por isso, não queremos parar nesse curso. Já estamos conversando com outros cascas-grossas do MMA mundial para que também possam vir ao Recife. Em breve, teremos novidade para os fãs”, completou Avelar.

Depois da passagem pelo Recife, Wanderlei Silva retornará a Las Vegas. Apesar de ainda não ter nenhuma luta marcada no UFC, o Cachorro Louco iniciará em agosto seu treinamento. A intenção é estar pronto para entrar no octógono ainda em 2013, entre novembro e dezembro. Em sua última apresentação, em março, no Japão, ele nocauteou o norte-americano Brian Stann no UFC on Fuel.

Com revanche confirmada para UFC 168, Anderson Silva avisa: 'Eu voltei'

Por Sport TV Combate

Como o Combate.com adiantou na manhã deste sábado, a revanche entre  Anderson Silva e o novo campeão dos pesos-médios do UFC, Chris Weidman, foi confirmada para o UFC 168, no dia 28 de dezembro, no mesmo local da primeira luta, o MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas. O presidente do Ultimate, Dana White, anunciou a luta neste sábado, de forma oficial, e afirmou também que o confronto entre Ronda Rousey e Miesha Tate, treinadoras do reality show The Ultimate Fighter 18, será o coevento principal da noite.

Anderson Silva participou do anúncio oficial, feito na TV americana, através de uma mensagem gravada. O ex-campeão mundial dos pesos-médios teve uma afirmação curta a fazer:

– Eu voltei. Acreditem, eu voltei – disse Spider.

Anderson Silva pesagem UFC 162 Chris Weidman (Foto: Evelyn Rodrigues)
Anderson Silva e Chris Weidman vão se enfrentar novamente em 28 de dezembro (Foto: Evelyn Rodrigues)

Anderson Silva reinou como campeão dos pesos-médios por seis anos e nove meses até ser nocauteado por Chris Weidman no último sábado, no UFC 162, em Las Vegas. Após a derrota, o brasileiro negou que quisesse uma revanche, mesmo sendo prometido uma tanto por White quanto pelo próprio Weidman. O dirigente insistiu que o convenceria a aceitar a luta, e a repercussão ao combate foi enorme durante toda a semana. Na sexta-feira, Spider anunciou que já havia aceito a luta e se antecipou ao anúncio oficial do Ultimate, dizendo que a nova luta seria realizada no UFC 168.

– Não sei se houve mais expectativa após uma luta na história do UFC. Todo mundo vem se perguntando se haverá uma revanche. Eu venho trabalhando nisso desde quinta-feira. Em 28 de dezembro, em Las Vegas, no MGM Grand, Anderson Silva vai enfrentar Chris Weidman, e o coevento principal será Ronda Rousey contra Miesha Tate – afirmou White na TV americana.

O combate entre Ronda Rousey e Miesha Tate também é uma revanche. As duas se encontraram pela primeira vez em março de 2012, no Strikeforce, quando Tate era a campeã peso-galo da organização. Rousey a derrotou com uma chave de braço no fim do primeiro round e conquistou o cinturão. As duas fizeram a transição para o UFC neste ano, e Rousey tornou-se a primeira campeã feminina da organização. Tate recebeu a chance de desafiá-la e atuar ao seu lado na 18ª temporada do TUF quando Cat Zingano, adversária original da campeã, sofreu uma lesão no joelho e foi forçada a desistir do confronto.

Miesha Tate e Ronda Rousey  se encaram durante pesagem do Strikeforce (Foto: Getty Images)
Miesha Tate e Ronda Rousey se encaram durante pesagem no Strikeforce, em 2012 (Foto: Getty Images)

Suspensões médicas: Anderson Silva para por 45 dias depois de perder cinturão

Caído, Anderson Silva é alvo de mais golpes de Chris Weidman; Spider fora de ação por 45 dias

Por Redação – Superesportes

A Comissão Atlética de Nevada divulgou nesta segunda-feira a lista de suspensões médicas depois do UFC 162, em Las Vegas. Derrotado na luta principal por Chris Weidman, novo campeão do peso-médio, Anderson Silva ficará afastado até 21 de agosto. O Spider foi nocauteado a 1min18 do segundo round, com um forte cruzado de esquerda e uma sequência de socos.

De acordo com a lista de suspensões médicas divulgada pela Comissão Atlética de Nevada, que regulamentou o evento do UFC em Las Vegas, Anderson Silva ficará fora de ação por precaução, já que não sofreu lesão ou contusão séria, apesar de ter sido alvo de fortes golpes. O árbitro Herb Dean interrompeu o duelo e decretou nocaute técnico, depois que Chris Weidman foi para o ground and pound com o brasileiro caído.

Outros brasileiros que participaram do evento levaram suspensões médicas. O peso-pena Charles do Bronx, que perdeu para Frankie Edgar na luta co-principal, por decisão unânime dos juízes, ficará afastado até 6 de agosto. Já o leve Rafaello Trator Oliveira, batido por Edson Barboza por nocaute técnico, se ausentará do octógono até 21 de agosto, a exemplo de Anderson Silva.

Quem ficará mais tempo afastado é o japonês Kazuki Tokudome. Derrotado por Norman Parke por decisão unânime dos juízes, o lutador oriental levou suspensão médica até 3 de janeiro de 2014. Com suspeita de fratura na face, ele pode ser liberado antes do prazo depois de ser submetido a exames no nariz, orelha e garganta.

O russo naturalizado alemão Dennis Siver, derrotado por Cub Swanson por nocaute técnico no terceiro round, ficará suspenso até 5 de setembro, por precaução. Já David Mitchell, derrotado por Mike Pierce por nocaute técnico no segundo round, estará fora de ação até 5 de outubro.

Lista de suspensões médicas depois do UFC 162

Kazuki Tokudome: suspenso até 3 de janeiro; suspensão mínima até 21 de agosto, sem contato em treinamento até 6 de agosto

Dennis Siver: suspenso até 5 de outubro, sem contato em treinamento até 5 de setembro por precaução

David Mitchell: suspenso até 5 de outubro, sem contato em treinamento até 5 de setembro por precaução

Anderson Silva: suspenso até 21 de agosto, sem contato em treinamento até 6 de agosto por precaução

Rafaello Trator: suspenso até 21 de agosto, sem contato em treinamento até 6 de agosto devido a dores no joelho esquerdo

Charles do Bronx: suspenso até 6 de agosto, sem contato em treinamento até 28 de julho por precaução

Tim Boetsch: suspenso até 6 de agosto, sem contato em treinamento até 28 de julho por precaução

Seth Baczynski: suspenso até 6 de agosto, sem contato em treinamento até 28 de julho por causa da sobrancelha direita e de lacerações nariz

Após derrota para Weidman, Anderson revela: 'Não luto mais pelo cinturão'

MMA Press –  07/07/2013 –  02:10

Após sofrer uma das derrotas mais surpreendentes da história do Ultimate, o  brasileiro Anderson Silva fez uma revelação importante ainda no octógono do UFC  162. Sob vaias, durante entrevista concedida após o combate, Anderson declarou  que não vai mais disputar o cinturão dos médios da organização – contrariando o  presidente Dana White, que já havia garantido uma revanche imediata em caso de  derrota do Spider.

“Não, Chris é o campeão agora. Eu não luto mais pelo cinturão. Eu tive o  cinturão por muito tempo, estou cansado. Agora eu vou descansar, vou ficar com a  minha família. Chris é o campeão agora, ele merece o respeito pessoal”, disse o  brasileiro, que afirmou que não está se aposentando, mas posteriormente, em  entrevista ao canal “Combate”, não negou a possibilidade.

Em tom de despedida, Anderson também dirigiu palavras aos presentes e aos  dirigentes do Ultimate. “Eu trabalhei duro para essa luta. Eu respeito todos os  fãs do UFC, o povo dos Estados Unidos. Eu preciso dizer muito obrigado aos  irmãos Fertitta, Dana White e Joe Silva. Chris Weidman é o novo campeão porque  ele é o melhor agora. Eu trabalhei duro, mas ele venceu”, disse Anderson.Após derrota para Weidman, Anderson revela: 'Não luto mais pelo cinturão'

Anderson Silva perdeu o título dos médios do Ultimate para o norte-americano  Chris Weidman após ser nocauteado no segundo assalto da luta principal do UFC  162, em Las Vegas (EUA). Anderson foi o campeão da divisão até 84 kg entre o dia  14 de outubro de 2006 e a noite deste sábado (6). A derrota interrompeu uma  série de 16 vitórias consecutivas do Spider pela organização e impediu que o  brasileiro chegasse à sua décima primeira defesa de cinturão consecutiva. 

Por LANCENET!

Encarada tensa entre Anderson Silva e Chris Weidman na coletiva do UFC

Anderson Silva e Chris Weidman tocam os queixos na encarada após a coletiva (Foto: Evelyn Rodrigues)

Por Las Vegas, EUA

Nas respostas, respeito. Na encarada, tensão. Assim pode ser definida a coletiva de imprensa oficial do UFC 162, realizada nesta quinta-feira no MGM Grand. Após mostrarem muito cuidado nas declarações aos jornalistas, Anderson Silva e Chris Weidman, protagonistas da luta principal do evento, em que será disputado o cinturão dos pesos-médios, fizeram uma encarada tensa, tocando os queixos por alguns segundos, sob os olhares de Dana White. Os demais presentes foram Tim Boetsch, Mark Muñoz, Roger Gracie, Tim Kennedy, Charles do Bronx e Frankie Edgar, que pouco foram questionados pelos repórteres presentes ao evento.

Realizada no lobby de entrada do hotel MGM Grand, a coletiva não poderia ter tido um clima mais favorável. A torcida brasileira lotou o local, e gritou “Silva!” logo na primeira resposta de Weidman, que pediu para que gritassem mais. No fim, novo show dos brasileiros, cantando “O campeão chegou!” enquanto os lutadores se preparavam para as encaradas. Após se encararem, Anderson brincou com Weidman e ofereceu o cinturão ao americano.

Coletiva UFC 162 Anderson Silva Chris Weidman (Foto: Evelyn Rodrigues)
Anderson Silva oferece o cinturão a Chris Weidman, que se surpreende e sorri (Foto: Evelyn Rodrigues)

– Estou muito feliz, é normal essa competição saudável entre brasileiros e americanos. Temos que mostrar que a gente veio aqui com educação, até porque hoje (4 de julho, dia da independência) é um dia importante para eles. Vamos rezar para que tudo dê certo mais uma vez – afirmou o campeão, em português, dirigindo-se aos brasileiros presentes.

O campeão não polemizou, e deu respostas curtas quando perguntado sobre a expectativa pela luta.

– É mais um dia normal de trabalho – disse o lutador.

Weidman foi mais longo em sua resposta à mesma pergunta, e rechaçou as comparações com Chael Sonnen quando perguntado se sua estratégia para o combate seria parecida com a que o falastrão usou no primeiro confronto contra o campeão.

– Sonnen derrubou Anderson várias vezes, assisti a essa luta muitas vezes (no UFC 117), mas não estou explorando isso. Não vou fazer exatamente o que Sonnen fez. Vou ser o Chris Weidman e tentar ser o mais devastador possível. Acho que quando o Chael esteve por cima ele ficou muito afoito. Quando eu estiver, ficarei mais relaxado. Esse é meu mundo. Não tem razão pra apressar as coisas.

Bolsas de apostas apontam pequena vantagem de Anderson

andersol silva chris weidman anderson silva mma ufc coletiva   (Foto: Evelyn Rodrigues)
Anderson Silva durante a coletiva oficial do UFC 162 no MGM Grand, em Las Vegas (Foto: Evelyn Rodrigues)

A vantagem de Anderson Silva de apenas 2 para 1 nas bolsas de apostas foi tema de algumas perguntas, e Dana White disse que a opinião dos lutadores a favor do desafiante pode ter influenciado os apostadores.

– Esta é a menor margem de vantagem que Anderson Silva já teve na história, acredito que por muitos lutadores terem dito que Chris Weidman pode vencer Anderson SIlva. Há muitas dúvidas sobre o que vai acontecer, e elas só serão respondidas no sábado à noite.

Anderson disse não se importar com a opinião dos atletas.

– É normal. Todo mundo tem uma opinião. Eu tenho a minha, e eles têm as deles. Não me afeta em nada, e também não me motiva.

Chris Weidman coletiva UFC 162 (Foto: Evelyn Rodrigues )
Chris Weidman diz que maior pressão vem dele mesmo, e não de fatores externos (Foto: Evelyn Rodrigues )

O americano, por sua vez, disse que a maior pressão não vem do pequeno favoritismo do campeão, mas sim de si mesmo.

– Definitivamente não. Eu já ponho pressão suficiente em mim. Quero estar aqui e enfrentar o Anderson há muito tempo. Coloco pressão em mim pela minha família.

Perguntado sobre a receita para parecer ter 28 anos mesmo tendo 38 anos de idade, Anderson Silva disse que a idade está na cabeça de cada um.

– É a alegria de poder estar aqui, de fazer o meu trabalho. A velhice está na cabeça de todo mundo. Quando você faz o que ama, tudo fica mais fácil.

Ao ser comparado com Pelé, por sua popularidade no Brasil e no mundo, o campeão exaltou seu amor pelo que faz.

– Quando você faz uma coisa com amor, independentemente de as pessoas acharem que você é o melhor, o resultado é esse: poder ser mais um de muitos ídolos. Estou superfeliz de estar aqui para lutar e fazer o que faço com amor.

Charles do Bronx e Roger Gracie usam altura para intimidar seus rivais

Coletiva UFC 162 Tim Keneddy e Roger Gracie (Foto: Evelyn Rodrigues)
Roger Gracie encara Tim Kennedy de cima após a coletiva oficial do UFC 162(Foto: Evelyn Rodrigues)

Mais altos que seus adversários, o peso-médio Roger Gracie (1,94m) e Charles do Bronx (1,80m) aproveitaram a vantagem sobre seus rivais, respectivamente Tim Kennedy (1,80m) e Frankie Edgar (1,67m) para intimidá-los na encarada após a coletiva. Mesmo mostrando respeito ao se aproximarem no centro do palco montado para o evento, assim que foram autorizados a se encararem, os brasileiros olharam seus oponentes de cima. A diferença foi flagrante, e provocou reações de surpresa dos fãs presentes ao local.

– No fim do dia, cada um é um indivíduo diferente. Não posso pensar no que aconteceu no passado, tenho que me concentrar em lutar. Minha família fez história e agora quero fazer também – respondeu, ao ser perguntado sobre a sensação de um Gracie voltar ao card principal de um evento do UFC.

Coletiva UFC 162 Frankie Edgar e Charles Do Bronx (Foto: Evelyn Rodrigues)Charles Do Bronx mostra a diferença de altura para Frankie Edgar na encarada (Foto: Evelyn Rodrigues)

Já o peso-pena Charles do Bronx, que vem de derrota por nocaute para Cub Swanson no UFC 152 – a sua primeira na nova categoria – disse estar muito motivado para a luta contra o ex-campeão dos pesos-leves, e garantiu que se preparou como nunca para o duelo.

– Fiquei feliz com a oportunidade, sabia que era data importante aqui nos Estados Unidos. Quando soube que ia enfrentar o Frankie Edgar, treinei muito, muito, muito –

 

 

Coletiva UFC 162 Mark Muñoz e Tim Boetsch (Foto: Evelyn Rodrigues)
Mark Muñoz e Tim Boetsch se encaram após a coletiva oficial do UFC 162 (Foto: Evelyn Rodrigues)

Mark Muñoz fala sobre sua perda de peso

Destaque nas redes sociais por ter ficado muito acima do peso, e pela sua ótima forma atual, o peso-médio Mark Muñoz disse que passou por uma forte depressão, e brincou sobre ter exagerado na comida durante seu período longe do octógono.

– Eu queria esclarecer isso. Entrei em depressão, foi difícil para mim. Não sou de drogas, álcool e festas, mas eu como (risos). Comi muito porque estava triste. Eu estava triste porque comia e comia porque estava triste. Olhei para mim um dia no espelho e pensei: o que diabos aconteceu? Falei com meu treinador Todd Norman para resolvermos isso. Ele fez um trabalho muito duro comigo. Agora estou na melhor forma da minha vida e pronto para seguir adiante.

Sobre Tim Boetsch estar preocupado de não encontrar o melhor Mark Muñoz, o lutador disse nque isso não será um problema.

– Estou com 92kg. O peso está ótimo. Estou suando agora. Essa perda de peso foi a melhor que tive na vida de longe, contando wrestling e MMA. Estou me sentindo muito bem. Ele verá minha melhor versão e quero ver a melhor versão dele também. Estou confiante.

O UFC 162 será disputado neste sábado, em Las Vegas (EUA). Na véspera, a pesagem será às 20h (horário de Brasília), com transmissão ao vivo do canal Combate e do Combate.com. No dia do evento, o canal Combate exibirá ao vivo o evento completo a partir de 19h, direto de Las Vegas. O Combate.com vai transmitir, também ao vivo, o duelo entre Mike Pierce e David Mitchell e acompanhará todas as lutas em Tempo Real. A TV Globo transmite os principais duelos do UFC 162 na madrugada de sábado para domingo com atraso, por força de contrato.
UFC 162 6 de julho de 2013, em Las Vegas (EUA) CARD PRINCIPAL Anderson Silva x Chris Weidman Frankie Edgar x Charles do Bronx Tim Keneddy x Roger Gracie Mark Muñoz x Tim Boetsch Cub Swanson x Dennis Siver CARD PRELIMINAR Chris Leben x Andrew Craig Norman Parke x Kazuki Tokudome Edson Barboza x Rafaello Trator Gabriel Napão x Dave Herman Seth Baczynski x Brian Melancon Mike Pearce x David Mitchell

Estratégia de marketing mundial e desgaste por clubismo tiram Anderson do Corinthians

Anderson nunca escondeu seu orgulho de defender o Corinthians

Depois de uma invicta parceria que durou quase dois anos, o Corinthians anunciou que não renovou seu inovador contrato com Anderson Silva para a luta contra Chris Weidman, no dia 6 de julho, em Las Vegas. Mas essa decisão não é recente e não foi tomada de sopetão, pelo menos não por parte do estafe do atleta.

A ideia de o campeão dos médios deixar de defender a camisa do clube do Parque São Jorge já era pensada desde o final do ano passado e passava por dois grandes motivos: a nova estratégia de marketing do lutador de olho no mercado mundial, e não mais só no brasileiro, e o desgaste que ele passou em alguns momentos por conta do clubismo dos fãs.

Os mais observadores já tinham percebido esse rompimento nas últimas semanas. Sempre que fazia uma aparição pública relacionada a lutas, fazia questão de usar roupas com o símbolo do clube, fosse em uma coletiva, fosse em um sparring. Mas quando foi córner de Rodrigo Minotauro no UFC de Fortaleza, em 8 de junho, e quatro dias depois, em sua última coletiva antes do UFC 162, ele já não usava mais o símbolo corintiano.

Vamos destrinchar os motivos e os bastidores para isso:

Marketing: Anderson anunciou neste mês a criação da Spider Company, uma agência de marketing esportivo que vai cuidar de sua imagem exclusivamente no exterior – no Brasil, quem cuida dessa área é a 9ine, do ex-atacante Ronaldo. Manter a marca do Corinthians criaria um ruído para futuros contratos em outros mercados.

Foi avaliado por sua equipe que não seria bom para um atleta de alto nível carregar muitas marcas, ter sua camiseta parecendo um abadá. É melhor ter uma carteira de patrocinadores mais enxuta, com poucas marcas, mas fortes e globais, como é o caso da Nike e da Phillips, que ele já tem há quase dois anos.

Clubismo: Assim que foi anunciado como atleta do Corinthians, Anderson não escondeu a felicidade de defender seu clube de coração e onde até tentou ser jogador. Mas logo em sua primeira luta pelo clube, contra Yushin Okami no UFC Rio 1, ele percebeu que não seria tudo tão lindo. Mesmo com a vitória, ele ouviu algumas vaias e xingamentos relacionados ao time.

Apesar do discurso de “antes de corintiano, sou brasileiro” ou falar que os torcedores de MMA sabem separar as coisas, o clubismo de [boa] parte dos fãs sempre o incomodou. Ele não assumia publicamente, mas sempre teve um nariz torto para essa situação. Foi uma aposta que ele fez, mas que não venceu completamente. Para um campeão como ele, isso era pouco.

O ônus e as dores de cabeça de misturar futebol e MMA e defender um clube que que movimenta tanta paixão – a favor e contra – já não compensava mais. O modesto salário que recebia do clube, se comparado com seus patrocínios e que usava para pagar parte de sua equipe, não valia mais a pena por conta de seus compromissos maiores.

Academia: Um dos principais pontos do contrato de Anderson Silva com o Corinthians foi a construção de uma academia de artes marciais no Parque São Jorge levando seu nome. Ela virou referência em São Paulo e um time de MMA foi montado, contando até com o ex-campeão dos pesados do UFC Junior Cigano.

O clube não tem a menor ideia nesse momento do que vai fazer com o nome do local. A estrutura será mantida, assim como o time e os treinadores, mas ainda não se sabe se poderá manter a marca Anderson Silva. É possível que fique simplesmente como Corinthians MMA ou que o clube mantenha o nome do campeão dos médios como forma de homenagem.

Futuro: Assim como a parceira de Anderson com o Corinthians foi inovadora e abriu as portas para outras similares entre lutadores e clube de futebol na época, o fim dela também pode representar o término dessa fórmula. A maioria delas já tinha sido encerrada antes e, ao que tudo indica, essa amálgama entre os dois maiores esportes do Brasil não funcionou da maneira esperada.

Uol Esportes

Fabricio Werdum finaliza Minotauro; Léo Santos supera Patolino e se torna campeão do TUF Brasil 2

fabricio-werdum-vence-rodrigo-minotauro--

No TUF Brasil 2 Rodrigo Minotauro conseguiu superar o Time Werdum como técnico, mas no combate entre os treinadores do reality quem levou a melhor foi o gaúcho Fabricio Werdum, que finalizou o veterano com um armlock, vingando a derrota sofrida em 2006, ainda no extinto Pride. Com uma técnica super apurada, Werdum não se intimidou pela experiência no jiu-jitsu do adversário e investiu, trabalhou e conseguiu pegar o braço de Minotauro em um justo arm-lock somando sua terceira vitória consecutiva no UFC. A vitória, a oitava finalização da noite, aconteceu aos 2 minutos e 41 segundos do segundo round.

Fabricio Werdum aplica soco em Rodrigo Minotauro - Foto: Gaspar Nobrega/inovafoto

Fabricio Werdum aplica soco em Rodrigo Minotauro – Foto: Gaspar Nobrega/inovafoto

“É uma honra lutar com o Minotuaro, é a segunda vez que lutamos. O cara é foda mesmo”, elogiou Werdum, “Consegui pegar as costas dele e engatei a chave de braço, então fiquei muito feliz”.

Caso Dana White cumpra sua promessa, Werdum deverá ser o próximo desafiante ao cinturão dos pesos-pesados, enfrentando nada menos que o vencedor do terceiro duelo entre Cain Velásquez e Junior Cigano.

Fabricio Werdum venceu Rodrigo Minoturo por finalização - Foto: William Lucas/inovafoto

Fabricio Werdum venceu Rodrigo Minoturo por finalização – Foto: William Lucas/inovafoto

Léo Santos finaliza Willian Patolino e vence o TUF Brasil 2

Derrotado pelo argentino Santiago Ponzinibbio na semifinal do reality, Léo Santos acabou substituindo o companheiro de equipe quando, após a luta, Santiago acusou uma séria lesão no braço. A chance colocou o carioca de Campos na grande final do programa, contra o perigoso William Patolino. Usando sua principal arma, Leo finalizou Patolino com um katagatame, ficando com o título de “Ultimate Fighter Brasil” e o contrato de três dígitos com o Ultimate.

“Sei que muitos aqui viram um menino quietinho, franzino e humilde entrar para lutar com o Patolino, com cara de mal, forte, e pensaram ‘ele vai matar o Leo’. Mas, não, eu tenho coração pra caramba. Pra me ganhar, vai ter que lutar muito! disse Santos após o combate.

Léo Santos surpreende Patolino e ganha TUF Brasil 2 - Foto: William Lucas/inovafoto

Léo Santos surpreende Patolino e ganha TUF Brasil 2 – Foto: William Lucas/inovafoto

Após a luta, Léo Santos pulou o cage para comemorar com seu amigo e companheiro de treinos José Aldo, campeão peso pena do UFC. Já Patolino, desconsolado com o resultado, não conseguiu segurar o choro e teve que ser amparado por seu corner e também por José Aldo dentro do octógono. Após vencer o TUF na categoria dos meio-médios, Léo Santos afirmou que quer voltar a sua categoria de origem, a dos leves.

Léo Santos surpreende Patolino e ganha TUF Brasil 2 - Foto: William Lucas/inovafoto

Léo Santos surpreende Patolino e ganha TUF Brasil 2 – Foto: William Lucas/inovafoto

 

 

 

Fonte: Fabrício Santos