Feliz com prata, Odair tem em recurso a esperança de ouro inédito: “Sonho”

Por Fabrício Marques e Matheus Tibúrcio Rio de Janeiro

Responsável pela primeira medalha do Brasil nos Jogos Paralímpicos Rio 2016, Odair Santos saiu do Engenhão, na manhã desta quinta-feira, com a prata nos 5.000m na classe T11. Porém, um recurso contra o vencedor da prova, o queniano Samuel Kimani, conduzido pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e por outros países, deu esperanças ao brasileiro de alcançar algo inédito na carreira. Agora dono de oito medalhas em Paralimpíadas, Odair pode vir a ser campeão paralímpico pela primeira vez caso o rival seja desclassificado. O protesto segue em análise, mas o fundista afirma ao menos estar contente com a prata já garantida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *