Final da Liga dos Campeões vira programa obrigatório para técnicos da Copa do Mundo

Por – Jaeci Carvalho /Estado de Minas
Lisboa – Estádio da Luz, Lisboa, 19h45 (15h45, horário de Brasília), final da Liga dos Campeões da Europa. De um lado, o maior campeão da Champions, com nove títulos, cheio de estrelas, incluindo o melhor jogador do mundo, o português Cristiano Ronaldo. Do outro, uma equipe de operários, comandada por um ex-volante que batia muito mas que era respeitado por todos, o argentino Diego Simeone. No banco do time com mais conquistas, um experiente treinador, Carlo Ancelotti, tetracampeão da competição – duas vezes como jogador e duas como técnico, exclusivamente pelo Milan. Em campo pelo concorrente considerado mais fraco, o brasileiro Miranda, sensação entre os zagueiros que atuam na Europa, e a possibilidade de ter seu principal astro, Diego Costa, que tratava lesão muscular na coxa esquerda e treinou ontem. E, nas arquibancadas, uma torcida dividida entre o mais fraco e menos rico e o mais forte e endinheirado. Chegou a hora e a vez de Lisboa receber a decisão, e os olhos do mundo se voltam para cá.

Não bastasse a grandeza do confronto, nada menos que 17 dos prováveis 22 titulares da final deste sábado estão pré-convocados para desembarcar no Brasil no início do mês que vem para a Copa do Mundo. Ao todo, 25 jogadores dos dois representantes madrilenhos foram chamados para nove seleções. O técnico Vicente del Bosque, da atual campeã, Espanha, chamou sete atletas de Real Madrid e Atlético de Madrid: o goleiro Casillas, os laterais-direitos Carvajal e Juanfran, o zagueiro Sergio Ramos, o volante Xabi Alonso, o armador Koke e os atacantes Xavi e Diego Costa. Deles, o experiente Xabi Alonso, suspenso, é o único que não vai estar nem no banco em Lisboa.

Ainda que reserva no clube merengue, o lateral-esquerdo Marcelo é cotado para ser um dos 11 de Luiz Felipe Scolari. Ele integra a lista dos 23 indicados por Felipão, que, para cumprir a exigência da Fifa, precisou enviar um complemento de sete suplentes, incluindo o zagueiro Miranda e o também lateral-esquerdo Filipe Luís, ambos colchoneros. Adversário do Brasil na primeira fase, a Croácia tem como cérebro no meio-campo o armador Luka Modric, de 28 anos. Outros dois times sul-americanos estão representados na final da Liga dos Campeões: o técnico Óscar Tabárez, do Uruguai, convocou três atletas do Atlético de Madrid (Godín, Giménez e Rodríguez), enquanto Alejandro Sabella, da Argentina, vai contar com um de cada rival: o atacante Angel Di María (Real) e o armador José Ernesto Sosa (Atlético).

O técnico do Real Madrid, Ancelotti, aposta todas as suas fichas no português Cristiano Ronaldo, destaque da Seleção de Paulo Bento, como os companheiros de equipe Pepe e Fábio Coentrão. Ao lado de Cristiano no ataque joga o francês Benzema, que vai à Copa acompanhado do zagueiro Varane, inicialmente previsto para ficar no banco. Benzema e Cristiano tentarão superar o jovem goleiro Thibau Courtois, um dos destaques da renovada e perigosa Seleção da Bélgica.

Jejum
O Real Madrid é o maior ganhador da história da Liga, mas não levanta o troféu há 12 anos. A última vez foi com Zinedine Zidane, que fez um gol de placa contra o Bayer Leverkusen em jogo dificílimo. Mesmo favorito, o Real passou por maus bocados. E hoje Zidane estará no banco dos merengues como auxiliar técnico de Ancelotti. Se o francês é considerado um talismã, o fator que pode fazer a diferença se chama Cristiano Ronaldo: filho da terra, ele tenta faturar sua segunda taça – venceu a disputa pelo Manchester United, em 2008. O português, que vinha tratando um problema muscular, diz que está disposto a jogar o que sabe e o que não sabe em seu país. Mesmo coadjuvantes, Bale, Benzema e o brasileiro Marcelo terão também papel fundamental.

Mas existe uma pedra no caminho do Real. O Atlético de Madrid, considerado o “primo pobre” dos espanhóis, chegou à final depois de 40 anos (perdeu em 1974 para o Bayern de Munique) e sonha levar o troféu para o Vicente Calderón. Não será fácil, ainda mais que a escalação de Arda Turan e Diego Costa, os principais jogadores, é dúvida, mas o grupo é guerreiro, como sempre foi seu comandante, Simeone. O treinador não perdeu uma partida sequer nesta Liga, nem tampouco no Espanhol diante do Real Madrid (vitória no Santiago Bernabéu e empate em casa). Dá gosto de ver jogar e contraria tudo aquilo que o argentino fez quando jogador, combatendo e batendo demais no meio-campo. Seu time, não. Joga compacto, com categoria, um meio marcador e nada violento, que sabe sair para o jogo.

Inédito
Pela primeira vez na história da Liga, duas equipes da mesma cidade decidirão a “orelhuda”. Cada um deles terá 17 mil torcedores nas arquibancadas entre os 61 mil esperados. A festa em Madri vai ocorrer de uma maneira ou de outra. Como haverá uma só partida, com prorrogação de 30 minutos em caso de empate e pênaltis, se persistir a igualdade, não há como dizer que o time A é muito superior ao B. Numa noite infeliz, o Real Madrid, teoricamente o mais forte, pode ir mal e se perder. O Atlético é, no momento, o campeão e melhor da Espanha. Além disso, é mais certinho, mais compacto, entrosado e disposto. Porém, do outro lado está o maior campeão da taça. (Com Renan Damasceno)

Ficha técnica de Real Madrid x Atlético de Madrid

Real Madrid
Casillas; Carvajal, Sergio Ramos, Pepe (Varane) e Fabio Coentrão; Modric, Illarramendi, Di María e Bale ; Cristiano Ronaldo e Benzema
Técnico: Carlo Ancelotti

Atlético de Madrid

Courtois; Juanfran, Godín, Miranda e Filipe Luís; Mario Suárez, Koke, Gabi, Raúl García (Arda Turan) e Diego; Diego Costa (David Villa)
Técnico: Diego Simeone _

Local: Estádio da Luz, em Lisboa (Portugal)
Horário: 15h45(de Brasília)
Árbitro: Björn Kuipers (HOL)
Auxiliares: Sander van Roekel e Erwin Zeinstra (HOL)

A CAMINHO DO MUNDIAL
Real Madrid
» Espanha: Casillas, Carvajal, Xabi Alonso* e Sergio Ramos
» Portugal: Pepe, Coentrão e Cristiano Ronaldo
» França: Benzema e Varane
» Alemanha: Khedira
» Argentina: Di María
» Brasil: Marcelo
» Croácia: Modric

Atlético de Madrid
» Espanha: Juanfran, Koke, Villa, Diego Costa
» Uruguai: Godín, Gimenez e Rodriguez
» Bélgica: Courtois e Anderweireld
» Brasil: Miranda e Filipe Luís**
» Argentina: Sosa

* Está suspenso
** Incluídos na lista de sete suplentes de Luiz Felipe Scolari

Tags: liga dos campeoes copa do mundo final programa

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *