Götze faz na prorrogação e se torna o herói do tetra alemão

Götze marcou o gol do título alemão no segundo tempo da prorrogação | Crédito: Dylan Martinez/Reuters

Demorou, mas o grande dia chegou. Após os shows de Shakira, Alexandre Pires, Carlos Santana, Carlinhos Brown e Ivete Sangalo, e com as presenças de Carles Pyoul e Gisele Bundchen, Alemanha e Argentina foram as grandes protagonistas da final do mundial do Brasil. As duas equipes se estudaram bastante e na prorrogação quem brilhou foi Mario Götze. O meia fez um golaço e garantiu o quarto título da Nationalelf, que agora se iguala a Itália.

No contra-ataque a Argentina foi quem tirou o primeiro ‘Uhhhh!’, Higuaín bateu cruzado e a bola passou na frente do gol de Neuer.   Aos 20 minutos, em uma bobeada da zaga, Kroos cabeceou para trás, nos pés de Higuaín, o atacante ficou frente a frente com Neuer e mandou para fora.

A equipe de Löw já registrava 67% de posse de bola, porém os hermanos finalizaram mais, 3 contra 1.  O grito de gol saiu da garganta aos 29, quando Higuaín completou o cruzamento de Lavezzi, mas o árbitro assinalou o correto impedimento.

A Alemanha teve que fazer a primeira mexida aos 30, Kramer, que havia levado uma ombrada de Garay, não teve condições de jogo e deu lugar a Schürrle. Em seu primeiro lance o atacante chutou da entrada da área e Romero fez grande defesa.

A bola esticada parecia ser a solução Albiceleste. Messi invadiu a área e pressionado pela zaga conseguiu tocar na saída de Neuer, Boateng surgiu do nada e afastou.

Antes de acabar a primeira etapa, aos 46, o zagueiro Höwedes subiu de cabeça e mandou na trave de Romero. Com isso, a Alemanha ‘virou’ nas finalizações e terminou com 4 chutes contra 3.

Na volta do intervalo, Sabella sacou Lavezzi por Aguero. Assim como nos 45 minutos iniciais, a Argentina começou melhor e assustou em chute cruzado de Messi. Aos 15, Lham levou no fundo e cruzou para Klose que cabeceou fraco.

Diferente do primeiro tempo, a partida caiu de intensidade e ficou muito concentrada no meio-campo. A Nationalelf criou algumas chances e em certos momentos exagerou no ‘preciosismo’.

O cansaço parece ter batido na Albiceleste, e aos 32, Sabella trocou o ‘combativo’ Higuaín por Palacio. A cinco minutos do fim, a última cartada do técnico foi Gago na vaga de Perez. Löw respondeu com Götze por Klose.

Como nada foi resolvido no tempo normal, a decisão ficou para a prorrogação. Schürrle teve grande chance no primeiro minuto, mas parou em Romero. Aos 6 foi a vez de Palacio desperdiçar na tentativa frustrada de cobrir Neuer. Já no segundo tempo brilhou a estrela de Mario Götze. Aos 9, Schürrle cruzou, o camisa 19 dominou livre na área e encheu o pé para marcar um golaço. A Alemanha chega ao quarto título mundial de sua história, com o gol de um jovem talento que premia a renovação iniciada em 2000.

Os germânicos também se tornam a primeira seleção europeia a conquistar a Copa do Mundo no continente americano.

Fonte: PLACAR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *