Pacotão: Allegri "triste", choro de Pirlo e comemoração louca de brasileiros

Por Berlim

O Barcelona impôs o seu favoritismo e conquistou pela quinta vez a Liga dos Campeões da Europa. O fez num grande jogo, diante de um digno adversário, o Juventus, que ajudou a protagonizar cenas marcantes para o espetáculo – muito além dos 3 a 1 que apontou o placar no último sábado, em Berlim. O pacotão da final tem, por exemplo, uma comemoração louca de brasileiros, mas também uma não-comemoração, a reação “triste” do técnico Massimiliano Allegri após o gol de empate marcado por Morata.

Veja esse e outros lances abaixo:

NÃO-COMEMORAÇÃO

Fazer um gol no Barcelona não é das tarefas mais simples. O Juventus conseguiu, empatou a decisão em Berlim, mas o técnico Allegri não parecia dos mais felizes. Ele permaneceu inexplicavelmente imóvel após Morata balançar as redes, inaugurando uma nova categoria no pacotão.

COMEMORAÇÃO
Os instantes após o apito final geraram contrastes naturais de vencedores e perdedores. De um lado, Andrea Pirlo chorava por não ter conseguido conquistar a Champions com a Velha Senhora, possivelmente em seu último jogo – ainda não confirmou, mas deve estar de saída para os Estados Unidos. Do outro lado, Daniel Alves e Adriano comemoraram o título efusivamente, com as cabeças coladas e gritando bem alto. Os dois estiveram também na conquista de 2011 – Dani Alves também fez parte do elenco em 2009.

POLÊMICA

Neymar terminou a Liga dos Campeões como artilheiro, empatado com Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, mas poderia ter sido isolado. O brasileiro foi pivô do lance mais polêmico da noite, ao marcar com a ajuda da mão após uma cabeçada. O gol foi anulado.

ERRO
Se o gol de Neymar levantou discussões, parece consenso o erro do árbitro Cuneyt Çakir ao não assinalar falta de Jordi Alba em Pogba aos 35 minutos do primeiro tempo muito próximo à grande área – o Barça vencia por 1 a 0.

DEFESAS
Não uma, mas duas. Por mais que tenha falhado no gol de Suárez, Buffon evitou que o Juventus fosse goleado com milagres em chutes de Daniel Alves, no primeiro tempo, e Suárez, no segundo.

DRIBLE
Dani Alves, por sinal, participou muito bem do que pode ter sido o seu último jogo no Barcelona. Na etapa inicial, ele deu uma caneta em Vidal, que ficou irritado e deixou a mão em seu rosto.

 

SUBSTITUIÇÃO

Sai Iniesta, entra Xavi. O camisa 6 do Barcelona chegou a 767 com a camisa azul-grená, sendo 151 na Liga dos Campeões (recorde absoluto). Como assumiu a braçadeira, pôde levantar a taça na comemoração.

 

 

FESTA

Piqué não apenas dedicou o seu tempo no gramado a cortar a rede dos gols de Suárez e Neymar. O zagueiro estourou uma garrafa de champanhe e jogou o líquido numa das câmeras, produzindo um efeito visual diferente.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *