Thiago Pereira é campeão no Maria Lenk pela 30ª vez

Se o critério for o ranking mundial dos 400 metros medley no masculino, Thiago Pereira não fez uma boa prova na final do Troféu Maria Lenk, nesta quarta-feira, no Parque Aquático do Ibirapuera, em São Paulo. Afinal, o tempo de 4min15s45 é correspondente apenas ao 10º do ano na prova em 2014. Mas o ouro obtido pelo atleta do Minas teve um gosto especial: foi a 30ª vitória dele no Maria Lenk, a 12ª seguida nesta prova.

“Foi uma novidade que fiquei sabendo hoje. Minha 30ª vitória, é um dado que eu não sabia. Pelo que entendi, me tornei o maior vencedor que está na ativa. Estou bastante feliz. Desde que entrei na seleção, desde que estou nessa fase competitiva estou sempre me mantendo em alto nível. São mais de 10 anos de seleção cada vez me sentindo mais jovem”, comentou Thiago, que completou 28 anos em janeiro.

Apesar do foco estar nas provas de 200 e 400 metros medley, nas quais ganhou medalha de bronze no Mundial do ano passado, Thiago Pereira quer voltar a ser aquele atleta que nadava diferentes provas: 200 e 100 metros costas, 200 metros peito, 100 e 200 metros borboleta, 400 metros livre.

“Continuo nadando várias provas, com o programa carregado para mim. Quero fazer um volume grande e ir afunilando. Pegar muitas competições esse ano e a partir do ano que vem diminuir pelo meu foco. Vamos ver até onde meu corpo vai aguentar essa quantidade de prova, mas tenho me sentido cada vez melhor”, afirmou.

Com o tempo desta quarta-feira, Thiago se garantiu no Pan-Pacífico, que será em agosto, na Austrália. Antes, vai nadar o Meeting de Charlotte, nos Estados Unidos, onde deverá encontrar seus principais rivais: o japonês Kosuke Hagino, o norte-americano Ryan Lochte e, quem sabe, Michael Phelps, que volta à natação competitiva nesta quinta-feira.

No Maria Lenk, ele já ganhou ouro nos 100 metros borboleta e prata nos 100 metros costas e é favorito nos 200 metros medley. Como há um limite de quatro provas por atleta na competição, Pereira nadará os 200m costas e 200m borboleta apenas em observação, sem contar pontos para o clube e sem poder disputar finais. Em Charlotte, deverá acrescentar ao programa os 400m livre e os 200m peito.

Fonte: Agência Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *