Yane Marques será a porta-bandeira do Brasil na cerimônia de abertura dos Jogos

Essa é a história de uma pernambucana nascida em uma pequena cidade chamada Afogados da Ingazeira, com pouco mais de 40 mil habitantes, que, após começar no esporte como praticante de natação, viu o destino a encaminhar para uma modalidade que, ainda hoje, a maioria dos brasileiros desconhece.

Mas foi exatamente no pentatlo moderno, um esporte de tão pouca tradição no país, que Yane se habituou a levar a bandeira do Brasil a frequentar o pódio das competições mais importantes do planeta.

No pentatlo moderno – disputa que combina, nesta ordem, provas de esgrima, natação, hipismo e evento combinado de corrida e tiro –, Yane fez história ao se tornar a primeira brasileira medalhista olímpica do Brasil na modalidade, com o bronze conquistado na edição de Londres 2012. Foi um resultado que comprovou que o ouro nos Jogos Pan-Americanos do Rio 2007 e as pratas conquistadas em 2009, na Super Final da Copa do Mundo, e, dois anos depois, no Pan de Guadalajara, eram mesmo presságios de que a pernambucana poderia, sim, ir muito mais longe e brilhar na maior competição esportiva do planeta.

Fotos: Getty Images

À conquista do bronze olímpico se sucederam outros resultados de peso, obtidos em Campeonatos Mundiais. Yane ficou com a prata em Taiwan, em 2013, e, em 2015, voltou se destacar com o bronze em Berlim.

Agora, depois de contemplar a bandeira do Brasil tantas vezes do pódio, Yane Marques poderá tomá-la nas mãos em um dos momentos mais marcantes do esporte brasileiro em todos os tempos. No dia 5 de agosto, quando a delegação do país finalmente entrar no Maracanã para o desfile da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016, caberá a Yane a honra de ser a porta-bandeira do país.

A pernambucana recebeu 49% dos votos, contra 40% de Serginho e 11% de Scheidt em uma votação popular que teve a participação de 961.562 votantes. Com isso, Yane repetirá, no dia 5 de agosto, o feito da hoje ex-jogadora de vôlei de praia Sandra Pires e se tornará a segunda mulher da história do país em Jogos Olímpicos a carregar a bandeira no desfile de abertura.

Em entrevista ao Fanástico, Yane falou sobre emoção de ter seu nome anunciado para um momento tão marcante. “Foram algumas surpresas, primeiro a indicação, agora esse resultado. Não esperava não, concorrer com duas feras que admiro demais. É só alegria. Representa muito para mim, carregar a bandeira é uma situação honrosa, no meu país, país-sede, todo mundo me assistindo. Quero ser uma porta-bandeira alegre e porta-voz do sentimento de que os brasileiros, através do esporte, vão se unir”, declarou.

No Rio, Yane competirá nos dias 18 e 19 de agosto, quando, mais uma vez, tentará voltar a frequentar o pódio olímpico.

brasil2016.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *