Ataque funciona e Santa Cruz vence o Central por 4×2

Blog do Torcedor – Postado por JrEsportes

Se os atacantes do Santa Cruz ainda não se apresentaram na Copa do Nordeste, a história começou bem diferente no Campeonato Pernambucano Coca-Cola. A vitória sobre o Central por 4×2 sobre o Central, na tarde deste domingo (9), no Arruda, teve todos os gols assinados por jogadores do setor ofensivo. Melhor ainda, os três atletas marcadores foram contratados para a atual temporada. Com isso, o tricampeão estadual larga na frente do hexagonal final.

Os dois times iniciaram a partida fazenjo justição às suas características. O Central com uma marcação forte tentando encaixar algum contra-ataque e o Santa circulando a bola até encontrar espaço na defesa contrária. Nesse jogo de xadrez, o time da casa saiu-se um pouco melhor. A marcação centralina era forte, mas da linha divisória do gramado para trás. Apesar de fechar bem as linhas de passe – os jogadores tricolores que se posicionavam para receber a bola estavam bem vigiados – o jogo era disputado sempre em seu campo defensivo, portanto mais perto do gol de André Pereira.

Link permanente da imagem incorporada

Logo aos dois minutos, Sandro Manoel fez um lançamento longo para Renatinho. O camisa 11 chegou a tentar o domínio, mas a bola escapou o suficiente para o camisa 1 Patativa fazer a defesa. A única escapada dos caruaruenses veio pouco depois, aos quatro, com um cruzamento de Adriano que Renan Fonseca cortou para escanteio. E ficou por aí.

Sempre procurando o toque rápido em detrimento de jogadas individuais, o Santa deu mostras de um futebol rápido e moderno. Da forma que os tricampeões pernambucanos impunham seu jogo era apenas uma questão de tempo sair o primeiro gol. Ele saiu aos 17. Léo Gamalho cabeceou prensado com André Pereira. Mesmo assim, a bola ia mansamente entrar no gol. Allison tentou cortar mas não havia mais ângulo. Ela entrou assim mesmo.

Somente depois do gol, o técnico Humberto Santos tirou o time do campo defensivo. A marcação alvinegra adiantou e ‘quebrou’ a boa troca de passes dos corais. O bônus era óbvio: quando tomavam a bola, estavam mais perto de Tiago Cardoso do que de seu próprio gol. E foi exatamente assim que saiu o empate. Tales dividiu com Tiago Costa, chegou a tomar a falta mas recuperou e foi à linha de fundo. Cruzou rasteiro para Jonathan Goiano completar no canto esquerdo. Aos 25 minutos.

Vendo o resultado da nova tática dando certo, o time do Agreste manteve a pressão e sempre criando dificuldades para o Santa. E assim chegou à virada aos 36. Fernando Pires tomou a bola de Raul e arrancou em direção à área coral até acertar o canto de Tiago Cardoso. Mas o tricolor só precisou de dois minutos para buscar seu empate. Numa cobrança de falta de Luciano Sorriso, Léo Gamalho subiu mais que todo mundo e mandou para as redes.

O Santa voltou para o segundo tempo seu seu jogador mais importante até então. O atacante Léo Gamalho sentiu um desconforto na coxa e já ficou em tratamento. Pingo entrou em seu lugar. Mesmo sem o homem de referência, o tricolor não demorou a encontrar o caminho do gol. Numa tabela com Sandro Manoel, Tiago Costa cruzou rasteiro e Cassiano fez o papel de camisa 9 ao fechar pelo meio e, com um leve toque, desviar a bola para o gol.

Já o Central voltou ao jogo inicial de marcar só no campo de defesa para encaixar contra-ataques. Além dessa iniciativa já ter mostrado que não dava certo no primeiro tempo, a Patativa ainda sofreu novo revés aos 14 minutos. Allison meteu a mão na bola e o árbitro Cláudio Mercante o advertiu. Como o zagueiro já levara amarelo no primeiro tempo, foi expulso. Com um jogador a menos, o que estava ruim só piorou.

Bem mais à vontade em campo, os mandantes tiveram mais confiança em adiantar a marcação e dificultar ainda mais a vida do adversário. Aos 17, Raul fez boa jgoada pela direita e cruzou para Renatinho, sem goleiro, acertar a trave direita. Essa mesma trave ganhou outra bolada aos 23. Na tentativa de cruzamento, Oziel acertou nela, que na volta, bateu na linha e no corpo de André. No minuto seguinte não houve trave que salvasse. Renatinho tentou um voleio mas a bola bateu em sua canela. Terminou escrevendo certo pela linha torta. A bola sobrou para Pingo driblar o goleiro e empurrar para o gol vazio.

Com dois gols de vantagem o Santa deu-se o direito de aliviar a pressão e até ser um pouco negligente nos minutos finais. O Central foi tocando a bola até onde dava e conseguiu seu primeiro lance de perigo aos 39 minutos numa cabeçada de Vágner Rosa que Tiago Cardoso espalmou. Mas era muito pouco para o tamanho do prejuízo.

CAÇA RATO – Inicialmente suspenso, o atacante Flávio Caça Rato ganhou condição de jogo. O jurídico do Santa conseguiu transformar a suspensão do jogador em multa. No entanto, ele faltou o treino de sábado (8) e por conta da indisciplina, o técnico Vica o tirou da partida.

Ficha do jogo:

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Oziel, Everton Sena, Renan Fonseca e Tiago Costa; Sandro Manoel (Memo), Luciano Sorriso, Raul (Jefferson Maranhão) e Renatinho; Cassiano e Léo Gamalho (Pingo). Técnico: Vica.

Central: André Pereira; Adriano, Lúcio, Allison e Jean; Diego Teles, Fernando Pires, Danilo Pires e Luís Fernando; Jonathan Goiano (Vágner Rosa) e Tales (Éverton). Técnico: Humberto Santos.

Local: Arruda, Recife (PE). Árbitro: Cláudio Mercante. Assistentes: Roberto José e Marcelino Castro. Gols: Léo Gamalho, aos 17; Jonathan Goiano, aos 25; Fernando Pires, aos 36; Léo Gamalho, aos 38 do primeiro. Cassiano, aos 10; Pingo, aos 24 do segundo. Cartões amarelos: Diego Teles e Lúcio. Expulsão: Allison. Público: 8.009.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.