Aprovado nos testes, lateral Fabinho Souza é apresentado no Santa Cruz

Lateral-direito na apresentação oficial à imprensa nesta segunda-feira (Foto: Terni Castro)

Por Terni Castro – Recife

Precisou de cerca de um mês de avaliação para ele ser aprovado pela comissão técnica do Santa Cruz. Depois de já ter figurado no banco de reservas do Tricolor no empate com o CRB, no último sábado, o lateral-direito Fabinho Souza foi apresentado como reforço para a Série C. E o jogador quer usar a experiência de duas campanhas que terminaram em acesso para ajudar o time coral na caminhada em busca da Série B do próximo ano.

– Já rodei um pouquinho por vários clubes. Passei por times grandes e tive sucesso, inclusive com acessos. Quando estava na Ponte Preta, em 2011, subimos, assim também foi no Coritiba em 2010. Espero ter esse sucesso de novo aqui no Santa Cruz.

Fabinho tem 23 anos e passou por um período de “teste” no Santa Cruz. O jogador chegou ao clube há quase um mês e desde então vinha treinando, mas sem contrato assinado. Ele explicou que não temeu ser dispensado do clube, tudo por conta da confiança da comissão técnica.

– Não fiquei desacreditado. Quando cheguei aqui assinei contrato, não sei o que aconteceu depois para não ser regularizado logo. De qualquer forma, o Sandro (Barbosa, ex-técnico) tinha me deixado tranquilo dizendo que eu iria permanecer no clube.

O fato é que a contratação de Fabinho sempre foi tratada como “quase certa” pela diretoria coral, que atestou uma avaliação do jogador e acerto de detalhes. De contrato em mãos, o lateral agora só quer pensa em repetir a boa passagem do pai, o ex-volante Leomir, que atuou no Tricolor em 1993 e foi campeão pernambucano.

– Quando meu pai me falou que o Santa Cruz tinha interesse, falei na hora que queria vir. Ele foi campeão aqui e espero ser a mesma coisa.

Disposto a garantir uma vaga entre os titulares, Fabinho sabe que vai ter concorrência forte. Principalmente do lateral-direito Nininho, que vem atuando como titular. Mesmo assim, o novo reforço se disse preparado para o desafio e até apontou um certo “costume” com a pressão que o clube vem sofrendo.

– Vou trabalhar forte para ser titular. Vinha treinando, estou 100% e preparado para isso. Quando há cobrança, vejo isso como uma situação boa para motivar os jogadores. Já passei por clube grande, como o Coritiba, e a torcida pegava no pé. É algo normal. Estou pronto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.