Bragantino "ensina" Sport a ter pontaria e vence Rubro-negro por 2 a 0 na Ilha

O Sport foi quem mais criou. Foram duas bolas no travessão e, pelo menos, outras duas oportunidades perdidas de frente com o goleiro. A falta de pontaria se voltou contra os rubro-negros. Do outro lado, o Bragantino dava a resposta. Foram poucas chances, mas o suficiente para construirá vitória de 2 a 0, com gols de Carlinhos e Magno Cruz. O resultado pôs fim a sequência de dois triunfos rubro-negros e ainda tirou a equipe do G4, justamente no dia em que o clube comemorava cinco anos da conquista da Copa do Brasil.

O Sport começou o jogo tendo o lado direto como arma, ainda que Rithely, improvisado na latreal, tenha apresentado dificuldade para subir ao ataque. A recompensa vinha com a presença de três peças do setor ofensivo se revezando no setor: Lucas Lima, Camilo e Felipe Azevedo. Esse último, por outro lado, voltou a errar tanto nos passes quanto nas finalizações. Fato que minou algumas oportunidades rubro-negras.

Coube, então, a Marcos Aurélio criar as duas primeiras chances da partida. Primeiro, um forte chute de fora da área, aos sete minutos, teve o travessão como endereço. Pouco depois, ele cobrou escanteio na cabeça de Rithely. De novo, o travessão impediu a vantagem leonina. Do outro lado, o Bragantino fez valer a fama de “time chato”.

A equipe alvinegra se limitava a marcar e, só depois, sair para o ataque. Nesse cenário, o atacante Magno Cruz era quem carregava o time nas rápidas subidas. Ainda assim, na primeira etapa, o Bragantino se limitou a criar duas chances. Mas a primeira delas, aos 29, foi fatal. Diego Macedo cobrou escanteio fechado. Magrão errou o tempo da bola, que bateu no travessão. Na sobra, Carlinhos só fez escorar. Depois do gol, o Leão da Ilha se desarticulou. A marcação afrouxou, e o ataque voltou a ter dificuldade para criar.

Nos primeiros 20 minutos do segundo tempo, o técnico Marcelo Martelotte redestribuiu o Sport em campo. Felipe Azevedo foi puxado para a lateral direita. Rithely voltou ao meio, e Nunes foi acionado na vaga de Renan. Nesse momento, a chuva começou a cair forte. Os leoninos, ainda assim, conseguiram pressionar. Perderam, inclusive, um tripla chance com chutes errados em sequência de Marcos Aurélio, Camilo e Nunes.

Foi quando a tônica do jogo ganhou força. O Sport criava mais só que era o Bragantino quem definia melhor. Aos 12 minutos, Lincom desceu em rápido contra-ataque e tocou para Magno Cruz. Sozinho, ele apenas escorou. Na sequência, o Sport ainda teve a reação travada porque a chuva voltou a criar poças no campo. Preocupado apenas em marcar, o time paulista foi beneficiado. No final, o Leão da Ilha ainda se lançou com força total ao ataque e Nunes chegou a perder uma boa chance de cabeça. O retrato fiel do jogo.

Sport 0
Magrão; Rithely, Gabriel, Tobi e Marcelo Cordeiro; Renan (Nunes), Anderson Pedra, Lucas Lima (Erico Junior) e Camilo (George Lucas); Felipe Azevedo e Marcos Aurélio. Técnico: Marcelo Martelotte

Bragantino 2
Rafael Defendi; Kadu, Álvaro e Raphael Andrade (Geandro); Diego Macedo, Elias, Carlinhos, Bruninho (Rafael Costa) e Bruno Iotti; Lincom e Magno Cruz (Serginho). Técnico: Vágner Benazzi

Local: Ilha do Retiro
Árbitro: Charles Ferreira (AL)
Assistentes: Pedro de Araujo (AL) e Izac Oliveira (RN
Gols: Carlinhos (aos 29min do 1ºT), Magno Cruz (aos 12min do 2ºT)
Cartões amarelos:  Nunes (S); Bruninho, Bruno Iotti, Rafael Defendi (B)
Público: 16.244
Renda: R$ 232.150,00

Brenno Costa – Diario de Pernambuco

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.