Ceni elogia Autuori e Aloísio dedica título: 'Essa vitória é dele'

O campeão voltou“, cantou timidamente ao final da partida a pequena torcida tricolor presente nessa tarde no Estádio da Luz, em Portugal. Lá o São Paulo conquistou a 6ª Edição da Eusébio Cup ao derrotar o Benfica por 2 x 0, em seu estádio na capital portuguesa. Mais do que um novo troféu internacional pra a galeria, o Tricolor Paulista ganha novo fôlego ao interromper a incômoda marca de 14 jogos sem vitória.

Antes de retornar ao Brasil a turnê internacional do time de Paulo Autuori segue para o Japão, onde disputa contra o Kashima Antlers, atual 5º colocado na J-League, a final da Copa Surunga. A partida será na próxima quarta-feira, 7 de agosto.

O Jogo

Em cada tempo uma história completamente diferente. Se no primeiro o que se viu foi a repetição dos erros que colocaram o São Paulo na pior sequência de sua história, o segundo tempo foi para dar esperança de dias melhores para a equipe do Morumbi.

Benfica domina o primeiro tempo

Na etapa inicial o que se viu foi um São Paulo covarde, fechado no sistema defensivo e sem nenhuma qualidade de passes. O Benfica, entrosado, trocava passes com propriedade e terminou o primeiro tempo com 71% de posse de bola.

Logo aos dois minutos a melhor chance do Benfica: o brasileiro Lima, ex-Santos, chutou cruzado da entrada da pequena área e a bola explodiu no travessão. Aos 33 o estreante lateral esquerdo Bruno Cortez, ex-São Paulo, cruzou, Rafael Toloi desviou e a bola caiu no peito de Lima, que livre e de cara a cara com Rogério Ceni encobriu a meta tricolor.

Aos 40 minutos o melhor momento do Benfica: Markovic entrou livre e chutou cruzado para defesa de Rogério, que salvou com o pé direito. A bola foi para escanteio, e na sequência Matić chutou forte para outra difícil defesa do capitão são-paulino.

A única oportunidade do São Paulo no primeiro tempo foi aos 43 minutos, quando Aloísio subiu para cabecear cruzamento de Douglas. O goleiro Paulo Ferreira desviou para escanteio.

São Paulo acorda no segundo tempo

O São Paulo voltou disposto a honrar o apelido de “Soberano” e passou a comandar as ações na segunda etapa. Autuori colocou Maicon na vaga de Fabrício, e o time partiu mais determinado. Logo aos dois minutos o bandeirinha assinalou impedimento mal marcado de Osvaldo. O atacante sairia na cara do goleiro do Benfica.

No entanto, o gol não tardou. Aos sete minutos Jadson lançou bola em profundidade para Aloísio, o “Boi Bandido”, que tocou rasteiro na saída do goleiro Paulo Ferreira. Era o fim do jejum de mais de 10 horas sem gol da equipe brasileira.

O domínio tricolor seguiu, com inteligência e bola de pé em pé. O que o Benfica teve de domínio no primeiro tempo o São Paulo teve no segundo. O diferencial foi o aproveitamento. Aos 18, cruzamento da direita e o desvio de cabeça encontra Rafael Toloi, livre na área, que se aproveita da condição legal dada por Cortez. Com um coice, o zagueiro tricolor manda para o fundo das redes encarnadas.

Aos 25, quase o terceiro gol tricolor. Após cobrança de escanteio cobrada por Jadson, Rodrigo Caio cabeceou firme e a bola explodiu no pé da trave direita.

O jogo seguiu com posse de bola do São Paulo, que soube administrar e ao final comemorou aliviado o título mais almejado no momento: o bom futebol. O capitão Rogério Ceni ergueu assim a primeira taça da Eusébio Cup conquistada por uma equipe não-europeia.

Por Guilherme Schneider

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.