Com Magrão expulso, Sport vence Paraná e fecha rodada no G4

POR RÔMULO ALCOFORADO

O jogo Sport x Paraná já se anunciava problemático antes mesmo de começar. O Leão saíra do G4 no início da rodada. Estava, portanto, pressionado pelos resultados. Lucas Lima e Rithely, suspensos, não atuariam. Anderson Pedra já estava fora por lesão. O Sport estava, portanto, desfalcado de quase todo seu meio-campo titular. Diante do organizado time de Dado Cavalcante, o Rubro-Negro teria de ser mais coração do que razão. Mais raça do que técnica. Conseguiu o objetivo: ao fim de um dramático duelo, com direito a Magrão injustamente expulso, venceu o Paraná, na Ilha do Retiro, neste sábado, e “voltou” ao grupo dos quatro mais bem classificados da Série B. Faltam dois passos para o acesso.

Neto Baiano fez o gol da vitória. Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem

O próximo é o jogo em Varginha, Minas Gerais, contra o Boa Esporte, no próximo sábado. O Icasa, quarto colocado, enfrenta o já classificado Chapecoense no Romeirão. O outro adversário direto, o Ceará, sai para enfrentar o Palmeiras.

O JOGO – O Paraná começou melhor do que o Sport. Sem entrosamento e pressionado, o time do Leão mostrou visível nervosismo no começo. Os problemas, no entanto, não se restringiram à parte psicológica. Taticamente, o Leão tinha setores muito distantes e deficiência na criação. Aílton, de meia único, não funcionou. Fora de ritmo por conta da lesão que o tirou dos últimos duelos, errou muitos passes e até domínio simples de bola.

A equipe de Dado Cavalcante aprovietou-se da instabilidade leonina. A principal oportunidade foi aos 11 minutos, com Lúcio FLávio. O experiente meio-campista recebeu na intermediária com liberdade, avançou e encheu o pé. Magrão, com segurança, espalmou para escanteio. Aos 16, o time apareceu de novo com perigo. Não houve finalização, mas o bate-rebate dentro da área do Sport poderia ter representado grande perigo.

Mas da mesma maneira que criava jogadas, o Paraná cedia espaços para o contra-ataque. O Sport não conseguia aproveitá-los. Aos 15, um momento delicadíssimo para o Leão. Felipe Azevedo, atacante com a característica de velocidade – que poderia puxar bons contra-golpes- sentiu uma lesão e teve de sair. Em seu lugar, entrou o ainda mais contestado Camilo.

O meio-campista foi fundamental para o triunfo – igualmente fundamental- do Sport. Aos 23 do primeiro tempo, Patric fez grande jogada pela direita e cruzou para a área. Camilo completou para o gol e se emocionou na comemoração.


Camilo chora na comemoração do gol. Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem

Na volta para a segunda etapa, o panorama se repetiu. O Paraná pressionava. O Sport tentava se segurar e escapar no contra-ataque. Aos 2, bola perigosa do Paraná. Defesa do Sport tirou na hora que Reinaldo se preparava para bater. No rebote, Lúcio Flávio ainda tentou bater, mas chutou para fora.Aos 7, o Leão respondeu. Marcos Aurélio bateu falta da meia-lua com muita categoria.A  bola passou muito perto do gol de Marcão.

Aos 13, Reinaldo foi lançado em profundidade. Magrão saiu desesperado da área para evitar. O atacante do Paraná tentou tocar de lado do goleiro, mas não conseguiu. Magrão evitou a bola. Mas o árbitro Paulo César Oliveira – talvez só ele- viu a bola bater na mão do goleiro. Expulsou-o de campo. Geninho, para compensar a perda, sacou Aílton e colocou o arqueiro reserva Saulo.

O que era difícil virava dramático. Mas só até os 18. Cinco minutos depois, Neto Baiano, em novo cruzamento de Patric (fundamental para a vitória), pegou de primeira. No ângulo. Que golaço. Para ampliar, definir o marcador e fazer a festa da torcida leonina.


Jogadores do Sport comemoram. Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem

Depois disso, o Paraná, com um a mais, tentou pressionar. Os lances criados, no entanto, foram mais perigosos pelo momento dramático do que propriamente pela efetividade dos lances. Saulo não chegou a ser propriamente ameaçado. Festa na Ilha.

Ficha do Jogo

Sport: Magrão; Aílson, Tobi e Oswaldo; Patric, Naldinho, Aílton (Saulo) e Marcelo Cordeiro; Felipe Azevedo (Camilo), Marcos Aurélio (Rafael Pereira) e Neto Baiano. Técnico: Geninho

Paraná: Marcos; Roniery, Alex Bruno (Kayke), Brinner e Henrique; E.Sitta, Moacir, L.Flávio, P.Oliveira e Luisinho (Rubinho); Reinaldo (Paulo Sérgio). Técnico: Dado Cavalcanti

Local: Ilha do Retiro. Horário: 16h20. Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP-FIFA). Assistentes: Gustavo de Oliveira e Alberto Masseira (ambos de SP). Cartões amarelos: Alex Bruno (Paraná), Kayke; Patric, Marcos Aurélio, Tobi (Sport); Cartão vermelho: Magrão (Sport); Gols: Camilo (23 do 1ºT)  e Neto Baiano (18 do 2ºT) para o Sport; Público: 21.552

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.