Com um show da Pirelli, Rosberg vence o GP de Silverstone

O ensaio foi perfeito para Lewis Hamilton no traçado de Silverstone. Pelo menos na parte inicial da corrida. De posse do primeiro lugar do grid, o inglês superou todas as expetativas e deu a “maior” alegria aos torcedores ingleses. Na formação, o piloto britânico foi seguido pelo companheiro de equipe, Nico Rosberg. No P3 apareceu a Red Bull do atual tricampeão, Sebastian Vettel. Bem longe dos ponteiros, o brasileiro Felipe Massa teve que se contentar com o décimo segundo lugar no grid de largada.

Rosberg vence em Silverstone

Com uma corrida atípica e com um show de confiabilidade nos compostos fornecidos pela Pirelli. A fornecedora de pneus foi a quem mais chamou a atenção em Silverstone. Isso devido aos estouros dos pneus traseiros de Hamilton, Massa, Vergne e Sergio Pérez. Ruim para os dois primeiros. Na ocasião, o campeão de 2008 liderava a prova. Já o brasileiro vinha fazendo uma corrida excelente e andava próximo dos líderes depois de largar em 12º.

Com toda confusão armada pela fornecedora de pneus, o carro de Nico Rosberg cruzou em um dos templos da Fórmula 1 em primeiro lugar. Seguido por Mark Webber e Fernando Alonso em terceiro. Quem recebeu a quadriculada na sexta posição foi o brasileiro Felipe Massa.

A corrida

Com o apagar das luzes vermelhas em Silverstone, o ponteiro Lewis Hamilton mostrou possuir uma habilidade extrema na hora da largada e conseguiu sustentar a pole. Que até então, foi conquistada com muito suor pelo inglês. A mesma tarefa não repetiu seu companheiro de equipe, Rosberg, que perdeu o segundo lugar para o agressivo Vettel e sua Red Bull. Quem deu um show na largada foi o ferrarista Felipe Massa. O driver brasileiro que tinha como estratégia ganhar posições logo no início, foi mais além, e do 12º lugar inicial, ganhou diversas posições e assumiu o quinto posto.

Tendo que mostrar que os carros da Mercedes não são só velozes nos treinos classificatórios, Hamilton tentava a todo custo colocar uma vantagem no segundo colocado. Porém, com a instabilidade dos compostos fornecidos pela Pirelli, a corrida do campeão de 2008 foi para o espaço. Com um dos pneus traseiro furados, a decepção foi geral no traçado inglês.

Incrível. Outro pneu furado. Dessa vez quem já não trazia tanta sorte durante o final de semana, dessa vez, sofreu com o estouro do pneu traseiro esquerdo. Felipe Massa que vinha fazendo uma excelente corrida e já figurava em quarto lugar, provavelmente, deu adeus a corrida. O que resta é esperar por explicações da fornecedora dos compostos após o GP.

E o show da Pirelli continuou no traçado de Silverstone. Talvez seja quem tenha chamado mais a atenção no momento. Dessa vez o estouro foi no pneu de Vergne. Que deixou o traçado cheio de detritos Com isso, o carro de segurança foi obrigado a entrar na pista.

É certo que os pneus traseiros esquerdos sejam mais exigidos em Silverstone porque os carros da categoria se apoiam neles para fazer as curvas de alta do circuito. Entretanto, o estouro de Felipe Massa foi quando o piloto andava em uma curva de baixa. Já Hamilton e Vergne figuravam no meio da reta.

Com toda sorte que um campeão carrega, Vettel passou a seguir na liderança após o ocorrido com a Mercedes de Hamilton. No segundo lugar aparecia o carro de Nico Rosberg. No terceiro posto, Adrian Sutil. Alonso seguia em quarto. Isso na volta de número 20. E todos atrás do safety-car.

Com a saída do carro de segurança – volta 22 – os engenheiros da Red Bull mandavam recados para o líder Sebastian Vettel. A preocupação no paddock dos energéticos era a de evitar as zebras do circuito. Mesmo com o alerta da equipe, o tricampeão fez a volta mais rápida, nesse ponto, da corrida.

Na volta de número 28, o driver da Mercedes – Nico Rosberg – abriu 4s4 de vantagem para o terceiro colocado, Adrian Sutil. Que sofria com os constantes ataques da Ferrari de Alonso. Depois de ter o pneu estourado e voltar na última posição, Felipe Massa tentava se recuperar do prejuízo e já andava em 15º lugar. Hamilton que também teve problemas com um dos compostos corria em 12º.

No giro 30, alguns carros começaram a entrar nos boxes para efetuar a troca de pneus. Raikkonen, Alonso e Grosjean voltavam com os compostos mais duros. O interessante era a preocupação da Lotus com os pneus. Com a troca, Alonso voltou em 11º, logo à frente do Felipe.

Com o desenho da prova até a volta 35, Vettel continuava na liderança com uma vantagem de 3s4 para o segundo colocado. Com Nico Rosberg em segundo e Sutil em terceiro. Teríamos um pódio totalmente compostos por alemães. Em quarto aparecia a outra Red Bull (Mark Webber). Após fazer um bela ultrapassagem em cima de Fernando Alonso.

O primeiro piloto a abandonar a prova em Silverstone foi Vergne. Na volta de número 38, o inglês Lewis Hamilton disputava a posição com Paul Di Resta. Um ponto positivo na corrida foi o bom rendimento apresentado por Webber. O Piloto da Red Bull que largou em quarto, caiu para o 14º durante a largada. Nesse ponto da prova. Volta 39, já figura, novamente, na quarta posição. Felipe Massa já era o 13º, com três paradas nos boxes. Isso na volta 40.

Como tanto pediu o espanhol Fernando Alonso, a sorte resolveu abandonar o líder da prova, Sebastian Vettel, na volta 42. Com problemas no RB9, o germânico foi obrigado a se retirar do traçado de Silverstone. E com a possibilidade da entrada do carro de segurança, o novo líder – Rosberg – entra nos boxes. Quem adotou a mesma tática foi Fernando Alonso. Teríamos nesse ponto uma nova corrida.

Safety-car na pista e uma tristeza para Sebastian Vettel. Desde o GP da Itália do ano passado o piloto da Red Bull não sabia o que era terminar um corrida longe da zona de pontuação. Isso lá em 2012.

Com os carro alinhados atrás do carro de segurança e faltando sete voltas para o final da corrida, seguia Nico Rosberg na liderança, seguido por Raikkonen, Sutil, Ricciardo, Webber, Pérez, Button, Alonso, Hamilton e Grosjean. Felipe Massa andava em 15º.

Com a segunda relargada da prova (volta 46), teríamos seis voltas emocionantes para o fim do GP de Silverstone. E como não poderia deixar escapar, mais um pneu estourado na pista. Dessa vez foi o de Sergio Pérez. Com um acirrada disputa por posições, Webber foi à luta e ultrapassou Ricciardo. Agora, ele assumia, novamente, a quarta posição.

Impressionante. Com as últimas voltas no circuito, Webber já era o segundo colocado e tentava brigar, agora, pela vitória. Que se cuide Nico Rosberg. Alonso já era o quarto colocado, isso na volta de número 50.

Com o ritmo bem melhor que o líder Rosberg, Webber tentava diminuir a distância para o primeiro colocado. Em vão. Faltando duas voltas para o fim da prova, Rosberg fazia a melhor tempo da prova, 1min33. E com a chegada da volta final, não adiantou todo o esforço de Webber.

Quem recebeu a quadriculada em um dos templos da Fórmula 1 foi o alemão Nico Rosberg. Seguido por Mark Webber. No terceiro posto apareceu Fernando Alonso. Felipe Massa chegou na sexta posição. Com a vitória no traçado inglês, Rosberg Vence pela terceira vez na temporada.

F1Team

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.