Consolidado no G4, Sport recebe o América-MG na Ilha do Retiro

Alexandre Barbosa – Diario de Pernambuco

Entre os dez primeiros colocados da Série B, times na luta direta pelo acesso, ninguém perdeu mais do que o Sport. Foram 12 derrotas, mesma quantidade do Figueirense, 10º colocado. A diferença que faz o Leão estar em terceiro, sem riscos de deixar o G4 nesta rodada, está no número de vitórias. Hoje, às 19h30, na Ilha do Retiro, diante do América-MG, os rubro-negros vão em busca da 17ª, mesma quantidade do atual vice-líder, a Chapecoense. Mais, só o Palmeiras, que tem 20.

 

O número de vitórias é o primeiro critério de desempate da Série B, havendo igualdade de pontos. As 16 vitórias obtidas dão uma certa tranquilidade, assim como as 12 derrotas – e apenas um empate – trazem algum temor. Desde quando era dirigido por Marcelo Martelotte, tornou-se um time de extremos. Que faz e toma muitos gols. Que dificilmente empata. Ou vence, ou perde. É uma inconstância que tem que ser controlada, papel desempenhado atualmente por Geninho.

Inconstância vista, também, no futebol apresentado em campo. O que dizer de uma vitória por 3 a 0 que provocou questionamentos? O placar pode sugerir o contrário, mas o Sport não teve uma boa atuação diante do Oeste. Em especial, no primeiro tempo. Dependeu de Magrão para garantir o empate. No segundo, lances individuais decidiram o jogo. O que, por outro lado, não anula a importância do triunfo obtido fora de casa. Nesta reta final de Série B, convencer já não é mais um objetivo. Somar pontos, independente das circunstâncias, sim.

Para Geninho, que herdou boa parte desse retrospecto “tudo ou nada”, não será agora que o time vai mudar a postura. “Vamos continuar buscando a vitória, mesmo que isso nos arrisque a sofrer um resultado negativo. Acho melhor ganhar um jogo do que empatar três, até mesmo porque é critério de desempate”, afirmou o treinador.

Time
Geninho não deve mudar a equipe para o jogo de hoje. Maior prova disso foi que, apesar da atuação ruim do time no primeiro tempo diante do Oeste, na volta para o segundo ele manteve a escalação. Resolveu apenas conversar com o grupo. A mudança na atitude foi o que o treinador queria. E com essa mesma postura que ele espera ver a equipe contra o América-MG. Ele mantém Neto Baiano no ataque, como referência. O atacante passou em branco, mas terá uma outra chance.

Adversário

O América-MG quer continuar próximo do G4 e para isso vai ter que buscar pontos fora de casa. Contra o Sport, o objetivo é voltar para casa com algum ponto. Para a partida de hoje, o Coelho conta com o retorno de Williams (ex-Sport), que ficou de fora das últimas três partidas, por conta de uma suspensão. Ele é o vice-artilheiro do time na Série B, com seis gols em 25 jogos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.