Cruzeiro atropela Grêmio, não oficializa título, mas dá volta olímpica no Mineirão

O Mineirão recebeu 58.113 torcedores, neste domingo, e a expectativa era que o Cruzeiro se sagrasse campeão brasileiro. O clube celeste fez a sua parte: atropelou o Grêmio por 3 a 0, gols de Borges, Willian e Ricardo Goulart, e chegou aos 71 pontos na tabela, mas o Atlético-PR bateu o São Paulo e adiou a conquista celeste matematicamente. O torcedor nem sequer se importou com o resultado do jogo de Curitiba e soltou o grito de “tricampeão”, com queima de fogos.

Imagens do jogo entre Cruzeiro e Grêmio Cruzeiro é primeiro time da história dos pontos corridos a vencer todos os rivais Marcelo Oliveira será obrigado a fazer duas mudanças no Cruzeiro para pegar o Vitória

Agora, o Cruzeiro só depende dele para se tornar, de fato, campeão. Basta vencer o Vitória, nesta quarta-feira, às 21h50, em Salvador, pela 34ª rodada. O time de Marcelo Oliveira pode conquistar o título mesmo se perder para os baianos, desde que o Atlético-PR empate com o Criciúma fora de casa. Curiosamente, o Cruzeiro pode ser campeão antes de acabar sua próxima partida, pois o jogo do Furacão começa às 21h e o da Raposa às 21h50.

Com o triunfo sobre o Grêmio, o clube celeste alcançou uma marca histórica e se tornou o primeiro clube na história do Brasileirão de pontos corridos a derrotar todos os seus adversários pelo menos uma vez.

Borges faz o Mineirão tremer

O Cruzeiro começou a partida dando ares de que queria, de fato, decidir o título brasileiro neste domingo. Ousada, a equipe de Marcelo Oliveira partia para cima do Grêmio, que por sua vez se fechava e levava perigo nas investidas ao ataque, esperando uma falha da defesa azul.

Borges abriu o placar com gol de voleio (Rodrigo Clemente/EM/D.A Press)
Borges abriu o placar com gol de voleio

Apesar da disposição, o time celeste não disfarçava a ansiedade. Tanto que a primeira boa jogada só ocorreu em cobrança de falta, aos cinco minutos. Lucas Silva soltou disparo rasteiro, mas a bola passou rente à trave de Dida.

O gol do Atlético-PR contra o São Paulo logo no início do jogo foi um banho de água fria na torcida celeste e deu ares mais dramáticos ao duelo no Mineirão. Aos 25 minutos, Borges perdeu a melhor chance celeste na partida, depois de ótima jogada de Everton Ribeiro.

No minuto seguinte, Fábio saiu da área magistralmente e tirou a bola de Pará, de carrinho, fazendo a torcida azul vibrar como se fosse um gol. O gol do Cruzeiro foi amadurecendo e se transformou em realidade aos 33 minutos, quando Borges acertou um voleio no canto esquerdo de Dida: 1 a 0.

O jogo ficou aberto e o Cruzeiro precisou contar com os milagres do goleiro Fábio para se salvar. Aos 41, o camisa 1 defendeu o chute de Ramiro e o rebote de Barcos.

Grito de tricampeão sai da garganta

O Cruzeiro voltou para o segundo tempo em ritmo mais lento do que começou a primeira etapa. Borges deixou escapar duas chances logo no início. Em uma delas, o centroavante recebeu ótimo passe, na entrada da área, de frente para o gol, mas não conseguiu ajeitar para chutar.

O resultado de 3 a 0 do Atlético-PR sobre o São Paulo parecia desanimar os jogadores em campo e o Grêmio tentava se aproveitar da apatia celeste. Aos 28, o Tricolor chegou com perigo. Barcos ficou frente a frente com Fábio e chutou na trave. Dois minutos depois, Fábio salvou o Cruzeiro em outro chute de Barcos.

Na metade do 2º tempo, Cruzeiro levava pressão, até que Willian 'explodiu' o estádio com gol (Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Na metade do 2º tempo, Cruzeiro levava pressão, até que Willian ‘explodiu’ o estádio com gol

Aos 33 minutos, Willian, que havia entrado no lugar de Dagoberto, fez 2 a 0 e fez a torcida cruzeirense gritar “tricampeão” a plenos pulmões, embora o título não tenha sido confirmado matematicamente. Aos 40, Ricardo Goulart deu números finais à partida e fez o Mineirão balançar, literalmente, como nas grandes conquistas do Cruzeiro: 3 a 0.

CRUZEIRO 3X0 GRÊMIO

CRUZEIRO
Fábio; Ceará, Dedé, Leo e Egídio; Nilton, Lucas Silva, Everton Ribeiro (Luan, aos 30 do 2ºT) e Ricardo Goulart; Dagoberto (Willian, aos 30 do 2ºT) e Borges (Júlio Baptista, aos 15 do 2ºT)
Técnico: Marcelo Oliveira

GRÊMIO

Dida; Bressan, Werley e Rhodolfo; Pará, Ramiro, Souza, Riveros (Maxi Rodriguez, aos 36 do 2ºT) e Alex Telles; Kleber (Yuri Mamute, aos 35 do 2ºT) e Barcos
Técnico: Renato Gaúcho

Motivo: 33ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Mineirão, em Belo Horizonte
Data: domingo, 10 de novembro de 2013
Gols: Borges, aos 33 do 1ºT; Willian, aos 33, e Ricardo Goulart, aos 40 do 2ºT
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Carlos Berkenbrock (SC)
Cartões amarelos: Ramiro, aos 17, Kleber, aos 27, Everton Ribeiro, aos 40 do 1ºT; Ceará, aos 17, Leo, aos 20, Alex Telles, aos 39 do 2ºT
Público e renda: 56.854 pagantes, 58.113 presentes e R$ 5.231.711,00

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.