Flamengo vence o Vasco e assume a liderança do Grupo B

O dia e o público, 15.669 presentes, não foram à altura do Clássico dos Milhões, até pelo futebol apresentado em campo. Não faltou emoção no Engenhão. Flamengo e Vasco fizeram um jogo aberto nesta quinta-feira e priorizaram o ataque. A tática flamenguista de apostar na velocidade de Rafinha e Nixon e na versatilidade de Ibson e Elias deu certo e resultou na vitória por 4 a 2.

Na partida em completou 150 jogos pelo Vasco, Dedé foi mal em campo. O zagueiro sofreu com o ataque adversário e ainda pisou na bola e caiu no chão no segundo tempo.

O Flamengo versão 2013 vai se encontrando. Elias está cada vez mais à vontade e foi um dos destaques do Flamengo. A dúvida de Dorival Júnior para o clássico era entre Ibson e Cleber Santana. O primeiro começou o jogo, deu assistência e foi bem. O segundo entrou na etapa final e marcou. A briga pela posição vai ser acirrada.

Com a vitória, o Flamengo pula para 10 pontos e assume a liderança do Grupo B da Taça Guanabara. O Vasco perde a invencibilidade, mas continua na ponta do Grupo A com nove pontos.

Na próxima rodada, no domingo, às 17h, o Flamengo encara o Nova Iguaçu no Engenhão. No mesmo dia, às 19h30, o Vasco recebe o Bangu em São Januário.

O jogo

Não faltou emoção no primeiro tempo. Os ataques levaram vantagem sobre as defesas com facilidade. Foi uma profusão de chances. Ibson apareceu livre e isolou a bola. Já Bernardo parou em Felipe. O jogo era franco, sobrava espaço. Ibson avançou e lançou Rafinha. O jovem atacante dividiu com Alessandro, e a bola ficou limpa para Hernane mandar para o fundo da rede: 1 a 0 Flamengo. Foi o quarto gol do atacante no Carioca.

O Flamengo explorava os lados do campo. Pela esquerda, Rafinha obrigou Alessandro a espalmar para escanteio. O Vasco ameaçava o Fla com bolas aéreas. Leonardo não conseguiu cabecear em cheio e reclamou de empurrão de González. A resposta do Fla foi em um contra-ataque fulminante que nasceu dos pés de Ibson e Elias. O volante apareceu na esquerda e cruzou para Nixon, com o peito, fazer 2 a 0.

O Vasco não se abateu e usou a bola aérea para diminuir. Bernardo cobrou falta da direita. Pedro Ken surgiu livre e marcou para o Gigante. O Fla sofria pelo alto. Em outro lance, a bola ficou “perdida” pela área até a zaga cortar. Depois, Wendel pegou rebote e obrigou Felipe a defender no susto. O movimentado primeiro tempo terminou 2 a 1 para o Fla.

Flamengo e Vasco voltaram para o segundo tempo com alterações. Dorival Júnior sacou Nixon para colocar Cleber Santana. Já Gaúcho pôs Dakson na vaga de Jhon Cley.

A mudança do Fla logo surtiu efeito. Após perder bola, Rafinha recuperou, passou por dois jogadores e rolou para Cleber Santana. Ele acertou um chute com força sem chance para Alessandro: 3 a 1.

O Vasco não se abateu e assustou em três lances. No primeiro, Felipe saiu mal. A bola sobrou para Dakson, que isolou. Depois, Eder Luis lançou Bernardo. O meia chutou, Felipe deu rebote, mas Bernardo emendou para fora. Tenorio, que entrou no lugar de Leonardo, chutou da entrada da área e obrigou o goleiro do Fla a mandar para escanteio.

A resposta do Flamengo foi na velocidade de Rafinha. Ele arrancou do meio de campo e tocou na saída de Alessandro. Foi o primeiro gol de Rafinha pelo profissional. O jovem ficou emocionado. Desgastado, Rafinha foi substituído. Thomás entrou em seu lugar.

A noite era de gols no Engenhão. Dakson arriscou de fora da área e surpreendeu Felipe, que falhou e não evitou o gol mesmo com a bola em sua direção: 4 a 2. Mas o goleiro do Fla se redimiu logo depois. Eder Luis ficou cara a cara com Felipe, que se esticou todo e impediu o terceiro gol do Vasco.

No fim, o Vasco assustou com André Ribeiro, mas Felipe salvou. A bola ainda bateu na trave. A vitória ficou com o Flamengo.

globo.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.