Ingresso sobe mais que salário mínimo, cesta básica, Big Mac, gasolina e inflação

Em uma década a inflação no país subiu 73%. A cesta básica, um dos principais medidores do mercado, cresceu 84%. Já o salário mínimo, mostrando um certo crescimento da economia nacional, evoluiu 183% Pois é.

Vamos ao futebol então. Nada de supersalários de jogadores ou valores sobre os direitos de transmissão para os clubes, mas sim o preço do ingresso para o torcedor. Em dez anos, um preço do ingresso médio mais barato subiu 300%, de acordo com estudo produzido pela Pluri Consultoria.

O serviço melhorou? Os estádios, ainda sem o período de arenas, foram reformados? Nota-se um um avanço abusivo. Não por acaso, salvo exceções pontuais, os estádios estão vazios. Na verdade, estagnados. A média de público da Série A de 2012 foi de 12.983. Em 2006, no primeiro ano com vinte clubes na competição, o índice foi de 12.300.

O blog pesquistou os valores dos ingressos dos grandes clubes nos Estaduais de 2003 e 2013 em jogos contra clubes intermediários.

Náutico
2003 – R$ 11 (arquibancada) e R$ 6 (sócio/estudante)
2013 – R$ 30 (arquibancada) e R$ 15 (sócio/estudante)
Variação – 172% e 150%

Sport
2003 – R$ 10 (arquibancada) e R$ 5 (sócio/estudante)
2013 – R$ 20 (arquibancada) e R$ 10 (sócio/estudante)
Variação – 100% e 100%

Santa Cruz
2003 – R$ 7 (arquibancada) e R$ 4 (sócio/estudante)
2013 – R$ 30 (arquibancada) e R$ 15 (sócio/etudante)
Variação – 328% e 275%

Fonte: Cassio Zirpoli

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.