Inoperante no jogo coletivo, Náutico perde para o Crac por 3×1

POR Thiago Wagner da Silva

Se o torcedor alvirrubro tinha alguma esperança de mudança de atitude após a saída de Vágner Mancini do comando, se frustrou. Sem apresentar um jogo coletivo digno e contando com falhas individuais, o Náutico sofreu diante do Crac e perdeu por 3×1, na noite desta quarta-feira, no estádio Genervino Fonseca, em Catalão, Goiás, pela Copa do Brasil. Pantico, duas vezes, e Danilo anotaram para os donos da casa, enquanto Alcides descontou ainda nos acréscimos.

Com o resultado, o Timbu terá que vencer por 2×0 para se classificar. Se sofrer gols, terá que fazer uma diferença de três. Um novo 3×1 provoca os pênaltis. A partida de volta ocorre na próxima quinta-feira, nos Aflitos.

O JOGO – Armado com um 4-3-3, o time do Náutico conseguiu ser completamente inoperante na primeira etapa. Na defesa, a equipe do interino Levi Gomes não conseguiu segurar o ataque do Crac. Os volantes Martinez e Rodrigo Souto deixaram muitos espaços. Sendo assim, os zagueiros alvirrubros ficaram desprotegidos em muitos momentos. Tanto que com menos de 20 minutos o zagueiro Alison já tinha amarelo por falta dura.

No ataque, o Timbu apostava em uma única jogada: o chutão para o atacante Rogério. Com o campo pesado, a zaga do time goiano matou facilmente a estratégia do Náutico. Rogério mal tocou na bola assim como Elton e Jones Carioca, os outros avançados alvirrubros.

Com o domínio pleno da partida, o Crac chegou ao gol. Aos 21 minutos, após cruzamento na área, o lateral-direito Auremir derrubou Pantico. O árbitro não pensou duas vezes e marcou pênalti. Pantico foi para a cobrança e abriu o placar.

A situação alvirrubra não melhorou com o gol sofrido. A equipe parecia nem ter sentido o golpe sofrido. Os jogadores do Náutico foram quase expectadores de luxo no gramado. Do outro lado, o Crac seguia ligado na partida e aproveitando os espaços deixados pelos volantes alvirrubros. Em um desses ataques, Alison cometeu mais uma falta dura e foi expulso depois de receber o segundo amarelo.

Se no onze contra onze já estava complicado, com um a menos o Timbu sentiu ainda mais dificuldades na partida. O placar de 1×0 contra já não refletia o jogo quando Josa falhou na entrada da área e perdeu a bola para Marcelo Quilder. O jogador do Crac entrou na área e rolou para Pantico, que mandou para as redes mais uma vez aos 44 minutos. O apito para o intervalo foi um alívio para os alvirrubros.

SEGUNDO TEMPO
– Na volta para a segunda etapa, o técnico Levi Gomes promoveu alterações no Náutico. O treinador sacou Auremir e Jones Carioca e acionou Dadá e Giovanni respectivamente. O objetivo era melhorar a marcação na direita e a criação no meio. O Timbu até teve chances de fazer o seu gol com Rodrigo Souto, em chute de fora da área, e com Elton, em lance cara a cara com o goleiro. As jogadas, contudo, não foram fruto de uma boa articulação de passes. O Alvirrubro seguiu marcando mal e criando pouco.

Ao contrário do Náutico, os donos da casa continuaram alertas no jogo. O Crac até poderia ter ampliado o marcador, mas Felipe impediu aos 17 minutos após toque de cabeça de Danilo. Aos 25, a falta de pontaria de Pantico ajudou em cobrança de falta. A bola foi para fora.

Como se não bastasse não ter jogado nada coletivamente, o Náutico ainda contou com uma falha individual. Aos 33 minutos, Danilo errou o chute e mandou por cima. O lance parecia ir para fora. No entanto, o goleiro Felipe ‘furou’ o soco e aceitou o gol. Era o que bastava ao Náutico para esquecer de vez a noite desta quarta-feira. Ainda houve tempo para um gol alvirrubro com Alcides, aos 45, mas nada que animasse o torcedor.

FICHA DA PARTIDA – CRAC-GO 3×1 NÁUTICO

Crac-GO: Aleks; Carlos Sales, Bruno Alves, João Paulo e Rodrigo Crasso; Coquinho, Washington (Tiago Soler), William Amendoim (Julian) e Marcelo Quilder; Pantico (Rafael Dias) e Danilo. Tecnico: Hemerson Maria.

Náutico: Felipe; Auremir (Dadá), Alison, Alcides e Douglas Santos; Josa, Martinez e Rodrigo Souto; Jones Carioca (Giovanni), Rogério (João Paulo) e Elton. Técnico: Levi Gomes (interino).

Copa do Brasil. Local: estádio Genervino da Fonseca, na cidade de Catalão. Árbitro: Alinor Silva da Paixão (MT). Assistentes: Maíza Teles Paiva (SP) e José Araújo Sabino (DF). Gols: Pantico (C) aos 21 e aos 44 minutos do primeiro tempo; Danilo (C) aos 33 e Alcides (N) aos 45 minutos do segundo. Cartão vermelho: Alison (N). Cartões amarelos: Alison, Auremir, Giovanni Augusto, Douglas Santos (N); Pantico (C).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.