Irreconhecível, Sport dá vexame e é humilhado pelo América-MG: 5 a 0

Ao fim da noite desta terça-feira, quando o rubro-negro for dormir, um nome estará na mente: o de Rodriguinho. O meia foi o grande nome na vitória por 5×0 do América-MG sobre o Sport na noite desta terça-feira, no Independência, em Belo Horizonte, pela 11º rodada da Série B. Somente Rodriguinho marcou três vezes. Willians e Leandro Ferreira anotaram os outros dois do Coelho, que encontrou facilidades para criar suas jogadas perante um adversário que deu espaços e falhou na marcação, principalmente no segundo tempo. Além disso, os rubro-negros foram pouco objetivos com a bolas nos pés.

O lado da derrota, se é que existe, é que o Sport perdeu quando poderia perder. Mesmo com o resultado negativo, manteve a terceira posição na competição com 21 pontos. Já os mineiros saltaram para a sexta posição com 18. Na próxima rodada, os leoninos recebem a Chapecoense, na Ilha do Retiro. O América-MG encara o Ceará, outra vez em casa.

A liderança não viria mesmo. O que não diminuiu a frustração pela goleada por 5 a 0 sofrida pelo Sport diante do América-MG, nesta quarta-feira, na Arena Independência, em Belo Horizonte. Nem poderia. Pelos últimos resultados, se esperava muito mais do Leão. Ao menos, uma atitude de uma equipe que briga pelo título da competição e não uma atuação apática como essa. Numa partida em que a marcação foi a deficiência flagrante do Rubro-negro, o meia Rodriguinho, autor de três gols na vitória, fez o que quis em campo.
A vitória do Palmeiras (4 a 0 sobre o Icasa) foi o único resultado ruim na rodada para o Sport. Os demais contribuíram e, pelo menos, o Sport não caiu na tabela. Permanece na terceira colocação, ainda com 21 pontos, o que diminui o impacto da derrota para o América-MG. Para que tudo volte ao normal, a recuperação em casa, na próxima rodada, diante de mais um adversário direto, a Chapecoense, é obrigação.
A iniciativa do jogo foi do América-MG, que com menos de um minuto já havia criado duas chances de marcar. Mas foi o Sport quem esteve mais perto do gol. Aos seis minutos, Lucas Lima bateu da entrada da área. O goleiro Mateus fez uma defesa milagrosa. Um lance que poderia mudar a história da partida. Mas quem o fez foi Rodriguinho, aos 13, para o time da casa. Ele não desperdiçou a oportunidade, após cruzamento da direita e abriu o placar.

VEJA A CLASSIFICAÇÃO DA SÉRIE B DO BRASILEIRO

A proposta de jogo do Sport não funcionou. Fábio Bahia, improvisado como lateral direito, teoricamente teria como missão principal marcar. Não conseguiu desempenhar esse papel e ainda subia ao ataque de maneira desajeitada. Repetindo um erro notado diante do Oeste, os demais jogadores pareciam não perceber o mau momento do volante improvisado. Em vez de distribuir mais a bola, concentravam as jogadas pelo lado dele.
Para completar, o time marcava mal como há muito tempo não se via. O problema começava na frente e estourava atrás. Pereira e Tobi ficaram claramente sobrecarregados e já ficou claro que eles não suportam tanta pressão. O América-MG jogava com facilidade, caindo pelos lados do campo ou pelo meio campo, com um bom toque de bola. Teve chances para ampliar o placar, mas falhou na finalização.

Marcelo Martelotte notou que o time não conseguia fazer o que ele havia planejado. Atrás do placar, ainda teria que correr atrás do empate. Ele resolveu, então, mudar. Tirou o meia Camilo e colocou o atacante Roger. Menos um armador e mais um atacante em campo. Não deu tempo, porém, de ver se a mudança deu certo. Com pouco mais de um minuto de jogo, o América-MG ampliou. Rodriguinho, o melhor em campo, partiu para a jogada individual e bateu de fora da área: marcou um golaço.
O jogo estava, agora, como o América-MG queria. O Sport, perdido em campo, ia para o ataque de qualquer maneira, errando muitos passes e se abrindo para os contra-ataques. A grande diferença do jogo, no entanto, esteve na marcação. Enquanto o time da casa não dava espaços para o adversário jogar, o Leão marcava de longe, dando liberdade para jogadores como Rodriguinho, que acabou fazendo a diferença na partida.
Parecia que estava escrito: aos 29, contra-ataque em velocidade do América-MG, puxado por Rodriguinho. De pé em pé a bola chegou à área do Sport. Após cruzamento, Williams só tocou para o gol. Não era o fim. Com a mesma facilidade que encontrou durante toda a partida, o Coelho não deixou de chegar ao ataque. Rodriguinho ainda marcou mais um – um golaço, aos 42 minutos, deixando Anderson Pedra no chão – e Leandro Ferreira, já aos 45, fechou a goleada.

Ficha do jogo

América-MG: Mateus; Leandro Silva, Gualberto, Victor Hugo e Danilo (Bryan); Claudinei, Andrey Girotto, Kléber (Leandro Ferreira) e Rodriguinho; Nikão e Williams (Doriva) Técnico: Paulo Comelli

Sport: Magrã0 Fábio Bahia, Pereira, Tobi e Marcelo Cordeiro (Renê); Anderson Pedra, Rithely, Lucas Lima e Camilo (Roger); Marcos Aurélio e Felipe Azevedo (Sandrinho). Técnico: Marcelo Martelotte

Estádio: Arena Independência. Árbitro: Wagner dos Santos Rosa (RJ). Assistentes: Gabriel Conti Viana (RJ) e Edson Glicerio dos Santos (ES). Gols: Rodriguinho (aos 13 do 1°T, a 1 do 2° e aos 42 do 2°T), Williams (aos 29 do 2°T) e Leandro Ferreira (aos 45 do 2°T). Cartões Amarelos: Lucas Lima, Marcelo Cordeiro, Roger (S). Público: 1.429. Renda: R$ 25.670.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.