Náutico começa maratona de jogos recebendo Atlético-PR

Morales  deve seguir no time.  Por Blog do Torcedor

O Náutico foi desclassificado da Copa Sul-Americana. Isso, meia semana depois de acontecido, todo mundo já sabe. O que nem todos entenderam é que, embora tenha sido eliminado, o Timbu saiu fortalecido do último jogo da competição. A vitória, e a boa atuação do time, sobre o Sport fizeram renascer a esperança da torcida alvirrubra numa arrancada na Série A. A partida das 18h30 deste sábado, na Arena Pernambuco, diante do Atlético-PR, responde à pergunta: O Alvirrubro vai conseguir manter o bom nível ou vai voltar a atuar mal?

O JOGO – Jorginho não confirmou a escalação do time, fez certo mistério e disse que não estava definido. Verdade: ainda há dúvidas no time. Duas principais. A primeira delas é no gol: Ricardo Berna se recupera de uma conjuntivite e só será confirmado, se for, momentos antes do jogo. Se ele não entrar, o favorito a assumir a posição é Gideão, que vestia a 1 nos últimos jogos antes do “concorrente” chegar.

Da camisa um para a dois. A outra interrogação é na lateral-direita. O titular da posição é Auremir. Com uma virose, o jogador não pôde atuar no clássico e não treina há algum tempo. Está descartado da partida. O substituto natural seria Oziel, original da posição. Mas o jogador ainda está sem ritmo de jogo. “No jogo contra o Sport, ele não aguentou nem um tempo. Vamos ver como está a situação dele para decidir”, afirmou Jorginho. Se ele não puder, o escolhido será o volante Dadá. A opção, na teoria, seria o cabeça-de-área Derley. Mas, como o jogador tem vínculo com o Atlético-PR, não pode atuar por força contratual.


Jorginho tem dúvidas para armar o time. Foto: Rodrigo Lôbo/ JC Imagem

A tendência é que, a despeito dessas dúvidas, Jorginho use a mesma formação que deu certo contra o Sport. Dois volantes, dois meias e dois atacantes. O técnico, contudo, adverte: “Não decidi ainda. Não é porque eu usei dois meias no último jogo que vou usar agora. As situações são diferentes”.

O ADVERSÁRIO –  Ao contrário do Náutico, o Furacão está bem na competição. E, numa daquelas ironias do futebol,o time é dirigido por Vágner Mancini, que saiu do Náutico com péssima reputação, pouco depois de ter fracassado no Sport. Ocupa, atualmente, a quarta posição do torneio, a léguas de distância do próprio Timbu.

Mas o time vem ao Recife com três problemas. O meia Paulo Baier, peça importante, foi poupado e sequer viajou com a equipe. Elias é o substituto natural. O lateral-esquerdo Pedro Botelho teve uma entorse no joelho direito e foi vetado. Para seu lugar, provavelmente, Mancini deve optar por William Rocha – sondado pelo… Náutico há algumas semanas. A outra ausência – esta pelo terceiro cartão amarelo- é do zagueiro Manoel. Dráusio e Cléberson disputam a vaga.

Ficha do Jogo

Náutico: Berna (Gideão); Oziel (Dadá), João Filipe, Leandro Amaro e Bruno Collaço; Elicarlos, Martinez, Tiago Real e Diego Morales; Rogério e Olivera. Técnico: Jorginho

Atlético-PR: Wéverton; Léo, Draúsio (Cleberson), Luiz Alberto e Willian Rocha; Bruno Silva, João Paulo (Zezinho), Everton e Elias; Marcelo (Dellatorre) e Ederson. Técnico: Vágner Mancini
Local: Arena Pernambuco; Horário: 18h30; Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO); Assistentes: Rodrigo F. Henrique Correa (RJ) e Carolina Romanholi Melo (CE)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.