Náutico empata com o Guarany e está eliminado da Copa do Nordeste

Por Blog do Torcedor

O Náutico esforçou-se, jogou o primeiro tempo de igual para igual com o Guarany de Sobral. Mas meio jogo foi pouco para o timbu conseguir a vitória. O empate por 1×1, no Junco, em Sobral, selou a eliminação alvirrubra na primeira fase da Copa do Nordeste. Com o ponto conquistado o Guarany chegou aos nove e confirmou a primeira posição do grupo D. O adversário nas quartas de final será o Santa Cruz.

Desde os primeiros segundos de partida o Náutico mostrou qual seria o seu jogo: marcar da linha de meio de campo para trás e arriscar algum contra-ataque. O Guarany, que precisava de uma vitória para não depender de ninguém, gostou disso e foi para cima, ainda que com uma jogada: as descidas do lateral-esquerdo Zeca. Mesmo com essa postura, ainda foi o time pernambucano quem assustou primeiro, numa bola parada. João Ananias levantou na área e o zagueiro Flávio completou no meio do gol. Zuba estava bem posicionado e fez a defesa.

Daí em diante, o time da casa teve mais volume de jogo e não demorou a marcar o gol. Aos nove minutos, Após escanteio pela esquerda, Reinaldo apareceu no meio da zaga com liberdade e cabeceou no canto esquerdo de Alessandro. Somente depois de levar o gol é que o Nátuico tomou a iniciativa de fazer o que deveria ter feito desde o começo. Adiantou um pouco sua marcação para dificultar a saída de jogo do adversário.

Funcionou duplamente. O Guarany não só deixou de assustar como o Náutico aproximou-se mais da área cearense. Renato e Marcos Vinícius tiveram boas oportunidades até o camisa 10 decretar o empate aos 19. Ele arrancou pelo meio e, perto da linha de grande área, bateu de canhota, no canto alto esquerdo. Um golaço.

Atingir a igualdade não fez o Náutico recuar novamente. O time manteve a marcação mais adiantada e o jogo ficou de igual para igual. Claro que isso teve um preço, uma maior fragilidade lá atrás. E isso ficava evidente quando o Guarany coneseguia dar mais velocidade ao jogo. Aos 28, numa jogada dessa forma, Zeca recebeu e cruzou de primeira. Sem tempo para ajeitar a bola, Renialdo mandou rasteiro para Alessandro defender parcialmente. No rebote, Flávio mandou a escanteio.

Os dois times só deram demonstração de estarem satisfeitos com o resultado parcial nos cinco minutos finais. O Náutico recuou novamente, adotando a mesma postura do começo do jogo e o Guarany preferiu o jogo da paciência de trocar passes até a movimentação alvirrubra abrir uma brecha. Como isso não aconteceu, a partida ficou presa entre as duas intermediárias, sem finalizações.

O que o primeiro tempo teve de boa dinâmica, velocidade e emoção faltou ao início da segunda etapa. Os dois times ajustaram melhor a marcação e as defesas levaram ampla vantagem sobre os ataques. O primeiro lance de registro só aconteceu aos 11 minutos e na bola parada, fundamento em que, defensivamente, o Náutico não conseguiu melhorar.

Numa cobrança de falta, o recém-ingresso adiantou-se e cabeceou para o gol. Como estava impedido, a jogada foi anulada. Com três atacantes, o Guarany mostrou um pouco mais de disposição e dois minutos depois, Adriano assutava novamente numa cabeçada. Aos 16 foi a vez de Reinaldo, depois de quatro impedimentos, ter uma boa chance. Thiago Furlan foi à linha de fundo e cruzou para trás. O camisa 9 chutou raspando a trave esquerda.

Além de não ter conseguido repetir a marcação, o Náutico começava a sofrer pela falta de criatividade. Marcos Vinícius não se apresentava como no primeiro tempo e o técnico Lisca tirou João Ananias para acionar Pedro Carmona. Coincidência ou não, foi aí que Marcos deu o ar da graça e mostou que, sendo mais participativo, pode desequilibrar um jogo. Aos 24 ele fez um lançamento longo para Helder Maurílio, que demorou a definir a jogada e terminou chutando por cima.

Mas o time da casa era superior desde a entrada de Adriano. Aos 31, ele mesmo recebeu cruzamento de Pacujá e bateu prensado. Na sequência, Júnior Cearense arriscou de longe e Alessandro espalmou. Um minuto depois o bombardeio ganhou mais um capítulo. Helder Maurílio salvou em cima da linha. Adriano engordou sua lista de desperdício aos 35. Desta vez quem o serviu foi Rodrigo Vitor. O camisa 18, na marca do pênalti, mandou por cima. Aos 38 Adriano ganhou mais um presente, mas desta vez Alessandro foi superior ao fazer boa defesa. Bem superior, o time da casa não venceu pela falta de pontaria.

Ficha do jogo

Guarany de Sobral: André Zuba; Édson Pacujá, Joécio, Juliano e Zeca; Zé Augusto, Rodrigo Vitor, Júnior Cearense e Márcio Tarrafas (Adriano) (Zé Williams); Thiago Furlan e Reinaldo (Gugu). Técnico: Vladmir de Jesus.

Náutico: Alessandro; Jackson, Flávio, Diego e Izaldo; Lineker, Gustavo Henrique, Marcos Vinícius, Helder Ribeiro (Helder Mauílio); Renato (Marcelinho) e João Ananias (Pedro Carmona). Técnico: Lisca.

Local: Estádio do Junco, em Sobral (CE). Árbitro: Charles Ferreira (AL). Assistentes: Rondinelle Tavares e Thalis Monteiro (ambos de AL). Gols: Reinaldo, aos nove; Marcos Vinícius, aos 19 do primeiro tempo. Cartões amarelos: Joécio, Rodrigo Vítor, Reinaldo, Renato e Lineker.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.