No sufoco, Santa vence o Vitória da Conquista e garante vaga na segunda fase

Foto: Mario Bittencourt/Futura Press

No sufoco e jogando abaixo do esperado, o Santa Cruz garantiu sua classificação para as quartas de final da Copa do Nordeste ao vencer o Vitória da Conquista por 1×0 nesta quarta-feira (5), no Lomanto Júnior. Renan Fonseca fez o gol salvador aos 25 minutos do segundo tempo e o goleiro Tiago Cardoso, mais uma vez, impediu que o adversário complicasse a vida dos corais com pelo menos duas grandes defesas. Com a segunda colocação no grupo B, o time de Vica espera a definição do grupo D. Enfrentará o primeiro lugar daquela chave. A equipe do Arruda ficou com os mesmos 11 pontos do CSA, mas perdeu no saldo de gols (4×2)

O Santa deu a falsa impressão de que faria um jogo em alta intensidade. Antes de fechar o primeiro minuto, o tricolor fez boa jogada pela esquerda com direito a bombardeio e e cabeçada de Renatinho, apesar de seu 1,58m, no travessão. Mas o fogo ficou por aí. O jogo pelo chão, de toques curtos seria o melhor caminho, mas os jogadores estavam com mais pressa em fazer a bola chegar perto do gol do que em acelerar o andamento. Isso deu lugar a lançamentos longos e muito chuveirinho.

Ainda que tivesse um jogador fixo na área com capacidade de fazer o pivô, o tricampeão pernambucano não fez isso. Para completar, ficou muito preso ao lado esquerdo. Renatinho e Tiago Costa foram a melhor válvula de escape, ao contrário de Oziel, que se apresentou bem menos que seu companheiro do lado oposto; e Flávio Caça Rato, sempre cortando para o meio, setor mais congestionado.

O Vitória da Conquista, com um time reserva, só jogava quando encontrava espaço. E encontrou. Aos 19 minutos, Paulinho cruzou da direita e Vander Capixaba apareceu livre entre os dois zagueiros corais para cabecear raspando o travessão. Dois minutos depois foi o próprio Paulinho a dar um susto. Ele chutou de fora da área e Tiago Cardoso espalmou para fora. O Santa, quando resolveu tocar a bola, chegou bonito perto da área. Aos 25, numa linha de passe rápida, Caça Rato encontrou Renatinho entrando na área. Ele tentou por cobertura e também cobriu a barra.

Mas foi apenas um lampejo. O que prejudicou bastante uma dinâmica melhor para o Santa foi a falta de Raul e Luciano Sorriso nas transições ofensivas – defesa-ataque. A dupla, que no jogo passado contra o Bahia, apresentava-se com mais frequência perto da área dando apoio aos atacantes, desta vez recuou demais. Gamalho ficou preso entre dois zagueiros tendo que jogar mais de costas do que de frente para o gol. Caça Rato, fixo na ponta direita tinha sempre dois a marcá-lo.

Nas brechas que, vez por outra, o Santa deixava, o time da casa criava chances bem mais claras. A melhor delas veio aos 41. Wellington recebeu no lado esquerdo da grande área e bateu de primeira. Tiago Cardoso fez grande defesa e salvou o Santa de sair em desvantagem no primeiro tempo.

Voltou o jogo para o segundo tempo e o Santa, com a mesma escalação, também repetiu os mesmos erros e correndo o risco de tomar um contra-ataque fatal. O primeiro sinal de perigo veio aos três minutos. Paulo Vítor bateu falta na área e Moisés cabeceou para o chão. Tiago Cardoso tirou com um tapa pouco antes da chegada de Wellington.

Na hora de atacar, os pernambucanos mostravam a mesma lentidão para defender. Luciano Sorriso e Raul estavam mainda mais distantes do setor ofensivo. O time completamente descompactado feria um dos princípios básicos de quem se defende: encurtar o campo. O espaço entre os setores facilitava tanto a saída de jogo do Vitória da Conquista quanto a criação de jogadas lá na frente.

Vendo que a situação não mudava, o técnico Vica começou a mexer no time a partir dos 15 minutos. As opções foram por jogadores velozes. O primeiro a entrar foi Pingo. Embora Renatinho também seja um jogador que corre muito, Pingo entrou para jogar aberto pelo lado esquerdo. O panorama ainda não mudara aos 26, quando o tricolor finalmente achou o gol. Numa cobrança de falta pela esquerda, Luciano Sorriso levantou na área e Renan Fonseca apareceu para desviar de leve, mas o suficiente para Augusto não conseguir fazer a defesa. Santa 1×0.

 

Ironicamente, o gol que dava a classificação não acordou o Santa para a partida. O time continuou jogando em marcha lenta, sem que as substituições tenham feito efeito. A consequência boa é que o Vitória da Conquista pareceu estar sendo movido pelo resultado. Quando o Santa marcou, os donos da casa, automaticamente, mostraram perder as forças. Aliás, adotaram uma postura lenta bem semelhante à dos visitantes.

Nesse contexto só a bola parada seria responsável por algo digno de registro. E assim foi. Aos 37, Jefferson Maranhão bateu falta e a bola desviou em Sorriso. Augusto esticou-se todo e conseguiu fazer a defesa. Depois de uma longa hibernação, o Vitória da Conquista voltou ao ataque para transformar Tiago Cardoso em herói pela enésima vez. Gabriel escapou pela direita e chutou rasteiro. O camisa 1 espalmou.
Vitória da Conquista-BA 0x1 Santa Cruz-PE_
Ficha do jogo:

Vitória da Conquista: Augusto; Paulinho, Mota (João), Mário Sérgio e Paulo Vítor; Maicon, Caio Bruno, Moisés e Dionísio; Vander Capixaba e Wellington (Gabriel). Técnico: Evandro Guimarães.

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Oziel, Everton Sena, Renan Fonseca e Tiago Costa; Sandro Manoel, Luciano Sorriso, Raul (Jefferson Maranhão) e Renatinho (Pingo); Flávio Caça-Rato e Léo Gamalho (Memo). Técnico: Vica.

Local: Estádio Lomanto Júnior, em Vitória da Conquista (BA). Árbitro: Wladyerisson Oliveira (CE).Assistentes: Marcos Brígido e Samuel Costa (ambos do Ceará). Gol: Renan Fonseca, aos 25 do segundo tempo. Cartões amarelos: Mário Sérgio, Caio Breno, Pingo, Éverton Sena e Tiago Costa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.