Por liderança e marca histórica, Corinthians encara o Tijuana

Três pontos, a liderança do Grupo 5 da Taça Libertadores da América e uma marca histórica: são esses os fatores que motivam o Corinthians para a partida contra o Tijuana, do México, nesta quarta-feira, às 22h (horário de Brasília), no estádio Caliente. A aproximadamente 10 mil quilômetros de casa, o Timão pode igualar a maior série de invencibilidade da história da competição continental: 17 jogos consecutivos sem perder, contabilizando os duelos disputados nas duas últimas edições do torneio.

Atualmente, o recorde pertence exclusivamente ao Sporting Cristal. A equipe peruana construiu sua sequência na década de 60, em três participações – 1962, 1968 e 1969 – vencidas por Santos e Estudiantes de La Plata (duas vezes), respectivamente. Foram oito vitórias e novo empates. Campeão no ano passado, o Corinthians acumula nove vitórias e sete empates entre 2012 e 2013. Estatísticas que o técnico Tite sequer sabia até o triunfo sobre o Millonarios, na semana passada, mas que se tornaram fatores de motivação para o elenco.

A trajetória alvinegra começou exatamente como na última temporada: empate por 1 a 1 fora de casa, na primeira partida, e vitória por 2 a 0 em seus domínios. Coincidentemente, o terceiro adversário em 2013 também será um mexicano: no ano passado, o Timão pegou o Cruz Azul, com quem empatou sem gols. A projeção de Tite é repetir o desempenho contra o Tijuana: arrancar pelo menos um ponto no “caldeirão” adversário e vencer no Pacaembu, uma semana depois.

Os obstáculos no caminho do Timão continuam presentes. Na estreia, contra o San José, da Bolívia, a equipe encarou uma altitude de aproximadamente 3.700m na cidade de Oruro. No segundo jogo, contra o Millonarios, no estádio do Pacaembu, se deparou com as arquibancadas vazias – punição imposta pela Conmebol após a morte do jovem boliviano Kevin Douglas Beltrán Espada, de 14 anos, morto após ser atingido por um sinalizador na primeira partida. Desta vez, a luta será contra a grama sintético.

Fundado em 2007, o Tijuana inaugurou o estádio Caliente com o gramado artificial, onde a bola costuma correr e quicar mais. Embora alguns jogadores do Corinthians já tenham tido contato com o diferente tipo de solo, a maioria se precaveu e levou chuteiras soçaite para o México. Esta é a primeira vez que o Tijuana participa da Libertadores, mas a grama sintética não é novidade no país. O estádio Omnilife, do Chivas Guadalajara, por exemplo, já sediou a final da competição continental em 2010.

Na cidade mexicana, que faz divisa com os Estados Unidos, o clima para receber o campeão mundial é de total animação. Placas anunciam o duelo histórico e praticamente todos os ingressos foram vendidos. A proximidade das arquibancadas para o gramado deve tornar o cenário ainda mais intimidador para o Corinthians. Em seu primeiro jogo como mandante na Libertadores, goleada por 4 a 0 sobre o San José. Porém, os próprios jogadores do Tijuana sabem que desta vez o desafio é mais complicado.

O peruano Victor Carrillo apita a partida, auxiliado por seus compatriotas Jonny Bosio e César Escano. A TV Globo transmite ao vivo para SP, PR, SC, BA, CE, Balsas (MA), DF e MS, enquanto o GLOBOESPORTE.COM acompanha todos os detalhes do confronto em Tempo Real a partir das 21h30m.

header as escalações 2

Tijuana: no último fim de semana, o técnico Antonio Mohamed poupou alguns jogadores e acabou derrotado por 1 a 0 para o Atlas. A intenção era utilizar força máxima na partida desta quarta, tratada como prioridade total no clube. Sem o lateral Castillo, lesionado, a formação dos Xolos deve ser a seguinte: Cirilo Saucedo; Richard Ruíz (Joshua Ábrego), Pablo Aguilar, Javier Gandolfi e Juan Nuñez; Leandro Augusto, Joe Corona, Cristian Pellerano e Fidel Martínez; Alfredo Moreno e Duvier Riascos.

Corinthians: o técnico Tite terá força máxima para esta partida. Após poupar os laterais Alessandro e Fábio Santos no último domingo, o comandante escalou ambos para o confronto com o Tijuana. Jorge Henrique, recuperado de uma lesão na coxa, ficará no banco de reservas – Renato Augusto se mantém como titular em sua vaga. O Timão inicia a partida no México com a seguinte formação: Cássio; Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Renato Augusto; Alexandre Pato e Paolo Guerrero.

quem esta fora (Foto: arte esporte)

Tijuana: o lateral-direito Edgar Castillo (fratura tripla no rosto).

Corinthians: o zagueiro Chicão (recuperando-se de artroscopia no joelho esquerdo) e o atacante Emerson (com o joelho direito em tratamento).

header fique de olho 2

Tijuana: com estilo semelhante ao do atacante Neymar (que é seu ídolo), o meia-esquerda Fidel Martínez, dono de um vistoso moicano e de futebol ágil e ousado, foi o principal destaque do time mexicano na goleada por 4 a 0 sobre o San José. Ele marcou um gol, deu uma assistência e foi eleito o melhor em campo. O estilo de jogo irreverente deve dar trabalho à defesa do Timão.

Corinthians: o meia Renato Augusto aproveitou bem a oportunidade que teve entre os titulares, com a lesão de Jorge Henrique, antes dono da posição. Um dos principais destaques alvinegros no clássico contra o Santos, o jogador agradou o técnico Tite não somente pelas atuações recentes, mas pela postura firme e de liderança em campo. Entrosado com Alexandre Pato, é referência em agilidade e criatividade.

header o que eles disseram

Cristian Pellerano, meia do Tijuana: “Queremos ganhar nove pontos em nove disputados. Sabemos que o Corinthians é um grande time, com grandes jogadores. Não é à toa que é o campeão do mundo. Será uma partida complicada e trataremos de não cometer erros para conseguirmos um bom resultado em casa”.

Tite, técnico do Corinthians:É difícil jogar aqui no México. Em quatro vezes aqui, só tivemos bom resultado ano passado, contra o Cruz Azul, quando empatamos. O preparo para jogar contra eles tem de ser natural”.

header números e curiosidades

* O Corinthians disputou 12 partidas nesta temporada: venceu quatro, empatou sete e perdeu apenas uma, para a Ponte Preta, na segunda rodada do Paulistão. Diante do Tijuana, nesta quarta-feira, defende uma invencibilidade de dez partidas.

* Três adversários mexicanos já passaram pelo caminho do Timão na história da Taça Libertadores da América. Em 2000, jogou duas vezes com o América (derrota por 2 a 0 e vitória por 2 a 1). Em 2003 e 2012 pegou o Cruz Azul (primeiro, vitória por 1 a 0 e derrota por 3 a 0; depois, empate sem gols e vitória por 1 a 0). Em 2006, encarou o Tigres (derrota por 2 a 0 e vitória por 1 a 0)

* Nas quatro vezes em que atuou no México, o Corinthians não conseguiu voltar para o Brasil com os três pontos: retrospecto com um empate e três derrotas.

* O Tijuana tem apenas seis anos de vida. Fundado em 2007, o clube sediado na Baixa Califórnia conquistou seu primeiro título nacional da história no ano passado – derrotando o Toluca nos dois jogos da final do Torneio Apertura.

* O desempenho dos brasileiros jogando no México não é dos melhores. Em 31 jogos, foram apenas seis vitórias, além de nove empates e 16 derrotas. No total, incluindo as partidas disputadas no Brasil, apenas quatro terminaram sem gols (uma delas, Cruz Azul x Corinthians, pela primeira fase da competição, em 2012).

globo.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.