Sport perde de novo para Libertad e dá adeus à Copa Sul-Americana

A missão, antes de começar o jogo, já era difícil: o Sport precisava reverter os 2 x 0 sofridos no Paraguai repetindo o placar (para levar aos pênalti) ou vencendo por três gols de diferença. Ao fim do primeiro tempo,a tarefa já era quase impossível. Aos 41, o Libertad encaixou um contra-ataque, abriu o placar e obrigou o Leão a fazer quatro em 45 minutos para se classificar às quartas de final da Copa Sul-Americana. Era demais: o Rubro-Negro, com time misto, não conseguiu operar o milagre. No primeiro jogo como mandante na Arena Pernambuco, o time de Geninho, derrotado de novo pelo Libertad- desta vez, por 2 x 1- deu adeus ao torneio continental.

O DUELO – Do ponto de vista tático, o jogo é até fácil de ser resumido. De um lado, o Sport – precisando da vitória- com mais ímpeto ofensivo. Do outro, o Libertad (com a vantagem de dois gols) buscando confortavelmente o contra-ataque que praticamente definiria o duelo. Apesar disso, os minutos iniciais de partida não foram da tradicional pressão exercida pelos mandantes. O Leão até que teve mais posse de bola e volume – mas, no começo, não conseguiu transformar isso em efetividade.

A primeira chance leonina foi aos 13 minutos. Marcos Aurélio, um dos poucos titulares em campo, recebeu na intermediária, avançou até a entrada da área e bateu para o gol. Muñoz foi buscar no canto. É justo dizer que faltou qualidade ao Sport. O time titular já tem deficiências – o reserva, então, tem mais defeitos ainda. Os laterais apoiaram pouco – e os meias, Camilo e Patrik Silva, fizeram menos ainda. Chumacero também errou demais.

Apesar disso, mais na base da força  o Sport conseguiu assustar a partir dos 30 minutos. Nesta marca, Marcos Aurélio teve ótima chance dentro da área. Livrou-se de um marcador mas, na hora de chutar, tentou um drible a mais e acabou perdendo. Dois minutos mais tarde, Patrik Silva recebeu em frente a Saulo, mas deixou a bola correr demais. Sem ângulo e com o goleiro próximo, desperdiçou a oportunidade. Aos 37, o camisa 10 cobrou falta da direita. Bola sobrou para Oswaldo, sozinho. Sem cacoete de atacante, o zagueiro bateu fraco, em cima do único defensor – que nem estava tão perto assim.

O castigo viria dali a poucos minutos. Aos 41, o Libertad abriu o placar. Gonzalez aproveitou-se de escanteio e inaugurou o marcador. O gol significava muito: adicionado aos dois que o Libertad marcara no Paraguai, compunha um cenário praticamente impossível de reverter. O Sport precisaria fazer quatro gols no segundo tempo, não sofrer nenhum. Com o time reserva.

Na volta para o intervalo, o Leão parecia querer mostrar que o milagre era possível. Logo no primeiro minuto, o zagueiro Aílson, de cabeça, empatou o placar. Seria possível reverter? Ainda estava distante, mas quem sabe? A confiança do torcedor começava a tentar despertar da letergia. Mas não deu muito tempo para começar a especular. Aos cinco, o Libertad chegou ao segundo: falta da esquerda, todo mundo subiu – e a bola entrou: 2 x 1 para o alvinegro. O duelo estava definido de novo.

Aos 7, Marcos Aurélio bateu falta no travessão. Foi seu último lance de perigo no jogo. Aos 11, Geninho abdicou “oficialmente” de tentar a vaga. Tirou seu melhor jogador de campo para colocar Jonathan Balotelli. Simultaneamente, acionou Sandrinho no lugar de Anderson Pedra. Pela primeira mexida, ouviu o coro de “burro”.

Sem sua principal referência, despojado da motivação de se classificar, o Sport desistiu. Sorte é que o Libertad, já classificado, também alivou um pouco o ritmo. A partida tornou-se um mero passar de tempo que não importava mais paraa ninguém. Fim de jogo: 2 x 1 para o Libertad. Paraguaios classificados.

Ficha do Jogo

Sport: Saulo; George Lucas, Aílson, Oswaldo (Gabriel) e Pery; Chumacero, Anderson Pedra (Sandrinho), Camilo e Patrik Silva; Marcos Aurélio (Jonathan Balotelli) e Nunes. Técnico: Geninho

Libertad: Rodrigo Muñoz; Jorge Moreira, Pedro Benítez, Gustavo Gómez e Gustavo Mencia; Claudio Vargas (Romero), Sergio Aquino, Osmar Molinas e Gonzalez (Miguel Samudio); Jorge Recalde (Barrero) e Brian Montenegro. Técnico: Pedro Sarabia

Local: Arena Pernambuco; Árbitro: Darío Ubriaco (URU); Assistentes: Carlos Pastorino (URU) e Marcelo Costa(URU). Amarelos: Patrik SIlva, Pery, Oswaldo (Sport); Benítez, Samudio (Libertad); Gols: Gonzaléz (duas vezes) para o Libertad; Aílson (a 1 do 2T) para o Sport.

Blog do Torcedor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.