Sport sofre dois gols no fim e perde de virada para a Chapecoense

Fotos: Edmar Melo/JC Imagem

Por Blog do Torcedor

O futebol não era dos melhores, ainda assim o Sport conseguia desenhar uma vitória importante até os 44 minutos de jogo do segundo tempo. Tudo levava a crer que o Leão sairia da Ilha do Retiro como vice-lider da Série B. Sofria pressão, mas se aguentava. Porém, o futebol ensina que o resultado só é confirmado ao fim dos 90 minutos. Pior para os leoninos. A Chapecoense acreditou até o fim e conseguiu virar para cima dos rubro-negros no confronto válido pela 12º rodada da Série B, neste sábado. Bruno Rangel foi o carrasco dos pernambucanos com dois gols, um de pênalti aos 44 e outro aos 47 após falha da zaga. 2×1 para os catarinenses e vaias da torcida para o mau futebol dos donos da casa.

Com o resultado, a Chapecoense permanece na vice-liderança da Segundona com 26 pontos. O Sport fica estagnado em terceiro com 21 e pode ser ultrapassado pelo Paraná, que ainda joga pela rodada. Na próxima rodada, o Leão tentará se recuperar diante do ASA, fora de casa. Os catarinenses recebem o Atlético-GO.

O JOGO – Como na partida contra o América-MG, na última terça-feira, os leoninos até tiveram posse de bola no campo ofensivo. Contudo, foram lentos na criação e insistiram demais pelo jogo centralizado contra um adversário que, em muito momentos, utilizou nove jogadores na linha defensiva. O resultado disso foram poucas chances de gols para os rubro-negros. Os principais lances vieram de chutes de longe ou de jogadas individuais.
A partida pedia uma estratégia mais pelas alas. No entanto, com um jogador improvisado na direita, o volante Fábio Bahia, e um estreante na esquerda, Pery, o jogo pelas laterais do Sport também não funcionou no primeiro tempo. Fábio Bahia até foi acionado em muitos momentos, mas faltou conhecer melhor a posição para desenvolver a jogada com eficiência. Já Pery até teve um desempenho melhor que seu companheiro, todavia foi pouco acionado.
Do lado da Chapecoense o jogo não ficou somente na defesa. Com a bola nos pés, o time de Santa Catarina tentou valorizar a posse de bola e criar chances de perigo. Ao contrário dos donos da casa, explorou melhor as laterais e contou com uma marcação menos apertada do adversário. Os rubro-negros marcaram muito atrás dando espaços para os visitantes tocarem a rendonda por muito tempo. Aos catarinenses, porém, faltou mais ousadia para abrir o placar.
Com todas as estratégias falhando, restava a bola parada como alternativa para o Sport. E ela não deu errado. Logo no primeiro minuto do segundo tempo, Marcos Aurélio cobrou falta com perfeição e acertou o canto do goleiro. Belo gol na Ilha do Retiro para agitar a torcida rubro-negra.

Marcos Aurélio fez o gol do Leão
A abertura do placar deu maior dinâmica ao jogo. A Chapecoense saiu mais para o jogo em busca do empate e deixou espaços na sua defesa. Apesar disso, os leoninos não souberam aproveitar o momento para jogar melhor e articular melhor os passes. Até teve chances de fazer o segundo, mas nada fruto de algo mais elaborado. O Leão seguiu dependente de jogadas individuais.
Sem matar o jogo, o Sport foi recuando aos poucos. A estratégia de se defender ficou clara, principalmente após o técnico Marcelo Martelotte colocar o volante Renan Teixeira. Os rubro-negros iam se aguentando nos últimos minutos de jogo até com certa competência. Magrão pouco foi exigido apesar da pressão adversária. Tudo dava a entender que seria mais um vitória do Leão na Ilha. Porém, Bruno Rangel entrou em ação e silenciou a torcida presente. Primeiro aos 44 após cobrar pênalti e empatar. Em seguida, aos 47, quando todos ainda assimilavam a igualdade, a zaga falhou e deixou o atacante na cara do gol para virar. Vaias e mais vaias para os jogadores e para Marcelo Martelotte.

FICHA DA PARTIDA – SPORT 1X2 CHAPECOENSE

Sport: Magrão; Fábio Bahia (Patrik Silva), Pereira, Tobi e Pery; Anderson Pedra, Rithely, Lucas Lima (Renan Teixeira) e Camilo; Marcos Aurélio e Felipe Azevedo (Roger). Técnico: Marcelo Martelotte.

Chapecoense: Nivaldo; Glaydson, Rafael Lima, Dão (André Paulino) e Anderson Pico (Tiago Luís); Wanderson, Augusto, Paulinho Dias e Athos (Soares); Fabinho Alves e Bruno Rangel. Técnico: Gilmar Dal Pozzo.

Série B. Local: Estádio da Ilha do Retiro. Árbitro: Jaílson Macedo Freitas (BA). Assistentes: Janette Mara Arcanjo (MG) e Carlos Jorge Titara da Rocha (AL). Gols: Marcos Aurélio (S) aos 1 e Bruno Rangel (C) aos 44 e aos 47 minutos do segundo tempo. Amarelos: Dão (C), Rafael Lima (C), Fábio Bahia (S), Anderson Pedra (S), André Paulino (C), Tobi (S) e Pereira (S). Público: 19.419. Renda: R$ 284.900.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.