Sport vence o Avaí na Ilha do Retiro, segue invicto e entra no G4

Alexandre Barbosa – Diario de Pernambuco

 O reencontro com a Ilha do Retiro foi também o reencontro com a vitória dentro de casa. Após se despedir com derrota para o bragantino, antes da copa das Confederações, o Sport voltou ao seu estádio e conquistou um resultado importante: 2 a 0 sobre o Avaí, o terceiro triunfo após a parada na Série B – 100% de aproveitamento. A entrada no G4 foi a recompensa pelo crescimento apresentado depois do intervalo. Com 18 pontos, o Leão inicia a rodada na terceira colocação, com chance de terminar entre os quatro primeiros.

Talvez por ansiedade, o Sport começou o jogo de maneira afobada, tentando ir para o ataque de qualquer jeito. Desorganizado, não conseguiu levar perigo ao Avaí e ainda por cima se expôs na defesa. Por pouco, jogando no erro rubro-negro, o time visitante não marcou. Era tudo  o que os catarinenses queriam, pois a equipe veio montada para explorar os contra-ataques, com uma linha de quatro na defesa, outra de cinco no meio e apenas um jogador, Márcio Diogo, isolado na frente.

Era preciso jogar com paciência, tocar mais a bola e imprimir velocidade na hora certa, para superar a marcação adversária. Foi justamente o que aconteceu aos 20 minutos, quando Camilo roubou a bola e ligou espertamente para Marcelo Cordeirou, que contou com a falha do seu marcador, para receber livre e descer pela esquerda. Ele cruzou para o meio da área, para a chegada rápida de Lucas Lima, que tocou para o gol.

O gol desestabilizou a tática do Avaí. O time teve que sair mais e não mostrou qualidade para isso. Era grande a facilidade que o Sport tinha para chegar ao ataque. Fazia isso da maneira correta: com paciência e tranquilidade, oferecida, em parte, pela fragilidade do adversário. As chances foram surgindo. Uma atrás da outra. Felipe Azevedo, que não marca desde a partida com o Guaratinguetá, teve três oportunidades, mas não acertou nenhuma.

O Avaí voltou com uma postura mais ofensiva e um espírito mais brigador para o segundo tempo. O Sport não entrou tão ligado em campo. Pelo contrário, estava tranquilo demais, errando alguns passes displicentemente. A prova é que em apenas dez minutos, o time catarinense já havia finalizado duas vezes, assustando Magrão, o que não havia feito em toda a primeira etapa.

O Sport não conseguia ter o mesmo ímpeto ofensivo do primeiro tempo. Enquanto isso, o Avaí crescia em campo. Continuava criando e dando trabalho para Magrão. A entrada de Diego Jardel foi essencial para a mudança de postura avaiana. Com um bom chute de fora da área, ele asustou Magrão em duas oportunidades. Numa o goleiro defendeu, na outra foi o travessão que evitou o empate da equipe visitante.

A oscilação voltou a incomodar o Sport. Assim como aconteceu diante de Guaratinguetá e Figueirense, o Leão teve altos e baixos dentro da partida. Após um primeiro tempo de muita qualidade ofensiva, o time levou pressão no segundo. Teve que contar com as defesas de Magrão e até com o travessão para segurar o resultado final. Aos 47, Marcos Aurélio marcou o segundo gol, cobrando falta. Não deu nem para dizer que foi para o alívio da torcida, porque foi o último lance do jogo.

Ficha do jogo

Sport

Magrão; Patric, Pereira, Tobi e Marcelo Cordeiro; Anderson Pedra, Renan (George Lucas), Lucas Lima (Fábio Bahia) e Camilo; Felipe Azevedo (Roger) e Marcos Aurélio. Técnico: Marcelo Martelotte

Avaí

Diego; Alex Reinaldo, Leandro Silva, Bruno Maia e Aelson; Eduardo Costa, Rodrigo Thiesen (Diego Jardel), Marrone e Cléber Santana; Márcio Diogo e Tauã (Roberson). Técnico: Hemerson Maria

Estádio: Ilha do Retiro. Ártbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva. Assistentes: Marcio Gleidson Correia Dias e Kildenn Tadeu Morais de Lucena. Gols: Lucas Lima e Marcos Aurélio (S). Público: 18.829. Renda: R$ 882.600,00.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.