Sport vence Ypiranga e se garante na final do Pernambucano

Por Rômulo Alcoforado

Na Ilha do Retiro, neste sábado, o Sport apenas confirmou o que praticamente garantira no domingo passado. A vaga na final já era do Leão quando ele venceu o Ypiranga, por 5 x 1, fora de casa. A partida de volta foi uma espécie de treino de luxo.O Rubro-Negro confirmou o favoritismo, venceu por 4 x 2 e, agora, espera o vencedor do duelo entra Náutico e Santa Cruz para decidir o Campeonato Pernambucano Coca-Cola 2013.

O início do Sport foi muito bom. A formação 3-6-1 que Édson Miolo escalou – para segurar o Leão- não foi efetiva. Deu muito errado. Logo no primeiro minuto, Rithely lançou Marcos Aurélio, que dominou dentro da área e chutou cruzado. Jaílson não conseguiu impedir: 1 x 0 para o Rubro-Negro. Três minutos mais tarde, foi a vez de Felipe Menezes – outro jogador que ganhou chance no time titular. Lucas Lima fez a ultrapassagem por Reinaldo e recebeu do lateral na esquerda. Mirou e cruzou na área. Menezes, como atacante, subiu bem e cabeceou para ampliar o marcador.

Com os dois gols, o Sport relaxou. E o Ypiranga cresceu. O zagueiro Carlão sentiu uma lesão e foi substituído pela meia Jonathas. A mudanças de esquema tornou a Máquina de Costura mais ofensiva. Tanto que conseguiu empatar a partida. Danúbio, aos 29, fez boa jogada, ganhou na velocidade de Gabriel e chutou cruzado. Magrão se esticou, mas não conseguiu pegar. Aos 35, Danilo igualou o marcador ao se aproveitar da falha da zaga e do goleiro leoninos, antecipou cruzamento da esquerda e cabeceou para o gol.

Quando o time ensaiava uma improvável reação, o meia Beto foi imprudente ao dar uma entrada forte em Lucas Lima. Com rigor excessivo, o árbitro Tiago Nascimento o expulsou de campo. O Ypiranga ficava com uma missão quase impossível: fazer quatro gols em 45 minutos com um jogador a menos.

No retorno da segunda etapa, Sérgio Guedes fez uma mudança. Para poupar Rithely, que havia levado cartão amarelo, substituiu-o por Fábio Bahia. O Ypiranga era o mesmo. Os 45 minutos finais foram mais mornos do que os iniciais. Com um a menos, a Máquina de Costura praticamente desistiu de tentar.

O Rubro-Negro fez o terceiro gol aos oito minutos. Mais um de Marcos Aurélio. O camisa 10 recebeu fora da área e bateu bonito, no canto esquerdo alto do goleiro Jaílson. E, com isso, matou o adversário. Sérgio Guedes fez mudanças. Colocou Sandrinho e Matheus Lima, que não entrou bem. Aos 41 minutos, Fábio Bahia fez ótima jogada pelo meio e deixou Reinaldo na cara do gol. O lateral-esquerdo teve calma para deslocar o goleiro e marcar seu segundo gol nesta série. Eram os números finais da partida.

Ficha do jogo

SPORT
Magrão; Cicinho, Gabriel, Maurício e Reinaldo; Tobi, Rithely (Fábio Bahia) e Lucas Lima (Matheus Lima); Felipe Azevedo, Marcos Aurélio (Sandrinho) e Felipe Menezes. Técnico: Sérgio Guedes

YPIRANGA
Jaílson; Carlão (Jonathas), Egon e Hugo; Diogo (Vavá), Jeferson Piauí, Dácio, Danilo e Marcinho (Alex Toritama); Beto e Danúbio. Técnico: Edson Miolo

Local: Estádio da Ilha do Retiro (Recife); Horário: 16h; Árbitro: Tiago Nascimento; Assistentes: Wlademir Lins e Charles Rosas; Cartões amarelos: Carlão, Jefferson Piauí (Y); Lucas Lima, Rithely (S); Cartão vermelho: Beto (Y) Gols: Marcos Aurélio (1 do 1ºT e 8 do 2ºT), Felipe Menezes (4 do 1ºT) e Reinaldo (41 do 2ºT) pelo Sport; Danúbio (29 do 1T) e Danilo (35 do 1T), pelo Ypiranga

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.