ABC 1×1 Santa Cruz

Santa Cruz e ABC mantêm seus tabus com empate

Autor: Wladmir Paulino

Todos os ingredientes que fazem um jogo de futebol nunca deixar o torcedor com a pressão 12 por 8 estiveram presentes em ABC 1×1 Santa Cruz, na Arena das Dunas, em Natal, pela 23ª rodada da Série B. O Santa deu campo para o adversário na maior parte do jogo, mas na reta final teve as oportunidades mais claras. Chegou ao cúmulo do desperdício ao mandar um pênalti nas mãos de Gilvan. E os tabus foram mantidos: o ABC não ganha em casa e o Santa há tempos não ganha fora.

Fortes emoções logo de início. No primeiro minuto, Grafite saiu da área para cruzar para Luisinho. Ele chutou em cima do marcador. Era clara a intenção do Santa em dar um susto no ABC e encarnar no fantasma do visitante ingrato. Só que o susto fez o time da casa ir à frente usando sua única arma: a bola aérea. Numa delas, o zagueiro Alemão subiu para tirar com a cabeça mas como o braço esquerdo estava levantado foi ele a tocar na bola. O árbitro não percebeu, os jogadores do ABC fizeram um escândalo mas foi inútil. Segue o jogo.

A segunda tentativa foi numa cobrança de falta. Tiago Cardoso defendeu no reflexo e Rafael Miranda tentou uma segunda vez. A bola ia entrando mas Vítor estava a postos, em cima da linha para afastar o perigo. Eram 15 minutos e aí terminou o primeiro bloco do ABC. O do Santa abriria com um chute de Moradei de longe que foi para fora. E terminaria com o mesmo jogador, aos 24. Luisinho fez jogada como os antigos pontas-direitas: foi à linha de fundo e cruzou. Gilvan deu rebote para a frente de sua área e lá vinha Moradei com o pé ‘cheio’. Só deu para ver a bola estufando a rede.

Em vez de manter-se no comando para desestabilizar o time da casa, o Santa permitiu um novo período dominante do rival. E sempre na bola longa para Edno ou Rafael Oliveira se virarem. Na primeira vez que tentou por baixo deu certo. Fábio Bahia fez um lançamento rasteiro e Rafael Oliveira entrou pelo lado esquerdo da área. Chutou na saída de Tiago Cardoso para deixar tudo igual. Com o domínio pendendo para um e outro lado o 1×1 da primeira etapa terminou sendo justo.

Ninguém mexeu na volta para o segundo tempo. Por isso o Santa não tinha motivo para ser tão lento na saída de bola. O posicionamento todo no campo defensivo seria aceitável se houvesse velocidade no contra-ataque, o que era esperado para um time com Luisinho e Renatinho, além de um armador como João Paulo. Mas nada. Como a bola voltava muito rápido, o ABC tomou conta da partida, alçando bolas de um lado para o outro ou tentando infiltrações pelo meio quando Fábio Bahia fazia o papel de meia – melhor que os meias de origem, diga-se de passagem.

Felizmente para os corais muita gente apareceu para salvar os pernambucanos, até mesmo o próprio adversário, acreditem. Logo aos dois minutos Vítor esticou o pé salvador para bloquear a finalização de Bismarck dentro da área. Aos cinco, Fábio Bahia recebeu livre e chutou. A bola já passava do alcance de Tiago Cardoso, só que Rafael Oliveira dava uma passada pela frente do gol e terminou dando uma de zagueiro. O troco do Santa demorou e só veio aos 30 minutos. Grafite entrou na área e foi derrubado por Marcílio. E o árbitro aproveitou para dar seu troco ao não marcar o segundo pênalti no jogo.

O Tricolor só ia ao ataque de forma esporádica. E na segunda, novamente com Grafite, o goleiro Gilvan dividiu com o atacante atropelando a bola e o próprio jogador tricolor. Pênalti e dessa vez marcado. Anderson Aquino foi para a cobrança e Gilvan defendeu. No rebote, Grafite encheu o pé e chutou o vento.

Ficha do jogo:

ABC: Gilvan; Ednei, Adriano, Sueliton e Marcílio; Fábio Bahia (Jefferson Paulista), Rafael Miranda, Wellington Bruno e Bismarck (Rafinha); Rafael Oliveira e Edno. Técnico: Hélio dos Anjos.

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Vítor (João Carlos), Danny Morais, Alemão e Marlon (Diego Sacoman); Wellington Cézar, Moradei, João Paulo e Renatinho (Anderson Aquino); Luisinho e Grafite.  Técnico: Marcelo Martelotte.

Local: Arena das Dunas (Natal-RN). Árbitro: Bráulio da Silva Machado. Assistentes: Neuza Inês Back e Nadine Schramm. Gols: Moradei, aos 24 do primeiro tempo.  Cartões amarelos: Fábio Bahia, Moradei, Gilvan, Cleyton e Alemão.