América 0x0 Santa Cruz

Santa volta a jogar mal, é incapaz de vencer o América e se complica no Campeonato Estadual

 João de Andrade Neto /Superesportes

Após contar com a ineficiência dos adversários para se classificar às semifinais da Copa do Nordeste, o Santa Cruz entrou em campo neste sábado para, com as próprias forças, carimbar a sua vaga nas semifinais do Campeonato Pernambucano. Afinal, bastava vencer o frágil América. Porém, no primeiro jogo sem o técnico Marcelo Martellote, os corais voltaram a apresentar um futebol indefensável. Incapaz de vencer uma equipe que havia sofrido 15 gols nos últimos quatros jogos, sendo nove nos últimos dois (contra Náutico e Sport).Como castigo, o empate por 0 a 0, na Ilha do Retiro complica a vida tricolor.

Na última rodada do hexagonal, o Santa terá que ao menos empatar com o Sport, no Arruda, se não quiser voltar a depender da sorte. Isso porque, uma derrota no clássico e uma vitória do América diante do Central, em Caruaru, classifica os esmeraldinos e elimina o atual campeão estadual.

A atuação do Santa Cruz no primeiro tempo foi lamentável. Contra um adversário raçudo, mas de uma limitação técnica constrangedora, o time coral não teve uma competência mínima para ao menos pressionar o time esmeraldino. Em toda a primeira, foram apenas duas chances de gol. Ambas parecidas e desperdiçadas de forma incrível pelo atacante Grafite, dentro da pequena área.

Fora isso, o tricolor se limitou a rodar a bola de um lado para o outro do campo, sem conseguir uma jogada pelo meio. Abusando de erros de passe. Muitos deles, primários. O que facilitava a vida do América, que se defendia com os 11 jogadores do meio de campo para trás. Quantidade que definitivamente não era sinônimo de qualidade.

Rafael Martins/Esp.DP
O time coral não teve uma competência mínima para ao menos pressionar o time esmeraldino

E para deixar a apresentação ainda mais vergonhosa, o América, que jogava por uma bola, teve as três últimas oportunidades de abrir o placar. A melhor delas, com o zagueiro Márcio cobrando falta.

A ausência de futebol da equipe fez a pequena torcida presente à Ilha do Retiro nem esperar o término do primeiro tempo para criticar a equipe. Aos 40 minutos, surgiram as primeiras vaias. Intensificadas, de forma justa, ao apito final, acompanhadas dos pedidos de “raça”.

Talvez o único que não tenha ficado insatisfeito com o rendimento coral foi o técnico interino Adriano Félix, que não fez nenhuma alteração para o segundo tempo. E antes do primeiro minutos, por pouco não foi punido. Tiago Cardoso foi obrigado a fazer uma grande defesa, em finalização de Odair Silva, livre dentro da área.

O lance assustou os corais. Mostrando ao menos mais velocidade para atacar, o Santa passou a criar oportunidades. O problema da vez era nas finalizações. Até os 17 minutos, foram quatro boas oportunidades, desperdiçadas por Alemão, Grafite e Wallyson (duas vezes). Porém, o tricolor seguia carente de jogadas de criação pelo meio.

Só aos 18 minutos, Adriano mexeu na equipe. Sem o América ameaçar, o técnico interino sacou o volante Wellington para a entrada do meia Daniel Costa, recuando João Paulo e deixando Ullian Correia como primeiro homem à frente da zaga.

O time melhorou e passou a pressionar. Desperdiçando duas chances incríveis. A primeira após bate-rebate dentro da área, sem ninguém conseguir colocar a bola para dentro e em duas finalizações em sequência e um excelente defesa de Delone em finalização de Raniel, que havia acabado de entrar. Faltou competência. O novo treinador terá muito trabalho pela frente.

Ficha do jogo

América
Delone; Ricardinho (Dentinho), Yuri, Paulo Márcio e João Victor; Danilo, Danyel, Nunes (Gaibu) e Thiago Laranjeira; Odair Silva e Carlinhos Bala (Victor). Técnico: Paulo Júnior.

Santa Cruz
Tiago Cardoso; Vítor, Alemão, Leonardo e Allan Vieira; Wellington, Uillian Correia e João Paulo; Wallyson (Leandrinho), Keno (Raniel) e Grafite. Técnico: Adriano Félix (interino).

Local: Ilha do Retiro. Árbitro: Émerson Sobral. Assistentes: Elan Vieira e Francisco Chaves. Cartões amarelos: Wellington, Uilliam Correia (SC), João Victor e Odair (A)