Aparecidense-GO 2×0 Spor-PE

“Misto-frio” do Sport não segura a Aparecidense: 2×0

Autor: Wladmir Paulino

Everton Felipe perdeu as duas melhores chances de gol. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife.

Os reservas do Sport até que fizeram um primeiro tempo razoável, mas o segundo tempo confuso e sem criatividade foi suficiente para a Aparecidense forçar seu jogo aéreo e chegar à vitória. Com o prejuízo de 2×0 os leoninos precisam vencer por três gols de diferença no jogo da volta, no próximo dia 27, para avançar a segunda fase da Copa do Brasil.

» Objetivo foi cumprido, diz auxiliar

Se levarmos em consideração o que a diretoria havia planejado, foi dado um grande passo para o cumprimento da meta, que era desprezar a Copa do Brasil e focar a disputa na Sul-Americana.

O 3-5-2 armado pelo técnico interino Thiago Gomes remontou às origens dessa forma de jogar: com os laterais realmente posicionados na linha de meio de campo e tentando pressionar a saída de bola do adversário. O que faltou para essa pressão alta ser exercida à risca foi a falta dos atacantes de ofício. Como os jogadores mais adiantados – Everton Felipe e Fábio voltavam com frequência para ocupar o espaço ‘original’: ambos são meio-campistas.

Ainda assim, foi o time visitante a construir as melhores jogadas em lampejos de inspiração: Luís Gustavo e Everton Felipe, duas vezes, poderiam ter aberto o placar. As duas últimas em jogadas rápidas pelo lado esquerdo. A Aparecidense teve seus momentos de mais tempo no campo de ataque, mas usou muito a bola aérea.

Na volta para o segundo tempo o Leão voltou com Juninho no lugar de Everton Felipe. A dificuldade de transição ofensiva aumentou pois o novato posicionou-se mais recuado que seu antecessor. Quem ainda tentava levar o time à frente era o meia Clayton, bem à vontade na função que hoje cabe a Diego Souza. Faltava um apoio maior dos volantes, pois Thalysson guardou mais a posição e Neto Moura estava com dificuldade em acertar passes.

Os donos da casa mantiveram o mesmo tom e de tanto levantar a bola chegaram ao gol aos 16 minutos. Numa bola levantada, Evandro não cortou e Robert dominou dentro da área, passou por Luís Gustavo e bateu rasteiro, no canto direito. No prejuízo, Thiago desfez o 3-5-2 com a entrada de Bala no posto de Adryelson. A maior posse de bola foi mais produto do recuo da Aparecidense do que da mudança do Sport. Mesmo assim, não traduziu-se em mais finalizações.

Ficha do jogo:

Aparecidense: Busatto; Clayton Sales, Anderson Santos, Filipe e Chiquinho; Jeferson, Geovane (Mateus Magro), Washington e Jarllan (Rychely); Robert e Careca (Dinei). Técnico: Márcio Goiano.

Sport: Luiz Carlos; Adryelson (Bala), Ewerton Páscoa e Luís Gustavo; Maicon, Thalysson, Neto Moura, Clayton e Evandro; Everton Felipe (Juninho) e Fábio (James Dean). Técnico: Thiago Gomes (interino).

Local: Estádio Aníbal Batista de Toledo, em Aparecida de Goiânia (GO).Árbitros: Emerson de Almeida Ferreira (MG). Assistentes: Breno Rodrigues e Wesley Moreira de Carvalho (ambos de MG). Gols: Robert, aos 16; e Filipe, aos 44 do segundo tempo. Cartões amarelos: Jeferson, Ewerton Páscoa, Neto Moura, Fábio e Maicon.