Argélia

Desde que existe a fase oitavas de final, Alemanha sempre se classificou

A fase oitavas de final, como conhecemos hoje, existe desde a Copa de 1986. Desde então, a Alemanha sempre esteve nessa fase e sempre se classificou, sendo a única a alcançar esse feito.

Quem chegou mais perto dos alemães foram os brasileiros, que chegou a todas as oitavas de final, mas não se classificou às quartas em 1990.

A Alemanha começou esse bom desempenho em 1986, quando venceu o Marrocos por 1 x 0. O jogo, no entanto, foi sofrido, e a classificação só veio com um gol de Matthäus aos 42 da segunda etapa.

Em 1990, um clássico europeu esteve no caminho da Alemanha, mas o jogo foi relativamente mais fácil, com vitória por 2 x 1, mas com o gol holandês saindo apenas no fim do jogo, com um pênalti. Na Copa seguinte, os germânicos enfrentaram a Bélgica e também não tiveram muita dificuldade. O time abriu 3 x 0, mas acabou sofrendo dois gols no fim, que não mudaram o resultado.

Em 1998, a Alemanha voltou a decidir no fim do jogo. Contra o México, o jogo estava empatado até os 41 minutos da segunda etapa, quando Oliver Bierhoff decidiu o jogo para a Alemanha.

Já em 2002, novamente contra um adversário não-europeu, os alemães voltaram a sofrer e decidir apenas no fim da partida. Neuville, aos 43 minutos da segunda etapa, definiu a classificação alemã para as quartas de final. Em 2006, jogando em casa, o time da Alemanha passou pela Suécia com certa facilidade, vencendo os rivais europeus por 2 x 0.

Na última Copa, em 2010, os alemães tiveram seu melhor desempenho nas oitavas. Após enfrentar novo rival europeu, a Alemanha classificou-se com goleada: 4 x 1 sobre a Inglaterra.

Alemanha nas oitavas de final
Data Jogo Local Copa
17/06/1986 Marrocos 0 x 1 Alemanha Ocidental Universitário (Monterrey-MEX) 1986
24/06/1990 Alemanha 2 x 1 Holanda Giuseppe Meazza (Milão-ITA) 1990
02/07/1994 Alemanha 3 x 2 Bélgica Soldier Field (Chicago-EUA) 1994
29/06/1998 Alemanha 2 x 1 México Stade de la Mosson (Montpellier-FRA) 1998
15/06/2002 Alemanha 1 x 0 Paraguai Jeju World Cup Stadium (Seogwipo-COR) 2002
24/06/2006 Alemanha 2 x 0 Suécia Allianz Arena (Munique-ALE) 2006
27/06/2010 Alemanha 4 x 1 Inglaterra Free Stade (Bloemfontein-AFS) 2010
 

 

Fonte: PLACAR

Candidata a surpresa, Bélgica enfrenta uma Argélia disposta a ser 'zebra' da Copa do Mundo

Vicente Ribeiro /Superesportes

O Mineirão recebe, nesta terça-feira, o segundo jogo pela Copa do Mundo de 2014. Bélgica e Argélia se enfrentam, às 13h, pelo Grupo H, na expectativa de uma boa participação na competição. Se os belgas têm como objetivo confirmar as previsões de que poderá surpreender por causa do bom número de talentos, os argelinos esperam ser a ‘zebra’ do Mundial no Brasil.

No jogo de estreia na Copa do Mundo, na goleada da Colômbia contra a Grécia por 3 a 0, no último sábado, o Mineirão debutou na mais importante competição do futebol em grande estilo. Foram mais de 57 mil presentes, a maioria absoluta de colombianos, que coloriram de amarelo as cadeiras do estádio. Agora, a expectativa é de uma presença menor de visitantes, mas com a mesma vibração e entusiasmo dentro e fora do Gigante da Pampulha.

A Bélgica conta com astros em evidência na Europa, como o goleiro Courtois, o zagueiro Kompany, o armador Eden Hazard e o atacante Lukaku. Com um time muito valorizado, os ‘Diabos Vermelhos’ esperam não decepcionar no retorno à Copa do Mundo, depois de uma ausência de 12 anos – a última participação foi na Coréia do Sul e no Japão, em 2002, quando a seleção chegou às oitavas de final e foi eliminada pelo Brasil.

A Argélia, por sua vez, participará da quarta Copa do Mundo, depois de atuar em 1982, na Espanha, 1986, no México, e 2010, na África do Sul. O time comandado pelo bósnio Vahid Halilhodzic também conta com alguns jogadores com experiência no futebol europeu, como o atacante Feghouli, do Valencia, da Espanha, o zagueiro Medjani, do Valenciennes, da França, o também defensor Mesbah, do Livorno, da Itália, e outros.

O técnico belga, Marc Wilmots, presente no jogo da eliminação diante do Brasil em 2002, minimiza a expectativa em torno da participação da seleção no Mundial no Brasil. Ele reconhece que o time conta com grandes talentos, mas disse que o fundamental é o jogo coletivo. O comandante também desconsidera as apostas de que a equipe poderá ao menos repetir a campanha alcançada em 1986,no México, quando chegou em quarto lugar.

”Em 1986 foi uma questão de momento. Tudo é uma análise, tivemos o mérito naquela Copa, mas o passado é passado. Peço para que todos esqueçam o passado e espero que os jogadores escrevam uma bela história. Nós somos fortes juntos”, pregou o treinador, defendendo o espírito de grupo e a união.

O comandante belga prevê uma partida pesada diante de um adversário de uma escola que prioriza muito a parte física. “A gente já analisou o adversário, vimos que eles jogam duro e estão preparados fisicamente. Eles têm elementos para nos combater, mas sabemos o que não podemos fazer para ter um resultado bom”, frisou Marc Wilmots.

Respeito e confiança

Do lado africano, o técnico Vahid Halilhodzic admitiu o poderio e o favoritismo belga. Mas procura passar confiança para os jogadores para uma boa estreia no Mineirão. Ele considera o seu time um ‘franco-atirador’ e imune a qualquer tipo de pressão. “Nos preparamos há muito tempo para a Copa e foi tudo muito bem feito, não temos problemas graves de lesão. Os jogadores se esforçaram muito e estão prontos para uma boa estreia”, enfatizou.

”Não estamos sob pressão, pois não temos nada a perder e sim a ganhar alguma coisa. Em uma Copa, é preciso dar tudo para não haver arrependimento. A Bélgica é a favorita do grupo, mas eles terão que fazer tudo para nos vencer. Os favoritos não ganham sempre”, declarou o comandante. “A Bélgica é um grande desafio, mas estamos conscientes de que tudo é possível no futebol. As equipes que entram relaxadas levam um grande golpe, pois a Copa é uma competição exigente. Não podemos sucumbir à pressão ou dificuldade”, acrescentou.

BÉLGICA X ARGÉLIA

BÉLGICA
Courtois; Alderweireld, Kompany, Vermaelen e Vertonghen; Witsel, Defour, De Bruyne (Chadli), Fellaini e Hazard; Lukaku
Técnico: Marc Wilmots

ARGÉLIA
Zemmamouche; Mandi, Medjani, Bougherra e Ghoulam; Lacen, Mostefa, Feghouli, Yebda (Taider) e Brahimi; Slimani (Soudani)
Técnico: Vahid Halilhodzic

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 17 de junho de 2014, terça-feira
Horário: 13 horas (de Brasília)
Árbitro: Marco Rodríguez (México)
Assistentes: Marvin Torrentera e Marcos Quintero (ambos do México)