Avai 0x2 Náutico

Defesa do Náutico garante vitória por 2×0 sobre o Avaí

 João de Andrade Neto /Superesportes

Mesmo ainda distante do G4, o torcedor do Náutico se negava a jogar a toalha na luta pelo acesso à Série A. Mas para que essa esperança fosse alimentada, vencer o Avaí, fora de casa, era fundamental. E com uma atuação segura do sistema defensivo e inteligente na parte ofensiva, encarando o rival com autoridade, os alvirrubros conseguiram uma merecida vitória por 2 a 0, neste sábado, no Estádio da Ressacada. Com o resultado, os pernambucanos assumem a 7ª posição, com 41 pontos e diminuem a diferença para a zona de classificação para seis pontos. No entanto, essa margem pode aumentar para sete a depender do jogo entre Joinville e América-RN, em Natal. O Vasco é o 3º, com 48.

Agora, o Náutico se prepara para dois jogos seguidos na Arena Pernambuco, contra América-MG, terça-feira, e ABC, sábado. Duas vitórias podem mudar o cenário alvirrubro.

Atuando mais uma vez com três atacantes (formação em que a equipe se comporta melhor com o técnico Dado Cavalcante), o Náutico começou a partida se impondo e encarando o Avaí sem medo. Ciente de que só a vitória serviria para manter vivo o sonho do acesso. O cartão de visita foi dado por Sassá, logo aos quatro minutos, chutando de primeira com perigo e a bola desviando na defesa. Ao mesmo tempo, o Náutico conseguia impor uma boa marcação ao time catarinense. Tanto que o goleiro Júlio César pouco participava da partida.

Melhor em campo, o Timbu abriu o placar em um lance confuso, mas legal. Após cobrança de escanteio, William Alves cabeceou na pequena área para defesa à queima-roupa do goleiro Vágner. No rebote, a zaga catarinense não cortou e após enorme bate-rebate, Tadeu tentou duas vezes antes de conseguir colocar a bola para dentro do gol.

O cenário favorável ao Náutico sem manteve até os 30 minutos, quando, a equipe catarinense conseguiu empurrar os pernambucanos para o seu campo de defesa. Até o apito final da primeira etapa, foram pelo menos quatro boas chances de empatar a partida. A melhor delas, aos 38 minutos, com o zagueiro Pablo subindo com liberdade e cabeceando para fora.

O segundo tempo começou em ritmo acelerado. Mas com o Náutico retomando a postura do ínicio do jogo, encarando o Avaí de frente e buscando o gol. E só não conseguiu ampliar por conta de um lance inacreditável aos quatro minutos. Após boa jogada individual, Vinícius entregou de bandeja para Paulinho, livre na pequena área. O volante, no entanto, mandou para fora desperdiçando uma oportunidade incrível.

O lance, no entanto, não abateu os alvirrubros, que seguiram com boa postura em campo, tendo em Vinícius o seu principal articulador ofensivo. Já defensivamente, a dupla William Alves e Renato Chaves mostravam segurança. E com o time pernambucano bem articulado, os donos da casa pouco ameaçavam.

Aos 42, finalmente o gol que carimbou a merecida vitória alvirrubra. Raí cruzou da esquerda e Bruno Furlan, que havia substituído Sassá, cabeceou forte. O goleiro Vágner ainda tentou defender, mas não conseguiu impedir que a bola entrasse. Nos minutos finais, com tranquilidade, os timbus apenas administraram o placar. O pulso alvirrubro ainda pulsa pelo acesso.