Central 1×2 Santa cruz

Santa Cruz encerra o jejum com vitória sobre o Central

Guilherme Biteco abriu o caminho para a vitória do Santa. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem – Autor: Wladmir Paulino

Acabou a zica. O Santa Cruz melhorou seu jogo coletivo e conseguiu a primeira vitória no Campeonato Pernambucano ao bater o Central por 2×1 no Luiz Lacerda, na noite desta quarta-feira (18), pela terceira rodada do hexagonal do título. O triunfo quebra uma sequência de duas derrotas seguidas por 3×0 mas o time continua fora da zona de classificação para as semifinais. Tem três pontos e ocupa a quinta posição.

Apesar de o jogo ter característica de decisão para o Santa Cruz, o time da Capital não se mostrou afobado. Ninguém corria mais que a bola nem arriscava finalização do meio da rua. Até aí tudo bem se o meio de campo coral tivesse mais mobilidade, pois a Patativa apertou muito a marcação perto do círculo central. Foi sintomática a primeira investida perigosa dos tricolores, aos 14 minutos. Bileu apareceu como elemento surpresa e acertou um belo chute no ângulo. Beto defendeu.

A marcação dura do Central anulava a transição ofensiva do Santa mas na hora de criar, o time da casa também cometia suas falhas, principalmente no passe final. Nesse jogo limitado de um lado e de outro, o primeiro a acertar uma triangulação marcou. E foi o Santa, aos 16 minutos. Renatinho encontrou Betinho de costas para o gol. Ele fez bem o pivô e serviu Biteco. O chute seco foi no canto esquerdo, sem chance de defesa.

Curiosamente, os alvinegros, que trocaram o branco pelo cinza no terceiro uniforme utilizado neste jogo, também acertaram o passe final pela primeira vez um pouco depois. Precisamente três minutos. Fabinho cruzou do bico da área e Candinho apareceu entre Alemão e Danny Morais para cabecear para baixo, como manda o figurino: 1×1. Os dois times equilibraram-se na posse de bola, mas os corais foram mais objetivos, principalmente quando a bola chegava aos pés de Emerson Santos, o jogador que deu mais trabalho ao goleiro.

Na volta para o segundo tempo o técnico Ricardinho arriscou. Tirou o apagado Moisés para colocar mais um atacante, Waldison. Essa alteração também provocou mudança no meio de campo, pois Bileu passou a fazer a lateral direita. Se não ganhou em volume pelo setor, ao menos o Central encontrou menos espaço para atacar por ali.

Waldison ocupou o lado esquerdo e iniciou a jogada do segundo gol, aos 15 minutos. Ele cruzou para Betinho, que ajeitou para João Paulo chutar forte, no canto alto esquerdo de Beto e deixar os corais novamente à frente. O panorama mudou com os dois times usando mais as bolas longas. O Santa para aproveitar os espaços deixados pelo adversário e o Central para tentar chegar ao gol mais rápido. Para tanto, o técnico Laelson Lima acionou o atacante Fabiano, de 1,88m, mas a melhor chance ficou com o zagueiro André Lima, aos 32. Ele subiu livre de marcação e cabeceou para fora na falta cobrada por Candinho.

A equipe visitante levou mais perigo e se tivesse ampliado o marcador nos dez minutos finais não seria injusto com a Patativa. Biteco e Raniel tiveram grandes oportunidades em contra-ataques. O primeiro parou nas mãos de Beto. O segundo foi prensado na hora do chute depois de passar por dois marcadores.

IMOBILIDADE
O meio de campo do Santa Cruz ainda se mexe pouco e, por isso, é fácil de ser marcado. Tanto volantes como meias de criação não fazem inversão de posições, o que limita a participação dos atletas e beneficia os adversários.

O GARÇOM
Betinho teve poucas chances de finalizar mas quando deu as costas para o gol foi letal. No primeiro tempo fez o pivô para Biteco abrir o placar e no segundo repetiu a dose fazendo cortesia para João Paulo.

OS IMPEDIDOS
Se o Santa ainda precisa de mais mobilidade, o problema do Central é o posicionamento de seu setor ofensivo. Foram nada menos que oito impedimentos da Patativa. O atacante Candinho, autor do gol alvinegro, foi pego na banheira três vezes antes de marcar seu gol.

Ficha do jogo:

Central: Beto; Fabinho (Jé), André Lima, Sinval e Éverton; Jucemar, Fernando Pires, Jaílton e Luiz Fernando (Fabiano); Candinho (Madona) e Juninho Silva. Técnico: Laelson Lima.

Santa Cruz: Bruno; Moisés (Waldison), Alemão, Danny Morais, Renatinho; Bileu, Edson Sitta, João Paulo, Guilherme Biteco; Betinho (Wellington César) e Emerson Santos (Raniel). Técnico: Ricardinho.

Local: Estádio Luiz Lacerda (Caruaru). Árbitro: Emerson Sobral. Assistentes: Wlademir de Souza Lins e Bruno Cesar Chaves Vieira. Gols: Guilherme Biteco, aos 16; Candinho aos 19 do primeiro. João Paulo, aos 15 do segundo tempo. Cartões amarelos: Sinval, Everton e Edson Sitta.