Cidades

Pesquisão UOL: Cidades-Sede da Copa vão de 'Paraíso' a 'Inferno'

Do UOL, em São Paulo

Muitos jornalistas que vieram ao Brasil para cobrir a Copa do Mundo 2014 estavam contentes simplesmente por estarem no Brasil, até porque o país era um destino turístico muito desejado por vários. Em pesquisa realizada pelo UOL Esporte 117 profissionais estrangeiros, de todos os continentes, foi comum ouvir que Copa e Brasil combinam, que faltava ao mundo uma nova Copa no país.

No geral, os profissionais consultados gostaram das 12 cidades-sede por onde passaram, mas aprontaram problemas estruturais, de segurança e infraestrutura já conhecidos pelos brasileiros e que ficaram evidentes também para eles. E as opiniões oscilaram entre “paisagens paradisíacas” a “trânsito infernal”. As cidades-sedes agradaram por estarem enfeitadas e coloridas, pela hospitalidade, pela população empolgada com a Copa, por terem boas estradas que as interligam. No geral, também elogiaram os taxistas que foram “corretos”, a paisagem e as “lindas praias” das cidades litorâneas.

Mas as reclamações foram muitas, a maioria delas relacionadas ao trânsito, transporte público ruim, limpeza urbana e ao sentimento de insegurança fora dos ambientes Fifa. Além disso, muitos reclamaram dos altos preços de tudo, com mais frequência da comida e dos táxis, das poucas opções de voos nos aeroportos das cidades-sede citando “conexões confusas” e ainda das pessoas não falarem um segundo idioma.

Veja como os entrevistados avaliaram cada uma das cidades-sedes da Copa:

Belo Horizonte

Os jornalistas estrangeiros gostaram muito dos mineiros e da vida noturna de Belo Horizonte. Elogiaram os bons restaurantes e a comida da cidade, além dos transportes. E avaliaram que a capital de Minas é uma cidade “muito simpática e acolhedora”.

Reclamaram, no entanto, do horário de fechamento dos restaurantes, acham que fecham muito cedo, e que os mineiros deveriam falar outro idioma para se comunicarem melhor com os estrangeiros. Os jornalistas também apontaram os altos preços, o trânsito ruim, a falta de informações turísticas e a truculência da polícia como problemas que encontraram na cidade.

Brasília

Os estrangeiros demoraram em entender Brasília e seu planejamento em setores e quadras. Mas nem por isso deixaram de se fascinar pela arquitetura da capital do Brasil. Os jornalistas consultados pelo UOL avaliaram que a “arquitetura única” de Brasília é o que mais impressiona. Além disso, elogiaram a organização da cidade, a segurança e o aeroporto.

Por outro lado, reclamaram da falta de transportes públicos, dos altos preços e a maioria deles apontou que a cidade é muito descentralizada e, por isso, parece que está sempre “vazia e sem graça”, sem opções de diversão e sem clima de Copa do Mundo.

Cuiabá

Pessoas dispostas a ajudar e com grande envolvimento com o futebol foi o que chamou a atenção dos entrevistados na cidade de Cuiabá. Além disso, classificaram a capital do Mato Grosso como “pequena e organizada”.

Mas o calor assustou os estrangeiros e muitos reclamaram da temperatura e da umidade, e também do trânsito ruim, dos altos preços, de sensação de insegurança e do entorno do estádio, que não está terminado.

Curitiba

Na capital do Paraná, os jornalistas estrangeiros elogiaram os transportes e a organização. Citaram que é uma cidade limpa, segura e com pessoas amáveis.

Mas não encontraram clima de Copa do Mundo em Curitiba. Muitos disseram que a população não estava feliz com a Copa, que não houve festas. Que o centro da cidade não tem movimento e que faltam opções para turismo.

Fortaleza

A paisagem e as praias de Fortaleza conquistaram a mídia estrangeira. Os entrevistados pelo UOL elogiaram as “praias lindas e ensolaradas”, boa infraestrutura, a alegria e amabilidade das pessoas e a segurança na área dos hotéis e nas áreas Fifa.

As principais reclamações dos jornalistas foram: população não fala outro idioma, o trânsito ruim, os altos preços, o calor, falta de opções de restaurantes, sujeira nas ruas e poucas opções de voos.

Manaus

Um dos jornalistas entrevistados pelo UOL disse que o que se pensa no exterior é que o Amazonas é uma grande selva. Ele disse que o que mais gostou em Manaus foi descobrir que havia uma cidade bem estruturada no meio da selva. Os pesquisados elogiaram Manaus também pela segurança, o clima de Copa entre seus moradores e, claro, pela beleza da natureza. Eles citaram “a floresta fantástica” e os “rios grandiosos” como destaques.

Ainda assim, o calor úmido da capital do Amazonas desagradou os jornalistas. Eles também reclamaram do trânsito ruim, da dificuldade de se comunicar com as pessoas (que não falam outro idioma), dos transportes e de “taxistas que enganam turistas”.

Natal

Em Natal, o que chamou a atenção dos jornalistas estrangeiros foi a paisagem, as praias com dunas, a cor do mar, bons restaurantes e pessoas amáveis e dispostas a ajudar.

Mas a chuva que atingiu a capital potiguar durante os jogos da Copa – e até mesmo colocou Natal em estado de calamidade pública – atrapalhou também a imprensa. Os jornalistas consultados pelo UOL apontaram a chuva como um dos problemas da cidade e também o calor. Além disso, reclamaram também da insegurança, da falta de sinalização do trânsito, dos altos preços e da conexão ruim à internet.

Porto Alegre

A cidade sediou cinco partidas da Copa e ficou entre as preferidas dos entrevistados pela “animação das pessoas”, o apoio da população à Copa do mundo, a paisagem do Rio Guaíba e o clima ameno nos dias de jogo.

O transporte, no entanto, não agradou. Nem os congestionamentos que os jornalistas enfrentaram para chegar ao Beira-Rio. O bloqueio feito pela Brigada Militar na região do estádio também foi considerado muito longe, o que dificultou a chegada com equipamentos de trabalho. O entorno não terminado também foi alvo de críticas.

Recife

Recife foi avaliada pelos inquiridos na pesquisa como uma cidade bem policiada e que recebe bem os turistas. Além disso, os jornalistas elogiaram a amabilidade das pessoas e a beleza da cidade, além da conexão de internet.

Por outro lado, reclamaram muito da localização da Arena Pernambuco, que fica afastada de Recife, e da pobreza da cidade, da sujeira nas ruas e da falta de sinalização. Além disso, citaram que há poucas opções de voos desde a capital de Pernambuco.

Rio de Janeiro

A cidade cartão-postal do Brasil impressionou os jornalistas estrangeiros que a visitaram pela primeira vez. No Rio de Janeiro, os entrevistados elogiaram principalmente a “beleza única”, a paisagem, a boa vida noturna e a “grande diversão” que a cidade proporciona. Alguns falavam que a beleza do Rio é “inacreditável” e que a cidade é “paradisíaca”. Eles elogiaram também o clima de Copa do Rio, os hotéis e a hospitalidade, além do bom acesso ao estádio do Maracanã.

Mas os problemas do Rio não ficaram escondidos atrás da beleza. Os entrevistados reclamaram do carioca, afirmando que alguns deles tentam se aproveitar do turista. E apontaram outras muitas falhas da cidade maravilhosa: táxis muito caros e que enrolam o turista, sensação de insegurança, transporte ruim, sujeira nas ruas, desigualdade social e serviços deficientes. Reclamaram ainda do aeroporto Tom Jobim, que classificaram “muito longe e confuso”.

Salvador

A capital baiana também encantou pela beleza e história. Os inquiridos pela pesquisa gostaram do clima da cidade, das praias paradisíacas, da história, da animação e do baiano, segundo eles, “muito gente boa”.

Mas também apontaram problemas como desorganização, insegurança, sujeira nas ruas, táxis ruins e caros. E disseram ainda que o excessivo assédio de pedintes e vendedores nos pontos famosos da cidade intimida o turista.

São Paulo

São Paulo impressionou pela grandiosidade. Muitos jornalistas não sabiam que havia uma cidade deste porte no Brasil. Eles apontaram como características positivas: a organização, policiamento, o funcionamento do aeroporto, serviços bem prestados, pessoas educadas e prestativas e ótimas comidas e opções de restaurante.

O trânsito foi a reclamação mais frequente dos que participaram da pesquisa, citado por alguns como “pesadelo” e “infernal”. Além disso, a pobreza nas ruas, a falta de limpeza pública, iluminação ruim, clima de insegurança, transporte ruim e o alto preço das coisas. Além disso, reclamaram das obras na Arena do Corinthians, que consideraram “inacabada”.

Veja quem votou:

Inglaterra

Martin Fischer – HBS

Jeff Powell – “Daily Mail”

Peter Staunton – Goal.com

Ben Hayward – Goal.com

Gideon Long – Reuters

Johnatan Mark Lewis – Freelancer – Perform Group

Estados Unidos

Andrew Das – New York Times

Luis Sanches – jornal “El Nuevo Herald”

Richard Adams – Sports Ilustrated (EUA)

Frank Chavez, Revista Centro Deportivo, da Califórnia

Eduard Caiuch – Hoy

Argentina

Emilio Jozami – El Liberal

Carlos Luna – Canal 7

Jeremias Prevosti – La Nacion

Juan Pablo Ferrari – Jornal Hoy

Daniel Ruiz – Repórter freelancer

Sergio Lewinski – Vanguarda

França

Julien Richard – Radio RMC Sport

Johan Maurice – Agência France Presse TV

Thomas Goubin – Sofoot

Lionel Dangoumau – L’Equipe

Alemanha

Christian Ralf Hermentin – Infronts Sport & Media

Holger Schelenz – rádio Baden-Wurttemberg

Raphael Honigstein -Suddeustch Zeitung

Ulrike Weinrich – SID

Maximiliam Haupt – Agência Deutsche Presse

Fabian Henning – ARD/ZDF

Erik Roos – Sport Information Dienst

Elmar Dreher – German Press Agency (DPA)

Christian Ralf Hermentin – Infronts Sport & Media

Suécia

Markus Johannesson – SVT

México

Javier Rojas – Televisa

Marco Antonio Menendez -TV Azteca

Miguel Pardo – Televisa

Enrique Beas – MVS Television

Carlos Herrera – El Economist

Maria Pilar Suárez – Goal.com

China

Lui Ning – Xinhua – Agência de Notícias

Yan Zhao – Xinhua – Agência de Notícias

Xinlu Huang – CCTV

Itália

Jonne Roriz – Foto Arena

Enrico Sisti – La Republica

Gabrielle Marcotti – Corriere Della Sera

Chile

Matías Parker – Jornal La Tercera

Diego Saez – Radio ADN

Victor Cruces – Rádio ADN

Patricio La Barra – Radio Cooperativa

Espanha

Daniel Garcia -Deustche Press

Juan Jose Huerta Conde-Salazar – Agência EFE

German Aranda – diário “El Mundo” e AFP

Juan Bautista Martinez – Jornal La Vanguardia

Alice Lopez -Produtora da SNTV

Pablo San Roman – France Presse

Uruguai

Emilio Villar – Fotógrafo EFE

Juan Gari – El País

Francisco Escordo – Fotógrafo

Grécia

Vassiliki Papahonopoulou – Efimerida ton syntaktan

Costa Rica

Sandoval Pacheco – Rádio Columbia

Cristian Sandoval – Rádio Monumental

Josué Quesada – Rádio Columbia

Guatemala

Carlos Enrique Sagui – Rádio Red Deportiva Guatemala

Costa do Marfim

Oulivier Moussa – National Television

Japão

Hiroshi Hayano – NHK

Daisuke Kono – Diretor da Tokyo TV

Mitsuru Honda – Produtor da TV Asahi

Takashi Yanagisawa – Repórter da Nippon TV

Brasilina Jukio – Coordenadora da TBS TV

Shichino Yoshiaki – Kyodo News

India

Talan Namaskar – jornalista-documentarista independente

Shubfra Mukherjee – Gassashakti

Saumyajit Basu – The Times

Argélia

Temam Kamel – Rádio Algeria

Abdelghani Laieb – Radio Algeria

Mohamed Belarbi – Jornal El Liberté

Nigéria

Coli Udoh – Supersport International TV

Biakpo Timi Edkagboro – Agência Osmi

Escócia

Kieran Canning – France Presse

Matthews Lewis – Getty Images

Andrew Donne – Reuters

Peru

Moises Avila – AFP

Juan Palacios – Peru ATV

Colômbia

Enrique Delgado -Terra (Colômbia)

José Luís Alarcón, RCN Radio (Colômbia)

Juan Pablo Barrientos Hoyos, Apresentador da RCN Radio (Colômbia)

Liliana Salazar, Apresentadora da Win Sports (Colômbia)

Cesar Polonia – El País

Juan Pablo Coronado – Win Sports (Colômbia)

David Sanches – Cinegrafista – Directv/Colômbia

Sara Castro – Radio Caracol

Polônia

Pavel Wilkowicz, polonês – Gazeta Wyborcza

Pawel Kapusta, revista polonesa “Pilka Nozna”

Croácia

Kromac Prnic – TV Kapital Network

Bósnia

Ahmed Radzic – Jornalista independente

Portugal

Manuel Rodrigues – Freelancer

Gustavo Bom – O Jogo

El Salvador

Carlos Lopez Vides – El Diário de Hoy

Suíça

Laurent Ducret – Sportinfrmation

Honduras

Julio Nuñez – Rádio HRN

Jose Luis Barralaga – Diario La pPrensa

Qatar

Ismael Sanchez Cruz – Bein sports

Bassel Tabbal – Bein Sports

Irã

Kaveh Meskat– BBC

Camarões

Simon Lyonga – Cameroon Radio Television

Coreia do Sul

Kim Hyunchul – SBS/MBC

Kim Chong – Ulsam TV

Gana

Michael Oti Adje – All Sports

Egito

Ahmed Zahran – Deursche Presse-Agentur

Holanda

Edwin Cornelissen – Rádio NOS

Turquia

Erdogan Arikan – EBU/TRT

Senegal

Babacar Dit Khalifan Ndiaye – Le Soleil

Bangladesh

Ehson Mohammed – Ekattor TV

Vietnã

Viet Minha Nguyen – Jornal Bond Da

Áustria

Tobias Wimpissinger – Sport Magazin

Indonesia

Latif Syahlevi, Digital Media Asia

Panamá

Juan Eduardo Zamorano – AP