Circuito dos Estados Unidos

Hamilton vence pela segunda vez nos Estados Unidos

Por F1Team

O duelo no Circuito das Américas ficou mesmo entre os dois carros da Mercedes. Com Rosberg largando na ponta, Lewis Hamilton precisou de 24 voltas para superar seu companheiro de equipe e assumir a dianteira no traçado americano. O inglês seguiu assim até receber a quadriculada.

Hamilton vence a segunda no Circuito das Américas

Hamilton vence a segunda no Circuito das Américas

Com o triunfo em Austin, Hamilton somou a quinta vitória seguida na temporada. Dez no total. Líder da competição, ele tem 316 pontos, 24 a mais que o vice-líder, Nico Rosberg.

Mesmo com a vantagem nas mãos, nada ainda está decidido no campeonato e Hamilton sabe muito bem disso. Para assegurar o título, Lewis precisa continuar agressivo na pista, já que a etapa de encerramento – em Abu Dhabi – terá pontuação dobrada.

Quem cruzou a linha de chegada na segunda posição foi Nico Rosberg. Em terceiro veio o carro da Red Bull comandado por Daniel Ricciardo. O brasileiro Felipe Massa terminou a prova na quarta posição.

A corrida:

Chegamos a 17ª etapa da temporada 2014. O circuito de Austin recebe pela terceira vez a principal categoria do automobilismo. Na primeira fila do grid, e fazendo sua nona pole do ano, apareceu Nico Rosberg. O líder do campeonato, Lewis Hamilton alinhava sua Mercedes no P2. Na segunda linha, vinham os dois carros da Williams com Bottas e Massa, terceiro e quarto, respectivamente. Logo atrás aparecia a Red Bull de Daniel Ricciardo e a Ferrari de Alonso.

Com a pista liberada, os carros seguiram para a tradicional volta de apresentação no Circuito das Américas. Aos poucos, os bólidos foram se alinhando à espera da luz verde. Menos Sebastian Vettel, que largou dos boxes. Com ela acionada, Nico largou bem e conseguiu sustentar a ponta. Hamilton se manteve na segunda posição. Outro que largou bem foi o brasileiro Felipe Massa, conseguindo tomar a terceira posição do companheiro de equipe.

Não demorou muito e, ainda na primeira volta, Adrian Sutil e Sergio Pérez se envolveram em uma colisão. Fim de prova para os dois pilotos e entrada do carro de segurança na volta de número dois.

Com o safety car na pista, vários pilotos aproveitaram para entrar nos boxes. Na volta de número quatro o carro de segurança saiu de cena e os pilotos ficaram livre para os duelos.

Com cinco voltas completadas, os dez primeiros eram: Rosberg, Hamilton, Massa, Bottas, Ricciardo, Alonso, Raikkonen, Maldonado, Vergne e Romain Gorsjean.

Mesmo correndo na segunda posição, Hamilton seguia sendo o piloto mais rápido no traçado americano. O inglês já estava pronto para dar o bote em seu companheiro de equipe. A diferença entre os dois eram de 0s6 na volta dez.

Quem fez um bom início de prova foram os carros da Lotus. Com os dois correndo na zona de pontuação, a equipe inglesa poderia finalmente afastar o fantasma do jejum de pontos. A lótus não marcava desde o GP de Mônaco.

Nico sustentava as investidas de Hamilton. Os dois vinham trocando as voltas rápidas. Outro duelo interessante na pista era entre os carros da Williams. Mais veloz, Bottas seguia pressionando Felipe. 0s8 era a distância entre os dois.

Os organizadores da prova aplicaram uma punição de cinco segundos para Vergne, Maldonado e Gutiérrez, que excederam a velocidade permitida enquanto o carro de segurança estava na pista.

Na volta 14, Felipe Massa e Daniel Ricciardo resolveram entrar nos boxes. No retorno, o brasileiro saiu na frente do piloto da RBR. O líder da prova também entrou nos boxes. No giro 17, foi a vez de Hamilton.

Quem também deixou o GP americano prematuramente foi Nico Hulkenberg. O piloto da Force India saiu por problemas mecânicos no carro.

Depois de 20 voltas, o top-10 formava com: Rosberg, Hamilton, Massa, Ricciardo, Bottas, Kvyat, Magnussen, Button, Alonso e Sebastian Vettel.

Hamilton seguia mais rápido que Nico na prova. Mesmo assim, o piloto inglês não conseguia atacar o líder da prova e continuava procurando alternativas para assumir a ponta.

Quem seguia ameaçado era Massa. No giro 23, Ricciardo girava bem mais rápido que o piloto da Williams. Era a busca pelo terceiro lugar no pódio por parte do australiano.

Outro duelo interessante ficou entre Alonso e Button. O espanhol tentava de todas as formas ultrapassar o piloto da McLaren. Depois de muito tentar, só conseguiu vencer o duelo na volta 24.

Na mesma volta, surpreendendo seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton colocou seu carro pra cima do companheiro e, quando Nico percebeu, já era tarde. Hamilton assumia a ponta da prova e colocou 1s de vantagem com certa facilidade.

Alonso fez uma bela ultrapassagem em cima de Magnussen na reta de largada. Agora, o espanhol assumia a sexta posição. Grosjean ultrapassou Button e ficou mais perto da zona de pontuação.

Com 30 voltas, os dez primeiros eram: Hamilton, Rosberg, Massa, Ricciardo, Bottas, Alonso, Maldonado, Raikkonen, Kvyat e Magnussen.

No final da volta 31, Daniel Ricciardo fez sua parada nos boxes. De volta a pista e com os pneus médios, o piloto da RBR acabou obrigando Felipe Massa fazer o mesmo. Apesar do bom pitstop, o piloto brasileiro não conseguiu voltar na frente do australiano, que assumiu a terceira posição.

Faltando 20 voltas para o final da prova, a diferença entre Ricciardo e Massa era de 1s8. O brasileiro ainda teria muita chance de subir no pódio. O melhor resultado de Felipe este ano foi o terceiro lugar na Itália.

Quem fez a volta mais rápida da prova foi Nico Rosberg (1min42s381). Pelo giro rápido, o alemão dava sinais de que ainda estava na briga. A diferença entre os dois era de 2s7.

Mas Hamilton tratou logo de esfriar o ânimo do companheiro e fez a volta mais rápida em seguida(1min42s351). O piloto inglês abria 2s5 de vantagem. Isso na volta 42.

Quem fez uma boa corrida de recuperação foi o piloto da Red Bull, Sebastian Vettel. Largando dos boxes, o alemão, na volta 47, já assumia a sétima colocação.

Faltando oito voltas para o fim da prova, a diferença entre o líder da prova, Lewis Hamilton, e Rosberg caia para 1s9. Em sexto lugar, Alonso voava na pista e fazia a volta mais rápida da prova (1min41s474).

Restando quatro voltas para o final da etapa americana, Ricciardo seguia perdendo espaço para Felipe Massa na pista. A diferença entre os dois era de 1s5. O time da Williams mandava o brasileiro atacar Ricciardo. O brasileiro precisaria de um milagre para alcançar a RBR.

E não deu para ninguém. Lewis Hamilton cruzou a linha de chegada na primeira posição. O piloto inglês, depois de ter largado na segunda posição, superou seu companheiro de equipe para subir no lugar mais alto do pódio.

GP EUA