Classico das Emoçoes

Clássico das Emoções em lados opostos

Ficha do Jogo

Náutico
Tiago Cardoso; Sueliton, Breno Calixto, Phelipe Gabriel e Léo Carioca; Amaral, Darlan, Giovanni, Diego Miranda e Erick; Gerônimo (Gilmar ou Alison). Técnico: Beto Campos.

Santa Cruz

Julio Cesar; Gabriel Vallés, Jaime, Bruno Silva e Tiago Costa; Wellington Cezar, Derley e João Paulo; Augusto, André Luis e Halef Pitbull.Técnico: Givanildo Oliveira.

Local: Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata. Data: 15/7/17. Horário: 16h30. Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO). Assistentes: Bruno Raphael Pires (GO) e Edson Antônio de Sousa (GO). Ingressos: Gratuito (sócio, até as 11h na sede do clube) e R$ 10 (não-sócios), setor leste; R$ 10 (sócio) e R$ 20 (não-sócio), setor oeste inferior. R$ 10 (sócio) e R$ 20 (não-sócio), setor leste e R$ 20 (sócio) e R$ 40 (não-sócio), setor oeste. Norte Superior (Visitantes): R$20 (inteira) e R$10 (meia).

Santa Cruz e Náutico fecham hexagonal por “vantagem” de decidir semifinal em casa

Ficha do jogo

Santa Cruz
Jacsson; Vítor, Jaime, Bruno Silva e Roberto; Wellington Cézar, Gino, Pereira, William Barbio e Everton Santos; Halef Pitbull. Técnico: Vinícius Eutrópio.

Náutico

Tiago Cardoso; Suelinton, Tiago Alves, Ewerton Páscoa e Manoel; Rodrigo Souza, João Ananias, Maylson e Dudu; Anselmo e Erick. Técnico: Milton Cruz.

Estádio: Arruda (Recife-PE).

Horário: 20h30.
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (PE).
Assistentes: Marlon Rafael Gomes de Oliveira (PE) e Francisco Chaves Bezerra Junior (PE).
Ingressos: R$ 40 (arquibancada inferior), R$ 20 (meia-entrada de arquibancada inferior), R$ 10 (promocional de arquibancada superior).

Santa Cruz e Náutico voltam a se encontrar pela Copa do Nordeste

Ficha do jogo


Santa Cruz
Júlio César; Vítor, Jaime, Bruno Silva e Roberto; Elicarlos, David, Leo Costa, Thomás (Thiago Primão) e Everton Santos; Halef Pitbull (André Luís ou Wiliam Barbio). Técnico: Vinícius Eutrópio.

Náutico
Tiago Cardoso; Joazi, Tiago Alves, Ewerton Páscoa e Manoel (Giovanni); João Ananias, Maylson e Rodrigo Souza (Dudu); Jefferson Nem, Giva e Alison (Anselmo). Técnico: Dado Cavalcanti.

Time do Santa Cruz
Vinícius Eutrópio só confirmou uma alteração no Santa Cruz. O zagueiro Jaime volta ao time titular após não jogar pelo Pernambucano na última quarta-feira por ter sido expulso no primeiro Clássico das Emoções do ano. Por outro lado, algumas mudanças que o treinador não revelou podem ocorrer. Hallef Pitbull foi regularizado e os sinais apontam que ele deve fazer a sua estreia na posição de centroavante. Outra mudança que pode ocorrer é a entrada de Thomaz

Time do Náutico
Com Giovanni regularizado e Marco Antônio treinando com bola ontem, Dado Cavalcanti vislumbrou situações diferentes para ambos. Enquanto acredita que Giovanni reúne condições de começar a partida como titular, o técnico não acredita que o mesmo possa ocorrer com o camisa 10. Deixou claro que Marco ainda está em busca da melhor forma física e deve ser opção para o decorrer da partida e se for necessário. O que não ficou claro foi a escalação do Timbu. O técnico disse que só revelaria quais seriam os 11 titulares dos 23 relacionados minutos antes da partida.

Estádio: Arruda (Recife-PE). Horário:16h. Árbitro: Dênis da Silva Ribeiro Serafim (AL). Assistentes: Esdras Mariano de Lima Albuquerque (AL) e Pedro Jorge Santos de Araújo (AL).

Ingressos:

R$ 40 e R$ 20
Arquibancada inferior

R$ 50 e R$ 25
Arquibancada superior/visitante

R$ 24,99 por mês
Sócios do Santa Cruz entram de graça

Santa Cruz e Náutico voltam a se enfrentar, agora em situações diferentes

Autor: Davi Saboya

Santa Cruz e Náutico fazem o segundo Clássico das Multidões do Campeonato Pernambucano em situações bem diferentes do encontro do dia 1 de fevereiro quando o Timbu venceu por 2×0 na primeira rodada. Agora o Náutico entra em campo classificado para as semifinais. O Santa ainda precisa somar mais pontos para chegar lá. O jogo será no Arruda, a partir das 16h.

O Tricolor soma oito pontos e, além dos pontos para ficar mais perto das semifinais, também precisa melhorar sua imagem com a torcida. O Arruda ainda não foi o aliado forte de sempre. No Estadual, os corais ganharam apenas uma vez em casa – 4×2 em cima do América. O time da Rosa e Silva tem o dobro dos pontos e briga pela primeira colocação, situação que o deixaria em vantagem tanto nas semifinais quanto numa eventual final.

DE VOLTA

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

O técnico Marcelo Martelotte tem um panorama bem mais positivo que nos últimos dias. Os desfalques, seja por cartão, seja por contusão, estão de volta. Assim ele poderá contar novamente com o atacante Grafite, o meia-atacante Lelê, os laterais Vítor e Allan Vieira, considerados titulares estão à disposição.

Além deles, Martelotte terá o retorno da dupla de zaga, Leonardo e Alemão. Ambos foram poupados no jogo com o Rio Branco (ES) pela Copa do Brasil. O único ausente é o volante Welllington Cézar, suspenso pelo terceiro amarelo.

REFORÇOS

A grande surpresa do técnico tricolor pode ser o aproveitamento do meia Léo Moura e do volante Uiliam Correia, ambos apresentados nesta semana e já regularizados. O técnico confirmou que a dupla está relacionada, mas deixou a condição – titular ou banco – em suspenso.

“É ótimo voltar a contar com todos. Reclamamos muito, nos lamentamos pelas ausências por estarmos com vários no departamento médico. Poder contar com todos e escolher o que entendemos ser o melhor no momento é positivo”, destacou Martelotte.

DESFALQUES

A partida pela Copa do Brasil deve tirar o volante Niel e o meia Caíque Valdívia do confronto contra o Santa Cruz. O primeiro sofreu uma torção no tornozelo esquerdo e o outro sentiu uma visgada na coxa esquerda. Além deles, o lateral-esquerdo Gastón vai cumprir o segundo jogo da suspensão que recebeu contra o Sport na 6ª rodada e o volante João Ananias e os atacantes Bergson e Rafael Ratão continuam no departamento médico.

MISTÉRIO

Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

O técnico Gilmar Dal Pozzo vai continuar com a tática que utiliza em vésperas de jogos importantes: o mistério. Depois de empatar com o Vitória da Conquista por 0x0, na Copa do Brasil, o treinador não vai poder cobrar muito dos atletas nos treinos mirando no clássico. Quem atuou no meio da semana só se reapresentou neste sábado.

Com os desfalques de Niel e Caíque Valdívia, o treinador deve promover as entradas do volante Eduardinho e o meia Esquerdinha. Essas são as substituições naturais que Dal Pozzo deve realizar, já que não vai conseguir comandar um treino com o time titular. Como no elenco do Náutico não existe um volante com a mesma característica Niel, existe a possibilidade do Rafael Pereira entrar na lateral-direita para fortalecer o setor defensivo.

O zagueiro Fabiano Eller, que foi poupado do jogo contra o Vitória da Conquista, está confirmado no time no lugar de Rafael Pereira que volta para o banco de reservas. O restante do time deve ser o mesmo que o técnico do Timbu está utilizando desde o começo do ano.

FICHA TÉCNICA:

Santa Cruz – Tiago Cardoso; Vítor (Éverton Sena), Alemão, Leonardo e Allan Vieira; Lucas Gomes (Uillian Correia), Dedé e João Paulo; Keno, Grafite e Lelê (Léo Moura). Técnico: Marcelo Martelotte.

Náutico – Júlio César; Walber (Rafael Pereira), Ronaldo Alves, Fabiano Eller, Henrique; Eduardinho (Niel), Rodrigo Souza, Esquerdinha (Caíque Valdívia), Renan Oliveira; Rony e Thiago Santana. Técnico: Gilmar Dal Pozzo.

Local: Arruda. Horário: 16h. Árbitro: Gilberto Castro Júnior. Assistentes: Aldir Pereira e Marlon Oliveira.

Náutico e Santa Cruz fazem primeiro Clássico das Emoções da temporada

Por Recife

O início da edição 2016 do Campeonato Pernambucano foi no domingo, mas é nesta segunda-feira que a competição começa a “pegar fogo” de verdade. É que Náutico e Santa Cruz se enfrentam, às 20h30 (horário do Recife), na Arena Pernambuco, para o primeiro clássico local da temporada – que guarda muitos resquícios dos duros embates travados na última Série B.

Pelo lado do mandante, o Náutico aposta na confiança. Nos dois últimos confrontos, duas vitórias alvirrubras – uma delas dentro do Arruda. O técnico Gilmar Dal Pozzo recomendou à equipe o mesmo espírito guerreiro daquela partida. O recado será facilmente apreendido pela defesa, que é a mesma do ano passado (único desfalque é o goleiro Júlio César, suspenso).

Do meio para frente, no entanto, o comandante terá mais dificuldade para se fazer entender. Apenas Bergson e Daniel Morais são remanescentes do ano passado. E só o primeiro está garantido. O segundo disputa posição com Thiago Santana. Só se saberá quem atua minutos antes da partida (Dal Pozzo decidiu não divulgar a escalação). Além disso, o meia Renan Oliveira sentiu uma fisgada na coxa e é dúvida para o duelo. Se ele não jogar, provavelmente Caíque Valdívia é o substituto.

Atual campeão pernambucano, o Santa Cruz tem dois obstáculos na estreia. Primeiro, a dificuldade natural de um clássico. Segundo, por ser diante de um time que foi pedra no sapato durante a disputa da Série B de 2015. Mas, após conseguir o objetivo da Série A, a Cobra Coral reencontra o Timbu querendo largar bem no Estadual. E a manutenção da base que conseguiu o acesso é uma carta na manga: dos 11 titulares daquela campanha, dez permaneceram.

O GloboEsporte.com acompanha os lances em Tempo Real.

HEADER escalacoes 690 (Foto: Infoesporte)

Náutico: O técnico Gilmar Dal Pozzo preferiu manter em segredo a escalação do Náutico. Como fechou os últimos três treinos e não divulgou o time, não é possível cravar os onze. Mas as dúvidas são pequenas. O Timbu deve ir com: Rodolpho; Rafael Pereira, Ronaldo Alves, Fabiano Eller e Gastón Filgueira; Rodrigo Souza (Eduardinho), Elicarlos, Roni, Renan Oliveira (Caíque Valdívia) e Bergson; Daniel Morais (Thiago Santana).

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Vítor, Alemão, Danny Morais e Tiago Costa; Wellington Cézar, João Paulo, Daniel Costa, Raniel e Lelê; Grafite.

HEADER quem esta fora 690 (Foto: Infoesporte)

Náutico: O goleiro Júlio César cumpre suspensão por ter sido expulso no último jogo do Náutico no Pernambucano de 2015. O outro desfalque é Rafael Ratão, cuja regularização não saiu a tempo.

Santa Cruz: O técnico Marcelo Martelotte tem cinco desfalques para o jogo: o lateral-direito Lucas Ramon, o lateral-esquerdo Allan Vieira e os atacantes Keno, Arthur e Wallyson. Todos por conta de regularização.

Clássico tecnicamente fraco acaba sem gols na Arena

Foto: Diego Nigro / JC Imagem – Autor: Alvaro Filho

As vaias das torcidas de Santa Cruz e Náutico no apito final foi o sintoma do futebol fraco apresentado pelos dois times neste domingo (1), na Arena Pernambuco, pela sexta rodada do Campeonato Pernambucano de 2015. O placar de 0x0 foi o requinte de crueldade para o torcedores que compareceram ao estádio.

Melhor em boa parte dos 90 minutos, o Santa Cruz teve a chance de vencer pela segunda vez consecutiva o adversário, mas Betinho, autor do gol da vitória no primeiro confronto, desperdiçou um pênalti aos 8 do segundo tempo.

A melhor chance alvirrubra foi aos 36 do segundo tempo, com Josimar, no primeiro e único chute a gol do Náutico em todo o jogo, defendido por  Fred.

Com o empate, tricolores e alvirrubros, respectivamente, seguem na quarta e quinta colocações na tabela, mas com o Timbu fora da zona de classificação.

Foto: Diego Nigro / JC Imagem

Foto: Diego Nigro / JC Imagem

O JOGO

Sem contar com o volante Edson Sitta, acometido de uma virose, Ricardinho escalou João Paulo e pôs o Santa com três meias em campo.

Se teoricamente ganhou em velocidade, em compensação, logo aos 10 de jogo o improvisado Renatinho sentiu a coxa e foi substituído na lateral esquerda por um discreto Léo Veloso.

Já o Náutico entrou na Arena com a mesma formação do clássico anterior. E a mesma postura, também, esperando o adversário jogar para tentar surpreender no contra-ataque.

O início do clássico foi enfadonho, com o Santa assumindo a postura de mandante e procurando um pouco, mas um pouco mesmo, a iniciativa de jogo.

O cenário só mudou aos 25, quando aconteceu a primeira investida de gol da partida. Waldison, lançado e contando com a ajuda da defesa alvirrubra que pedia sem razão impedimento entrou na área, mas em vez de chutar, cruzou para Betinho chutar em cima do zagueiro, com Júlio César já fora do gol.

Foi de Betinho também a segunda chance do jogo, só aos 40, quando a bola sobrou para ele dentro da área, cara a cara com Júlio César. O chute foi até forte, mas em cima do goleiro.

Na continuação da jogada, nova chance tricolor, com Raniel cruzando para Waldison não alcançar.

Se o Santa tentou, mas não conseguiu acertar, o primeiro tempo terminou sem um único chute a gol do Náutico.

No segundo tempo, Ricardinho tirou Guilherme Biteco, até então um dos pilares da meia tricolor no Estadual, mas sem a mínima inspiração no clássico, colocando Wellignton César.

O jogo recomeçou mais animado, logo com um gol anulado do Santa, após Danny Morais  ser pego no impedimento ao concluir cobrança de falta de João Paulo.

A rede poderia ter balançado para valer aos 7, quando Moisés foi derrubado na área por Renato. Porém Betinho cobrou à meia-altura e facilitou a defesa de Júlio César.

Júlio César pegando pênalti. Foto: Diego Nigro / JC Imagem

Júlio César pegando pênalti. Foto: Diego Nigro / JC Imagem

Em busca ainda do primeiro chute no jogo, aos 10 do segundo o técnico Moacir Júnior trocou Patrick Vieira, se arrastando em campo, por Jefferson Nem.

Coincidentemente, a primeira jogada alvirrubra ocorreu logo depois, aos 16, ainda não com um chute do Náutico, mas com o zagueiro tricolor Danny Morais cortando um cruzamento rente à própria trave.

Logo depois, foi a vez de outro apagado alvirrubro deixar o jogo, Renato, substituído por João Paulo. Na reta final, Ricardinho trocou Betinho por Anderson Silva, e Moacir Júnior tirou o exaurido David para a entrada de Guilherme.

Se foi um time passivo praticamente o jogo inteiro, o Náutico criou suas chances a partir dos 35 do segundo tempo, inclusive com o primeiro chute a gol, nos pés de Josimar, que não conseguiu desviar a bola do goleiro Fred, escorando cruzamento na área.

Parecia que os reservas do Náutico é que iriam resolver o jogo, mas foi o atacante Anderson Aquino quem teve a chance de ouro, recebendo dentro da área livre. Sem velocidade, permitiu o corte da defesa.

FICHA DO JOGO:

Santa Cruz: Fred; Moisés, Alemão, Danny Morais e Renatinho (Léo Veloso); Bileu, João Paulo, Raniel e Guilherme Biteco (Wellington César); Waldison e Betinho (Anderson Aquino). Técnico: Ricardinho.

Náutico: Júlio César; David (Guilherme), Diego, Elivélton e Gastón Filgueira; João Ananias, Filipe Soutto, Bruno Alves e Patrick Vieira (Jefferson Nem), Renato João Paulo) e Josimar. Técnico: Moacir Júnior.

Cartões Amarelos: Diego, Bruno Alves, Patrick Vieira e Danny Morais. Árbitro: Nielson Nogueira Dias. Assistentes: Wlademir de Souza Lins e Ricardo Chianca.

Clássico é das emoções, mas poderia ser da pressão

Alvirrubros e tricolores ainda não deslancharam no campeonato. Fotos: JC Imagem

Por Thiago Wagner e Matheus Albino

Pressionados. É assim que chegam Náutico e Santa Cruz para o clássico desta quarta-feira, às 22h, na Arena Pernambuco. sem deslanchar no Pernambucano, as duas equipes são motivos de críticas por parte dos torcedores. A situação do Tricolor é a mais delicada com a torcida pedindo até a cabeça do técnico Ricardinho. Só que o comandante do Timbu, Moacir Júnior, não vive lá em um cenário tão tranquilo. Por isso, só a vitória interessa no Clássico das Emoções.

Timbu sem muito mistério

Foto: Matheus Albino - Blog do Torcedor

Elivélton deve voltar ao Timbu. Foto: Matheus Albino – Blog do Torcedor

O jovem time do Náutico ainda carrega no semblante de sua torcida um misto de preocupação e desconfiança. Por isso, vencer o clássico contra o Santa Cruz será de fundamental importância não só pelos três pontos e uma boa colocação na tabela, como para reaproximar o torcedor do time. Para o jogo desta quarta, Moacir tem poucas dúvidas no time titular. Com os retornos do zagueiro Elivélton e do meia Patrick Vieira, poupados contra o Central, a equipe deve mudar mais uma vez. Flávio ou Diego na zaga, e o parceiro de Josimar no ataque ainda não foram escolhidos por Moacir. O último treino antes do jogo foi fechado à imprensa, mas o treinador avisou que não deve mudar muito a cara do time que vem jogando.

Novidade do gol do Santa

Foto: Guga Matos/JC Imagem

Fred ganha chance na meta coral. Foto: Guga Matos/JC Imagem

Assim como o adversário, o técnico Ricardinho também fez treino secreto antes do clássico. Só que ao contrário de Moacir, o comandante coral não tem um time tão fácil de ser decifrado. A principal dúvida é a formação do meio de campo. Com João Paulo suspenso por causa da expulsão contra o Salgueiro, Ricardinho tem que quebrar a cabeça para encontrar o substituto. Além disso, há a dúvida sobre onde irá jogar Bileu – lateral ou volante? Certo mesmo somente a presença do goleiro Fred no lugar de Bruno, muito criticado pela torcida.

Destaques – Patrick Vieira e Biteco

meias

De volta ao time, o meia Patrick Vieira é a grande esperança do time alvirrubro. Destaque na vitória sobre o Piauí na última rodada do Nordestão, o jogador ganhou moral com o treinador e já assumiu papel de líder no meio de campo.

Do meio também vem o principal destaque do Santa Cruz. Guilherme Biteco tem pouco tempo de clube, mas já exerce um papel importante na criação coral. Como João Paulo não joga, a responsabilidade dele aumenta.

Fique de olho – Josimar e Betinho

atacantes

O atacante já balançou as redes contra o Santa Cruz e certamente vai querer repetir a dose. No Nordestão do ano passado o camisa 9 anotou o gol da vitória do CSA sobre o Tricolor no Lacerdão. Ele tem a confiança do treinador e está mantido no time.

Já Betinho chega para o clássico em cenário diferente. Sem marcar na temporada e com as três traves da partida contra o Salgueiro nas costas, o atacante quer usar o duelo com o Timbu para mudar a visão que a torcida tem dele neste momento.

Palavra dos treinadores

“É um clássico de 180 minutos pois vamos enfrentá-lo também no domingo. Estamos buscando regularidade na temporada. Já observamos o adversário e sempre busco aprimorar o time de acordo com o adversário mas temos que fazer o nosso jogo fluir”, disse Moacir Júnior.

“Não estou preocupado com o cargo, mas com um bom trabalho no Santa Cruz. Esse tipo de situação (de pressão) não levo nem em consideração e não preciso comentar”, disse Ricardinho.

FICHA DA PARTIDA – NÁUTICO X SANTA CRUZ

Júlio César; David, Elivelton, Flávio e Gaston Filgueira; João Ananias, Fillipe Soutto, Patrick Vieira e Bruno Alves; Renato (João Paulo) e Josimar. Técnico: Moacir Júnior.

Fred; Bileu (Moisés), Alemão, Danny Morais e Renatinho; Sitta, Emerson Santos (Bileu), Pedro Castro (Thiaguinho) e Biteco; Waldison (Aquino) e Betinho. Técnico: Ricardinho.

Pernambucano. Local: Arena Pernambuco. Horário: quarta-feira, às 22h. Árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Junior. Auxiliares: Albino de Andrade Albert Junior e Marcelino Castro de Nazaré.

Náutico e Santa Cruz fazem clássico decisivo na Série B

Por Marina Padilha e Matheus Albino

O Clássico das Emoções entre Náutico x Santa Cruz neste sábado, às 16h20, na Arena Pernambuco, pela 34°rodada da Série B, ganhou contornos de decisão. Por um motivo específico para cada um dos times. Do lado Tricolor, representa uma nova chance de entrar no G-4. O time é o sétimo colocado com 51 pontos e pode aparecer no grupo de quatro melhores em caso de vitória. Os rivais Avaí e Atlético-GO já tropeçaram na rodada.

Já para os alvirrubros, que têm menos de 1% de chance de classificação para a Série A do próximo ano, a briga também é contra o rebaixamento. Na 12° posição com 45 pontos, o Náutico está a oito pontos do G-4. Uma vitória livrará o time de vez da zona da degola, de onde está distante por apenas sete pontos, e, de quebra, ainda dará esperanças de conseguir o acesso.

A expectativa, a depender da semana de preparação, é de um jogo pegado, já que os jogadores esquentaram o pré-clássico com algumas provocações. Sandro Manoel foi quem abriu o leque de provocações; depois, Cañete rebateu e contou com a ajuda de Vinícius na troca de farpas entre os dois elencos. No entanto, Dado Cavalcanti e Oliveira Canindé rasgaram elogios um ao outro e amenizaram o clima do clássico. Nas arquibancadas outra polêmica – a diretoria do Náutico não cedeu mais que 10% dos ingressos destinados à torcida visitante.

Primeiro turno

No Arruda, o Santa Cruz passeou pela defesa alvirrubra e venceu sem grandes dificuldades o time comandado por Sidney Moraes naquela época. O Timbu foi derrotado por 3×0. Depois da derrota, o volante Elicarlos foi afastado da equipe e o treinador alvirrubro demitido. Agora o Náutico quer dar o troco e tentar impedir que o Tricolor fique entre os quatro primeiros colocados na tabela.

Preparação

A expectativa foi ainda maior por conta da semana livre que os times tiveram para se preparar. Cinco dias intensos de treinamentos e mistérios na escalação. No lado do Náutico, Dado Cavalcanti escondeu o time e deixou no ar uma dúvida – Cañete ou Raí no meio de campo? No ataque Sassá perdeu a vaga para Marinho. Gastón Filguera ganhou uma oportunidade na lateral esquerda.

No Arruda, Oliveira Canindé também realizou um treino secreto e não deixou claro como será a escalação do Santa Cruz. Sem poder contar com Tony na lateral direita, já que o jogador ainda não se recuperou de uma entorse no tornozelo direito, o mais provável é que Bileu seja improvisado na função e Natan entre no meio-campo. Assim, o time Coral entraria em campo com a mesma formação do jogo contra o Vila Nova/GO, quando os tricolores venceram por 5×1 na Arena Pernambuco.

Quem pode decidir

Fotos: Acervo JC Imagem

Fotos: Acervo JC Imagem

Vinícius. Camisa 10 e responsável pela armação de jogadas, o meia chega para o clássico com uma missão a mais: resolver o jogo. O jogador é o mais regular do setor ofensivo entre Marinho, Crislan e, possivelmente, Cañete. Sem o artilheiro Sassá, cabe a Vinícius, na bola parada ou em jogadas individuais, carregar o Náutico para a vitória.

Léo Gamalho. Como apontar outro jogador do lado do Santa Cruz? Gamalho é artilheiro do Santa Cruz na Série B com onze gols marcados até agora. De toda a competição, é o quinto maior goleador. E se não marcar, o samurai pelo menos contribui com bons passes para deixar os companheiros em boas condições para balançara as redes.

Fique de olho

Fotos: JC Imagem

Fotos: JC Imagem

Marinho. Ele poderia ser o ‘cara’ do Náutico se não tivesse enfrentado tantas contusões na temporada. Além disso, quando foi acionado nos últimos jogos, não conseguiu ser produtivo ao time. Mesmo assim, o camisa 7 tem habilidade e capacidade de furar o bloqueio coral.

Wescley. Embalou no Santa Cruz depois de marcar dois gols sobre o Náutico, logo na primeira partida entre os dois times na Série B deste ano. Na competição, Wescley é o vice-artilheiro do Tricolor, com sete gols marcados. No time de Oliveira Canindé o meia pode ser também decisivo.

Palavra do treinador

Fotos: JC Imagem

Fotos: JC Imagem

Dado Cavalcanti: “Clássico não é um jogo normal nem um jogo natural. Traz a rivalidade entre os jogadores, a cidade para. Nossos jogadores estão motivados e espero que estejamos numa tarde feliz para sair com a vitória”.

Oliveira Canindé: “É clássico e mexe com a gente, mas me sinto melhor em uma partida assim. Os jogos difíceis são melhores porque neles a gente sabe da nossa realidade. Sabemos que temos um adversário fortalecido agora com o Dado. Vamos tentar fazer o nosso, sendo o Santa Cruz que cresce no momento de decidir. Vamos tentar respeitar o adversário, mas fazendo o nosso melhor”.

Ficha do jogo: Náutico x Santa Cruz

Náutico: Júlio César; Neílson, Renato Chaves, Luiz Alberto e Gastón Filguera; João Ananias, Paulinho, Cañete (Raí) e Vinícius; Marinho e Crislan. Técnico: Dado Cavalcanti.

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Bileu, Renan Fonseca, Alemão e Tiago Costa; Sandro Manoel, Danilo Pires, Natan e Wescley; Keno e Léo Gamalho. Técnico: Oliveira Canindé.

Campeonato Brasileiro – Série B (34° rodada). Local: Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata. Sábado (8), às 16h20 (horário local). Árbitro:  Marielson Alves Silva (Bahia). Assistentes:  Alessandro Rocha de Matos e Luiz Carlos Silva Teixeira (ambos da Bahia).

Náutico e Santa voltam a se enfrentar em situações opostas

Autor: Wladmir Paulino

Náutico e Santa Cruz medem forças pela segunda vez na temporada em situações completamente diferentes daquele primeiro encontro, no dia 19 de fevereiro, no Arruda. Na ocasião, o tricolor classificara-se para as quartas de final da Copa do Nordeste com um sonoro 3×0 sobre o Guarany-CE, enquanto o Náutico ainda amargava uma eliminação precoce na competição regional. Agora, são os de vermelho e branco que estão por cima. Literalmente. O time iniciou esta oitava rodada na liderança do hexagonal do título com 14 pontos enquanto os corais vêm de três derrotas consecutivas para o outro velho rival, o Sport.

Ainda que não tenha encontrado a formação ideal, o técnico Lisca tem seus trunfos para a partida. O meia Pedro Carmona, que chegou a ficar dois dias sem treinar por conta de dores no púbis, trabalhou normalmente na última sexta-feira e confirmou sua escalação. O técnico também promove mudança na lateral direita. Depois de muito tempo, Jackson volta a ter outra oportunidade e Helder sai da equipe.

“A nossa vida é assim. Nós treinadores vivemos entre altos e baixos. A gente está acostumado com isso. Eu, agora, estou num momento tranquilo no Náutico, de construção do trabalho e com a diretoria apoiando as minhas decisões”, afirmou Lisca

No Santa, o técnico Vica chegou a isolar o grupo da torcida na sexta-feira, temendo algum tipo de ofensa aos jogadores. O trabalho do comandante para essa partida vai ser mais de psicólogo do que estrategista. Os jogadores estão cabisbaixos pela sequência negativa. Mesmo assim ele deve mexer pouco na equipe. Uma alteração confirmada é a entrada do lateral-esquerdo Zeca, contratado há poucos dias.

“Só um resultado positivo é que muda as situações adversas. O Náutico, agora, é líder e antes estava em uma situação delicada. Voltou a vencer e tudo é mais tranquilo. Aqui, no Santa Cruz, a situação é de cobrança, principalmente depois de três derrotas para o Sport. Portanto, só com vitórias o ambiente muda”, afirmou o técnico campeão pela Sértie C.

TIMES – O confronto, conhecido como Clássico das Emoções, reúne a segunda melhor defesa da competição – o Náutico tomou apenas seis gols – e o melhor ataque – o Santa marcou 16 vezes. E é justamente no setor defensivo que o Náutico sofreu seu maior baque. O experiente zagueiro Luiz Alberto, que deu mais equilíbrio desde que estreou, coincidentemente contra o próprio tricolor, sofreu uma ruptura parcial de ligamento do joelho e ficará inativo por quatro meses. William Alves, destaque no Pernambucano do ano passado no Arruda, será o substituto. “Espero manter o mesmo equilíbrio que a defesa vinha tendo e contribuir para a gente tomar menos gols possível, disse William.

Apesar da má fase técnica e, sobretudo tática, o Santa não tem questionamentos ofensivos. Leo Gamalho chegou e mostrou serviço, pois já balançou as redes em seis oportunidades no Pernambucano. “Quem joga na frente, sempre tem a obrigação de marcar gols. Tenho procurado fazer o meu melhor. Mas, pelo momento, o que mais importa é vencer, independente de que marque os gols, aponta Gamalho.

Ficha do jogo:

Náutico: Alessandro; Jackson, William Alves, Flávio e Izaldo; Elicarlos, Dê, Yuri Naves, Marcos Vinícius e Pedro Carmona; Hugo. Técnico: Lisca.

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Oziel, Everton Sena, Renan Fonseca e Zeca; Sandro Manoel, Luciano Sorriso, Raul e Carlos Alberto; Caça-Rato e Leo Gamalho. Técnico: Vica.

Local: Arena PE. Horário: 16h. Árbitro: Gilberto Castro Júnior. Assistentes: Charles Rosas e Diego Lima. Ingressos: de R$ 20 a R$ 50.