Classificado

Gamalho acaba com jejum de gols e garante classificação do Santa Cruz

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem – Autor: Marina Padilha

Não foi só a torcida que levou falta na noite desta quarta-feira, no Arruda. Faltou empolgação também em campo na partida entre Santa Cruz x Botafogo/PB, válida pelo 2º turno da Copa do Brasil. Ainda assim, com o baixo desempenho do adversário, o Santa Cruz garantiu a vitória por 2×1. Os dois gols foram marcados por Léo Gamalho, que pôs fim a um jejum de dois meses sem balançar as redes.

Com o resultado de 1×1 no primeiro jogo, realizado no dia 14 de maio, o Santa Cruz se classificou para a próxima fase. Nesta quarta, os portões do estádio estavam fechados, em cumprimento à punição estabelecida pelo STJD sobre o caso do torcedor que foi morto ao ser atingido por uma privada.

JOGO – O Tricolor teve domínio durante a maior parte dos 90 minutos. Começou a partida com mais ofensividade, aproveitando ainda a dificuldade da saída de bola do adversário. Mas o primeiro lance de perigo só veio aos 14 minutos com Tony, que se adiantou e chutou de fora da área. O chute explodiu na trave de Genivaldo e foi pra fora. Este foi o jogo de estreia do lateral-direito como titular na equipe Coral, assumindo o lugar de Nininho.

Seis minutos depois veio o gol. Léo Gamalho recebeu de Tony e abriu o placar. Este foi o seu segundo gol na Copa do Brasil. O primeiro foi no dia 7 de maio contra o Lagarto/SE. Naquele jogo o Santa venceu por 3×1 e garantiu a classificação.

Mesmo depois de levar o primeiro gol, o Botafogo não reagiu. Tinha dificuldades para pegar a bola e nas poucas vezes em que conseguia, pecava nos passes. Com o silêncio nas arquibancadas, a todo instante era possível ouvir os gritos do técnico Marcelo Vilar, insistindo que seus jogadores acertassem as jogadas.

Quem chegava com perigo pelo time paraibano era o atacante Pio. Talvez por isso a defesa tricolor – já tão contestada – tenha dado bobeira no fim do primeiro tempo. Aos 44 minutos, Lenílson recebeu o cruzamento e, de cara para o gol, mandou de cabeça para deixar tudo igual.

Para a segunda etapa voltaram os mesmos jogadores, mas o Botafogo mostrava um pouco mais de imposição em campo. Pio e Lenilson continuavam sendo os nomes no ataque, apostando nas jogadas aéreas que continuavam sendo perigosas à zaga Coral. Ainda assim, poucas vezes os dois times levaram perigo aos goleiros.

A primeira alteração veio aos 21 minutos com a entrada de Natan no lugar de Pingo. O meia retornou aos gramados depois de quatro meses se recuperando de uma contusão na coxa. Depois, o técnico Marcelo Vilar fez a troca de atacantes no time paraibano – Soares substituiu Aidar.

E se antes as críticas eram à defesa, outro setor falhou no Santa Cruz durante o segundo tempo. No ataque, foram quatro chances claras de gol desperdiçadas. Com Pingo, Carlos Alberto e Danilo Pires faltou tranquilidade e mira para garantir a vitória. Mas Léo Gamalho estava mesmo inspirado nas finalizações e, aos 34, aproveitou a saída do goleiro após receber o passe de Renatinho e fez o segundo.

Aos 43, o Santa desperdiçou mais uma chance clara de gol. Depois de bate-rebate na grande área, Carlos Alberto não conseguiu aproveitar a saída do goleiro Genivaldo e mandou para fora. Com isso, o placar ficou no 2×1 e o Santa com a classificação.